Visualizações

23 de fev de 2013

2- Confiei em você.


The Start Of Something New
(2ª temporada)

(I don't own anything in this pic)


-Posso saber porque tanto drama?- perguntei, me aproximando.
-Posso saber porque está aqui se acha que não passa de puro drama?- ela rebateu, secando algumas lágrimas.
-E está chorando pelo motivo que eu acho que está?- perguntei e ela assentiu- Demi... segue em frente- dei de ombros.
Ela estava em um canto do colégio, sentada sozinha e com os olhos vermelhos.
-Seguir em frente?- ela me encarou, incrédula- É sério isso? Como você pode fingir tão bem? Como pode ser pior do que eu imaginei que seria?
-Demi, você sabia que ia acabar, assim como eu. Estávamos nos enganando à toa! Isso nunca daria certo!
-Não é justificativa para o que você fez- garantiu- Só porque acabaria você quis dar um fim antes? Achou que podia mentir pra mim daquela forma? Você não tem coração?
-Qual o real problema, Demi?- questionei.
-O problema é que você me enganou- ela disse com os dentes cerrados- Eu confiei em você. Confiei como nunca tinha feito com ninguém, acredite. Deixei que fizesse o que bem entendesse comigo, com os meus sentimentos e você me pisoteou.
-Não vejo problema em ter confiado- respondi- Você ainda pode confiar em mim.
-Como?- ela sussurrou- Como é possível ter coragem de falar isso? Como confiar em você depois de tudo? Eu acreditei quando me disse que daríamos um jeito.
-Ah, e você achou que daríamos?- perguntei irônico, ela negou.
-Eu achei que sentia o mesmo que eu. Eu me apaixonei por você, aquilo era real para mim. Eu não estava me importando com o fato de que não duraria porque eu achava que você ficaria ali comigo até não ter outra escolha.

-E acredite, foi o que eu fiz- sussurrei.
-Claro- ela disse, rindo brevemente sem humor algum- O mínimo que você deveria ter feito era me dar um "adeus". Você consegue ver que nem disso foi capaz?
-Um adeus? Você está ouvindo o que está falando? Se eu te acordasse para te dar um adeus seria pior ainda! Eu poupei a mim e a você. Se acha que eu fui tão injusto assim, eu te digo que pensei em você também.
-Você nunca pensou em mim- garantiu- Desde o primeiro dia naquele acampamento você deixou claro quais eram suas intenções. E eu, burra, acreditei quando me disse que não me forçaria a nada.
-E eu te forcei? Te obriguei a alguma coisa?
-Você me forçou a acreditar que, por mais que eu soubesse que não seria possível, podíamos continuar com aquilo. E só porque não tinha conseguido ainda o que queria. Eu te odeio, Joe- ela sussurrou.
-Eu quero entender porquê fazer essa tempestade- pedi- Eu não... eu não te usei- disse, irritado comigo mesmo por ser tão confuso. Eu simplesmente não sabia o que fazer. Mas pelo que eu via, Demi nem ao menos ligara para o que eu acabava de dizer. Claro, eu dissera a ela que a usara a agora contrariava a mim mesmo?
-E eu quero entender porque esperou tanto. Você sabia que eu não era tão fácil assim, sabia que tinha trabalho a fazer. Você podia ter transado com qualquer uma naquele acampamento. Porque EU?- ela parecia angustiada.
-Quem te garante que eu não transei com outras naquele acampamento?- murmurei. Talvez eu pudesse ficar sem dizer essa, mas eu estava entrando em desespero.
-Você me traiu?- ela me encarou de um modo como nunca fizera antes. Seus olhos estavam vermelhos, mas nesse momento, eu não sabia se era por raiva ou por causa do choro- Você não presta. Não consegue nem cumprir o que promete.
-Demi- chamei- Eu entendo, tudo bem?- respirei fundo- Entendo que eu te decepcionei, que confiou em mim, que me amou de verdade- afirmei- Mas... tá, aconteceu e acabou. Eu sinceramente espero que você só siga em frente.
-Como você fez, não é?- ela forçou um sorriso- Voltou para a Camilla. Mas eu tenho pena dela, porque você não a merece. Você não merece quem te ame. Ela me disse que você foi atrás dela. Parabéns!
-Isso é outro assunto. O que queria? Que eu ficasse sozinho? Por favor- revirei os olhos- O que eu queria era que você tivesse visto aquilo entre nós como eu vi. Apenas diversão. Eu gostei do que aconteceu entre a gente, mas passou. Não ia durar mesmo, porque você ficou tão magoada por eu ter ido embora?
-Eu fiquei magoada porque você mentiu e foi embora depois de ter conseguido me levar pra cama- disse.
-Foi uma noite só- garanti- Demi, eu já disse que te entendo e tá, você pode ficar magoada comigo, mas não pode me condenar por alguma coisa que nós dois fizemos! A gente só transou e acabou. Porque esse é o grande problema?
-Você não precisa confiar em ninguém, não precisa de amor algum para fazer isso- ela se levantou, seus olhos cada vez mais marejados- Mas naquela noite, você tirou a minha virgindade- disse, virando as costas e correndo para longe dali.
Eu tentei chamá-la, mas nada saia da minha boca. Eu sabia que o que estava fazendo agora era errado e que eu não deveria falar com ela dessa maneira, mas apenas não podia lhe dar esperanças, por isso achei que seria mais fácil dizer que eu a usei mesmo. Mas aquilo? Eu não esperava que ela tivesse confiado tanto assim em mim. Como era possível eu ter feito isso? Porque ela não me disse antes que eu cometesse um erro tremendo? Antes que tivesse um motivo para não querer mais viver?

Demi on:
Eu não sabia se estava certa, não sabia nem o que pensar. Mas sentia que ele deveria saber. Mentiria se dissesse que não queria que Joe sentisse culpa, mas duvidava muito disso, depois de tudo que ele havia dito. Era mesmo possível que uma pessoa fosse tal cruel assim? Tão... fria e sem coração?
Definitivamente não era nem um pouco parecido com a pessoa com quem me envolvi naquele maldito acampamento. Apenas fisicamente. Aquele Joe era doce, amigável, amoroso, carinhoso... já esse, era melhor nem tentar descrever. Porque não haviam palavras para tamanho choque. Eu não tinha mais palavras para ele.
~~~*~~~~*~~~~*~~~~*~~~
No meio da aula algo inesperado aconteceu. Eu não tinha todas as aulas com Joe, mas tinha as mesmas que Camilla. Então repentinamente ele entrou na minha sala, pedindo licença à professora. No começo eu achava que estava vendo coisas, porque devo confessar, o sono estava me vencendo e eu lutava para permanecer com os olhos abertos. Mas depois, vendo-o enquanto conversava com a sr. Martin, eu me senti um pouco... nervosa. Não era porque tudo aquilo havia acontecido entre nós que eu me sentiria normal perto dele. Era exatamente pelo que havia acontecido que eu não conseguia evitar de me sentir frágil ao seu lado. É, Joe tinha um poder sobre mim, mesmo que minha raiva e mágoa fossem imensas.
Acho que... uma parte de mim ainda cismava em entender porque ele fizera isso. Eu ainda não acreditava naquilo.
-Por favor- foi o que eu ouvi, depois de receber um bilhete que ele me entregara discretamente antes de sair. Há, eu queria saber como ele teria me dado isso se eu não estivesse sentada na primeira cadeira, grudada à porta.
"Preciso conversar com você, me encontra depois do colégio" era apenas isso que estava escrito. Mas quem disse que eu queria conversar com ele?
Consegui escapar daquele pesadelo no intervalo, mas estava claro que não seria possível fazer mais isso, não depois desse bilhete. Ele realmente parecia querer falar comigo e admito que fiquei bem inquieta com aquilo. No começo, fiquei sem muita reação, mas ao vê-lo deixar a sala, percebi que talvez devesse o escutar. Mas se fosse para ouvir mais idiotices, seria a última vez, de fato.
Eu tentei nem pensar no porquê de ele ter me procurado só agora. Era claro que a intenção era ser particular, mas eu ainda temia isso. E quer saber?! Se ele me pedisse desculpas_ o que eu esperava do fundo do coração que acontecesse_ eu o perdoaria. Mas somente por ter transado comigo por diversão. E só porque ele não estava ciente disso na hora. Ele realmente não tinha culpa, não disso. Mas motivos não faltavam para eu o culpar.
Eu queria paz, porém por algum motivo sentia que não conheceria o significado disso tão cedo. Paz, felicidade, amor. Ele tirara essas palavras do meu vocabulário.
-Não tenho nada para falar com você- eu avisei, antes que ele tivesse a oportunidade de se pronunciar. Ele revirou os olhos e eu ri ironicamente- Se você acha que tem chances de falar comigo, está errado.
-Então porque está aqui?- questionou, calmo. Ok, ele me pegara de jeito. Bufei irritada e ele riu brevemente.
-Não estou vendo a graça- murmurei.
-Você é grossa demais, Demi- ele comentou.
-Ah, era o que me faltava. Queria que eu fosse um amor de pessoa com quem me tratou como lixo? Você já não acha que eu sofri demais?- perguntei, me controlando- Porque fez isso comigo?- minha voz saiu mais fraca do que eu desejava.
-Eu não te tratei como lixo- ele argumentou- Não te chamei aqui para falar sobre isso- disse antes que eu pudesse gritar "sim, você me tratou como lixo"- Porque você não me contou?
-Olha nos meus olhos e diz que isso te impediria de alguma coisa- pedi e ele não o fez. Não foi capaz nem de olhar em meus olhos- Eu confiava em você. Achei que podia. Eu me sentia bem com você, eu acreditei em você.
-Caramba, Demi- resmungou, mais para ele mesmo do que para mim. Ele não tinha raiva na voz, apenas mexia no cabelo como se tivesse feito algo errado. E ele tinha.
-Culpa?- perguntei e ele não respondeu, apenas suspirou- Não sinta- dei de ombros- Você não sabia e nem precisava saber. Eu não sei porque te contei aquilo.
-Me poupa- ele me interrompeu- Você tinha somente essa intenção quando me contou. Você fez isso exatamente porque queria que eu me sentisse mal.
-Tá, e se eu fiz realmente isso?- perguntei imparcial- Vai me julgar?- ergui as sobrancelhas. Ele sabia que não tinha créditos para isso.
-Eu deveria ter me afastado de você no primeiro dia- respirou fundo.
-Você não precisava- garanti- Bastava ter sido sincero. Mas... faltou coragem, não é?- sorri sem alegria alguma.
-Não faltou coragem, Demi- ele negou, com a voz séria- Se eu soubesse antes daquela noite acontecer, eu iria perguntar se era realmente aquilo que você queria- afirmou.
-Eu responderia que sim. Naquele momento, eu nunca negaria- sussurrei- Como eu disse, não mudaria em nada. Porque você faria a mesma coisa.
-Não- negou- As coisas mudariam sim- suspirou- Eu não me sinto culpado por aquilo. Me sinto culpado por agora.
-E o que pretende fazer em relação a agora?- questionei.
-Não posso fazer nada- deu de ombros- Só... me desculpa- pediu. Eu sentia sinceridade em suas palavras- Me perdoa pelo que eu fiz- pediu.
-Joe se desculpando por transar com uma garota?!- provoquei- Por essa eu não esperava.
-Muito engraçada- debochou, rolando os olhos- Eu estou falando sério.
-Você não teria me pedido desculpas se não soubesse- forcei um sorriso- E quer saber? Nada vai trazer de volta o que você levou consigo- disse apenas.
-Não foi a minha intenção!- disse, melancólico- E eu estou me desculpando por tudo, não só por ter transado com você.
-Nada mudaria para você se eu dissesse que era virgem- afirmei- E depois de saber disso você me pediu desculpas mas afirmou que ainda teria transado comigo. Simplesmente não entendo.
-Não pedi que entendesse- ele resmungou- Pedi que me perdoasse.
-Isso vai fazer com que se sinta melhor?- perguntei inocente- Tudo bem, eu te perdôo. Te desculpo apenas por isso. Agora eu acho que preciso ir.
-Tem uma coisa que eu preciso te falar- ele segurou meu braço, delicadamente e com certo receio, me impedindo de sair dali- Não... me pergunta nada, só promete que vai acreditar.
-Não posso prometer acreditar em nada do que você me fala, Joe.
-Tudo bem, eu realmente não tenho o direito de fazer isso- suspirou, conformado- Eu nunca, nunca mesmo, quis te magoar. É tudo que você precisa saber.
Permaneci quieta por algum tempo e não, eu não falaria nada, porque eu nunca havia ouvido tamanho absurdo.
-Às vezes acontecem coisas que não desejamos- dei de ombros.
-Tudo bem- ele suspirou- Me perdoa por ter falado desse jeito com você, eu juro que nunca te magoaria de propósito. Você ainda é muito importante para mim.
-Você é inacreditável- sussurrei com uma expressão de descrença.
-Demi, eu... não queria ser grosso com você. Eu não te usei, eu fui sincero sobre tudo que aconteceu entre nós- afirmou.
-Tenho que ir- o interrompi, virando as costas.
Voltei para casa depois do colégio e por mais que tanta coisa tivesse acontecido, eu tentava esquecer o motivo daquelas lágrimas. Chorar por ele não valia a pena, mas era a única forma que eu tinha de aliviar o que sentia. Ah, mas eu ainda queria dar um belo tapa na cara dele.
E foi assim que eu passei o dia, pensando em tudo novamente. Nas palavras dele, na forma como eu me sentia um lixo perto de alguém que me fez sentir amor, segurança. Passei a noite toda com aquela coisa chata na cabeça e, depois de chamar eu mesma de burra e idiota umas mil vezes, mais ou menos, até eu consegui pegar no sono. Não estava preparada para mais um dia de escola, nem para olhá-lo nos olhos, muito menos para falar com ele novamente. Mas, sendo sincera, eu tinha escolha?


Continua...
Me perdoem, me perdoem, me perdoeeeem! Gente, eu não tenho tempo n-e-n-h-u-m. Sem brincadeira. Eu passo todo o meu tempo livre fazendo dever e odeio isso, até porque não tenho tempo pra escrever. Eu só postei porque odeio deixá-los esperando e porque eu tinha esse capítulo pronto. Mas os outros... só tenho a pedir que tenham paciência, por favor. 
Comentem por favor e marquem o "eu li". Me desculpem mais uma vez e eu vou fazer o máximo para escrever hoje mesmo :)
E outra coisa, eu estou decepcionando a mim mesma com essa segunda temporada, mas espero de coração que gostem, porque é o máximo que eu tô conseguindo :(

Beijinhos,
Brubs. Amo vocês, demais <3

9 comentários:

  1. o linda,não se sinta culpada,
    de coração.
    tá divino o capítulo,demi tá
    tão triste coitada.
    da vontade de chorar vendo
    os dois sofrendo.
    posta quando puder ;)
    beijos,também te amo <3

    ResponderExcluir
  2. amore,ta tudo bem,eu sei como é,e deu a louca em mim e eu fiz mais um blog,pode?kkkkkk
    se puder divulgar:
    simplegirllo.blogspot.com
    agradeço desde já!kkk
    posta logo,anjo,bjoks!

    ResponderExcluir
  3. Heeey, sou uma leitora de um tal pequeno tempo, mas ja amo aqui. Parabens, tu leva jeito. Eu não marco o eu li, por que entro pelo celular pra ler, ai nao da. E sim, pelou menos eu te entendo. Tenho um tumblr de fanfics da Demi,e quase não tenho tempo :s mas enfim, posta logo, estou ansiosa. Logo logo a rotina acomoda e tu consegue mais tempo pra escrever :3 beijos, da Leonicky, sua leitora numero um :33

    ResponderExcluir
  4. Que bobagem... Tu continua escrevendo perfeitamente bem.

    Tu me disse que eu sentiria raiva do Joe até o 2°cap no máximo. Nesse cap se pudesse eu ia voar no pescoço dele. Tô indignada! Demi tinha que socar a cara dele. Como pode ser tão cretino?! Nem que ele dissesse que descobriu que é irmão dela, eu não ia deixar de ficar p... Tu criou um monstro...
    Kkkkk acho que exagerei na minha indignação.

    Postaaa maissss
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Ta mtoo bomm,aa segunda temporada ta demais..to amando .falta de tempo e um saco ..bom qnd der posta mais ..bjemi ;)
    by:katy

    ResponderExcluir
  6. Seguidora nova, ta muito boa, posta mais.
    E se puder divulga meu blog por favor?
    http://jemi-historias.blogspot.com.br/
    bjs

    ResponderExcluir
  7. woooooow esse capítulo foi tenso! Eu queria mesmo que os dois tivessem essa conversa mais não tão agressiva assim kk
    E meu Deus a Demi era virgem :O O Joe podia ter sido um pouquinho menos grosso com ela u_u Vai demorar muito pra revelar o porque de o Joe ter deixado a Demi no acampamento?
    Posta maaaaais

    ResponderExcluir
  8. É por isso que eu quero que a Demi de o troco nesse vadio... Joe seja homem de verdade meu filho! haha posta logo estou viciada nessa fic

    ResponderExcluir
  9. Oii!
    Nao se preocupe com isso! As aulas começam com tudo a partir de agora e ate eu to sem tempo pra ler!!
    e para de bobagem, voce escreve muito bem!!!
    Tadinha da Demi nesse capitulo :/
    posta quando der ta? Bjs

    ResponderExcluir

Vamos comentar?!?!..... SIM! :3