Visualizações

25 de jan de 2013

11- Sua namorada?


Love is everywhere:
Camp's love
(1ª temporada)

(I don't own anything in this pic)


P.s.: O trecho que está presente nesse capítulo é da música "Summer Love"
 do "We The Kings" e eu usei apenas pela tradução :)

Demi on:
Às coisas entre nós estavam bem. Bem mal. Não que alguma coisa errada estivesse acontecendo, mas eu estava com medo de me arriscar naquilo. Por mais que não quiséssemos admitir e não passássemos de beijos, nossa relação estava diferente.
Eu já havia, infelizmente, descoberto o que sentia. Mas tá maluco que eu ia contar a ele... nem morta. Queria esperar e ver onde aquilo nos levaria. Afinal, apenas uma das partes se apaixonar nunca é legal e é mais constrangedor ainda quando isso é revelado.
Se ele sentia alguma coisa a mais por mim, estava escondendo bem, assim como eu. O fato era que nunca realmente descobriríamos isso e chegava a ser engraçada a situação. Engraçada pra não ter que dizer trágica.
Mas fora tudo isso, esse medo de revelar o verdadeiro sentimento dentro de mim, estávamos ótimos.
Haviam se passado algumas semanas  depois de eu me dar conta do quão perigoso era o que eu realmente sentia pelo Joe, e agora eu estava no quarto dele, deitada em sua cama enquanto Mikey resmungava, assistindo ao jogo de basquete na tv.

-Aí, da pra se controlar?- Joe pediu, murmurando.
-Dá pra pararem de se engolir?- retrucou irônico, sem tirar os olhos da tv.
-Desculpa, senhor inocência- eu tive que rir com essa- Estou te atrapalhando?- Joe perguntou, revirando os olhos. Mikey soltou um "cala a boca, Joe!" e ele sorriu, virando-se para mim- Mereço isso?
-Acho que podíamos ir para o meu quarto- sugeri- Deixaríamos o Mikey em paz.
-Ele está te incomodando?- perguntou, eu neguei- Então pronto, o quarto é meu também.
-Vocês adoram implicar um com o outro- ri- Então, a competição começa essa semana, né?!- fiz uma careta.
-Aham- ele concordou. Não tinha mais um pingo da animação de antes e isso me deixou feliz- Desconfio que seja hoje ou amanhã.
-Cadê aquele entusiasmo?- perguntei e ele me abraçou com mais força.
-Sumiu- deu de ombros.
-Agora você concorda comigo?- provoquei.
-Tá... antes eu achava que a ideia de competir contra você seria legal- ele disse- E ainda acho, mas ficar longe de você, sem chances.
-Eu avisei- sorri orgulhosa- Não tem como mudar isso não?
-Eu já tentei- confessou, rindo- Mas não dá- fez uma careta- Sabe... eu queria aproveitar o resto do dia com você. Acho que vou fingir estar doente para não participar e poder te ver.
-Não vai rolar- Mikey afirmou, distraído. Eu e Joe o encaramos- Você já fez isso para conseguir ficar com a Lívia.
-Qual o seu problema? Vou enrolar a tua língua e enfiar dentro da boca- Joe resmungou- Depois fechar com fita adesiva. Comentário super irado, Mikey- disse irônico.
-Você...- eu ia começar a falar, depois de ficar quieta por um tempo, mas ele me calou com um beijo.
-Não, não aconteceu nada- ele afirmou.
-Tudo bem, eu... não posso te condenar pelo que você fez quando não estava comigo- afirmei, forçando um sorriso. Ele apenas fez o mesmo, indicando que eu estava certa.
-Que tal... andar por aí?- sugeriu- A gente pode ir na sala de música- deu de ombros.
-Posso ir com vocês?- Mikey perguntou.
-Fica quietinho- Joe ordenou- E aí?- voltou-se para mim. Apenas ri e assenti.
~~~*~~~~*~~~*~~~~*~~~
-Sempre quis uma sala de música- comentei, passando a mão delicadamente sobre o violão.
-Pode vir aqui sempre que quiser- ele sorriu- Está me devendo uma música, lembra?
-Eu não disse que seria hoje- afirmei- TALVEZ eu pudesse... te acompanhar- dei de ombros, divertida. A ideia de cantar com ele me agradava.
Ele, que antes estava sentado no banco do piano, como da outra vez em que estivemos aqui_ talvez ele tivesse algum sentimento importante por aquele instrumento_ se levantou e veio até a minha direção. Às vezes eu me perguntava se algum dia ia me acostumar ao vê-lo chegar com aquele sorriso no rosto.
Eu tinha dúvidas sobre aquele lugar. Será que aquela sala era pública? Ou será que ninguém mesmo ligava para música? Era impressionante, nunca tinha ninguém ali. Ninguém, e isso me deixava mais entusiasmada ainda. Apenas nós dois.
Joe segurou em minha cintura e juntou nossos lábios em um gesto calmo e sem pressa alguma. Em um rápido movimento, trouxe meu corpo para mais perto e sorriu em meio ao beijo ao sentir como eu reagia ao seu toque. Era algo mágico, indescritível. Simplesmente tentador demais.
A cada momento, a cada novo beijo que trocávamos, eu sentia sua mão contra minhas costas, puxando-me sempre para mais perto. É, eu ainda não havia me acostumado com essa nova maneira de "ficar". Afinal, nunca havia feito isso de modo que parecesse um namoro. Nunca havia ficado com ninguém por quem eu sentisse o que sentia por Joe.
-Vem, toca comigo- ele pediu, afastando nossos lábios com dificuldade. Ele não era o único que sofria ao interromper um beijo.
Sorri assentindo e deixei que ele me guiasse até o banquinho novamente. Por sorte, o assento de couro não era assim não pequeno, e se apertássemos, talvez até conseguíssemos nos sentar dos dois ali, um do lado do outro. Mas é claro que ele facilitaria as coisas. Pra que nos apertamos? Isso parecia tão... desnecessário.
Apoiando suas mãos em meu quadril, ele sentou-se e me colocou em seu colo. Eu não me importei com o toque, ao contrário, eu amei. Era delicado, inocente e completamente carinhoso. Eu apreciava o quão inocente ele conseguia ser quando estávamos juntos. Mas me perguntava também até quando aquilo ia durar.
Sentada em seu colo, já acomodada e tentando ao máximo relaxar, não pude evitar ao lembrar de tudo que já acontecera entre nós. Não foram muitas coisas, porém o suficiente para deixar nossa relação fluir e crescer mais a cada novo dia. O suficiente para eu me apaixonar completamente.
Sorri com os pensamentos e inclinei e cabeça para encará-lo. Ele sorriu de volta e depositou alguns beijos em meu ombro, me abraçando por trás. Relaxei ainda mais com o gesto e ele pareceu ficar satisfeito. Não era um problema para mim ficar no colo dele. Essa aproximação, cada vez maior, era inevitável.
Deixei que meus dedos deslizassem pelas teclas e, sem perceber, comecei a tocar uma canção involuntariamente. Não era a minha favorita, nem aquela que eu ouvia toda hora, mas naquele exato momento, não me pareceu que houvesse nada melhor a ser cantado, a ser dito através de melodias.
Iniciei, sem a intenção de prolongar aquilo, mas ele parecia bem interessado no que eu tocava. Eu estava apenas me distraindo, tocando os acordes que juntos me lembravam de cada sorriso, cada olhar e sentimento, quando ele apoiou suas mãos ao lado das minhas, me acompanhando. Sorri animada e surpresa. Ele conhecia a música e pelo visto estava tão contente quanto eu por tocá-la. Começamos a fazer juntos, e logo deixamos que a música nos invadisse por completo.

"Can you feel the love in summertime?
We're in love and it feels right
Oh, now,  I can't wait for the summer
Time stops as we move closer
The sun dropped into the water
Now,  I'm falling into summer love"

Eu só parei para pensar no significado da letra depois. Depois de termos cantado e vibrado juntos, nos divertindo enquanto riamos. Queria perguntar a ele se era realmente aquilo. Qual é?! Nós dois estávamos cantando sobre estar apaixonado. O que estava acontecendo, de fato?
Acabamos a música, ainda com sorrisos nos rostos e uma felicidade incomum. Parecia que ele tinha absorvido aquela letra para dentro de si. Na verdade, eu queria que ele fizesse aquilo. Mas repentinamente, eu abaixei a cabeça, vendo-o fazer o mesmo. Ficamos quietos de um segundo para o outro e o silêncio incomodava. Eu queria falar alguma coisa, e sentia que deveria fazer da mesma forma como foi naquela noite. Iniciar uma conversa séria. Mas o que eu falaria? "Ah, Joe, vamos discutir a letra da música? Relacionando-a à nossas vidas?" ou deveria ser mais clara? Como "você também está apaixonado? Sente por mim o que eu sinto por você?" Mas foi aí que aquele medo de não conseguir antes de tentar apareceu e eu engoli minhas vontades junto às palavras.
-Joe?- levantamos as cabeças, no mesmo momento, quando ouvimos uma voz grossa e rouca atrás de nós. Eu não conhecia aquelas pessoas, mas a primeira coisa que fiz foi me levantar.
Joe pareceu ficar sorridente novamente, ou ele queria parecer feliz. Levantou-se com calma e eu reparei em seu olhar o misto de surpresa e alegria.
-Pai? Mãe?- ele sorriu, caminhando até o casal e lhes dando um abraço. Eu gelei do último dedinho do pé até o fio de cabelo mais alto que eu tinha na cabeça. Eram os pais  de Joe? Os donos daquilo? Tá, o fato de eles serem donos do lugar não me interessava em nada.
-Vejo que trouxe alguém- sua mãe sorriu, se referindo a mim. Eu era tímida demais para conseguir pensar tão rapidamente em caminhar até eles. Forcei meu melhor sorriso e não pude evitar a onda de nervoso que invadiu meu corpo quando Joe me puxou pela mão, com um sorriso tranquilizante no rosto. Parecia que o clima tenso entre nós tenha acabado.
-Essa é a Demi- ele apresentou e eu os cumprimentei. Porque estava tão nervosa? bastava me comportar como uma amiga e isso logo acabaria- Demi, esses são meus pais.
-Sou Demi Lovato, é um prazer- sorri e por alguma razão estranha, percebi que talvez não devesse ter dito isso. Joe pareceu sentir o clima de tensão no ar enquanto seus pais me encaravam um pouco... nervosos ou surpresos.
-Demi é sua namorada?- sua mãe perguntou, forçando um sorriso novamente.  Poxa, minha senhora, que pergunta mais indelicada. Senhora não, porque vou te contar, agora eu sabia de onde surgira tamanha beleza para Joe. Será que todo o resto da família era assim?
Estremeci na hora, da cabeça aos pés novamente. Eu não conseguia assentir, até porque eu não faria isso, não conseguia negar porque estaria mentindo também,  mas nunca que eu falaria aos pais de Joe "estamos ficando". O que eles pensariam de mim? Mas logo depois de encarar Joe por algum tempo, com um olhar um pouco desesperado, percebi que a decisão era dele. Se ele quisesse me fazer parecer uma qualquer na frente dos pais dele, ele faria. Mas não era mesmo isso? Não estávamos apenas ficando?
-Sim, estamos namorando- ele disse, convicto e sorridente. Sorrindo para mim, ainda por cima. Me dei conta de que nossas mãos continuavam entrelaçadas e eu quase engasguei. Mas calma, Demetria, não dava para estragar tudo agora. Mas o que aquele menino tinha feito? Não podia dizer que eu era uma amiga? NAMORADA?
-Vocês foram rápidos, hein- ela brincou, tentando parecer legal ou engraçada, mas vou te contar, aquilo estava longe de ser divertido.
-Denise, vai assustar a menina no primeiro encontro- o pai de Joe disse e eu ri. O senso de humor também fazia parte daquela família, ou pelo menos às vezes.
-Porque estão aqui?- Joe perguntou, depois de colocar um de seus braços ao redor do meu pescoço. Tentei me sentir bem com a situação. Eu não me importava em ter seus braços ao meu redor. Mas agora, para os pais dele, eu era a namorada. Tem uma noção do que é conhecer seus sogros antes mesmo de saber que são seus sogros? Ainda mais quando você sente que eles já não gostaram de você? Amedrontador apenas.
-Viemos para a inauguração da competição- seu pai explicou. Então seria hoje?- Depois vamos seguir viagem novamente.
-Porque vocês fizeram isso, hein?- ele questionou, acariciando meu braço com a ponta do polegar- Ficamos em times diferentes- murmurou.
-E ainda somos os líderes- eu me pronunciei.
-Putis, que azar- sua mãe sussurrou- Mas vocês vão encontrar uma maneira de se divertirem- afirmou- Nada de quebrar regras, hein?- ela sorriu, brincando, e eu abaixei a cabeça, envergonhada.
-Então vamos, estamos atrasados- seu pai disse- Ainda quero ver o Mikey. Já acharam o parafuso perdido dele?- brincou e eu gargalhei. Joe negou, rindo.
-Aquilo ali é caso perdido- deu de ombros.
Deixamos que os pais dele seguissem primeiramente e saímos da sala logo atrás, tomando certa distância. Eu tinha tanta coisa para perguntar a ele, que nem sabia por onde começar. A parte da "paixão" ou do "namoro"?
-Deveríamos fazer isso mais vezes- ele sussurrou em meu ouvido, sorridente. Demorei para entender que ele se referia ao piano- Desculpa por isso, eu não sabia mesmo que eles vinham- fez uma careta.
-Não, tudo bem- forcei um sorriso. Era tão aparente assim o quão confusa eu estava?
-O que aconteceu?- perguntou. Ele esquecera mesmo que havia me chamado de namorada na frente de seus pais a segundos atrás? Ele faria com que eu o lembrasse?- Meus pais são legais- brincou.
-Porque disse a eles que eu era sua namorada?- eu soltei, pegando-o de surpresa. Fui bem direta, não? É por isso que dizem, "na prática, a teoria é outra".
-Porque...- ele parece escolher as palavras com cuidado e, depois de um longo suspiro, me encarou como nunca havia feito antes-Porque talvez seja isso o que eu quero- concluiu.
Senti que parei de respirar por não sei quanto tempo. Se ele esperava ouvir alguma coisa da minha boca, esperaria sentado. Porque eu definitivamente não tinha o que dizer nesse momento. Tinha muito o que pensar, mas nada que pudesse ser colocado para fora.
Então era mesmo paixão? Existia realmente um sentimento forte que nos ligava, algo que ia além da atração? Ele estava pronto para assumir um relacionamento porque... me amava?
-Bom, vendo que já estão todos aqui- ouvimos o pai de Joe dizer no microfone, atrapalhando meus pensamentos de forma absurdamente alta. Viramos para onde ele e os outros monitores estavam- Damos início às competições!- gritou alegre- A partir de agora, todos que não pertencem ao mesmo grupo, podem ser considerados RIVAIS!- disse por fim, arrancando gritos de alegria de todos.
Me virei para Joe e suspirei. Ele ainda me olhava como quem não sabia o que dizer. Aquele pequeno discurso acabara com o resto de clima entre nós, com a conversa, com exatamente tudo. O que importava agora era a rivalidade, e não a paixão.
Continua...
Espero que tenham gostado e eu sei que está tarde, mas dei uma de boazinha! hihihi brincadeira, ia postar de qualquer jeito :) Obrigadaaaaaaa pelos comentários! E ó, comentem muito, tá?
15 para o próximo! Marquem o "eu li" *-*

Beijinhos,
Brubs :D Amo vocês!

17 comentários:

  1. Muito perfeito ;))
    Posta mais!!!
    Bjemi

    ResponderExcluir
  2. aaaaaaaaaaaaaaaaaaa scr posta logo

    ResponderExcluir
  3. eu acho que o Joe ficou tipo "eu ferrei tudo agora!"kkkkk
    Posta logo, linda!
    to mega ansiosa aqui pra ver essa competição e a resposta da Dems!!

    ResponderExcluir
  4. vish...
    ficou perfeito.
    posta logo,
    beijos.

    ResponderExcluir
  5. ameiiii ai demi fala logo que voce é dele e ja era KKKK PEGA ELA JOEJOE....KKK POSTA LOGO

    ResponderExcluir
  6. aaaaaaaaah finalmente eu pude comentar em algum capítulo o/
    Eu to amando a fic e eu adorei essa competição, Demi e Joe rivais hmmm to doida pra ver como vai ser essa competição :D
    O Joe ta amando ela de verdade? porque parece que foi tudo tão rápido :s Só espero que eles tenham um tempo pra conversar direitinho sobre esse namoro.
    Posta maaaaaaais :D

    ResponderExcluir
  7. ai que fofo *_* amo mais suas fic a cada capitulo :)
    postaaaaaaaa logoooo princesa

    ResponderExcluir
  8. Esse joe ta rapidinho em..ja ta namorando kkkkk
    posta maissssss!!!
    Faz maratona de novo se der :D
    Bjinhos
    By:kah

    ResponderExcluir
  9. Eu li, ta perfeito
    nova leitora

    ResponderExcluir
  10. own... tão romantico eles tocando piano juntos *-* Amei. Posta logooo

    ResponderExcluir
  11. Meu Deus essa é a fic Jemi mais linda que eu já vi, sério já li cada parte mais de uma vez!!! Posta outra looogo, por favor

    ResponderExcluir
  12. posso fazer uma pergunta? Vai ter alguma parte hot?

    ResponderExcluir
  13. POSTA LOOOOOOOGOOOOO N AGUENTO ESPERAR!!!

    ResponderExcluir
  14. :(
    posta logo
    como assim ja começou a gincana?

    ResponderExcluir
  15. Lendo hj.. Tava sem net...

    Namorados?? wowww
    Essa gincana logo nesse momento... sacanaj

    ResponderExcluir

Vamos comentar?!?!..... SIM! :3