Visualizações

20 de dez de 2012

Chapter 23- HOT


Stay Strong


                                                   "I wanna make you mine tonight"

P.s.: Lê quem quer :)


-Para onde estamos indo?_ ela perguntou assim que o menino segurou sua mão, levando-a até um lugar onde ela não reconhecia.
-Você se lembra disso aqui?_ sorriu, apoiando a mão nas costas dela, enquanto abria a porta.
-Mas... é claro! O porão..._ sussurrou encantada. Quantos momentos ambos tinham passado ali_Porque...
-Vem cá, entra_ interrompeu-a, puxando a menina.
-Uau_ sorriu_ preparou isso em tão pouco tempo?_ as velas que ali estavam e uma "cama" improvisada surpreenderam a menina.
-É claro que o quarto é mais confortável_ ele deu de ombros_ Mas isso aqui é bem especial.
-Sim, com certeza_ ela sorriu_Então...._ a menina disse, caminhando em direção ao colchão.
-Algum problema?_ perguntou_ Incomodada com algo?_ a menina riu.
-Não, está tudo perfeito_garantiu.
Joe puxou-a calmamente e selou seus lábios. Levou-a calmamente até que chegassem perto o suficiente para se ajoelharem na superfície macia. Porém ele não a deitou, apenas beijou a menina com cada vez mais desejo.
-Escuta_ pediu_ Eu não quero que fique nervosa, nem com vergonha, o que eu sei que é bem a sua cara_ ela riu timidamente_ Então eu decidi preparar uma... experiência diferente.

A porta já havia sido fechada e a luz permanecia apagada, como desde o começo. Agora ele via o rosto da menina apenas com a ajuda da luz que saia das velas ao redor deles.

-Ainda não acho que eu seja a pessoa certa com quem você deveria tentar coisas novas_ deu de ombros, tímida.
-Acredite, isso se encaixa perfeitamente em você_ ele sorriu, levando uma das mãos até sua nuca.

Joe encarou a menina durante algum tempo, observando aquele sorriso que se formara nos lábios dela. Estava louco para beijá-la, louco para colocar para fora de uma vez aquele desejo que tomava conta de si, mas ele apenas se inclinou um pouco, apagando três das quatro velas que estavam antes acesas.
A expressão da menina não poderia ser outra. Ela estava confusa, com medo, nervosa, sem ainda entender o que se passava.

-Está escuro_ comentou, enquanto o menino se aproximava. Agora ela já estava sentada mais próxima dele, muito mais.
-Foi por isso que eu te trouxe aqui_ explicou_ Essa noite será... diferente. Não vai precisar se preocupar com absolutamente nada. A única certeza que eu quero é que está pronta e realmente quer isso.
-Isso você já tem_ suspirou, sorrindo.
-E a outra coisa que eu te pergunto... você confia em mim?_ ele perguntou, bem próximo do rosto dela. A menina assentiu e juntou seus lábios_ Então sobrou essa para você_ ele apontou para a última vela acesa.
Com um assopro, a menina acabou de vez com a luz que tinha ali. Estava tudo escuro, definitivamente uma penumbra e se não estivesse tocando Joe, não poderia afirmar que ele estava ali.
-Confio em você de olhos fechados_ ela sussurrou, voltando-se para ele.
O menino sorriu e segurou as mãos  dela.
-A brincadeira é a  seguinte_ começou divertido_ É bem simples de entender.
-Mas não é bem simples na prática_ ela disse, fazendo-o gargalhar.
-Se você confiar em mim, será_ avisou_ Eu não poderei te ver, assim como você também não conseguirá me ver. Nós poderemos brincar apenas sentindo. Eu posso usar o jeito que eu quiser para sentir você.

Joe acariciou o rosto da menina, ao mesmo tempo em que segurava em sua cintura, deslizando sua mão pela lateral do corpo dela. Beijou-a por algum tempo, antes de acariciar a coxa dela

-Qualquer jeito_ sussurrou_ Qualquer lugar_ fez a menina prender a respiração sentindo o toque dele subir cada vez mais por sua coxa_Mas tem uma regrinha_ se aproximou, roçando seus lábios nos dela_ Eu não posso jogar sozinho.
-Eu não sei como jogar isso_ ela sussurrou, envergonhada.
-Basta sentir, sem medo_ explicou. O menino segurou uma das mãos de Demi e calmamente guiou-a até que estivesse dentro de sua blusa, tocando seu peito_ Terá que jogar comigo_ disse, deslizando sua mão que estava por cima da da menina, fazendo-a sentir sua pele. Levou a mão dela para baixo, passando pela borda de sua calça.
-Não é justo_ ela disse_ Você tem mais prática do que eu nesse jogo.
-Dems, eu só quero que se sinta mais à vontade. Essa noite é nossa, mas também é só sua. Você deve aproveitar, foi por isso que eu decidi fazer diferente_ disse.

Joe forçou um sorriso enquanto encarava a menina, ou melhor, ele apenas olhava para onde achava que ela estaria. Definitivamente não seria fácil com esse escuro, mas valeria a pena, ele faria isso por ela.
A menina sentia o rosto fervendo, e agradecia por ele não conseguir ver isso. Mas quem ela queria enganar? Era claro que ele sabia, sem nem mesmo ter que comprovar. Ao sentir o polegar do menino acariciando seu rosto, ela suspirou, tentando conter o nervosismo e tudo que vinha em sua cabeça. Se ela estava certa daquilo e sabia o que aconteceria, porque continuava com essas fantasias? Com as preocupações? Porque simplesmente não relaxava e "jogava" com ele?
Ela não conseguia, mas pretendia tentar. Estava louca para aprender esse jogo, sim, ela estava. Sem pensar mais, a menina prendeu a mão no cabelo dele e puxou-o mais para perto, mostrando que apesar de não ser tão boa quanto ele, eles poderiam descobrir juntos como aquela brincadeira terminaria.
Ambos sentiam a respiração quente, um calor incomum subindo. Incomum não, aquilo era bem comum entre eles.
-Vai ser a melhor noite da sua vida, eu prometo_ ele sussurrou, fazendo-a perceber o quão próximo estavam.
Demi sorriu e colou seus lábios nos dele. Não era preciso uma promessa para que ela soubesse disso. Deixou-se envolver pelo beijo lento que começava e sentiu as mãos do menino descerem de sua nuca até a lateral de seu corpo, fazendo-o formigar. Mas quem ligava? Ela amava aquilo, amava como o seu corpo reagia ao toque dele.
Seus lábios juntos mostravam que eles não ligavam para o ar que precisavam, para eles, o necessário para respirar era aquele beijo, nada mais importava, a não ser aquele momento.
Então ele decidiu que seria mais fácil senti-la de outra forma. Já estava se sacrificando demais ao não poder vê-la. Era merecido, certo? O menino acariciou a barriga dela, deixando que suas mãos deslizassem sobre a pele quente da menina. Não demorou tanto tempo para tirar sua blusa. Sim, ele merecia poder tocá-la sem aqueles panos atrapalhando. E ela também achava isso.
Imaginou-a somente de lingerie, como já havia visto muitas vezes. Desejava poder vê-la assim essa noite, mas o momento certo para tudo chegaria. Apoiou o tronco da menina em sua mão enquanto a deitava, com delicadeza e calma. Beijou sua mão e conforme subia, se aproximava ainda mais do ponto onde queria chegar. Ao sentir o tecido em seus lábios, Joe depositou alguns carinhosos beijos na borda de seu sutiã, ouvindo a respiração descompensada dela.
Não queria simplesmente distraí-la com beijos para conseguir fazer outras coisas e ela demorou um pouco para perceber isso. Quando se deu conta, o menino apenas distribuía-os tranquilamente por seu corpo, demonstrando que realmente não tinha pressa alguma e nem a intenção de forçá-la a apressar nada. Por mais que a menina soubesse o quanto ele deveria estar desesperado por aquilo, agradeceu mentalmente por ser tão paciente.
Sem aquela blusa para atrapalhá-los, Joe depositou sua mão sobre a cintura descoberta da menina, mas logo inclinou-se, levando seus lábios até ali. Seus beijos subiram até o decote dela, o que definitivamente fez com que Demi congelasse por dentro. Mas quando ele desceu novamente, dessa vez indo além da cintura, ela se deu conta das regras daquele jogo. Se deu conta de que havia aceitado jogar.

"Tell me what you want and I'll give it
Just as long as you know where we're headed
Back to my place when it's all over
That's when I'm sober baby"

Mas não era o momento certo para começar a tentar. Ela sabia que poderia sim dar um começo a tudo aquilo, mas o que queria agora era apenas sentir o poder dele sobre ela. E Joe entendia perfeitamente isso. Aquele era apenas o começo da noite, nenhum dos dois deveria se preocupar em programar o que aconteceria. Ambos deveriam apenas viver o momento e aquele era somente dela. Um momento onde ele queria fazê-la se sentir amada, desejada, queria que ela percebesse a atração entre os dois, o desejo que a menina despertava nele. Sabia também que deveria ser cauteloso quando sua vez chegasse, mas faria de tudo para que ela se sentisse confortável.
O menino decidiu continuar com o carinho ousado e beijou toda a borda do short, de uma ponta a outra. Parou bem no meio, onde desceu ainda mais. Demi recuou um pouco, sentindo-se incrivelmente tola por isso depois de alguns poucos milésimos de segundos. Estava na cara que ela queria aquilo, então porque, mesmo assim, seu corpo continuava reagindo por conta própria antes que ela conseguisse pensar?
-Desculpa_ sussurrou, envergonhada.

Mas era besteira se sentir assim, sabia que Joe não ligaria para um tipo bobo de deslize como este. O menino apenas sorriu amigavelmente e desejou que ela pudesse vê-lo fazendo isso, apenas para deixá-la mais calma e aliviada.

-Não se desculpe por isso, linda_ ele disse, deixando o tom de voz relaxado. Queria transpassar aquilo à ela. A tensão no corpo de Demi pareceu dar uma trégua quando ele voltou às carícias. Segurou a borda da peça e puxou-a para baixo_ Fica mais fácil se me ajudar com isso_ brincou, fazendo-a rir.
Juntos, eles se livraram do short rapidamente e ele se deu conta de que havia chegado a hora de tirar de vez toda aquela vergonha dela. Não sabia exatamente de que forma, mas jogaria o jogo de acordo com as regras, e iria cumprir cada palavrinha. Qualquer jeito, qualquer lugar.
Inclinando-se ainda mais por cima dela, Joe apoiou sua mão na perna da menina, beijando a parte interna de sua cocha. Voltou seus lábios para os dela antes de deslizar a mão, passando por sua coxa, tocando a calcinha da menina e acariciando sua barriga, antes de chegar ao sutiã.
Os beijos agora estavam definitivamente mais intensos e desesperados, porém nada que diminuísse a calma entre eles.

-Que tal você me ajudar agora?_ sugeriu, sussurrando em seu ouvido.
Segurou mais uma vez a mão da menina e levou-a até sua camisa. Demi ficou um pouco insegura, mas com um empurrãozinho do menino ela jogou de lado a peça.
-Não estamos nos vendo_ ele lembrou_Pode fazer o que quiser, e eu sei que quer.

Aos poucos, ela tomou a liberdade de deixar que suas mãos vagassem pelo peito descoberto e macio dele, mas nada muito "explorador". Sentiu-se corar mas lembrou-se mais uma vez de que ele não saberia disso. A menos que imaginasse. Coisa que ele provavelmente estava fazendo agora.
Permaneceu acariciando-a e beijando seu corpo, voltando os lábios para os dela quando percebia o nervosismo da menina. Ele entendia. Ela estava apenas de lingerie, deitava numa "cama" e tinha um menino em cima dela, disposto a mostrá-la o que era realmente desejar alguém. E era a primeira vez de Demi, por mais que confiasse nele, o medo era óbvio.
Segurou a nuca dela e levantou-a, fazendo com que se sentasse. Apoiando seu peso em uma das mãos presa no colchão, ele pressionou seu corpo para frente, automaticamente levando o dela para trás, até que encostasse na parede.

"I'm Gonna make you mine tonight
I wanna rock with you 'til sunrise
Can I? Let me do all the little things you like"

Juntou seus lábios, dessa vez para distraí-la, só um pouquinho, antes de segurá-la pela lateral de seu corpo, logo abaixo dos seios. Deslizou seu polegar por cima do sutiã, indo de uma extremidade a outra. E ela gostou do carinho, amou, na verdade. Sorriu entre o beijo, o que fez Joe colocar o polegar por dentro da peça, acariciando de leve.
Ela se afastou um pouco, querendo sentí-lo. O nervosismo era pelo que ela sabia que ia acontecer mas nesse momento o que predominava era a vergonha, apenas. Mas como o menino havia feito aquilo para que ela se sentisse bem, Demi não tinha do que reclamar. Não tinha uma "desculpa" para não aproveitar. Deixou que sua cabeça se inclinasse levemente para trás e ao perceber, Joe beijou seu pescoço, agora acariciando o outro seio.
O que era estranho ali? As coisas que começaram a vir na cabeça dela. Novamente aquela coisa de "eu estou na cama com o meu melhor amigo". Não conseguia parar para pensar nisso, não queria começar essa confusão em sua cabeça de novo. Mas que saco, ela queria aquilo, qual era o grande problema? Mas não era a única. Ele estava preocupado, queria fazer tudo direito, perfeito, na verdade. Nunca havia se preocupado dessa forma com nenhuma outra menina, mas sabia muito bem porque se sentia assim. Era ela e ele queria que fosse como ela desejava.
Talvez estivesse na hora de começar a encarar os fatos, começar a pensar nele como um namorado, e o que acontecia ali era comum entre namorados, não entre amigos. E era por causa disso que ela se sentia tão estranha. Era óbvio que se pensasse em Joe como seu melhor amigo, aquele momento seria absurdamente terrível na cabeça dela. Mas quando se tratava de Joe, seu namorado, ela sentia que não poderia estar mais certo.
O menino pensou que havia chegado a hora de tirar a bermuda, deixar as coisas iguais entre eles, mas não queria assustá-la nem estragar o momento dela.
Demi deixou que seus braços caíssem ao redor do pescoço dele e Joe apenas puxou-a para mais perto. Segurando sua nuca, fez com que a distância entre ambos começasse a desaparecer de vez e propositalmente fez com que a menina caísse por cima dele. Ambos riram, mas logo as risadas cessaram e ela parou por alguns segundos.

-O jogo, lembra?_ ele disse sorrindo, se inclinando para frente até alcançar os lábios dela.
A menina sentiu as mãos de Joe subindo por suas pernas e em um piscar de olhos ele colocou-as ao redor de sua cintura. Ela já sentia seu corpo formigar por todos os lados e inúmeras sensações eram despertadas a cada segundo.
Joe pressionou o corpo dela contra o seu, intensamente, alisando suas costas. Demi apoiou suas mãos no peito dele, arranhando de leve quando sentiu as mãos do menino chegando bem perto de sua calcinha. Ele iria começar a aplicar a regra "sem restrições" e ela poderia estranhar, mas com certeza ia acabar se adaptando. Sabia que ela queria muito mais do que aquilo, mas algo a impedia. E não ia conseguir tirar dela isso se não aprofundasse mais tudo.
Colocou uma das mãos na parte superior da coxa da menina e apertou-a, conforme beijava seu pescoço. A essa altura, suas mãos já tocavam todas as partes do corpo de Demi, ou quase todas, com muita paixão e vontade.

"So gonna make you mine tonight, night,
I wanna rock with you 'til sunrise
Can I, let me do all the little things you like
Ohh, so will you let me blow your mind?
Want you to have the time of your life
Can I? Let me do all the little things you like"

Abaixou a alça do sutiã dela, cobrindo o local com beijos e mais beijos. A verdade era que ela sabia o que aconteceria, mas não entendia porque, a cada novo segundo, parecia se dar conta disso novamente.

-Eu sinceramente não sei porque eu esperei tanto tempo para te chamar de minha_ escondeu a cabeça em seu pescoço, deixando uma marca ali.
-Sempre fui sua_ a menina afirmou com a voz fraca, tentando manter sua respiração normal.
-Mas não desse jeito, quero que seja completamente minha.
Ouvindo isso ela apenas sorriu largamente, segurando a nuca do menino, juntando seus lábios.
-Também quero isso, quero ser completamente sua_ ela sussurrou, mais segura de si do que imaginava ser possível.
O menino acariciou o braço dela, antes de levar suas mãos até a cintura de Demi. Subindo um pouco, seus dedos entraram em contato com a borda do sutiã, faltando apenas um pouco para que ele chegasse no fecho.
-Qualquer coisa é só me pedir para parar_ ele sussurrou no ouvido dela, que estava concentrada demais nas mãos do menino, na parte de trás do sutiã, para que alguma coisa saísse de sua boca.

Como Joe estava com sua cabeça muito próxima da dela, percebeu a menina assentindo e deixou que suas mãos deslizassem pela pele dela, sem nenhum obstáculo. O sutiã provavelmente havia parado longe, ele não se preocupava com isso.
Depositou uma de suas mãos sobre o seio descoberto dela, com a intenção e acariciá-lo, mas ao perceber o quão tensa ela estava e como reagia ao seu toque, apenas levou seu polegar mais para a lateral e distribuiu beijinhos carinhosos por todo peito nu dela. Ela também reagia de maneira... diferente aos beijos dele, mas isso com certeza estava deixando-a mais calma e ela estava amando a sensação de ter os lábios molhados dele ali. Era enlouquecedor.
Começou a massageá-los calmamente, sem pressa alguma para não assustá-la. Depois de um tempo apenas acariciando, ela já parecia estar acostumada. Não completamente, mas estava aprendendo a sentir as jogadas adversárias naquele jogo. Deveria... reagir?
Fixou suas unhas nas costas do menino, fazendo-o sentir o quanto ela queria aquilo, o tamanho do desejo que a invadia. Juntou seus lábios com os dela ao sentir aquilo que pareciam garras arranharem suas costas. Ele estava amando as reações dela.
Em um preciso movimento, ele girou seu corpo, ficando por cima dela. Estava na hora de deixar as coisas "menos calmas". Beijando-a intensamente, Joe deixou suas mãos sentirem a menina como bem entendessem. Passando por todo o corpo de Demi, seus dedos tocavam todo o corpo nu da menina. Mas ainda faltava a pequena peça o atrapalhando de continuar.
Antes disso, ele decidiu ajudá-la a ganhar alguns pontinhos naquela brincadeira. Às vezes, ajudar o adversário trazia recompensas muito boas no final. Pensando nisso, o menino sorriu, divertido com aquela ideia de "jogo" e segurou a mão dela. Novamente dessa forma, guiando-a, ele fez com que ela, mesmo que timidamente e relutante, abrisse o fecho de sua calça, tirando-a.
Não havia mais muita coisa entre eles que os separasse completamente, bastava um simples gesto e tudo desapareceria, se dependesse de Joe. Mas ele apenas seguiu com os beijos intensos, carícias ousadas até que, ao deixar seu polegar correr pela borda da calcinha, ouviu a menina gemer seu nome, em seu ouvido, com a voz falha e transbordando em desejo.
Arrancou a peça em segundos, e seguiu com os beijos. Não queria deixá-la nervosa antes da hora, apenas decidiu mostrar à menina que ainda restava tempo, muito tempo. Afinal, eles ainda tinham a noite toda.
Os beijos que seguiram apenas fizeram Demi suspirar e pensar em como aquilo era realmente novo, porém muito melhor do que havia sequer imaginado. Agora não eram apenas as mãos dele, mas também os lábios, que vagavam aquele corpo completamente descoberto, à sua disposição.
Ele podia fazer o que quisesse com aquela obra prima em suas mãos, e ela sabia disso, havia concordado com essa regra. Queria que a menina fizesse o mesmo.
Após algum tempo que pode ter sido uma eternidade, mas para eles não haviam se passado nem alguns minutos, ambos estavam tomando a liberdade que faltava para tornar tudo ali igualmente justo. Ambos os lados saiam ganhando, cada vez mais.
Quando tirou sua box, mesmo que tentando disfarçar, a menina percebeu que ele o havia feito. Não que fosse algo que quisesse "esconder" dela, mas sabia o que se passaria pela cabeça da menina, imaginava o nervosismo que ela sentia agora. A primeira vez não era fácil para ninguém, mas não podiam negar que ela maravilhoso.
Alguns sentimentos realmente não podiam ser evitados, mas ela engoliu o medo e buscou pela mão do menino no meio da escuridão. Percebendo o que ela fazia, sentindo a mão dela descendo por seu braço, ele levou o polegar até o rosto que mais parecia porcelana e acariciou-a, depositando um beijinho bem ao lado da orelha dela. Sussurrou um "tudo bem" em seu ouvido e prolongou um pouco os beijos até segurar firmemente a mão dela, entrelaçando seus dedos.

-Não vou te machucar_ ele garantiu, mesmo sabendo que aquilo iria sim doer um pouco mais nela, pelo fato de ser virgem.
-Eu estou com medo_ sussurrou, envergonhada. Confiava nele, queria aquilo mais do que qualquer coisa e pensava que talvez até mais do que ele, porém isso era um pouco impossível. Apenas não podia esconder o que estava sentindo. Estava nervosa e com medo sim, mas a única coisa de que precisava era que ele soubesse, mesmo que isso não tivesse uma explicação lógica_Não quero que pare_ garantiu, antes que ele se pronunciasse.
-Não precisa ter medo_ sussurrou carinhoso, acariciando o rosto dela enquanto beijava sua nuca_ Pode apertar a minha mão, o mais forte que você conseguir_ sorriu, e ela, sentindo por ele estar com os  lábios em seu pescoço, sorriu também.

Ele prosseguiu, com a maior calma que conseguiu. Estava preocupado com ela, como estava se sentindo. Por incrível que pareça, ele não estava com essa calma toda. No começo ele passava a tranquilidade que sentia para ela, mas nesse momento, fingia uma calma que na verdade não existia. Queria que tudo saísse certo, não podia machucá-la, nunca faria isso, mas a verdade era que ele nunca havia transado com uma virgem, e o fato de Demi ser a primeira não o preocupou antes, porém agora seu coração parecia querer sair pela boca a qualquer momento. Sabia que não seria dessa forma se a experiência acontecesse com outra menina, mas não podia evitar o jeito como se sentia em relação a isso. Ele se sentia especial por ser o primeiro, mas também sentia a responsabilidade pesando nas suas costas.
Sentiu sua mão doer de tão forte que ela apertava, mas chegava a ser uma dor boa. Boa ao levar em conta tudo que acontecia, até porque não era nada que se comparasse a uma dor "insuportável", como deveria estar sendo a dela no momento. Ouviu-a pronunciar seu nome diversas vezes em meio aos sussurros e gemidos e sentia sua mão ser apertada a cada momento. Segurando a mão dela com força, começou a distribuir beijos novamente em sua nuca, querendo acalmá-la. Com toda aquela tensão que ele sentia no ar, a menina só sentiria mais dor e não era o que ele queria. Ela deveria sentir prazer.

-Calma, meu amor_ pediu, com a voz mais tranquila e calma que conseguiu. Ele estava até nervoso, mas ao contrário dela, soava verdadeiro, ele sabia esconder o que sentia, muito bem. Conseguiu acalmá-la com aquelas simples palavras, já sentia o corpo da menina mais leve.
Aos poucos a mão dela foi perdendo a força, permanecendo apenas junta a dele, que a acariciava. Joe juntou seus lábios novamente, sentindo a resposta da menina à tudo aquilo. Ambos estavam cansados, mas nenhum deles queria parar. Permaneceram com os beijos, sentindo um alívio incomum subir pelos corpos. Suspirando, eles deitaram juntos, ambos com um sorriso implacável no rosto. Demi sentiu seu corpo roçando com o dele conforme seus corpos de aproximavam no colchão e ela deixava que sua cabeça descansasse no peito dele. Joe abraçou a menina, deixando-a mais segura do que já estava e apoiando o rosto no pescoço dela. Beijou suavemente sua nuca e apertou levemente suas mãos, que permaneciam entrelaçadas até agora. Demi sussurrou um "eu te amo", inclinando o rosto para que seus lábios pudessem se encontrar.

-Eu também te amo, linda.

Continua...
Oie!! Matei muita gente de ansiedade aí?! haha desculpa, mas e aí? Gostaram? Awn gente, eu achei fofo, sério... como eu tinha pensado... ninguém adivinhou o que ele ia fazer, mas realmente, era complicado :P Enfim... Espero que tenham gostado! Como eu disse, uma vez um li uma fic em que acontecia algo um pouco parecido... na verdade era completamente diferente, mas me deu essa ideia ;) Comentem muito, ta bem? Eu acho que foi o melhor hot que eu já escrevi... e a cada hot eu me surpreendo mais por ter escrito algo assim lol hehe Talvez eu volte aqui mais tarde para falar da mini-fic *-*
Comentários respondidos here :) MUITO obrigada!! <3 Amo vocês!

Mil beijocas,
Bruna s2



11 comentários:

  1. Awnnn quero o Joe pra mim kkkk Existe namorado mais perfeito que ele? Não! hahahah Ele todo preocupado com ela *--* LINDO, enfim. Amei o capítulo! Muito mesmo!!!! Posta logo, bjooo Bru! <3

    ResponderExcluir
  2. o meu deus que capitulo mais fofo *---*
    perfeito de coração
    ta de parabens :)(:
    posta logo,beijos sz

    ResponderExcluir
  3. Aanw que bunitinho o Joe lá preocupado *.* Quero ele pra mim u.u
    A.M.E.I o capítulo >< e eu quero ler essa Mni Fic logo u.u
    Postaa logo!
    Bjoos! :*

    ResponderExcluir
  4. que coisa mais fofa,mais awwwwwwwwwwww! Pera momento de infinitos "awwwwwwwwwwww's!!! amei esse capítulo e é isso aí o/

    ResponderExcluir
  5. own Meu Deus!!!!!!!! Vomitando arco-íris Brunaaaaaaaa!!!! que hot mais lindo, que joe mais fofo e meigo e que demi mais sortuda! u.u hahahaha... esse foi o hot mais lindo que já li em toda minha vida no mundo das fics, de verdade, foi perfeito, como tudo o que você escreve, aliás! acho que agora a demi vai ficar mais relax em relação ao namoro né?! menos insegura, sei lá... depois dessa prova de amor, eu ficaria 100% segura! hehehe ai, tô tipo, muito curiosa pra saber o que vai acontecer daqui pra frente... espero que jemi continue firme e forte! u.u ai ai ai ~suspirando~ vou dormir pensando nesse capítulo perfeito e criar teoria para os próximos... enfim... Posta logo, meu bem! ;)

    bjs! :**

    ResponderExcluir
  6. Brunaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa <3
    Oh my God que PERFEITOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO *---------------* Amei tudo <3333333333 Joseph foi muito fofo com a Demi. Muito legal a ideia dele de fazer algo diferente pra acalmar ela. Acho que eu sei em que fic você se inspirou pra fazer esse "jogo" entre o Joe a Demi, na verdade eu acho que é uma mini-fic kkk. Enfim, foi o hot mais fofo e lindo que eu já li *-* Você me surpreendendo cada vez mais. Agradeço a pessoa que te inspirou a escrever fics e fez com que você dividisse esse talento que vc tem com a gente :D
    Sou sua fã Brubs. Amo suas fics de coração <3
    To louca pra ler a mini-fic.
    Posta Logoooooooooooo!!!! Te amooo <3333
    Mil Beijos :***

    ResponderExcluir
  7. que lindo mô, sem palavras.. um HOT magnifico *_*
    posta logo Bru:)

    JuPereira

    ResponderExcluir
  8. AMEII !! POSTA LOGO !!

    ResponderExcluir
  9. ta muito fofo!!
    posta logo !! pfv!

    ResponderExcluir
  10. Heey, diva.
    Selo para voce, parabens *-* http://needyounowjemi.blogspot.jp/2012/12/selo-e-divulgacao.html Amo seu blog (;, xoxo

    ResponderExcluir

Vamos comentar?!?!..... SIM! :3