Visualizações

22 de dez de 2013

Capítulo 14

Joe on:
-Você levou a Demi pra casa da Hannah?- David riu alto.
-Ela quis ir. A Hannah tá namorando então agora a Demi meio que saiu do pé dela- dei de ombros- Graças a Deus, odeio crise de ciúmes.
-Você acha que esse namoro dura?- ele perguntou com um sorriso desafiador.
-Acho, ou pelo menos espero que sim.
-Como você saiu da vida de canalha pra namorado fiel, hein?- brincou.
-A única vez que eu realmente pisei na bola foi quando eu fiquei com a Britty enquanto dormia com a Demi. Fora isso eu nunca fui muito galinha.
-Você quase transou com duas ao mesmo tempo- ele sussurrou.
-Eu tava muito bêbado e eu não acho que você precisa me lembrar disso- resmunguei.
-Heeeey, qual o assunto?- Demi sorriu e me abraçou colocando seus braços ao redor do meu pescoço.
-O professor de sociologia, o novo- David disse e eu nem mesmo sabia que tinha um novo professor.
-O que aconteceu com o senhor Donalds?- ela perguntou- Eu não gostava nem um pouco dele, mas...
-Sei lá, eu ouvi dizer que ele teve uma briga com alguém da direção- deu de ombros- Mas o novo tem cara de maluco.
-Porque será que eles não conseguem colocar um professor normal pra dar aula pra gente?- eu resmunguei.
-Quando é a sua aula com ele?- Demi perguntou.
-Antes do intervalo.
-A minha também- resmungou- Odeio professor que entra no meio do ano.
-Vem- eu segurei sua mão e a puxei comigo- Vou pegar meus livros no armário.
Caminhamos juntos pelo pátio e enquanto íamos conversando chegamos ao corredor onde ficavam os armários.
-Férias daqui a menos de um mês, eu não tô acreditando- ela comentou escorada num outro armário ao lado do meu.
-Quais são seus planos?
-Você, talvez?!- ela sorriu na minha direção.
-Talvez?- sorri também- Eu tô pensando em fazer alguma coisa com os meninos- dei de ombros- Ficar um tempo em San Diego.
-Você vai viajar com os garotos e vai deixar a sua namorada aqui?- ela ergueu uma das sobrancelhas.
-Ah Demi... não vai ser uma viagem longa, são só alguns dias.
-Não tô falando do tempo- ela revidou- Vocês, quer dizer, um bando de garotos sozinhos em San Diego?
-Eu não vou fazer nada- assegurei.
-Tá bem- ela colocou as mãos ao alto em sinal de inocência. Eu apenas sorri balançando a cabeça enquanto remexia no meu armário.
-Que isso?- perguntei pra mim mesmo enquanto abria o papelzinho bem dobrado que estava entre as minhas coisas.
Demi tirou o papel da minha mão com um olhar já desconfiado.
-Demi- repreendi.
-Camila, Joe?- ela perguntou séria.
-Hã?- eu peguei novamente da mão dela- Ah sim, isso é velho- eu expliquei. Não que isso fosse adiantar muita coisa, mas era velho mesmo.
-E tá aqui porque...?
-Porque talvez esse ainda seja o telefone dela- eu brinquei e ela me fuzilou com os olhos.
Eu a encarei por um tempo, seu rosto com aquela expressão de “vou te matar” me dava medo. Rasguei o papel com muita pena mesmo porque eu gostava de ter o telefone das pessoas, mas eu não ia pedir pra ela esperar enquanto eu salvava no meu celular, eu podia conseguir isso fácil se quisesse. Caminhei até a lata de lixo que estava bem próxima de nós e joguei os pedacinhos de papel ali, ainda encarando Demi.
-Satisfeita?- perguntei.
Ela revirou os olhos e ajeitou a mochila nas costas antes de sair andando em direção à sua primeira aula. Eu terminei de pegar as minhas coisas e fui para o outro lado, onde ficava a minha sala.
Assisti àquela aula ridícula de geografia, sinceramente eu não sei pra que aquilo servia, mas eu era obrigado e tinha que passar de ano, então esse era o único jeito. Depois de mais 2 tempos de mais matérias desnecessárias, eu fui até a sala onde tinha a mesma aula com Demi.
-Você não conseguiu esquecer isso nem depois de 3 tempos de matemática?- eu perguntei quando ela me encarou ainda séria.
-A Camila tava na minha frente durante os 3 tempos- Demi resmungou e se sentou ao meu lado. Eu tentei prender o riso mas não deu- Joe!- ela reclamou, abrindo um pequeno (muito pequeno mesmo) sorriso.
Eu lhe dei um beijo no canto da boca e me sentei quando o novo professor entrou na sala. Ele definitivamente tinha cara de maluco, qualquer um podia ver isso e eu acho que ele assustava também, porque quando eu encarei Demi, ela estava com uma expressão terrível.
-Bom dia pra todos vocês, eu sou o senhor McField e é isso que vocês precisam saber- ele disse numa velocidade inacreditável- Agora rapidamente me digam seus nomes.
Ele perguntou um por um e a cada segundo eu pensava como aquele cara era estranho. Ele não era... feio. Mas sei lá, dava nojo.
-E o seu, gracinha?- ele olhou para Demi com um sorriso que eu não gostei.
-Demi- ela sussurrou.
-Como?
-Demi- ela repetiu um pouco mais alto. Não sei por que, mas ela não parecia nada bem.
-Hum, nome bonito- deu de ombros.
Enquanto ele remexia alguns livros sob a bancada, eu me inclinei para perto dela.
-Você tá bem?- sussurrei. Ela apenas me encarou assentindo.
Sabe quando um professor cisma com você? Então, aquele cara cismou com a Demi. E isso me deixou com raiva, mas depois de um tempo eu abstraí.
Quando a aula acabou, a única coisa que eu ouvi além do sinal foi o suspiro dela. Parecia que agora ela podia relaxar. Eu fui até o outro canto da sala conversar com Louis enquanto ele procurava o dinheiro na mochila.
-Joe, eu preciso falar com você- Demi se aproximou rapidamente.
-Calma aí, eu...
-Não, tem que ser agora- ela segurou meu braço e me puxou com força para fora da sala.
-O que deu em você?- perguntei confuso.
De repente nós esbarramos no professor, que por algum motivo estava indo na direção da sala novamente. Talvez tivesse esquecido alguma coisa.
-Opa cuidado- ele disse com um sorrisinho simpático- Pra que tanta pressa, Demi?-brincou.
-Acho que não é da sua conta- ela respondeu ríspida e meu queixo caiu. Como assim? Ela tava maluca, né?
Eu tava esperando por uma bronca, uma suspensão, mas ele apenas manteve o sorriso enquanto Demi agarrava com mais força o meu punho, me puxando para longe dali. Depois de alguns passos eu a parei.
-Demi- eu segurei seus braços- O que tá acontecendo?
-Você tem ideia de quem é aquele cara?- perguntou e eu parei um pouco para pensar.
-O nosso novo professor de sociologia?- tentei.
-É o cara que saiu com a minha mãe e tentou me agarrar, você lembra que eu te contei isso?
-Tá de sacanagem- eu murmurei.
-Ele não devia estar aqui, eu achei que ele tivesse saído da Califórnia.
-Por isso ele não parava de te encarar e ficava te perguntando as coisas- eu concluí.
-Porque raios esse cara tá atrás de mim?- ela questionou agora mais nervosa.
-Você acha que ele veio pra cá por causa de você?
-O que mais ele ia fazer aqui? Tanta escola no mundo, tanta gente, ele sabia que eu estudava aqui, você viu como ele cismou comigo e o sorrisinho dele agora pouco.
-E o que você quer fazer?- perguntei.
-O que eu posso fazer?- ela deu de ombros- Que droga, eu odeio esse cara. Só de pensar que ele tá aqui... arg.
-Demi... você não me disse que ele tinha tentado de agarrar- eu me lembrei- Você me disse que ele deu em cima de você.
-ah, dá no mesmo- desconversou.
-Não dá não- eu retruquei- O que exatamente ele fez?
-Nada demais- garantiu- Ele não só deu em cima de mim mas não chegou a me agarrar. O problema é que se ele tiver a oportunidade ele não vai deixar escapar.
-Isso é perigoso, Demi, você não pode deixar pra lá e não falar disso com ninguém.
-Ele não me fez nada, eu vou acusar ele de que?- perguntou- Eu posso estar paranoica e na verdade ele não tá nem aí pra mim.
-Ok, ok- eu concordei- Se ele chegar perto de você eu dou um jeito, tá? Esse cara não vai encostar em você de jeito nenhum.
Ela abriu um sorriso e me abraçou enquanto eu depositava um beijo em seus cabelos.
-Qual o seu próximo tempo?
-Hum...alguma coisa nem um pouco necessária- eu dei de ombros- Tá afim de sair? Só não posso ir pra casa, meus pais tão de folga hoje- revirei os olhos.
-Pois a minha mãe não está- ela sorriu.
Nós demos um jeitinho pra sair de lá e fomos andando até a casa da Demi. Ela disse que ia pegar um copo d’água e eu aproveitei pra subir e me jogar na cama dela.
-Cara, eu amo a sua cama- murmurei com a cara enterrada nos travesseiros.
-E eu amo você nela- ela disse com uma voz engraçada que me fez rir.
-Então vem aqui- eu chamei me deitando com a barriga para cima.
Demi trancou a porta atrás de si e caminhou até mim. Ela subiu na cama com calma e deslizou sua mão pelo meu peito enquanto colocava suas pernas ao redor do meu corpo. Eu sorri sem encará-la e levei minhas mãos para trás das suas coxas, puxando-a para mais perto.
Demi usava uma saia rodada, aquelas de uniforme mesmo, e eu a empurrei delicadamente para cima. Deixando suas pernas descobertas, eu levei meus lábios até a parte interior da sua coxa e senti as mãos de Demi puxando meu cabelo. Eu gostei daquilo e comecei a acariciá-la bem ali, fazendo-a respirar pesadamente.
Puxei-a pela nuca e direcionei minha outra mão para sua cintura. Enquanto alisava suas costas, sua blusa ia saindo de dentro da saia e subindo conforme eu a puxava para beijá-la.
Beijei seu pescoço cuidadosamente, com muita calma, e Demi puxou minha blusa, tirando-a. Depois de alisar minhas costas, ela se afastou um pouco para que eu pudesse tirar a sua.
Ela me encarou pacientemente conforme eu desabotoei todos os botões de sua camisa. Sempre que um novo pedaço de pele era revelado, eu depositava um beijo ali. Demi segurou minha nuca e me puxou para perto, mas não juntou nossos lábios. Em vez disso, ela beijou meu pescoço e desceu calmamente até o cós da minha calça. Depois de desabotoá-la, ela tirou sozinha sua saia enquanto eu cuidava da minha calça e voltou e me encarar com aquela expressão fofa mas ainda assim tentadora.
Segurei sua cintura e fiquei por cima dela, sustentando o peso do meu corpo enquanto lhe dava um beijo. Demi colocou suas mãos em meus braços e me puxou, fazendo nossos corpos ficarem juntos, sem mais nenhum espaço.
Demi levou uma de suas mãos até meu cabelo e deslizou a outra pelas minhas costas, parando sobre a minha box. Eu separei nossos lábios e mordi sua orelha com vontade ainda que tivesse cuidado para não machucá-la. Caminhei com minhas mãos por todo o seu corpo e ela o enterrou mais na cama, respirando com dificuldade. Me afastei antes que ela tirasse minha box e a observei deitada na cama, seus olhos fixos nos meus, ardendo em desejo.
Comecei um caminho de beijos, descendo por seu pescoço em direção à sua barriga. Beijei a parte descoberta de seus seios e depois de beijá-la por todo o corpo, eu abaixei as alças de seu sutiã.
-Tira logo isso- ela resmungou rindo entre o beijo que começara.
-Só por causa dessa sua pressa, eu não vou tirar- sussurrei sorrindo maliciosamente.
-Então tiro eu- ela disse.
Mas antes que suas mãos chegassem ao fecho, eu a segurei e a fiz ficar por cima de mim em um movimento tão rápido que fez Demi soltar um gritinho abafado, fazendo-me rir. Eu abri o fecho de seu sutiã e o tirei, trazendo-a para perto e juntando nossos corpos, sentindo sua pele em contato com a minha.
Não demorou muito até que eu tirasse sua calcinha e ela minha box, não demorou nada também até que uma onda de prazer nos invadisse por completo.
********
Continua...
Oieeeeeeee :)
nossa senhora, essa semana foi muito cansativa, cara! eu mal tive tempo de escrever, tive um trilhão de festas, formatura... socorro. 
Enfim, tá aí o capítulo! vou sair daqui a pouco de novo, mas dessa vez eu respondi aos comentários :D
Amo vocês, 
muito obrigada,
beijocas, Brubs <3

comentários respondidos> aqui


4 comentários:

  1. Posta maiiiiis, ta lindo demaiiis, posta posta

    ResponderExcluir
  2. lindo, fofo, meigo, apaixonante, mas tensinho por causa do professor o.o a fic tá cada vez melhor, posta logo! ~dany~

    ResponderExcluir
  3. Que capítulo mais fooofooo....to amando tudooo na fic <3 <3 <3
    Minha brigadeirinha...
    Posta logoo sua diva beijos.

    ResponderExcluir
  4. sobre o "professor", sinto tretas chegando, agora que parte ousada (hm) no final eu to meio KSJDKWJWFGFG eu amei swjqw posta mais <3

    ResponderExcluir

Vamos comentar?!?!..... SIM! :3