Visualizações

1 de mai de 2013

Capítulo Sete!


-Acorda, preguiça ambulante- ele riu, jogando um travesseiro nela e puxando as cobertas.
-Ah, não- ela bufou, reclamando- Já?
-Se demorar mais, não vai ter tempo nem de escovar os dentes- avisou, rindo.
-Quando foi que você virou meu despertador humano?- perguntou com o rosto ainda enterrado.
-Quando você esqueceu de acordar.
-Eu não esqueci- sentou-se na cama, se espreguiçando enquanto esfregava os olhos- Foi de propósito! Não achei que viesse me acordar- revirou os olhos.
-Achou errado- sorriu ironicamente- Sou muito eficiente.
-Aham- concordou- Ei, como entrou aqui?
-Pela porta...
-Muito engraçado! Sabia que você não deve entrar no quarto de uma menina sem bater?
-Eu, você e o mundo todo sabemos que se eu batesse, você tamparia os ouvidos e continuaria a dormir.
-Tudo bem- resmungou- Agora anda, sai que eu devo estar parecendo o chucky.
-Você fica linda de qualquer jeito- ele afirmou, gargalhando pelo que ela dissera.
A menina sorriu, mas logo se levantou com um travesseiro nas mãos. Enxotou-o para fora do quarto rapidamente, enquanto riam juntos. Desceu a escada quando terminou de se arrumar e deu de cara com Joe sentado na bancada.
Ele usava uma calça jeans preta e uma blusa social branca, um pouco larguinha, com uma gravata frouxa pendurada no pescoço. Ele estava incrivelmente sexy naquela roupa.
-Você está uma graça!- ela disse, sorridente. O menino revirou os olhos e sorriu.
-Espero que não esteja zoando com a minha cara- disse e ela negou com rapidez- Você também está uma graça- comentou, observando-a.
-Amei essa faculdade, só por causa do uniforme- disse.
-Você deveria ter feito moda- disse- Faz bem o seu tipo. Paty.
-Achei que tivesse parado com isso- revirou os olhos.
-Desculpa, é inevitável- riu- Você está com uma cara de quem não consegue nem se manter de pé. Não dormiu bem?
-Eu não entendo é como você consegue. Chegou aqui ontem depois das 4 da manhã e está todo animado. É algum segredo? Bruxaria?
-Não, é costume- riu- Aí eu tiro um cochilo na aula do Sr. Louis e prontinho. Novo em folha.
-É uma boa ideia- sorriu- Você deve ir a festas todos os dias- disse- Popular do jeito que é.
-Como você sabe que eu sou popular? Quer dizer, porque acha isso?- perguntou curioso.
-Aposto... 100 dólares que é o capitão do time de basquete da faculdade. Aposto também que todas a líderes de torcida ficam no seu pé, gritando o seu nome da arquibancada.
-Ok, prefiro não apostar nada- ele disse e ela gargalhou- Eu pareço tão... mauricinho assim?
-Não, pelo contrário- negou, séria- Você é bonito, tem jeito com as garotas, muitos amigos...você tem tudo para ser popular- respondeu obviamente.
-Tirou essa conclusão depois da festa?
-Ah, vamos lá né, Joe? Todas aquelas meninas estavam com os olhos em cima de você. Além disso, você mesmo disse que já ficou com todas. Um legítimo popular- sorriu orgulhosa de si mesma.
-E você? Eu não preciso fazer aposta nenhuma porque não vai aceitar- sorriu- Sei que é popular também.
-Não aqui- ela disse- Eu sempre fui...um pouco popular, mas nunca usufruí disso. Preferia meu grupinho de amigos calmos e malucos...verdadeiros.
-Fala sério, Demi- ele sorriu, levantando-se para pegar sua mochila- Você é linda. Isso já basta para ser popular hoje em dia.
-Odeio quando popularidade é medida por beleza- revirou os olhos.
-Eu não disse que você é SÓ linda- ele jogou um de seus braços ao redor dela- Mas isso já é suficiente. As outras qualidades você guarda pra quem merece- piscou e beijou a bochecha dela.
Demi riu consigo mesma e pegou sua mochila, seguindo-o.
~~~*~~~~*~~~*~~~~*~~~
-Já pensou em ser líder de torcida?- ele apareceu tão repentinamente que ela nem teve tempo de perceber. Demi observava o treino das líderes e do outro lado da quadra estavam alguns jogadores, sentados na grama, provavelmente falando besteiras sobre aquelas meninas.
-Na verdade, estava pensando que eu nunca serei uma delas- riu sem humor.
-Porque? Você daria uma ótima líder de torcida- ele afirmou.
Demi inclinou a cabeça para encará-lo e percebeu que o menino estava apenas com um short, sem blusa e tinha um sorriso travesso no rosto. Ela lançou a ele um olhar de reprovação e balançou a cabeça negativamente.
-Não conhecia esse seu lado- ela brincou.
-Ei, não me olha assim- pediu, rindo- Todo mundo tem um lado que ninguém conhece- piscou.
-Escuta, você não tem um time para liderar não?- perguntou- É melhor se apressar, antes que eles comam as líderes com os olhos e não exista mais quem torça por vocês- fez o menino gargalhar.
-Se isso acontecer...tem alguma chance de você torcer para nós?- questionou, esperançoso.
-Claro que sim!- ela respondeu, como se fosse óbvio- Mas não praticamente nua e com pom poms nas mãos- sorriu cínica.
-Elas não estão praticamente nuas- retrucou- A faculdade ainda não é tão boa assim- gargalhou e ela lhe deu um tapa.
-Ok, eu acho que preciso ir- ela disse, se afastando.
-Não, não- ele a puxou de volta, sorrindo- Eu na verdade vim pra te convidar pra almoçar comigo- disse.
-Almoçar? Claro, eu estava morrendo de fome mesmo- ela aceitou, sorrindo.
-Tem uma lanchonete ótima aqui perto- deu de ombros- Mas antes, eu tenho um treino- fez careta.
-Vou torcer por você- ela riu, vendo-o se afastar- Vai lá, tigrão!- gritou.
Ela observou-o jogar a cabeça para trás, gargalhando. Logo Joe estava do outro lado, perto dos companheiros, cumprimentando-os. A menina balançou a cabeça em reprovação, perguntando a si mesma o que ela estava fazendo, mas sem tirar o sorriso do rosto nem por um segundo.
A menina se castigara noite passada. E era esse o motivo pelo qual ela não dormira bem. Durante a festa, nada estava a importunando. Era estranho, porque minutos antes de aceitar dançar com Joe, ela pensara em Caty. Pensara exatamente se não deveria fazê-lo ficar longe daquelas meninas. Mas o que ela fizera no final? Ah, ela o beijara. Ou melhor, aceitara seus beijos. Ela os recebeu com prazer.
Porém agora, mil e uma coisas entravam e saiam de sua cabeça a cada momento. O que estava acontecendo? Ou melhor, o que ia acontecer dali pra frente? Porque ela tinha essa dúvida. Nada estava acontecendo entre eles. Apenas ficaram, beijos, fora só isso. Por enquanto.
Joe era uma pessoa incrível, e ela podia sentir isso, sentir como ele era especial sempre que o tinha ao seu lado. Estava preocupada, com medo. Medo de se deixar levar como fizera ontem. Medo de se entregar com a desculpa de que não passaria daquilo. Não, ela não podia se apaixonar. Não por ele.
O que era bem, bem difícil.
Joe era...tudo que alguém poderia querer. E ela não podia negar que o jeito dele a encantara desde o primeiro dia. Aquele papo de "odiar"? Ah, ela apenas o odiava por ser tão amável. Odiava a si mesma por não poder resistir.
-Então, o que achou?- ele sorriu, se aproximando dela. A mente de Demi estava em outro lugar, longe dali. E ela não vira absolutamente nada do jogo.
-Ótimo- ela respondeu rapidamente- Você joga muito bem- afirmou com seu melhor sorriso.
-Não prestou a mínima atenção no jogo, certo?- ele riu.
-Desculpa- sussurrou- Eu...me perdi nos meus próprios pensamentos. Acredite, eu queria vê-lo jogar.
-Você terá o ano todo para isso- lembrou- Deixa para a próxima.
-Mas você joga muito bem mesmo- reafirmou.
-Como pode saber, Demi?- perguntou rindo.
-É o capitão, deve ser o melhor- disse obviamente. Ele riu ainda mais- Podemos almoçar? Estou faminta- ela disse.
O menino sorriu e foram caminhando até o carro. Seu cabelo ainda estava um pouco molhado por causa do banho que ele tomara, mas o uniforme ainda o deixava muito sexy.
-No que você tanto pensa, hein?- bebeu um gole de seu suco.
-Muitas coisas- suspirou- E eu odeio isso. Por favor, me distraia- pediu.
Joe sorriu e encarou o copo em suas mãos por um instante. Agora ambos estavam sentados em banquinhos, no balcão da lanchonete. Demi o encarou, curiosa, provavelmente achando que ele estava pensando em um assunto, algo para realmente distraí-la.
Mas o que ele fez foi bem diferente. Joe levou seus olhos até os dela, em um gesto muito calmo. Ainda tinha um sorriso em seu rosto, um sorriso doce e perigoso. Deixou o suco de lado e puxou-a pena nuca, rapidamente. Em uma fração de segundos, ambos estavam se beijando novamente. Suas línguas se movimentavam juntas e era impressionante, mas ela não conseguia pensar em mais nada quando estava com ele. Ou melhor, beijando-o. E isso funcionava quando ela queria desocupar sua mente.
-Esse foi o jeito que você achou para me distrair?- ela perguntou, timidamente.
-Desculpa, foi o melhor que eu pensei- ele deu de ombros, rindo- Funcionou?
-Sim- ela concordou com uma careta, sorrindo.
-Sabia. Eu sou bom nisso- piscou.
Beijou-a novamente, com mais calma ainda. Um beijo envolvente, interessante e misterioso. Ninguém sabia o que tinha por trás daquilo. E uma parte de Demi estava com medo de descobrir. Mas ele não estava se importando com aquilo.
-Está se aproveitando da situação- ela disse.
-O que? Queria que eu comprasse um sorvete para te distrair?- questionou.
-Você tem sorte de eu não ser chata e ficar no seu pé- comentou, rindo.
-Olha, eu gostaria se ficasse no meu pé- ele disse- Caty podia ter me apresentado você antes- deu de ombros- Como está lá na faculdade?
-Muito bem- sussurrou.
-O beijo foi uma brincadeira- ele disse- Mas agora, falando sério, aconteceu alguma coisa?
-Porque a pergunta?- forçou um sorriso.
-Você estava se afogando nos próprios pensamentos e parece distante...- deu de ombros- Eu sei que tem alguma coisa errada. Por um acaso fui eu?- perguntou.
Não, claro que não, ela quis dizer. E no final, sabia que diria isso mesmo, porém até que ele tinha um pingo de culpa, mesmo que não propositalmente. Se, nesse momento, ela pensava em Caty, pensava em como estava agindo ao trair a confiança de sua amiga, era por causa dele. Mas seus pensamentos não se resumiam apenas nele, longe disso. Iam além demais, além do que ela poderia contar a ele, além do que ele deveria saber. Por isso, no momento, ele não era seu maior problema.
-Não- negou rapidamente- Claro que não.
-Então é alguma coisa que vem de muito tempo- sugeriu- Ouvi uma conversa sua com a Caty e...eu sei que tem alguma coisa acontecendo, Demi- disse tranquilamente.
-Porque só me perguntou isso agora?- ela questionou- Faz alguns dias que conversamos.
-Porque nos odiávamos antes. E eu queria que...confiasse em mim, da mesma forma que disse a Caty que sabia que podia.
-Não é confiança, porque eu confio em você- ela disse- Só...tem algumas coisas que são desnecessárias. Você não precisa ouvi-las, porque não mudaria em nada.
Ou será que sim, mudaria? Será que, sabendo de tudo, Joe conseguiria, finalmente, livrá-la daquele pesadelo onde estava presa? Será que ele era capaz de fazer, com palavras ou gestos, o que nem o tempo conseguiu? Às vezes...Demi chegava a pensar que seria bom desabafar, chorar no colo dele. Deveria ser a melhor sensação de todas e ela, por minutos, teve uma vontade enlouquecedora de descobrir.
-Bom, você não precisa me dizer se não quiser- ele afirmou, com um meigo sorriso- Só quero que saiba que eu não me importo se quiser me ocupar com seus problemas.
Realmente, ele escutara a conversa. Escutara o suficiente para entender que ela chegara perto de não aguentar mais. Ele a ouvira dizer aquelas palavras. Que confiava nele, mas que não era preciso que o enchesse de problemas. Problemas que na verdade pertenciam a ela.
 Continua...

Gente, me desculpem, mas eu não posso fazer uma maratona :( vou explicar porque: eu tenho sim capítulos escritos, >poucos< porque ultimamente não tem dado pra escrever, então se eu fizer uma maratona, depois vou acabar ficando MUITO tempo sem postar nada aqui. Então não da mesmo, me perdoem :/
Bom... comentem, ok? Obrigada, de coração <3

Amo vocês,
Brubs *-*

10 comentários:

  1. eles tão começando a gostar um do outro,que coisa mais linda os dois <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3
    tá perfeito,posta logooooo.
    beijos lindinha

    ResponderExcluir
  2. Awwwn, gente, perfeito *---* Demi e Joe tão fofos, sério! Quero só ver o que vai acontecer depois, u.u curiosa on. Posta logo *-*. E ah, como sempre, está perfeito, não tenho dúvidas.
    Xoxo.

    ResponderExcluir
  3. AAAAAWWW ESSES DOIS <3 <3 <3 <3 COMO EU TO AMANDO <3
    O beijo foi uma brincadeira, Joseph? Hum sera?! rs
    é, nao vai ter maratona, bolada :c mas tudo bem... É melhor ler de pouquinho do que ficar um tempão sem cap. :)
    Bjssssss amr *--*

    ResponderExcluir
  4. eita,Joseph... Por que você tem que torturar a Dems???
    aiai... Isso não vai dar certo...
    Posta logo,linda,beijos

    ResponderExcluir
  5. Ai meu Deus esses dois juntos é tão ajfagosfsdjhfgsoa <3
    Prevejo muitas tretas com a caty quando ela descobrir que a demi ta pegando o joe...
    Eu to curiosa pra saber qual foi o motivo pra demi ter se mudado pro apartamento do joe!
    Que fic viciante AAAAA POSTA MAIS PFVRRR TE IMPLORO DAJFHAOAJSDFHASG

    ResponderExcluir
  6. Já disse que amooo essa fic? Pois eu amooo. To totalmente viciada.

    Awnnn que fofos! Eles tão se dando tão bem. Mas esses beijos de momento do Joe não vai prestar... Demi vai se apaixonar e ele Tbm corre esse risco e qnd Caty souber...... Acabou mundo, + problemas pra Demi...
    To doida pro Joe se apaixonar loucamente... gastará

    Postaaa logooo pleaseee

    ResponderExcluir
  7. ameeeeeeeeei scr postaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

    ResponderExcluir
  8. Tem uma fanfic e quer saber como está? Precisa de ajuda, sinopses ou títulos? Problemas com o português? Nós podemos ajudar! Temos divulgação para as melhores fanfics! http://fanficsawards.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. 10 --- POSTA POR FAVOR????? :D

    ResponderExcluir

Vamos comentar?!?!..... SIM! :3