Visualizações

25 de mai de 2013

Capítulo Catorze!


-É loucura se eu disser que te amo?
-Bom, somos dois loucos então.

-Sério que você já está planejando essa festa?- ela perguntou, sentando-se no colo do menino. Assim que o fez, ele se levantou rapidamente, com a cabeça em um outro lugar qualquer e o telefone nas mãos, junto à um caderninho.
-Minha semana de provas é a mesma do aniversário de vocês- ele lembrou, ainda assim sem prestar muita atenção no que ele mesmo dizia- Eu não vou ter tempo se deixar pra fazer tudo em cima da hora.
-Joe, eu já falei que não ligo pra essa festa- ela revirou os olhos, um pouco quieta demais em seu canto depois de ele não ter-lhe dado atenção.
-Acredite, a Caty liga- ele afirmou- Desculpa- pediu, suspirando e se aproximando dela novamente, largando as anotações de lado e abraçando-a carinhosamente- Você sabe que só faz 19 anos uma vez na vida.
-Claro, assim como só faço 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8...
-Tá, entendi- ele sorriu, interrompendo-a- Mas eu queria fazer alguma coisa especial, já que vocês não querem uma festa imensa. Podemos fazer uma festinha particular- ele sussurrou malicioso no ouvido dela.
-Eu, você e a Caty- a menina concertou, um pouco séria demais. Tudo dentro dela parecia girar e girar sem parar um momento sequer.
-Certo, mas...- ele pensou um pouco- Tudo bem. Eu posso deixar pra fazer isso tudo mais tarde- decidiu.
-Assim que eu gosto- ela tentou forçar um sorriso, mas foi em vão.
-Eu estou te achando muito estranha esses dias, Demi- Joe comentou, um pouco incomodado também com o assunto.
A menina temeu que ele começasse com as perguntas. Não queria admitir que estava amedrontada por dentro, pelo fato de que daqui a mais ou menos um mês seria seu aniversário, assim como o de Caty. Era como uma... tradição. Já fazia tempo que as duas comemoravam juntas e não seria diferente dessa vez. Demi e Caty conversavam diariamente e isso era sempre um desafio. Às vezes, ao conversar com Caty enquanto estava no colo de Joe, parecia o maior erro que já cometera em sua vida. A pior traição.
E agora com o aniversário... ah, comentei que Caty viria até Nova York? Que passaria uma semana na casa de Joe e que estava quase soltando fogos de artifício por causa disso? Pois é... o que martelava a cabeça de Demi era o que fariam durante esse tempo. Como ela e Joe reagiriam a isso, ou melhor, como ela ficaria longe dele durante esse tempo, sem ter que admitir que tinha medo, sem ter que dizer na cara dele “Caty é apaixonada por você e eu estou traindo a confiança da minha melhor amiga”.
Bom, ela não conseguiria ficar longe dele porque o menino não permitiria.
Ela o beijou, com delicadeza, esperando que isso fizesse com que todas as perguntas dele sumissem. Sabia que não iria funcionar, mas pelo menos ele não a forçaria a contar aquilo tudo que girava em torno de seu coração e de sua cabeça.
Depois do que aconteceu na banheira, durante a tentativa frustrada de dar um banho em Milla_ há algumas semanas atrás_ ambos não tinham tocado no assunto. O que havia para ser dito, afinal? Na realidade, eles queriam ter ido muito além daquilo, mas não aconteceu. Porquê? Essa era a pergunta que passava pela cabeça deles.
Os dois queriam, isso ficava mais claro a cada beijo que davam, e oportunidades não faltavam. Mas por alguma razão, o sub consciente de Demi ainda a proibia de ir além. Com certeza o arrependimento seria bem maior. Afinal, não seriam apenas beijos.
-Ok, você não quer me falar- ele deu de ombros, rindo sem humor- Não tem problema- garantiu- Só promete que vai me contar se o problema for eu?- pediu acariciando a bochecha dela.
A menina fechou os olhos e respirou fundo. Levou uma de suas mãos até a nuca de Joe e o beijou novamente.
-Então o problema sou eu?- ele perguntou, mas seu tom de voz indicava mais uma certeza.
-Não, você não é nem de longe o meu problema- ela sussurrou. Não era mentira. O único problema ali era o que ela sentia por ele.
-Sabe o que eu mais gostei em você? Desde o primeiro dia em que eu te vi?- ele questionou, brincando com os dedos dela. A mudança repentina de assunto a deixou um pouco desconfiada, mas pensando bem era melhor que permanecesse assim.
-Essa eu quero saber- brincou, mesmo que com a voz nada alegre- Você gostou de alguma coisa no primeiro dia em que me viu?- ela sorriu, um sorriso fraco, mas que demonstrava a alegria mais pura por ele não ter guardado uma impressão tão ruim desse dia.
-Além de você ser linda- ele começou, alisando a cintura dela enquanto a abraçava de lado- O seu sorriso é o mais... verdadeiro e encantador que eu já vi- afirmou, vendo-a corar antes de esconder sua cabeça- E é por isso que eu quero sempre poder ver você com ele.
-Não me fala essas coisas, eu não sei como responder- ela sorriu, manhosa, ainda com o rosto escondido.
-Olha pra mim- ele pediu, aproximando seus rostos. Ela desviou o olhar, envergonhada demais para olhar nos olhos dele. Geralmente era assim, ela não conseguia conter a timidez ao ficar tão próxima- Você pode me responder assim- ele sugeriu, encarando o sorriso que ela tinha nos lábios. Aquele sorriso que ele amava.
-Como se um sorriso fosse suficiente- ela disse- Não pode comprar com as coisas que você me fala, nem com o que você faz- advertiu.
-Te ver sorrindo é a única coisa que eu quero em troca, tudo bem?- sorriu e a menina assentiu, sem outra opção. Ele era tão... apaixonante.
-É loucura se eu disser que te amo?- a menina não pode evitar aquelas palavras. Elas simplesmente saíram e não, Demi não se arrependera por tê-las dito. Desde quando dizer a verdade era proibido?
-Bom, somos dois loucos então- ele sussurrou, com um sorriso tímido no rosto.
-E isso quer dizer que...- a menina não o olhou nos olhos, nem mesmo mexeu-se. Permaneceu encarando suas mãos juntas sobre o colo dele, enquanto descansava sua cabeça no pescoço de Joe.
-Que existem muitos... tipos de amor- ele começou, acariciando a mão dela- Só que mesmo em tão pouco tempo você fez com que eu me apaixonasse por você- confessou.
-Você está apaixonado por mim?- ela sentiu-se na obrigação de perguntar.
-Não era o que eu esperava quando você chegou aqui- ele começou, sua voz calma e suave a deixava menos tensa- Eu não sabia direito o que ia acontecer, mas não era minha intenção fazer nada disso. Só que... aconteceu. Por algum motivo eu gostei de você, eu me preocupei- admitiu- Sobre paixão... eu não sei se quero te dizer isso agora, desse jeito. Porque sim, eu te amo, e isso aconteceu de uma hora para a outra, mas aconteceu. Agora... apaixonar, eu acho que mesmo tendo certeza, é ruim garantir alguma coisa agora.
-Você me ajudou quando eu precisei e se tornou... mais do que um amigo pra mim- ela forçou um sorriso- Eu te amo sim, te amo porque... eu sinto isso, que eu preciso de você.
-Entende o que eu quero dizer?- ele perguntou depois de um tempo, acariciando o braço dela.
Ela assentiu e o abraçou com mais força.
-Não sei se é exatamente isso que você quis dizer- ela sentou-se de frente para ele, encarando suas próprias mãos- Mas eu acho que... independente do amor, que... por enquanto é de amizade, talvez até um pouco mais do que isso, acho que não temos... intimidade suficiente pra um namoro- ela sussurrou, sua voz tornava-se mais fraca a cada palavra.
-Por mais que aconteça tudo isso entre a gente, por mais que eu queira e você também, eu concordo. O clima não fica estranho e a gente se da super bem- explicou- Você sabe que isso podia não ser o mesmo com um namoro.
-Sim- ela assentiu, aproximando-se novamente enquanto o menino a recebia com carinho- Eu confio em você. Eu sei que não preciso me preocupar com nada porque... nossa, como isso é estranho- riu por um momento, pensativa- Eu mal te conheço, quer dizer, eu não sei muuuuito sobre você, mas... eu acredito em você, e confio, mais do que eu já confiei em alguém que era bem mais próximo de mim.
-Talvez isso tenha alguma coisa a ver com a sua amizade e a da Caty- ele beijou o topo da cabeça dela antes de continuar- Mas eu me sinto na obrigação de cuidar de você.
-E eu te agradeço por isso.
-Ah cara, isso foi meloso demais- ele disse depois de um tempo, com uma careta- Senti nojo de mim mesmo agora- riram juntos.
-Todos têm seus momentos- Demi piscou, sorridente. Devia confessar que amava quando ele tinha seus momentos.
Joe inclinou seu corpo com calma, segurando a nuca dela enquanto juntava seus lábios com vontade. Enquanto se envolviam cada vez mais no momento, seus corpos se movimentavam juntos, estavam deitando no sofá, com calma, quando a cachorrinha pulou sobre os dois novamente.
-Ah Milla, eu vou começar a te prender- o menino resmungou, frustrado- Por um acaso é legal atrapalhar sempre?- questionou, voltando-se para Demi- É ciúmes de você- acusou, divertido.
-Porque você sempre coloca a culpa em mim, hein?!
-Bom, da última vez que eu fiz isso... – ele sorriu malicioso, parecendo pensativo enquanto trazia Demi mais para perto em um movimento rápido- Fiquei bem feliz com o que aconteceu depois- lembrou-se, colocando uma de suas mãos por debaixo da perna dela, puxando-a para seu colo.
A menina sorriu, feliz. Definitivamente estava radiante por tudo que acontecia entre eles. Sentia que faltava muito pouco para que aquilo se tornasse mais sério e íntimo, e repentinamente um medo a invadiu. Porque Caty tinha que aparecer em sua mente bem quando ela achava que estava tudo ótimo?
-E se...- ela suspirou. Não queria falar nada daquilo que viera em sua mente à ele, mas precisava arrumar um jeito de adiar ao máximo o que na realidade era inevitável. Uma hora ou outra aconteceria, claro, ambos estavam já tomados pelo desejo. Mas ela não podia ainda, não enquanto sua consciência a proibia.
-Ninguém é movido a “e se’s”, Demi- ele disse meigo.
-E se eu quisesse, mas achasse que ainda não é a hora?- ela prossegui. Sentia-se ridícula por isso, mas era um grande passo, um grande risco. Ela não estava pronta para jogar tudo por água abaixo.
-Não tem problema- garantiu, compreensivo. Percebia a angústia no olhar dela, e mesmo que não entendesse exatamente o porquê daquilo, ele tentava- Mas nada de “e se”- pediu- É só me dizer que é melhor não acontecer ainda- disse, acariciando o rosto dela.
-Não vai me perguntar por quê?- abriu um pequeno sorrisinho nervoso.
-Você não está nem um pouco a fim de falar sobre isso- Joe riu brevemente, amenizando o clima “tenso”- Não tem porque querer saber, se você se sente melhor assim- deu de ombros, carinhoso.
-Obrigada- agradeceu sincera.
-A não ser que você queira me dizer- sugeriu.
-Estou bem assim- riram juntos.
-É engraçado quando você quer me contar alguma coisa, ou só falar mesmo- ele disse- Parece sempre que você fica apreensiva por causa da minha resposta.
-É que eu nunca sei exatamente como você vai reagir- confessou- Tá, é besteira, porque você nunca se irrita comigo, mas... não consigo evitar.
-Me irritar com você?- o menino ergueu a sobrancelha- Não por causa disso, Demi- afirmou- Eu prefiro que me conte as coisas em vez de fingir que está tudo bem.
-Tá tudo ótimo- garantiu, encolhendo-se no colo dele- Só...
-Eu entendo, fica tranquila- sorriu acariciando o cabelo dela.
-Eu queria te conhecer melhor- sussurrou depois de um tempo- Eu sinto como se te conhecesse há muito tempo, mas mesmo assim parece que falta alguma coisa, sabe? É, eu sei que é confuso.
-Essa semana nós não temos aula- lembrou- Que tal um intensivo de passeios? Vai ser divertido- disse.
-Eu topo- ela sorriu de orelha a orelha.
Continua...

Antes de eu explicar porque sumi assim, vamos falar do capítulo dsjblbkjs
primeiro, eu me enrolei legal nessa parte da idade, desculpem a lerdeza da lesma aqui. No início (quando eu estava escrevendo...) eu confundi as idades, falei que elas iam fazer 18 e associei essa idade à grande festa dos >15< anos, pois é, confundi legal não sei como. Mas ok, até então tava tudo beleza, até eu lembrar que no prólogo_ eu acho_ eu comentei que a Demi tinha 18. Por isso eu tive que mudar pra 19 hehehehe ok, o que foi isso?! ~me ignorem~
Segundo, entendam que a Demi está confusa por causa da Caty. Ela sempre pensa nas consequências... mas calma gente, ela não vai fazer isso durante muito tempo ;)
Agora a explicação... eu comentei que mudei de escola no começo do ano? Se sim ou se não, o que importa é que eu voltei pra minha antiga escola, essa semana (pois é) e a matéria é completamente diferente. Então além de ter que aprender tudo sozinha e muito rápido, eu tô cheia de trabalhos e coisas pra copiar :/ Mal estou ficando muito tempo no computador então tá beeeem difícil :/ Consegui terminar de escrever esse ontem, mas não tenho nem ideia de quando vou escrever o 15 :( Me perdoem.
Comentem, ok? Obrigada por tudo, amo MUITO vocês! <3

AAAAAAA BIAAAAAAA! Eu nem acredito que você voltou! Eu tentei falar contigo pelo twitter, tava super preocupada com o que tinha acontecido, você sumiu :O Mas que bom que você está aqui de novooooo <3 tava >morrendo< de saudades!! te amoooo linda, demais *-*

Beijocas,
Brubs :)

8 comentários:

  1. aaaa que perfeito <3<3<3<3<3
    esses dois <3<3<3<3
    uma palavra para definir
    PAIXÃO....
    posta quando puder linda
    beijos

    ResponderExcluir
  2. EU TÔ COMPLETAMENTE APAIXONADA POR ESSA FIC. Esses dois me deixam tão <3 <3 A relação delesé tão complicada e tão simples ao msm tempo.
    Esse cap foi tão Awnnn. O Joe é um amor.
    A Milla sempre emPata... Kkkkkkk
    Será que o hot rola antes do niver da Demi?

    Kra que agonia me dá em saber que o cap 15 nem existe... Mais eu te entendo. :)

    Postaaa logooo pleaseee

    ResponderExcluir
  3. Heeey, Brubs :)
    Esse capitulo foi tão, tão, tão.. Awww <3 eu amo esses dois!
    Nao se preocupe, vc deve estar totalmente lotada de coisa pra fazer ne? Haushahs espero q de td certo rs
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Ai meu Deus eu to completamente in love com essa fic <333333
    Esse momento dos dois foi tão fofo. O Joe é muito amoroso com a Demi *-* e muito compreensivel tbm. Awn quero um desses pra mim, afinal quem não que né?!
    Agora eu fico imaginando como vai ser a reação do Joe quando descobri que a Caty gosta dele, acho que a Demi devia contar logo pra ele pra evitar constrangimentos futuramente rs
    Bom, o capitulo ficou maravilhso meu amor. Vc como sempre perfeita demais ;D E não se preocupe, a gnt entende que vc ta ocupada d+, então poste quando puder ;)
    Pois é eu voltei :D pensei q vc nem se lembraria mais de mim kkk Awwwn my baby tbm tava morreeendo de saudades de vc. Amo voce demais <3333333
    Beijocas :*

    ResponderExcluir
  5. Selinho: myworldmylifemakeitright.blogspot.com.br/2013/05/capitulo-17-uma-gota-no-oceano-uma

    ResponderExcluir
  6. Awwwnt, esses momentos Jemi são tão cutees.
    Ele é tão fofo com ela, quero o Joe pra miim!!!!!!!
    É sério sua fic é tão perfeita e viciante, aliás todas suas fics são, eu terminei de ler todas elas semana passada e amei todas, assim como amo essa!
    Aah e não precisa se preocupar, eu imagino como vc deve estar lotada de coisas e sem tempo, não se preocupe nós te entendemos!

    Posta logo minha linda, bjs

    ResponderExcluir
  7. amando suas historias, parabens :) acompanhando essa aqui agora!! adorando :D

    ResponderExcluir

Vamos comentar?!?!..... SIM! :3