Visualizações

22 de abr de 2013

Capítulo Três!


-O que foi, Milla?- ele perguntou, acariciando a cabeça da cachorrinha, tentando acalmá-la- Quer falar com ela? Acho que a Demi não está para papo hoje- brincou.
Ainda era cedo, ele pensou. Talvez ela ainda não tivesse acordado, mas logo estaria aqui dando outro "mal dia" como cumprimento. Não a vira desde o ocorrido na tarde passada e estranhava isso. Faziam... horas desde que ela se trancara naquele quarto. Mas ele não estava preocupado. Com certeza ela havia saído para comer alguma coisa depois que ele subira. Era bem o tipo dela.
Preparou um chocolate quente e algumas rosquinhas, com o intuito de se redimir por tê-la deixado sozinha lá. Mas fora apenas uma brincadeira e por mais que parecesse justo, ele se sentia um pouco culpado. Talvez não tivesse sido assim tão divertido.
Ela podia não saber como voltar para casa ou coisas piores poderiam ter acontecido. E ele sabia bem que, qualquer coisa que acontecesse com Demi seria motivo para Caty o matar. Mas a menina estava bem e não fora nada demais. Apenas uma chuva e uma lição. Joe queria que ela soubesse que ele também sabia ser imparcial.
Passaram-se algumas horas e o chocolate já estava bem frio. Pensou em ir até o quarto acordá-la, mas a porta estava trancada. Bateu algumas vezes porém não obteve resposta. Milla continuava no pé da porta, fuçando sem parar. Alguma coisa em Demi chamara sua atenção, definitivamente.
Decidiu que deixaria ela acordar quando quisesse e saiu para fazer algumas compras para o almoço. Alguns anos morando sozinho lhe deu dons culinários.

~~~*~~~*~~~*~~~*~~~
-Mais ela ainda está dormindo?- perguntou para si mesmo, procurando a menina pelo grande apartamento. Não a encontrou em lugar nenhum, mas ouviu o barulho do chuveiro ligado. Ótimo, pelo menos acordada ela estava.
Preparou um macarrão e colocou algumas coisas por cima. Não sabia bem o que eram, mas tinham um gosto agradável e faziam uma boa combinação. Preparou um suco e encarou o relógio em seu pulso. 14:40. Ela não estava mais no banho, mas ainda não havia dado nenhum sinal de vida.
-Demi, o almoço está pronto- ele gritou.
Não obteve nenhuma resposta. Ah, mas ela havia escutado. Era impossível não escutar.
Demi se revirou na cama, com o livro no colo. E assim pretendia passar todo o dia. Não acordara com fome, o que já era um bom começo. Não seria preciso sair dali nem para comer. O que a menina menos sentia no momento era fome, sentia-se enjoada só de pensar em comida.
Ele se aproximou do quarto, depois de algumas horas tentando ocupar a cabeça. Mas sempre pensava nela, no que estava acontecendo. Chamou seu nome algumas vezes e ela demorou para responder.
-Estou viva, não se preocupe- disse simplesmente.
-Mas vai morrer se não comer nada. Tá quase na hora do lanche e você não sai daí desde ontem.
-Eu sei disso- deu de ombros, indiferente. Até que não seria má ideia permanecer ali até a morte. Ela desejou dizer isso em voz alta e não se conteve- Ah, talvez não fosse ruim- sussurrou.
Duvidava se ele ouvira, mas tanto faz. Algumas coisas Demi simplesmente não conseguia guardar para si e sentia essa necessidade de sentir as palavras saindo de sua boca. Ela se sentia mais aliviada, de certa maneira, mesmo que aquilo não entrasse pelo ouvido de ninguém.
-O que aconteceu com você?- ele perguntou- Não quer mesmo comer?
-Estou bem, obrigada- disse simplesmente.
Não, ela não estava trancada nesse quarto por causa dele nem do ocorrido ontem à tarde. Demi se sentia ainda humilhada, imaginava-se fraca na frente dele, mas tudo isso era devido a uma fragilidade adquirida ao longo do tempo. Coisas antigas ainda a importunavam. Claro que aquelas gostosas risadas e gargalhadas não foram nada satisfatórias, e sentia vontade de chorar sempre que aquele som ecoava em sua cabeça. Tá, talvez ela estivesse sim trancada ali por isso. Mas o fato de encarar a morte por causa da forma uma causa bem vinda não era resultado de uma brincadeira de mal gosto de Joe.
Algumas horas mais se passaram e ele continuava sentado, impaciente, esperando pela hora em que a menina sairia daquele quarto. Não sentia só culpa, sentia agonia também.
Joe havia saído para comprar um café e aproveitou para levar um para ela também. Enquanto isso, passeou tranquilamente com Mille e falou com Caty. Evitou prolongar a conversa e disse que Demi estava muito bem, porém os dois não estavam juntos no momento.
-Você não vai passar um dia inteiro sem comer nada, Demi- ele afirmou.
-E...quem é você mesmo para me dizer isso?
-Um ser humano. Que se preocupa com as pessoas ao seu redor.
-Ah, quer dizer que se preocupa comigo?- questionou- Você só está com medo que eu fique doente ou morra de uma vez aqui. Porque aí a Caty te mata. E você pretende preservar sua vida.
-Eu tenho a chave de todos os quartos dessa casa. Se você não sair agora eu juro que te puxo daí a força e te obrigo a comer.
-Duvido que faça isso- ela disse.
Joe então sorriu consigo mesmo. Se tinha uma coisa que o motivava, era um bom desafio. Apenas aquela palavra, "duvido", tornava tudo ainda mais compensador no final.
Caminhou até uma das gavetas de seu quarto e logo voltou a porta dela com as chaves na mão. Abriu-a sem nem pensar duas vezes e encontrou-a deitada na cama. Logo a menina se levantou, encarando-o com desprezo, e passou por ele, seguindo até a cozinha.
-Qual o problema?- perguntou seguindo-a- Está com raiva de mim por ontem?- riu brevemente, lembrando-se.
-Eu não preciso que ria mais da minha cara. Sua brincadeirinha estúpida vai realmente ficar para a história-ela respirou fundo e quando sentou-se no sofá, espirrou algumas vezes- Até meu espirro é engraçado pra você?- murmurou, vendo-o rir.
-É fofo- deu de ombros- Foi mal por ontem- ele disse, dessa vez sério ao se aproximar e sentar-se ao lado dela- Era para ser só uma brincadeira mas eu exagerei. Me desculpa.
-Você se desculpando?- ergueu as sobrancelhas, surpresa.
-Alguém tem que dar o braço a torcer- respondeu- Nunca tive medo de me desculpar quando estava errado. E eu errei com você, poderia ter ficado doente ou se perdido.
-Não foi uma simples brincadeira. Você estava cumprindo o que me disse. Vivendo em um verdadeiro inferno. Bom, pelo jeito só acabou de começar- concluiu.
-Eu só fiquei irritado com você, porque ainda não entendi o motivo de tanto ódio. E mesmo quando deu a entender que estava se desculpando, eu ainda senti aquele gosto de vingança. Eu agi sem pensar. E não deveria ter rido também.
-O que te fez pensar que eu precisava das suas desculpas?
-Eu ouvi você chorando ontem. Depois se trancou no quarto durante horas- disse.
-Ah, pois saiba que ainda vai ter que trabalhar muito para conseguir ser o motivo para as minhas lágrimas- sorriu sarcástica.
-Que bom que eu não sou- sorriu- Não me orgulharia disso. Mas se quer saber, não pedi desculpas porque pensei que tivesse ficado chateada.
-Não me interessa.
-Tudo bem então- suspirou- Comprei café pra você- ele ofereceu o copo à ela- Ainda está quente.
-Ótimo. Porque não aproveita e toma um banho com isso, fervendo?- sugeriu- Ouvi dizer que é bom para a pele.
-Parece que alguém acordou com o pé esquerdo hoje...de novo- ele a ignorou, fingindo não ligar- Tem comida na geladeira. Se quiser alguma coisa, estou no meu quarto.
Ela parou para pensar na pergunta. O que ela podia querer dele? Com certeza não seria um prato de macarrão ou um talher, nem uma sobremesa...mas aquela pergunta fora bem tentadora.
Joe deixou-a sozinha ali e subiu, pronto para tomar um banho. Demi deitou-se no sofá com um pote de sorvete nas mãos e colocou Milla em seu colo, levando uma colherada a boca sempre que o filme a fazia deixar uma lágrima cair. Assistir a romances sempre a fazia chorar, ainda mais quando se estava sozinha, carente e sensível.
O filme terminou porém o sono já a consumia. Forças para levantar eram praticamente inexistentes ali. Então ela fez o mais prático. Deitou sua cabeça em uma almofada, e deixou que seus olhos se fechassem.
Quando desceu a escada, Joe deu de cara com a menina em seu sofá, agarrada a um pote vazio de sorvete. Isso cheirava a algo parecido com depressão. Quem comia um pote inteiro de sorvete sozinho? Parou um instante para observá-la e apreciar sua beleza natural e encantadora. A menina parecia um anjo dormindo, ele admitia, e ao mesmo tempo parecia um...pedaço de mal caminho. Seu short era bem curtinho, coisa que ele não percebera antes, e devido à sua posição, suas pernas estavam completamente à mostra. Seu cabelo estava jogado sobre sua face calma e tranquila e Demi também abraçava Milla.
Ele sorriu com a cena e pensou como deveria estar parecendo bobo agora. Ela era incrivelmente linda e se não fosse tão grossa e arrogante, e não o odiasse por algum motivo, seria uma ótima companhia. Em todos os sentidos.
Inclinou seu corpo para a frente e pegou-a no colo com delicadeza, depois de tirar a cadela de seus braços com cuidado. Levou-a até o quarto e deitou seu corpo na cama. Sorriu novamente ao vê-la se adaptando ao novo ambiente e fechou a porta, dirigindo-se para seu quarto novamente.

Continua...

Obrigada pelos cometários *-* Amo demais vocês, ok?! <3
Awwwn gente, eu finalmente conheci a Júlia <333 essa menina é a coisa mais fofa e tudo desse mundo e eu dou um prêmio pra quem trouxer ela pra mim right now u.u

Beijinhos,
Brubs!





8 comentários:

  1. o meu deus,joe foi fofooo <3
    que lindo,apaixonei !!!
    tá perfeito...
    posta logoo,
    beijos ».«

    ResponderExcluir
  2. NHAAAAAAAAA BRUNAAA KKKK A GENTE FINALMENTE SE CONHECEUUU !!!!! MEU DEUS KKKKK TAVA PFTOO BRU !! Como eu disse ontem , estou apaixonada por essa fic !!!! POSTA LOGOOO !!! E dps a gente ve q dia a gente pode marcar alguma coisa :P BEIJUSSS

    ResponderExcluir
  3. e novamente,todos liberam um: aaaaaawwwwwwwnnnnnnnn
    o Joe foi tão fofo,agora!*-*
    tá perfeitooooo
    postaaaaaaaaaa
    beijos

    ResponderExcluir
  4. Ownnn que coisa mais fofa esse Joe!! e safado tbm u.u kkkkk Nossa, tadica da Demi :( será que ela vai entrar em depressão?? O Joe não pode deixar viu?! Mas ela tbm não abaixa essa guarda né?! O menino todo ali pedindo desculpas e ela só nos cortes e tals... acho que isso tem a ver com a coisa misteriosa pela qual ela passou com o ex e o termino e tals... Quero muito o próximo capítulo logooooo!!! Você, como sempre, me deixando VICIADA em uma fic u.u Fica bem, amor e posta logo tá?! Suuuuper beijooooos!! :***

    ResponderExcluir
  5. Aaaaaaaa que lindo o Joe <3 todo fofo, reparando a beleza da Demi, aaaaawwwww :3
    Mas ela não facilita nada ne? Pô! :c
    quero sber esse misterio que ela tem... A historia com o ex... Hmmm...
    Posta maais *--*
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. To amandoooo essa fic. To completamente viciada e ansiosa. Como eu queria ter mais uns 4 cap pra ler de uma vez (isso foi uma indireta sim... Rsrs)
    Pensei que a Demi ia ficar doente...
    Que bom que a consciência do joe pesou pq ele exagerou....
    Ok... Ele foi fofo e a Demi não facilita...
    Joe safadjenho...

    Postaaa maissss pleaseee

    ResponderExcluir
  7. Ta legal posta maaaaaaaaais

    ResponderExcluir
  8. Joe todo preocupadinho com a Demi anem :3 hsaushuahsua' O melhor foi ele pedindo desculpas pra ela awn
    Suas fics são muuuuuito viciantes! Eu já to completamente viciada nessa.
    Preciso de mais capítulos, posta mais pfvrrrrrrrrr

    ResponderExcluir

Vamos comentar?!?!..... SIM! :3