Visualizações

30 de nov de 2012

Chapter 16


Stay Strong


                                                               "You're my favorite song"




Demi preferiu ir para casa depois do ocorrido. Ela definitivamente não queria sair daquela forma, mas agora tudo havia mudado. Ela estava sim um pouco arrependida pelo que havia dito, mas Joe não sabia disso. E agora, ele sabia de tudo que ela e Selena estavam conversando mais cedo. Não estava chateada com ele por ter ouvido, pelo contrário, era realmente mais fácil do que ela ter que conversar cara a cara com ele. Percebia agora o motivo da mudança tão repentina dele, e gostava disso. Gostava de como tudo parecia ter voltado ao normal, a como deveria ser. Demi havia se preciptado ao falar sobre como eram seus sentimentos perto dele, o que a impedia de olhar diretamente para Joe agora.
Conversariam mais tarde. Seria tudo mais simples, já que ela havia mudado de ideia, sobre muita coisa que antes pensava e agora que ele entendia o seu lado. Não queria magoá-lo com as palavras, mas viu em seus olhos a decepção quando ele perguntou aquilo à ela e ao receber a resposta nada amigável.
Já ele permaneceu durante algum tempo no terraço, apenas encarando o nada, pensando se realmente havia motivos para que ela se sentisse dessa forma. Algumas coisas tinham mudado? Sim, ele admitia. Mas não o amor, a amizade, isso nunca mudaria. E agora, depois de ouvir aquela conversa, ele parou para pensar e entender como ela se sentia. Se o menino havia deixado de ser tão carinhoso e atencioso como antes, agora ele apenas faria isso de novo, com cada vez mais paixão e cuidado. Talvez Demi não tivesse ideia do tamanho do amor que ele sentia por ela, tamanha importância ela tinha na vida dele.
___________________________________________

-Ele ouviu tudo, tudinho_ ela disse manhosa, esparramada na cama, com o telefone ao ouvido.
-Você já falou com ele depois disso?_ a amiga questionou.
-Não... eu estou confusa. Na verdade, arrependida, Sel_ fez uma careta_ Eu não devia ter falado daquela forma...
-Ele vai entender, tenho certeza_ garantiu.
-Tudo bem, eu também acho que sim... o Joe é sempre incrível comigo_ disse_ Mas eu não tenho ideia de como vai ficar o clima.
-Demi, você só disse como se sentia... não tem nada de errado nisso.
-Mas eu me equivoquei... hoje ele foi tão carinhoso comigo e eu percebi que era besteira minha. Não o que eu falei, mas com aquela intensidade.
-Pensa pelo lado bom, agora ele sabe de tudo sem você precisar falar diretamente a ele.
-Já pensei nisso... bom, pelo menos agora ele sabe_ deu de ombros_ Estou com medo da mesma forma, eu fui uma criança ao falar isso...
-Não, não foi_ afirmou_ Quando pretende conversar com ele? O Joe não ficou chateado com você por ir embora daquela forma, não é?
-Acho que não... ele me conhece, sabe que não ficamos sem nos falar por muito tempo_ riu sem humor_ Mas ficou magoado, dececionado com o que eu te disse. Isso ele ficou.
-Vai dar tudo certo_ disse tentando acalmá-la.
-Pretendo encontrar com ele agora_ Demi disse_ Me deseje sorte_ forçou um riso.
-Tudo bem, boa sorte!
____________________________________
Era exatamente assim que ele gostava de passar a tarde. Deitado no sofá, as luzes apagadas, janelas fechadas e um bom filme na tv. Ah, sem contar as porcarias que ele comia enquanto mantinha seus olhos vidrados na telinha. O ar condicionado ligado, aquele friozinho gostoso e ele ainda estava sem camisa. Nada melhor do que isso. Ou talvez sim, tivesse algo melhor...
Joe não podia mentir. Queria Demi mais do que qualquer outra coisa, ela era o que faltava ali. Mas sim, queria também evitar aquela conversa. Ele gostava de conversar com a menina, mas sabia que o clima ficaria estranho e se sentia mal por tudo que ouvira. Talvez não estivesse preparado para ouvir da boca dela que se sentia "mal" perto dele. Pensando em tudo que ambos já haviam passado juntos, isso soava como um absurdo.

"Words don't come easy
Without a melody
I'm always thinking
In terms of do-re-me
I should be hiking, swimming, laughing with you
Instead I'm all out of tune"

A campainha tocou e ele não se preocupou em colocar uma camisa nem acender as luzes. Apenas colocou o pote de pipoca de lado e caminhou até a porta.

-Hey_ ela disse sorridente, tímida.
-Oi, princesa_ ele sorriu, surpreso. Conseguia ser bem natural com ela mesmo depois de tanta confusão_ Não esperava que viesse_ riu sem humor, se aproximando com um abraço e um beijinho no topo da testa.
-Você me prometeu uma tarde maravilhosa_ U.u lembrou_ Vim cobrar_ eles riram.
-Bom, a minha tarde já estava maravilhosa_ ele disse, trazendo-a para dentro_ Agora vai ficar perfeita_ sorriu.
-Típico de Joe Jonas_ ela balançou a cabeça em reprovação, olhando ao redor_ Besteiras, filmes, luzes apagadas e ar condicionado.
-Aham, típico de Demi Lovato também, nem vem_ ele sorriu.
-Hummmm com certeza!

Joe, ainda com um sorriso fofo no rosto, segurou na cintura da menina, trazendo-a mais para perto. Depositou um beijo em sua bochecha e depois deu-lhe um selinho, iniciando carinhosamente um beijo calmo.
"But what you don't know
You lift me off the ground
You're inspiration
You helped me find my sound
Just like a bass line a half-time
You hold down the groove
That's why I'm counting on you"

-Eu te amo tanto, Dems_ ele sussurrou_Eu não queria que aquilo que eu ouvi fosse verdade_ tocou no assunto que ambos queriam tanto evitar.
-E eu queria que não tivesse ouvido aquela conversa_ suspirou_ Na verdade eu preferia não ter dito nada daquilo.
-Você só colocou pra fora o que sentia_ ele lembrou_ Só queria que tivesse me dito isso. Gostaria de ter ficado sabendo por você, falando pra mim.
-Eu não conseguiria, eu não estava certa do que estava falando_ disse_ Foi puro desabafo. Eu sei que isso é errado, e eu queria ter te dito.
-Não tem nada de errado. Eu sei que forcei a barra um pouco mas nenhum dos meus relacionamentos foram assim. Você sabe disso. Demi, por favor, eu não quero que nada disso mude a nossa amizade_pediu preocupado_ Desculpa se eu fiz com que você se sentisse mal, mas sou só eu, eu juro.
-Nada vai mudar a nossa amizade. Eu não tenho mais o que te falar e não quero explicar nada. Eu acho que tudo que você precisava saber você já ouviu.
-Você continua se sentindo assim comigo? Com medo do que eu possa fazer?_ ele ainda não acreditava que Demi havia mesmo dito isso.
-Eu esqueci que você não ouviu minha outra conversa com a Sel_ fez uma careta, rindo sem humor_ Não, eu nunca tive medo de você_ ela garantiu, convita_ Me arrependi da forma como eu disse alumas coisas. Eu te devo desculpas, você ficou magoado comigo.
-Fiquei.... decepcionado comigo mesmo, por fazer com que você se sentisse assim. Parece que... tudo entre a gente está mudando e eu tenho medo do que está por vir_ confessou.
-Desculpa, eu só estava... insegura. Não quero que nada mude entre nós, você não mudou comigo, você continua aquele melhor amigo bobo e idiota que eu amo mais do que tudo. E o namorado mais que perfeito_ ela sorriu.
-Desculpa por que, linda?_ ele forçou um sorriso_ Só me promete que as coisas não vão mudar entre nós_ pediu, beijando-a.
-Prometo!_ colocou os braços ao redor do pescoço dele_ Amizade acima de tudo, lembra?!_ ela perguntou sorrindo. Um pacto que haviam feito a muitos anos.
-É claro que lembro_ ele passou a mão pelo braço dela, parando no pulso da menina. Sua mão estava apoiada no peito dele e Joe segurou com cuidado o pingente na pulseira dela. Um coração escrito "Joe" que ele havia dado a ela. Segundo o menino, a partir daquele dia ela era somente dele.
-Nada nos separará, meu amor_ riu.
-Me desculpa? Por isso?_ perguntou_ Mas desculpa mesmo? Sem nada mais para me falar?_ interrompeu-a quando ela abriu a boca para responder.
-É óbvio que sim_ riu_ A única coisa que eu quero te falar é "eu te amo".
-Então agora o medo que a senhorita tinha sumiu?_ brincou beijando o pescoço da menina.
-Posso mudar de ideia_ avisou rindo.
-Opa, o filme que eu estava vendo é maravilhoso_ ele disse, se afastando dela com um sorriso travesso no rosto.
-É esse Joe que eu amo_ disse sentando-se nas costas do sofá, virada de frente para ele.
-Esse Joe é todinho e inteiramente seu_ deu um beijo na bochecha dela e começou a fazer cócegas na menina.
Demi se desequilibrou, caindo no sofá às gargalhadas. Joe pulou a "barreira" que separava eles e se juntou a ela. Deitaram os dois juntinhos, aproveitando a companhia um do outro. No escurinho, abraçados, no frio... estava perfeito.
Joe a abraçava por trás, mantendo seus corpos bem colados. Seu rosto estava deitado no pescoço dela e sua mão acariciava o braço da menina que estava entrelaçado ao seu.
-AI MEU DEUS!_ ela gritou, virando seu rosto, escondendo-o no peito nu de Joe. Ela sentiu sua pele em contato com a dele e por alguns segundos esqueceu do susto que levara com o filme.
-Amo quando você leva esses sustos_ ele ria_ É mil vezes melhor que filme de comédia.
-Engraçadinho_ ela revirou os olhos, sua voz saindo abafada porque a menina ainda tinha o rosto escondido.
-Pra que esse medo todo?_ perguntou acariciando o rosto de Demi, mexendo em seu cabelo_ Eu te protejo_ riu.
-Não, não_ se encolheu mais, agarrada a ele_ Não quero ver_ U.u
-Sem problemas_ ele sorriu, abraçando-a e com isso, trazendo-a para mais perto_ É por isso e outras coisas mais que eu amo ver filmes de terror com você_ ele sussurrou, abaixando a cabeça para encarar o rosto lindo da menina deitado em seu peito.
-Você gosta de me castigar, isso sim_ disse_ Mas não tem problema, gosto de ficar assim com você.... AAAAAAA_ deu outro grito, alto, agudo, que só fez o menino gargalhar.
-Fala sério, você não ta nem vendo, Dems_ ele afirmou, rindo.
-Mas eu ainda ouço!
-Quer que eu tampe seus ouvidos?_ perguntou rindo_ Não, melhor, acho que vou calar a sua boca_ piscou, sorrindo e tirando o rosto dela de seu peito, encarando-a.
-Não vai me impedir de gritar_ U.u
-Você tem que deixar de ser escandalosa!_ avisou.
-Não sou escandalosa!
-Ah, é_ riu segurando sua nuca_ Mas tudo bem, assim eu tenho que te calar mais vezes_ brincou.

Juntou seus lábios com aquele beijo calmo e apaixonado que só ele conseguia dar. Juntando com o amor que Demi passava aquilo era incrivelmente perfeito e ambos queriam apenas que durasse eternamente. Seria muito a pedir? A outra metade do seu coração ao seu lado sempre, junto a você em todos os momentos? Aquele sentimento que eles sentiam quando se tocavam, a corrente elétrica que parecia correr por entre suas veias toda vez que suas bocas se juntavam. Era apenas o que queriam, para sempre. Aquele amor, aquela paixão.
Acariciou as costas da menina, sempre com cuidado e carinho incomuns, seus corpos completamente colados e a mão da menina acariciando o peito descoberto dele. Não havia nada melhor.
Mesmo durante o momento, a menina pulou assustada, seu corpo estava trêmulo e um grito abafado se formou em sua boca. Ela apenas se calmou e começou a rir logo depois, enquanto o menino a olhava, também assustado, mas não por causa do filme.

-Eu sabia que você levava sustos à toa, mas não sabia que era assim, tão facilmente_ele riu.
-Ah, não é culpa minha!_fechou a cara_ Lembra de quando eu te chamei no meio da noite, porque estava tendo uma tempestade e eu estava com medo que o furacão chegasse?_ perguntou relembrando, sorridente.
-Chamou vírgula_ ele sorriu com a lembrança, assim como ela_ Fui literalmente brigado a ir até a sua casa sob ameaça de morte_ela gargalhou, havia sido exatamente assim_ E ainda por cima existiam condições.
-Verdade_ assentiu_ Você não podia acordar meus pais.
-Sempre exigente_ o menino revirou os olhos, acariciando o cabelo dela.
-O que eu podia fazer? Não ia conseguir dormir_ U.u
-Podia ter ido dormir com a sua mãe_ ele brincou, rindo.
-Não ia adiantar_garantiu_ Só você pra me acalmar_ ela sorriu.
-Só eu pra te aguentar, isso sim_ ele gargalhou da cara que ela fez.
-Poxa, magoou_ fez biquinho, virando-se para o outro lado.
-E te aguentar é a melhor coisa que eu faço na minha vida, meu amor_ ele abraçou a menina por trás novamente, rindo em seu ouvido. Aquela risada gostosa.
-Espero que isso não seja uma mentira_ U.u
-Não, não é_ garantiu divertido_ Mas viu?! Eu consegui te deixar distraída enquanto passavam coisas horripilantes atrás de você_ ele riu apontando para a tv, atrás da menina.
-Achei que gostasse de me calar_ disse com um sorriso desafiador.
-Nesse caso eu prefiro te beijar porque quero, já que mesmo te calando você interrompe o momento com outro grito_ revirou os olhos, brincalhão. Ela gargalhou e deixou que suas mãos caíssem sobre a barriga dele.
-E se eu não quiser te beijar?_ ela perguntou de maneira... sedutora. Joe sabia muito bem que Demi não era lá tão santinha como todos imaginavam. E também sabia que a maior parte daquilo era brincadeira dela. Demi era sedutora sim, mas não quando tentava ser. Nesse caso é só por diversão mesmo.
-Aí eu vou ter que te obrigar..._ sorriu maliciosamente.
-Jura?!_ ela desafiou_ E como pretende fazer isso?_ perguntou fingindo dúvida.

"I'm looking for some harmony
With you it comes so naturally
You helped me find the right key"

Ambos riram, uma risada inocente, calma, tranquilizadora. Joe se inclinou um pouco, ficando por cima da menina, mas não completamente, apenas buscando o contato que eles amavam tanto. Um pouco inclinado, ele apoiou seu peso em um dos braços, apoiado no sofá enquando deixava sua outra mão sobre a barriga de Demi, acariciando-a.
Selaram os lábios sem pressa alguma. Mesmo querendo continuar sentindo aquelas sensações, Demi deixou que o menino depositasse alguns beijinhos molhados em seu lábio inferior, indo do canto da boca até sua nuca.
-Assim_ finalmente respondeu a pergunta da menina, sorrindo largamente.
O menino voltou a beijá-la e conforme o clima ficava mais leve entre eles, tudo ao redor parecia em chamas, tamanho era o calor que ambos sentiam. O desejo subia mais uma vez por dentro e estava visível nos olhos de cada um. Mesmo parecendo calmo, os beijos e tudo entre eles estava agitado, até desesperado. Isso foi claramente visível quando Joe, involuntariamente, puxou a blusa da menina para baixo. Demi suspirou ao sentir o jeito como ambos se tocavam, com mais proximidade, intimidade, desejo puro.

"And when I hear you on the radio
I'd never want to change a single note
It's what I tried to say all along
You're my favorite song"

O carinho que ele fazia em sua barriga era semelhante ao que a menina proporcionava à ele ao deixar suas mãos sobre seu peito e nuca. Joe desceu suas mãos da barriga dela até sua coxa, fazendo-a estremecer pelo simples fato de ele não ter se importado com a intensidade do toque. Mesmo permanecendo cuidadoso, ele queria realmente senti-la, sentir sua pele junto a dela, sentir o desejo de ambos crescer juntamente.
Seu toque era mais forte, intenso, porém ao mesmo tempo não poderia ser melhor. Arrancando muitos suspiros da menina, Joe mostrou a ela que estava completamente louco, mostrou como ele deixava ela completamente frágil e agitada por dentro_ e por fora_ sempre querendo mais.

Continua...
Awn, eu gostei desse capítulo, muito... *-* Espero que tenham gostado e novamente eu digo, não me senti bem com o fato de deixá-los confusos... então quem quiser que eu explique, sei lá, ou quem achar que eu escrevo às vezes de forma confusa... por favor, me digam :s Obrigada pelos comentários, de verdade! Mas por favor, vamos comentar mais e mais e maaaais :P Amo muito vocês! E ah, respondi aos comentários lá na página mesmo, okay? Aqui o link > Respostas :)

Mil beijos,
Bruna! <3

28 de nov de 2012

Chapter 15


Stay Strong


                                                                                      "Oh, damn"



2 meses se passaram desde o dia em que Joe e Demi decidiram dar o "próximo passo". Tudo corria bem na escola, mas não muito bem na vida daqueles dois. Estava ótimo, mas apenas para um deles.

-E não era isso que você queria, Demi?_ a menina perguntou confusa, triste por ver a amiga assim.
-Era!_ afirmou rapidamente_ Ou não... não sei, Selena_ murmurou agoniada_ Na verdade eu não pensei que fosse acontecer isso...
-O que está acontecendo?_ ela tentava passar tranquilidade para Demi.
-Eu acho que... queria o Joe só para mim desde o começo, mas não sei se estava preparada para isso... pra perder o meu amigo.
-Você não o perdeu...
-É como se tivesse. Eu... não me sinto mais confortável com ele como antes. Não consigo mais ter aquela confiança, a segurança pra falar sobre tudo com ele, sabe?! Sinceramente eu não sei o que aconteceu_ sussurrou cabisbaixa.
-Eu acho que você só está assim porque era acostumada a ter um melhor amigo ao seu lado e agora ele é seu namorado. Nada mais mudou_ disse_ Não foi exatamente isso que ele te disse, naquele dia na praia?! A conversa que me contou... parecia que era o que ele queria. Fazer com que você sentisse que ele era seu namorado.
-Sim, mas... as coisas estão diferentes entre nós. Eu não sei...talvez não conheça esse lado do Joe. Ele é carinhoso mas eu sempre sinto que tem alguma segunda intenção por trás do que ele faz... Não sei se eu dei liberdade para ele achar que eu queria um relacionamento assim.
-Conversa com ele, Demi_ sugeriu_ Você sabe que o Joe sempre foi do tipo "pegador"... sabe que ele não é santo nem nada. É óbvio que você é diferente para ele, é especial, mas talvez ele tenha realmente pensado que poderia ser assim entre vocês.
-Não quero conversar com ele_ afirmou_ Eu não tenho o que falar... vou chegar: Ah, Joe, eu não quero que você me trate desse jeito_ fez uma voz engraçada_ Como eu vou falar com ele se nem eu ao menos sei o que estou sentindo?
-Demi, sendo sincera, do jeito que você fala parece que quer voltar para a amizade.
-Não_ ela a interrompeu_ Não é o que eu quero. Esses últimos 2 meses foram os melhores da minha vida.
-Então...
-Eu acho que estou com medo de ele querer ir mais além... já que agora as coisas entre nós ficaram mais íntimas_ suspirou_ Definitivamente eu não sei o que fazer!
-Teria algum problema pra você se ele quisesse mesmo isso?
-Eu... não_ admitiu_ Não, por conta de tudo que nós passamos. Mas seria difícil agora, com as coisas acontecendo assim. Eu não me sinto mais tão confortável. Quando nós estamos juntos não tem mais aquela coisa de ficar só abraçado, conversando. Parece que se não tiverem beijos e outras coisas que agora ele tomou liberdade para fazer, não vai ter mais clima.
-Isso não é nada bom para vocês, Demi. Se deixar as coisas assim, o resultado não vai ser bom.
-O problema é que quando eu estou perto dele...eu me sinto vulnerável, como eu nunca achei que me sentiria. Não é mais como se eu estivesse com o meu amigo. Parece simplesmente que é um menino com quem eu decidi "me aventurar".
-Eu me sinto mal por não poder te ajudar, mas realmente a única coisa que eu posso fazer é te ouvir e te convencer de ter essa conversa com ele.
-Preciso mesmo desabafar, tirar isso de mim_ ela deu de ombros_ Você é a melhor pessoa para isso_ forçou um sorriso.
-Demi... quando você está com o Joe, sozinha, ele tenta ir mais além sempre?
-Na maioria das vezes_ admitiu_ Mas eu acho que... ele sabe dos limites. Assim eu espero...
-Você deu certeza a ele de que estava tudo bem e que as coisas não estavam sendo corridas.
-Será que eu posso voltar atrás?_ ela riu sem humor.
-Passaram-se 2 meses. Você chorou tanto com as surpresas dele no aniversário de 1 mês... vocês pareciam tão unidos.
-Aquele foi um dos melhores dias da minha vida_ sorriu com a lembrança_ É só que... agora quase não existem momentos "Joe e Demi", entende?! Sempre estamos junto com os amigos dele, as amigas... eu tenho um pouco de medo de ficar sozinha com ele agora.
-É pior do que eu pensava, Demi...
-Eu acho que é mais insegurança, incerteza... _ respirou fundo_ Nem dos assuntos da minha família eu consigo mais falar. Ele provavelmente pensa que está tudo bem, mas eu daria tudo para conseguir conversar com ele de novo. Às vezes a gente só quer um abraço.

Selena se aproximou, jogando seus braços calmamente, abraçando-a. Sabia que ela queria um abraço de Joe, queria que as coisas entre eles voltassem ao normal e ela também desejava isso. Aquele era sem sombras dúvidas o casal mais bonito que ela já vira. Mas talvez seu abraço já fosse o suficiente para aliviar um pouco daquilo. Queria vê-la sorrindo, aquele sorriso radiante e contagiante que a amiga tinha. E faria o que fosse preciso para conseguir vê-lo novamente.

-Sei que não é o que você quer exatamente_ ela disse, ainda abraçada a Demi_ Mas quero te ajudar, da forma que eu conseguir_ riu sem humor.
-Você é a melhor.
-Escuta uma última vez. Eu peço que pense bem_ pediu, afastando-se_ Tenta ter essa conversa com ele. Eu prometo não te encher com isso_ sorriu_ Mas acredite, é a única forma.
-Mas que droga!_ bufou, jogando a cabeça para trás, sem saber o que fazer ou no que pensar.
-Hey, o que é uma droga?_ ele se aproximou, com um lindo sorriso.
Demi encarou Selena, nervosa. Nervosa por ele quase ter ouvido o que não devia. E agora, o que "era uma droga"? O menino sentou-se ao lado de Demi no banco e colocou um dos braços ao redor do pescoço dela. Deu-lhe um abraço carinhoso e um beijo no rosto. Será que ele tinha ouvido alguma coisa a mais?
-Eu acho que vocês precisam conversar_ Selena cantarolou_ Tchau, tchau_ sumiu em segundos. Demi ainda tentou chamar por ela, mas não era a hora de dizer:"olha o que você fez!".
-Precisamos?_ ele perguntou, rindo sem humor.

"I'm sick and tired of your attitude
I'm feeling like I don't know you
You tell me that you love me then cut me down
And I need you like a heartbeat
But you know you got a mean streak
Makes me run For cover when you're around
...
Tell me why"

-Não_ ela forçou um sorriso, fingindo estar desentendida_ Acho que a Sel ficou maluca_ deu de ombros.
-Tudo bem, então_ ele disse brincando com  a mão dela de forma carinhosa_ Sabe que quando quiser conversar comigo é só chamar, né?!_ forçou um sorriso.
-Aham_ concordou simplesmente_ O que você vai fazer hoje?_ ela queria sim mudar de assunto, ele definitivamente estava diferente, mas não era necessário manter aquele rumo de conversa.
-Queria ficar com você_sussurrou no ouvido dela_Se importa de ir lá pra casa depois?
-Claro que não_ ela sorriu. No fundo, estava um pouco receosa de ficar com ele, sozinha. Não sabia ainda muito bem o por quê, sabia que ele não faria nada, mas sentia-se estranha da mesma forma.
-Vai ser uma tarde muito boa, eu prometo_ ele sorriu. A menina retribuiu, tentando não fantasiar em sua cabeça o que ele queria dizer com isso.

O problema era o seguinte: ela gostava sim_ na verdade amava_ quando as coisas entre eles "esquentavam". Tanto ela como Joe desejavam isso a cada segundo. Porém conforme tudo foi acontecendo muito rapidamente_ por conta da amizade e do fato de ambos já se conhecerem como irmãos_ nada mais era como antes. O que existia entre eles era apenas um namoro. Ou pelo menos era assim que ela se sentia.
O menino não havia mudado. Joe se preocupava com Demi como sempre havia feito, mas talvez estivesse realmente muito empolgado com a situação, o suficiente para transformar o clima em algo que ela gostaria de evitar. Era apenas um "mal entendido" entre os sentimentos deles, nada muito preocupante.

-Vou comprar alguma coisa para comer, quer?_ ele se levantou lentamente.
-Não, obrigada_ sorriu.
-Então vem comigo_ ele chamou, estendendo a mão_ Vou falar com a galera ali_ disse. Demi sabia de quem ele falava. Isso incluía alguns amigos nada agradáveis.
-Não me encaixo nessa "galera", Joe_ ela fez uma careta, ele sentou-se novamente ao seu lado_ Não sabia que era amigo...deles.
-Sou amigo de muita gente, Dems_ ele riu sem humor, confuso.
-É que... eles não me parecem muito... gente boa_ ela foi receosa ao falar_ Não que eu me ache no direito de falar de alguém, mas não combinam com você_ deu de ombros.
-Talvez você devesse conhecê-los, nunca tentou de verdade. Eu concordo que... eles podem  não ser as melhores pessoas do mundo, mas...
-Tudo bem, mas... eu sinceramente prefiro ficar aqui_ forçou um sorriso.
-Vem comprar comigo_ ele pediu com uma carinha fofa, sorrindo, já de pé novamente.
-Joe, não me sinto bem com eles_ Demi disse manhosa.
-Deixa de ser boba, não vamos falar com eles_ o menino segurou a mão dela, rindo_ Quero só que venha comigo. Anda, deixa de ser chata.
-Você é irritante, sabia?_ ela sorriu, andando com ele.
-Eu seeeei que você me ama_ roubou-lhe um selinho_ hum, lembra daquele terraço lá em cima?_ ela assentiu_ A quanto tempo que nós não vamos lá, né?
-Eu acho que a última vez foi a uns dois anos_ deu de ombros.
-Acho que está na hora de uma visitinha_ ele sorriu sapeca_ Vem comigo_ puxou-a, correndo pelo pátio.

***

-A vista é incrível_ ela sussurrou admirada_ Tinha me esquecido de como isso era lindo.

Joe, ainda segurando sua mão, caminhou com ela até que tivessem uma vista privilegiada do colégio todo. A menina se debruçou no telhado e ele colocou os braços ao redor dela, chegando por trás.

-Hum, eu tinha me esquecido_ ele disse_ Estão marcando um "encontro" de casais, quer ir?
-Tipo essas festinhas que esse povo resolve dar do nada quando os pais não estão em  casa?_ ela ergueu a sobrancelha_ Não_ riu sem humor.
-Ah, vai ser legal_ ele afirmou_ Só casais. Me parece divertido_ deu de ombros.
-Depende dos casais, né, Joe?! Na minha opinião vão ficar se engolindo no sofá da casa, não vai ter interação nenhuma entre ninguém.
-Que termo feio, Demi_ ele riu_ Tá, mas porque vai ser tão ruim? Eu vou estar lá_ ele disse brincalhão_ Nada nos impede de fazer como os outros casais..._ sussurrou.
A menina balançou a cabeça em reprovação e ele beijou a bochecha dela, rindo.
-Prefiro ficar em casa_ manteve a resposta inicial.
-Tudo bem, não vamos, então_ ele concordou.

Um silêncio estranho formou-se ali e ambos sabiam o motivo. Joe se afastou um pouco de Demi, que sentiu uma enorme culpa ao senti-lo se afastando. Estava um tanto incomodada com a situação, com o clima, não podia negar.
Mas para sua surpresa, ele segurou uma de suas mãos e a levou calmamente até um lindo jardim que estava bem ali ao lado. Aquele terraço mais parecia uma estufa cheia de flores encantadoras.
Joe pegou uma rosa com a outra mão e deu-a para Demi, que recebeu com um sorriso no rosto. Ela levou a flor até o rosto, apreciando-a, enquanto Joe segurava em sua nuca e se aproximava também. O menino respirou fundo, sentindo o cheiro agradável que a rosa possuía.

-Cheirosa como você, linda como você_ ele sussurrou, juntando suas testas. Seus rostos estavam separados agora apenas pela flor.
-Eu gosto de pensar que a rosa é vermelha porque representa o amor_ ela comentou.
-Estou te dando o meu amor_ ele completou, sorrindo, junto a ela_ Quero que fique com  ela, para sempre. Com o meu amor bem aí, nas suas mãos.
-Prometo guardar com cuidado algo tão precioso_ brincou. Ambos riram e juntaram seus lábios com um breve selinho.

Então eles se sentaram no degrau de uma pequena escadinha que tinha ali e ficaram a observar o céu, fitar o nada, juntos, abraçados.
Demi girava a rosa em seus dedos, apreciando-a enquanto descansava sua cabeça no peito do menino e recebia seu carinho no rosto. Ele era incrível, ela sabia e agora, nesse momento, ela pensava se tudo aquilo que falara para Selena realmente fazia sentido. Um garoto como Joe não se encontrava assim, tão facilmente e como ele havia dito, ela o tinha em suas mãos, tinha seu amor ali, à sua disposição. Seria um crime desperdiçar um tesouro como este.
E não era o que ela queria. Desde o início da conversa, a intenção não era jogar aquele amor fora. Pelo contrário, a menina queria se entender para não fazer algo errado com uma coisa de tamanho valor em suas mãos. Agora, ali, ela se lembrava que aquele menino era seu melhor amigo, com quem ela havia passado os melhores e piores momentos de sua vida. E por mais que nas últimas semanas isso tivesse sido apagado de sua mente, agora ela se sentia protegida, segura, talvez como nunca antes.
Era fato que ele havia mudado repentinamente e ela ainda se perguntava como isso fora possível, mas o que importava agora era o arrependimento por ter dito algumas palavras tão rudes em relação ao amor deles. A ele. Ela não retiraria o que disse a amiga, mas colocaria melhor as palavras, afinal, havia sido apenas um desabafo. Mas mesmo assim, ainda precisava entender a si mesma de forma que ainda não havia conseguido fazer. Na realidade, precisava mesmo era falar com ele.

-O que ocupa essa cabecinha, hein?!_ perguntou carinhosamente, mexendo em seu cabelo.
-Você... me conhece tão bem_ ela começou_ Não pensou mesmo que talvez alguma coisa estivesse errada?_ perguntou, mesmo sem saber de onde veio a coragem para pronunciar aquelas palavras.
-Percebi sim, que você não é a mesma comigo porque, provavelmente, está incomodada com alguma coisa que eu tenho feito_ ele a surpreendeu com aquelas palavras, mas facilitou muito a conversa_ E eu tenho quase certeza de que sei o que é.
-Quando você percebeu isso?
-Não faz muito tempo_ ele fez uma careta_ Mas Demi... eu só quero saber o que você quer_ ele segurou as mãos dela. Percebeu que a menina não sabia o que falar. Mas não era necessário entrar nesse assunto, ele sabia a resposta_ Desculpa se eu mudei com você, se eu fiz com que achasse isso.
-Da última vez que a gente conversou... faz muito tempo_ ela disse, rindo sem humor_ Você me pediu para não interpretar nada do que me disse de maneira errada. Mas eu acho que...
-Eu interpretei, certo?_ ele completou com um meigo sorriso no rosto_ Ouvi sim sua conversa com a Sel_ confessou, calmamente.
-Ah, ISSO é uma droga!_ ela revirou os olhos, não muito surpresa. Pelo rumo da conversa, ela já tinha imaginado.
-Eu entendi o que quis dizer, mas eu já imaginava mesmo que era isso_ ele disse, colocando a cabeça deitada em seu pescoço_ Você está certa. Desculpa_ pediu_ Eu não quero mesmo que você se sinta desse jeito perto de mim. É sério isso, Dems? É o que você sente?

Ela suspirou cabisbaixa. Se desvincilhou delicadamente dos braços dele.
A menina permaneceu sentada, observando a rosa que agora estava na mão dele, já que ambos "brincavam" com a flor, girando-a e apreciando-a. Joe seguiu o olhar dela e lhe entregou, beijando delicadamente uma das pétalas e depois a bochecha da menina. Colocou a rosa na direção do coração de Demi, que segurou-a, tudo com muita calma.

A menina se levantou _Não era o que eu queria, acredite_ disse seguindo em direção à saída.
-Demi..._ ele chamou, mas não foi atrás dela. A menina também relutou para não virar e encará-lo. Não fez questão de continuar aquela conversa ali, correr atrás dela, trazê-la de volta porque conhecia bem a peça, logo eles se falariam de novo. Não era uma briga nem nada, eles nunca conseguiam ficar muito tempo sem se falar, nem motivos os dois tinham, então estava tudo certo.

Continua...
Um pouquinho tenso, né?! :( Bom, eu estou postando aos poucos, mas só se vocês comentarem eu vou continuar, ok? Eu meio que "desisti" daquela ideia porque para a sorte de vocês minha criatividade está tendo um surto maravilhoso ultimamente... haha :P então continuem comentando, por favor! Quero mais de 10, gente! Tive 8 no último :( Vamos lá! 
Ah, eu vou começar a responder aos comentários lá mesmo, nos comentários, tá? Porque fica mais fácil e eu vou conseguir responder com mais rapidez! ;-) 
Féééérias, gente! :) Acho que essas férias podem render algo muito bom para todos, hein?! haha vou tentar fazer render! :)

Beijinhos, 
Bruna! :^)

25 de nov de 2012

Chapter 14


Stay Strong

                                                                                 "I promise you"


-Então, para onde a senhorita deseja ir?_ ele perguntou formalmente.
-Só quero ficar com você_ sussurrou manhosa, aproximando-se dele com os braços ao redor do pescoço do menino.
-Tenho uma ideia_ ele sussurrou, contente e animado.

***

-Realmente, muito romântico_ ela sorriu, sentindo os braços do menino envolvendo-a_ A noite está linda_ observou atentamente a lua, perdendo seu olhar no céu escuro.
-Não mais linda que você_ beijou delicadamente o pescoço dela_ E essa lua não chega nem perto do seu brilho.
-Ah, para_ corou, sorrindo envergonhada.
Ambos permaneceram andando juntos, abraçados. Conforme seus pés afundavam na areia gelada sentiam o aroma da noite fria de inverno, acompanhada pelo barulho das ondas do mar.
-Aqui nós vamos poder ficar sossegados. Só nós, mais ninguém_ a menina mal conseguia ouvir a voz rouca e baixa dele que chegava em seu ouvido, acompanhada de uma leve mordida na orelha.
-Parece bom para mim_ por mais que quisesse parecer certa daquilo, sua voz soou insegura.
-Jura? Parece mesmo?_ perguntou.
-Você pode... tentar me convencer, se parece ou não_ sugeriu.
-E você pode tentar me convencer de que é isso que quer que eu faça_ acariciou as mãos da menina que roçavam as dele.

Demi virou-se calmamente, sem olhar diretamente nos olhos do menino. Conforme as mãos de Joe soltaram a menina, ela segurou-as, brincando com seus pés na areia. Aproximou-se sem pressa alguma, com um sorriso tímido estampado no rosto, sua mão acariciava o rosto dele. Direcionou seu olhar, entrando em contato com os dele. Seus olhos brilhavam sob a luz do luar, um brilho transparente, lindo, encantador.
Quando as respirações já se misturavam, ela juntou seus lábios com um breve selinho. Joe depositou uma das mãos na cintura de Demi logo assim que ela iniciou um beijo calmo.
Os corações palpitavam, dividindo uma mesma sensação, algo em comum. Sentiam um ao outro, compartilhavam aquele calor que surgia conforme os corpos se juntavam.
Ele sorriu entre o beijo e separou seus lábios dos da menina. Ela o encarou confusa. Será que ele não havia gostado? Será que não fora convincente? Mas logo Demi foi pega de surpresa, os braços de Joe seguravam-na por debaixo das pernas e nas costas. Ele correu com a menina na direção do mar.
Riam juntos, uma risada gostosa de se ouvir, até podia ser sentida. Naquele momento, ambos sentiam tudo, tudo aquilo que merecia ser apreciado. Parou antes de chegarem à água e em vez de colocá-la no chão, Joe segurou as coxas de Demi, prendendo-as em sua cintura. Os braços da menina rodeavam o pescoço dele e ela segurou firmemente sua nuca quando o menino sentou-se, trazendo-a junto, próxima de seu corpo. Próxima demais, ainda envolvendo o corpo de Joe com suas pernas.

-Então..._ ele começou, se afastando um pouco, enquanto a menina permanecia sentada sobre sua barriga, envolvida pelas pernas de Demi_ Você falou com a Lucy, né?!_ isso foi mais uma afirmação do que uma pergunta.
-Estaria mentindo se dissesse que não_ respondeu depois de um longo suspiro.
-Você quer me contar o que ela te disse?_ acariciou o rosto delicado da menina_ Porque pra fazer você ir embora lá de casa e..._ ele parou_ Foi por causa da Lucy, Dem?_ ela não precisava de mais explicações.
-Foi por causa de mim, porque eu também pensava como ela_ admitiu, por mais que doesse.
-E o que ela pensava?_ ele quis saber, cuidadoso.
-Que você só está fazendo... isso_ apontou para os dois_ Porque me ama... como sua amiga e não quer me ver magoada, não quer perder a amizade.
-E você pensa como ela? É sério que você deixou isso entrar na sua cabeça? Eu sinceramente ficaria chateado se soubesse que por causa de uma besteira dessas, você...
-Eu não consegui pensar em outra coisa. Eu não queria te falar porque... era mais fácil fingir que acreditava em você.
-Não acredita no que eu sinto, Demi?_ perguntou decepcionado.
-Sim, eu acredito. Meu coração acredita, mas tem uma parte de mim com medo.
-Olha dentro dos meus olhos_ pediu_ Foi só isso que ela te disse?_ a menina negou, desviando o olhar.
-Eu quero que saiba que você está errada. E a Lucy mais ainda por ter se achado no direito de te falar alguma coisa. O que eu não acredito é que fez uma coisas dessas por algo que a minha ex namorada disse! Demi...
-Joe, eu...
-Eu te amo, muito mais do que eu já amei qualquer pessoa, Demi. Se você continuar com essas coisas na cabeça eu juro que vou me decepcionar. Pode pensar o que quiser, mas NUNCA duvide do meu amor por você_ ele disse antes que ela pudesse se explicar. Joe sabia que ela não saberia responder_ O assunto termina aqui, tá? Você é linda, eu já te disse isso. É muito melhor do que a Lucy, do que qualquer outra. Você é você, Demi. Não existe igual.
-Obrigada_ sussurrou_ Me desculpa_ suspirou_ Eu te amo muito. É que... por mais que isso seja como o melhor sonho que eu poderia ter, ainda está confuso dentro de mim_ confessou.
-ODEIO quando você se rebaixa ao nível dessas meninas, Demi_ ele aproximou seus lábios_ Não era para estar confusa. Não é o que você quer? Nós?_ perguntou, trazendo-a para mais perto.
-É tudo o que eu mais quero_ afirmou sincera.

"I know that my love for you is real
It's something true that we do
Just something natural that I feel
When you walk in the room, when you're near
I feel my heart skip a beat, the whole world dissapears"

Demi calou-se quando Joe juntou seus lábios de uma vez. Deitou-se completamente na areia e segurou na cintura da menina. Por entre os beijos, o menino percebeu que Demi apoiava o peso de seu corpo em suas mãos, depositadas no chão. Ambos percebiam, agora, que aquela proximidade natural de antes não acontecia mais com tanta tranquilidade, e isso era exatamente o contrário do que ele achava que aconteceria. Mesmo assim, a amizade de anos facilitava muito nesse "próximo passo".
Joe deixou que suas mãos se apoiassem na cintura de Demi e tentou trazê-la mais para perto.
-Pode deitar_ ele sussurrou com a voz rouca, sorrindo docemente ao mesmo tempo.

"And there's just you and me
Falling head over feet,
Let's take a chance together"

Acariciou o braço da menina, descendo calmamente até encostar em sua mão. Enquanto ele passava o polegar pela pele quente dela, Demi cedia ao toque, deixando que seu corpo entrasse em contato com o dele e as mãos que antes estavam apoiadas ora no chão ora no peito de Joe, agora tocavam a nuca do menino.
Beijaram-se diversas vezes, com tanta intensidade que a menina ignorou facilmente o fato de estar tão próxima dele. O que importava ali eram seus lábios juntos, as línguas brincando freneticamente, o desejo que podia ser sentido no ar.
Deslizando sua mão quente pela nuca de Demi, Joe sentiu-se querendo algo a mais. Porém os dois estavam no meio de uma praia, a noite e por mais que não tivesse praticamente ninguém ali, não era a hora de prolongar muito os amassos. Mas ninguém os impediria de continuar com os beijos e carícias.
Sob a luz da lua, Joe via o sorriso sa menina ao se distanciar um pouco. Um sorriso tímido, o mais belo de todos. Havia conseguido tirar aquela distância entre eles, agora precisava apenas levar a timidez embora. Só um pouco, pelo menos. Acreditava sim que com o tempo conseguiria fazer isso desaparecer, deixá-la mais a vontade, como era a amizade, sem restrições, mas o desejo dentro dele o fazia apressar as coisas, ele queria avançar um pouco mais naquela "brincadeira".

"They say that we're just too young to know
But I'm sure heart and soul that I'm never lettin' you go
When it's right, it's right and this is it
'Cause I'm walking on air every single time that we kiss"

-Promete que vai parar com isso?_ perguntou_ Você nunca duvidou de mim, meu amor..._ sussurrou triste.
-E continuo não duvidando_ garantiu com um sorriso decidido, Joe retribuiu.
Sentou-se e envolveu a cintura dela com os braços novamente. Acariciando a coxa dela, puxou-a para mais perto. Depositou alguns beijos molhados em sua nuca, fazendo-a suspirar.
-Quente aqui, né?!_ ele arrancou uma risada dela.
-Sim, muito_ concordou envergonhada, desviando o olhar.
-Pode me chamar de maluco mas eu estou com vontade de dar um mergulho_ observou o mar por cima do ombro da menina.
-Maluco!_ ela sorriu_ Deve estar um gelo, Joe!
-Tudo bem_ revirou os olhos. Então ele afastou as mãos do corpo da menina, levando-as até sua blusa. Tirou-a habilidosamente, enquanto Demi o encarava sem entender_ Eu me contento com isso_ jogou a camisa do lado, sorrindo satisfeito.
Trouxe a menina para mais perto, mordendo calmamente seu lábio inferior. Demi encarou o peito do menino subir e descer de acordo com a respiração descontrolada de ambos.

"You make the angels sing
You give that song bird rings
You make everything better"

Ele enterrou sua cabeça no pescoço dela, acariciando a lateral de seu corpo. Os beijos dessa vez desceram mais além, parando no decote dela, quando Demi recuou um pouco, mas não o suficiente para afastá-lo. Joe levou uma das mãos até sua cintura e subiu lentamente, seguindo com os beijos no ombro.
Demi suspirava, com a respiração descompensada, ansiosa por tudo aquilo. O nervosismo já era comum, mas não imaginava que chegariam onde estavam agora. Joe era delicado e cuidadoso como sempre e ela apenas queria desfrutar do momento.
-Você se importa?_ ele perguntou baixinho em seu ouvido, levantando mais um pouco a blusa dela.

Demi negou, ainda relutante, mas não demorou muito para que Joe levantasse com calma a peça, sorrindo carinhosamente para a menina. Ele estava feliz pelo avanço, feliz por ela parecer bem em relação àquilo, por mostrar mais uma vez que confiava nele... como antes.
Voltaram a se beijar com cada vez mais desejo e um sorriso radiante no rosto. Com suas testas coladas e respirações se confundindo, Joe observou o tronco da menina, coberto apenas com o sutiã preto de renda, subindo e descendo. Exatamente como ela havia feito com ele pouco tempo atrás.

"You listen when I speak
You make my knees go weak
And I just want you by my side"

O barulho da maré ainda fazia parte do momento, ecoando entre o casal. A lua presenciava aquele momento que marcava a vida de ambos, um momento que ficaria na memória. Um sentimento... infinito.

-Você é maravilhosa_ deslizou suas mãos pelas costas nuas da menina_Melhorou o calor?_ ele riu.
-Acho que tem uma chama acesa_ ela sorriu entre os beijos_ Essa noite está sendo uma das melhores da minha vida_ sussurrou, afastando-se.
-Não é nada comparada a muitas outras que estão por vir_ ele sussurrou, sorrindo delicadamente. Um sorriso doce, que acalmava a menina de certa forma.

Em um movimento rápido, Joe colocou Demi em seu colo, mas dessa vez de outra forma. Queria fazer com que ela se sentisse protegida, amada. Abraçou a menina de forma carinhosa e Demi deitou a cabeça no pescoço do menino, deixando que os braços dele ficassem depositados logo abaixo de seus seios. Por mais entranho que parecesse, ela não se sentia vulnerável com o toque, muito menos insegura.

-Minha_ ele beijou a bochecha dela_ Eu queria passar a noite aqui com você_ ele abriu o sorriso mais lindo que podia.
-Eu quero que me abrace e não solte nunca mais_ depositou suas mãos em cima dos braços de Joe, se aninhando mais nele.

Joe abraçou-a carinhosamente, depositando alguns beijinhos que iam de sua testa até seu ombro. Conforme a pele descoberta de ambos se tocava, eles sentiam aquela chama subindo, o calor novamente. Era algo bom, de certa forma especial, um fogo que aumentava o desejo incontrolável.

-Você... acha que eu estou indo..._ ele fez uma pausa_ Rápido demais?_ perguntou baixinho, com a cabeça deitada no ombro da menina que permanecia no seu colo.
-Com..._ ela encarou as mãos unidas.
-Nós_ acrescentou, levantando a cabeça ao dar um beijo na borda do sutiã dela.
-Eu acho que não tenho como te responder_ ela disse tímida, rindo sem humor. Joe encarou-a, confuso, com um meio sorriso meigo no rosto_ Você sabe que eu... não estou acostumada, é novo, isso tudo. Mas você não está forçando a barra, tudo até agora foi por pura vontade, minha e sua_ explicou.
-Quando começou a namorar comigo você esperava... outra coisa, vamos dizer assim_ ele riu_ Não é?
-Eu esperava estar com alguém que me entendesse, sem eu precisar dizer uma única palavra_ desviou o olhar_ Eu... realmente me surpreendi, mas... eu, principalmente, quis isso tudo. Então... eu confio em você, Joe. Eu acho que isso basta_ sorriu imensamente, voltando seus olhos para os dele.
-É, você... achava que seria da mesma forma que quando nós éramos melhores amigos_ ele disse_ Isso também é novo pra mim, Dems... eu estou tentando "lutar" contra isso mas no fundo eu não sei o que fazer. Eu te conheço muito bem. Bem o suficiente para ter medo de fazer alguma coisa errada. Não quero que sinta como se estivesse sendo pressionada a uma coisa nova, mas eu, ao mesmo tempo, quero sentir como se isso entre nós fosse realmente algo real, entende?
-Você ainda sente como se a amizade fosse o mais importante?
-A amizade é o mais importante_ garantiu_ O que eu quero é encontrar um jeito de permanecer com a amizade, mas "viver" o nosso namoro. Quero que me trate como seu namorado, sabendo que sou seu melhor amigo. E não que me veja como um melhor amigo que é seu namorado. Sem "desprezar" a amizade. Eu sei que é confuso, nem eu entendo.
-Entendo o que quer. Eu quero isso também_ ele assentiu enquanto ela falava_ Não, você não está indo rápido demais.
-Tudo bem_ deu um beijo no pescoço dela_ E não vai interpretar errado o que eu disse, hein?!?!_ pediu sorrindo bobo enquanto a encarava.
-Obrigada por se preocupar_ ela sorriu_ Você definitivamente é o melhor_ segurou na nuca dele, aproximando-se e escondendo o rosto em seu pescoço_ Eu te amo, muito_ passou a mão por seu cabelo, depositando um beijo calmo nas costas descobertas dele.

"Today, tomorrow and forever we will stay true
I promise you"

Continua...
É isso, gente... não ficou muito bom, mas eu espero do fundo do coração que tenham gostado porque a minha decisão vai depender desse capítulo. Eu estou escrevendo sim, os próximos, e tentando ao máximo. Eu sei o que eu disse no outro post, me desculpem mesmo, eu fiquei muito triste ao ler os comentários, porque eu não queria fazer isso. Leio milhões de fics e eu sei bem como é isso. Mas aí que está, 5 comentários. Preciso falar mais alguma coisa? É isso então? 5 pessoas sentiriam falta da fic? Ah gente, poxa, eu fico chateada com isso. Nem no outro capítulo eu tive mais comentários, nem aos 10 chegou! :( Bom, eu postei esse porque não achei legal deixar vocês tanto tempo sem capítulos. Então POR FAVOR, comentem! Amo vocês, obrigada por tudo! <3

Mil beijos,
Bruna.

23 de nov de 2012

Importante, leiam

Oi, gente! Bom, eu vim aqui dar um aviso. Eu tomei essa decisão de uma hora para a outra, por isso não é nada confirmado! Eu percebi que muita gente parou de vir aqui, parou de comentar. Eu sei que não pararam de ler porque eu tenho o número de visitas ao blog, a cada página, e consigo saber que é preguiça mesmo, ou não sei... :( O que eu quero dizer a vocês é o seguinte: eu fiquei um tempinho sem escrever, durante esses últimos dias, porque realmente a inspiração não vinha! E eu prefiro mesmo esperar ela vir do que desapontar vocês. Eu estou em semana de provas, mas jájá entro de férias. Não que eu vá me matar de estudar, porque eu já até passei, mas não da pra tirar nota baixa :/ A fic não me atrapalha em relação a isso, mas quando eu sei que tenho um capítulo a postar, eu fico com isso na cabeça e como a criatividade nem sempre vem, eu fico completamente "presa" a essa coisa de "tenho que escrever". Eu quero um tempo, é isso. Entro de férias semana que vem e preciso sim dessa "pausa". Eu não sei de onde surgiu a coragem pra fazer isso, nunca pensei que escreveria isso, mas se vocês estivessem realmente empolgados com a fic e comentando conforme visitam as páginas, eu poderia pensar melhor. Mas tudo bem, eu ainda vou pensar. Então por favor, comentem no último capítulo que eu postei e talvez eu poste outro. Vamos ver no que vai dar. Whatever, se eu decidir tomar realmente esse "tempo", eu prometo voltar semana que vem, ou o mais rápido possível. NÃO me abandonem de novo, eu IMPLORO! Não é nada definitivo, repito, então NÃO leiam isso e pensem: "ah, ela vai ficar um tempo fora". Em vez disso, comentem haha Mais uma vez, obrigada, muito obrigada mesmo à todos aqueles que comentam, que me apoiam e que eu amo muito. É por vocês que eu ainda não decidi nada, por vocês que eu ainda vou pensar. Me desculpem. Por isso e por demorar para postar ultimamente. Lembrem-se, basta comentar e não esquecer de mim. Não é nada definitivo!
Querendo falar comigo, twitter > WithJemiJonato :)

Amo vocês, demais! <3 Obrigada!
Beijos,
Bruna.

20 de nov de 2012

Respostas

Hey! Faz um tempinho que eu não respondo vocês, né?! :/ Desculpem :( 

Sammy- Obrigada por tudo, mesmo! Pelas divulgações, pelos comentários perfeitos, por seus capítulos perfeitos também haha e por tuuuudinho mais! <3 hahaha esquentou, né? Uai nem eu lembraria...hehe Postei, espero que tenha gostado! Eu achei esse capítulo ruim, but... mil beijocas <3
Inca- Heeeeeey *-* Saudades de você :( Obrigada!! Postei, linda! Espero que goste! Beijos *-*
Alessandra- Awwn obrigada! haha muita gente achava... vocês são loucas por hot, hein?!?! ~~também sou~~ hehe postado! Beijos <3
Bruna- Awn música perfeita, né? Tem mais da Selena vindo por aí... hehe *-* Eu também quero um namorado assim... acho que quando eu escrevo essas coisas é sempre pensando se existe menino perfeito assim... U.u haha eu ameeeei essa parte também! haha eu sei que eu que escrevi, mas amei *o* Enganei vocês U.u lalalala sim, ela é virgem :) ~~ não por muito tempo~~ muahahaha :)
Thais- Omg! Obrigada, linda! Beijos, espero que goste! *-*
Carol- Meu amor, eu preciso falar com você! Não te vejo mais pelo twitter :( Esses dias eu fiquei até tarde, mas você não apareceu :/ Pior que hoje nem vai dar, aula amanhã... :( Mas eu VOU falar com você, tá? Não aguento te ver assim! :( Obrigada, meu amor, por tudo! Você é maravilhinda! <3 Esquentou, né?! hehehehe \O Hum... espera um pouquinho só pelo hot... vou tentar colocar ele o mais rápido possível... já tenho meus planos muahahaha *-* Te amo muito, bebê! <3 Fica bem, por favor!
Love is louder...- awn obrigada!! haha postado! Beijinhos! *-*
Maria- Heeeeeeey \O ownt obrigada! Espero que tenha gostado! :) Beijoooos!
Bia- Minha lindaaaaaa *-* Enganei a todos, sou d+! U.u hahaha -sqn. Com certeza, esquentou... e a tendência é só esquentar muahahaha  awn linda, obrigada, de verdade! Esses seus comentários me matam! *o* Awn quem não ama essa música, né? haha obrigada mais uma vez, por tudo! Fico super mega hiper feliz que você amou assim! <3 Postei, espero que goste! :) Te amo, baby! <3

Galerinha, faltou divulgar esse blog super fofo! Mini Fics.: Jemi entrem lá! Ela provavelmente já vai começar a fic! :) 

Então é isso! Se eu não divulguei algum blog, basta pedir de novo que eu divulgo, tá?! Sem problemas! É que as vezes, como eu não consigo responder sempre aos comentários, eu esqueço :/ Sorry :(

Beijinhos,
Bruna <3


Chapter 13


Stay Strong

                                                                              "You're right..."


-Está linda..._ ele disse encantado, observando-a enquanto Demi descia a escada.
-Obrigada_ um sorriso sincero formou-se nos lábios da menina_ Acho que podemos ir...
-Claro_ Joe estendeu a mão para que ela segurasse. Ao pisar no último degrau, seus lábios se encontraram_ Eu te amo muito, sabe disso, né?
-Eu tenho certeza_ garantiu_ Tudo que você já fez por mim... não preciso de mais provas.

"Today was a fairytale
You were the prince
I used to be a damsel in distress
You took me by the hand and you picked me up at six
Today was a fairytale"

O menino pegou-a no colo, tirando os pés da menina do chão conforme a segurava, girando-a no ar antes de voltá-la ao chão.

-Princesa.
-Príncipe.
De mãos dadas, o casal entrou no carro, em direção ao shopping. Seria uma bela noite.
-Hey, Demi_ ele chamou, percebendo que a menina estava quase que em outro mundo_ Alô, planeta Terra chamando...
-Estou aqui_ riu sem humor.
-Ficou quieta de repente_ ele deu de ombros_ Pensando no que não devia?_ sugeriu.
-Talvez... Já estamos chegando?_ fez uma careta.
-Ta parecendo aquelas criancinhas "já ta chegando?" "quanto tempo falta?" "ta perto?"_ ele fez uma voz engraçada, arrancando um riso da menina_ Dems, você sabe onde fica o shopping. Vai nele quase todo dia.
-Ah_ bufou_ Eu estou com a cabeça em outro lugar_revirou os olhos.
-Aconteceu alguma coisa?_ ela negou rapidamente_ Então é uma boa hora pra perguntar porque você saiu daquele jeito lá de casa hoje?
-Hummm..._ murmurou pensativa_ Não.
-Tudo bem_ forçou um sorriso, voltando sua concentração para a pista.

O restante do caminho foi um pouco estranho. Não era como se algo incomodasse algum deles, mas apenas parecia que a conversa e o clima haviam terminado ali, com aquela pergunta.
Antes que Demi pudesse sair do carro, Joe deu a volta, abrindo a porta para a menina. Ela se virou, pronta para sair, quando ele jogou seu corpo para frente, fazendo-a inclinar-se para trás.
Joe segurou firme na cintura dela, roçando seus lábios.

-Eu te amo, e acho que o dia hoje já fui muito complicado, eu não quero complicar mais_ afirmou_ E não precisa ficar estranha comigo_ sorriu_ Vem.

"But can you feel this magic in the air?
It must have been the way you kissed me
Fell in love when I saw you standing there"
...
Joe e Demi sentaram-se nas últimas poltronas do cinema, buscando o máximo de paz e tranquilidade possível. Queriam um momento apenas para eles, sem nada nem ninguém que pudesse atrapalhar. Demoraram cerca de alguns segundos até que se acomodassem um nos braços do outro. O filme era o que menos importava quando as luzes se apagaram.

-Vou ser sincero com você_ ele sussurrou no ouvido da menina, prendendo o riso_ Eu não faço ideia de que filme é esse.
-Como...?!?! Eu te deixo um segundo sozinho, para ir ao banheiro e você compra as entradas pra um filme que você nem sabe o nome?_ O.o ela não pode evitar o riso.
-O filme não importava, Demi_ ele brincava com os dedos dela_ Podíamos ter ficado na sua casa, eu disse_ deu de ombros, arrancando uma gargalhada da menina.
-Bom, sabendo ou não que filme é, já estamos aqui mesmo, só nos resta ver se você foi bom na sua "não escolha"_ sorriu.
-Ah, quer mesmo ver o filme?_ ele revirou os olhos_ Qual é a graça de ir ao cinema com a sua namorada e ver o filme?_ perguntou, trazendo-a para mais perto.

Ambos riram juntos com a pergunta que acabou ficando no ar. Não houvera tempo para responder, Demi apenas sentira os lábios quentes de Joe em contato com os seus, levando-a até outra dimensão, em um beijo cheio de carinho e desejo.
Joe sentia as mãos geladas da menina em sua nuca, correspondendo ao beijo. Ele ainda percebia que ela ficava nervosa, mas já se dera conta de que era algo normal. Era um nervosismo apenas pela companhia dele, isso já a deixava sem saber muito bem o que fazer.
Não era nada legal dar aqueles amassos no cinema com o braço da cadeira os atrapalhando. Então depois de levantá-lo e acabar com aquela pequena "barreira" entre seus corpos, Joe pressionou Demi contra si, segurando sua cintura. Eles se beijavam apaixonadamente, e o menino queria sempre ela mais próxima. Ele segurou-a com delicadeza, no desejo de puxá-la mais para perto de seu corpo.

-Ei, para!_ ela sussurrou, rindo em meio ao beijo. Não era uma simples brincadeira, mas ele apenas queria colocá-la em seu colo_ Ficou maluco?_ perguntou com um sorriso tímido no rosto.
-Óbvio que não_ ele se afastou um pouco, sorrindo em sua direção. Ele acariciava as maçãs das bochechas de Demi enquanto a menina sentia elas fervendo com seu toque_ Qual o problema? Senta aqui_ pediu.
-O que vão pensar da gente?
-Sinceramente, não me importa. Mas se insiste em saber, podemos tentar descobrir da maneira mais fácil_ sussurrou maliciosamente_ Dem, não vamos fazer nada demais_ tirou o tom brincalhão da voz, dizendo suavemente_ Só... vem cá_ segurou sua mão.

Eles sussurravam para não serem ouvidos, mas os risos naquela sala provavelmente impediriam qualquer um de perceber um ruído sequer vindo do casal. Demi balançou a cabeça em reprovação, com um leve sorriso no rosto. Era estranho, mas ela ainda encarava tudo aquilo como uma amizade entre eles e talvez não fosse a mesma coisa para Joe.
Então sentou-se no colo do menino, inocentemente, enquanto o mesmo apoiava suas mãos na coxa dela, beijando-a novamente. Pensando bem, ela sentia-se na vontade de apenas ficar abraçada com ele, segura em seus braços. Sentí-los ao seu redor, o calor do corpo de Joe invadindo o seu. Esse desejo a fez diminuir a intensidade dos beijos, mas não separando seus lábios. Porém logo ele o fez.
Era realmente impressionante. Joe parecia entendê-la sem que Demi precisasse fazer absolutamente nada. Ela apenas pensava, sentia algo e lá estava ele, parecendo sentir também.
Ele a envolveu com seus braços, exatamente como ela desejara. Passando proteção, aquele calor incomum que percorria a menina dos pés a cabeça... passando carinho.

-Não é possível, você escolheu um filme cheio de besteira, Joe!_ ela sussurrou, gargalhando. Ainda assim o filme era hilário.
-Não tem nada de mais_ deu de ombros_ É 16 anos, você já passou dessa fase e eu também_ riu.
-Tá, já passamos dessa fase, mas precisava um filme onde só tem sexo? E você ainda pagou por isso_ revirou os olhos.
-Ah Demi, aproveita e aprende_ disse em tom brincalhão. Foram cerca de... dois segundos até ele se arrepender profundamente daquilo_ Desculpa_ pediu olhando-a.

A expressão da menina não podia ser outra. Não era para que interpretasse como "já que você não sabe nada sobre o assunto, vê se aprende", mas ela entendeu assim. Na sua cabeça, era isso que ele queria dizer mesmo, era verdade.
Joe sabia o que ela acharia sobre o comentário, mas não pensou antes de falar. O menino também não demorou para perceber a burrada que fizera, e, se pudesse, desejaria que aquilo tivesse permanecido em sua cabeça, apenas em sua cabeça.
Por outro lado, ela pensou em Lucy, na conversa que tiveram. Pensou em como tudo aquilo que saiu da boca da menina podia ser verdade. Lembrou-se também do dia no parque, quando falou com Joe como se sentia sobre o assunto. E era exatamente nisso que ele pensava nesse exato momento, em como ela se sentia e em como ele havia sido um completo idiota agora.

-Você está certo_ ela disse, simplesmente, com a cabeça baixa. Tentou deixar o colo de Joe, não em um gesto de birra, mas apenas para voltar ao seu lugar. Porém como o esperado, ele não deixou.
-Não!_ ele disse nervosamente_ Dems, era brincadeira, desculpa_ pediu_ Não era o que eu queria dizer....
-Ei, da pra fazer silêncio aí?_ alguém pediu, virando-se para trás.
-Não se mete, amigo_ Joe disse rapidamente, voltando-se para Demi_ É sério, não foi pra interpretar assim.
-Como queria que eu interpretasse?_ ela questionou calma. Não estava irritada nem nervosa, apenas chateada por saber que realmente era verdade. O problema não era necessariamente Joe, e sim ela.
-Mas que..._ ele bufou, controlando-se para não demonstrar ali o quanto se odiava nesse exato momento_ Você não quer mesmo ver o filme, não é?!_ não foi uma pergunta_ Vem comigo, então_ segurou a mão dela, trazendo-a junto com ele.
Saíram daquela sala sem ao menos se olharem. Não dava para discutir lá dentro_ na verdade eles não queriam discutir, apenas concertar aquilo_ e já que o filme não agradava a ela, Joe não fazia mesmo questão de continuar assistindo.
-Você não deveria me pedir desculpas por falar a verdade_ ela murmurou, sem encará-lo. Não tinha essa coragem.
-Não era verdade, meu amor_ Joe suspirou, falando docemente_Demi_ chamou quando viu a menina andando um pouco, distanciando-se. Ela não estava indo embora, apenas parecia querer ficar sozinha ou respirar um pouco.
-Ta tudo bem, Joe_ disse_ Só me deixa... aqui_ ela levou uma das mãos ao cabelo, piscando os olhos freneticamente.
-Pelo amor de Deus, eu não queria estragar tudo_ disse agoniado_ Me perdoa_ se aproximou_ Eu te amo, Dems, sabe disso. Porque vai deixar uma brincadeira infantil e idiota, feita por um idiota maior ainda, te abalar?
-Porque veio de uma pessoa que eu amo_ ela virou-se para ele_ E às vezes isso muda tudo, Joe.
-Você acredita em mim?_ ele perguntou, de frente para a menina_ Olha pra mim_ segurou sua nuca.
-Não acredito se for pra você dizer que era mentira_ a mão dela foi parar imediatamente sobre a dele.
-Mas que saco, Demi!_ bufou_ Não era pra eu ter dito aquilo, saiu da minha boca, foi sem pensar! Eu errei? Errei. Você pode ficar chateada comigo pelo que eu falei, mas não pode achar que é verdade.
-Não estou chateada com você_ sussurrou. Nem um pouco convincente. Mas talvez ela falasse sério_ É sério.
-Mas está acreditando que aquilo é realmente o que eu penso_ revirou os olhos.
-Eu estou chateada comigo mesma. Você sabe muito bem porque. Mexeu comigo, Joe, por mais que eu não quisesse. É complicado quando eu penso que...._ suspirou_ Ah, esquece isso.
-Para com isso, por favor_ ele já estava irritado consigo mesmo_ Eu juro que nunca te falaria isso se tivesse pensado antes, Demi. Foi uma brincadeira de mal gosto, eu não devia ter feito isso_ bateu na cabeça com a mão, passando-a em seu cabelo.
Demi desviou o olhar e sentou-se em um banco que estava a apenas alguns passos deles.
-Joe, você... é meu melhor amigo a séculos e eu queria te pedir uma coisa_ ela disse cabisbaixa, ele se aproximou_ Não mente pra mim. Pode me falar o que quiser, desde que seja sincero.
-Tudo bem_ ele concordou_ Antes de tudo_ ele sentou-se ao seu lado_ Isso não tem nada a ver com o nosso namoro, tá?_ ela assentiu_ Eu errei como seu amigo e não quero que você leve isso pro outro lado_ pediu_ Eu vou ser sincero com você_ respirou fundo_ Quando eu falei aquilo, a única coisa que me veio na cabeça foi fazer uma brincadeira com você por conta... do nosso namoro. Eu sei que eu te disse que não era por causa diss0, e não é mesmo. Mas foi o que eu pensei.
-Se você pensou é porque era verdade. Pensou em mim como sua namorada e...
-Não_ ele a interrompeu_ Pensei em você como a Demi que eu conheço e sempre conheci. O que eu quero te dizer é que ta, eu disse isso porque eu sabia que você realmente não tinha experiência_ ela abriu um sorriso tímido, triste_ Me escuta primeiro_ ele virou a cabeça da menina em sua direção novamente_ Estou sendo sincero com você. Mas e daí? Demi, você levou isso para um outro lado, você pensou muito além de mim. Foi errado, eu não devia ter brincado assim, eu sei. Mas entende uma coisa, eu não queria te "julgar" como você está pensando.
-Eu sei que não_ sussurrou com a voz trêmula.
-E também sabe que eu não ligo pra isso_ lembrou-a suavemente_ Todo mundo precisa aprender um dia..._ afirmou_ e todo mundo precisa de alguém que ensine_ abriu um sorriso doce_ Me desculpa, por favor. Não era a minha intenção. Você é perfeita, Demi, eu já te disse isso. E não é porque você nunca transou com ninguém que isso vá mudar alguma coisa. Pelo amor de Deus, isso é o de menos.

Ele a encarou profundamente. Seu olhar não revelava nada, apenas uma expressão vazia. Joe queria tirar aquilo e poder ver novamente aquele brilho radiante naqueles olhos que o cativavam. Com uma de suas mãos ele segurou dela. Demi voltou seus olhos para Joe, forçando o melhor sorriso que conseguira.

-Acredito em você, ta tudo bem_ ela sussurrou, apertando mais sua mão contra a dele, sentindo o carinho.
O menino colocou seu braço ao redor dela e se aproximou, dando-lhe um beijo demorado na extensão do pescoço e depois na bochecha da menina.
-Jura que não vai se preocupar com as besteiras que eu falo?_ perguntou_ Você sabe que eu só falo o que não devia.
-Joe, pelo contrário_ ela riu revirando os olhos_ O que você me fala tem mais importância do que qualquer outra coisa_ afirmou_ E não são besteiras.
-Tudo bem, mas quando eu falar alguma idiotice, ignora, tá?_ riram_ Me desculpa_ enterrou a cabeça no pescoço dela, dando um braço.
-Já de desculpei_ ela sorriu_ Mas será que a gente pode ir embora daqui?_ fez uma careta_ Ou ir pra outro lugar?
-Aconteceu alguma coisa?_ segurou a mão dela, levando-a junto enquanto se levantava. A menina negou sorrindo_ Então vamos.
***

Continua...
Ah, gente, a criatividade foi zero nesse capítulo, eu não gostei muito não... :/ Obrigada pelos comentários, vamos continuar assim, tá?! Por favor! Eu sei que estou demorando um pouco para postar mas estou esperando comentários e esperando a criatividade também...o tempo me falta, fim de ano, semana de provas... whatever, espero que tenham gostado! :-)

Mil beijocas, 
Bruna *-*

17 de nov de 2012

Chapter 12


Stay Strong

                                                                                     "Who says?"



Joe chegou em casa tentando se livrar daquilo que ocupava sua cabeça. Sabia que deveria ficar lá com Demi, mas também duvidava de como ficariam as coisas por lá se ele não parasse um pouco para colocar as ideias no lugar.
O dilema era o seguinte: não podia contar nada aos pais de Demi, muito mesmo agora que as coisas lá estavam péssimas dessa forma_ isso só pioraria a situação. Mas seu coração não conseguia fingir que nada daquilo tinha acontecido. Ele não conseguia esquecer.
Da outra vez havia sido a mesma coisa. O choque e a surpresa foram os mesmos, mas o fato de a menina ter garantido que só fizera uma única vez e jurava não fazer mais, o deixara mais calmo. Agora era como se ele quisesse acreditar novamente nela, e até acreditava, mas tinha medo de que isso se tornasse algo mais sério e ameaçador. Não era nenhum expert no assunto, mas sabia que se não controlada, poderia evoluir até não ter mais jeito. Daí ele nem queria imaginar o que poderia acontecer.
Gostaria de poder voltar até ela e dizer novamente aquele simples e milagroso: "Vai ficar tudo bem", dizer até que suas palavras se tornassem realidade. Mas a verdade era que não sabia como lidar com a menina. Pela primeira vez em sua vida, sentia-se mais abalado do que ela. Quando pensava em sua expressão ao ser deixada, uma dor no peito aparecia e ele se arrependia. Das palavras grossas, da expressão seca, de ter ido daquela forma. Ele precisava pensar, apesar de saber que no fim, não chegaria a nenhuma conclusão; e ela precisava descansar, se acalmar, e como Joe tinha receio de que sua presença_ apesar de acalmá-la_ a deixasse mais nervosa e culpada, preferira dar um tempo a menina.
Já ela, queria Joe ao seu lado, isso era óbvio. Ficara frustrada com a saída repentina dele, mas entendia seu lado. Ela também ainda estava em choque pelo que havia feito. Realmente não pensara antes de fazer aquilo. Depois da conversa com Lucy, não conseguiu se controlar e já saiu da casa de Joe aos prantos. Essa menina não deveria causar esse impacto em Demi, mas ela sentia que precisava desabafar com alguém... ou de alguma forma. E foi o que ela fez.
Agora, deitada na cama, refletia sobre o ato desesperado e equivocado. Não lembrava de se sentir tão vulnerável ou sensível como nesse momento. Tão carente.
A primeira coisa que veio em sua cabeça foi ligar e implorar para que ele voltasse, para tentar ao menos entender o que estava acontecendo, porque Joe estava tão incomodado. Por impulso, discou o número.
Chamou algumas vezes, antes de cair na caixa postal. Não quis deixar recado, esperava que ele retornasse a ligação quando visse. Precisava dele mais do que nunca agora.
As poucas palavras que foram ditas por ele voltaram à sua mente algumas vezes, até que ela decidiu fechar os olhos e respirar algumas vezes. Foi pouco até pegar no sono. Um cochilo que não durou muito, ela não conseguira dormir profundamente, não com tantas coisas em sua cabeça.
Acordou claramente mais calma, com a consciência menos pesada. Até encarar o visor do celular. Nenhuma chamada.
O que estava acontecendo? O que era aquilo? Uma espécie de briga, coisa do tipo? Ele não parecia irritado, nem decepcionado. Apenas... nervoso, disso ela sabia.

***

-Já vou_ gritou, pouco preocupada se a pessoa do outro lado da porta ouvira.

Andou preguiçosamente até sua mão encontrar a maçaneta. Apesar de colocar em sua cabeça que era quase impossível ser Joe, a menina ainda tinha aquela coisinha dentro de si, esperança. O que, no fundo, funcionava. Sussurrou um "Oi" confuso e inesperado, enquanto sorria largamente. Seu coração batia forte e ela descartou qualquer possibilidade de ele estar chateado ou tê-la abandonado ao ver o sorriso se formando em seus lábios.

-Oi, meu amor_ se aproximou com calma, segurou a nuca da menina e juntou seus lábios. Como ambos sentiam falta disso, como apenas algumas horas causavam tanto desconforto.

Demi deixou que suas mãos tocassem o rosto macio de Joe, aproveitando cada segundo daquele suave e delicado beijo.

-Não esperava te ver aqui...- comentou, puxando-o para dentro de casa.
-Ué, esqueceu do nosso cinema?_ Joe perguntou, com toda certeza ela havia esquecido, seu rosto revelava isso. Mas também não imaginava que ele se lembrasse e nem que ainda quisesse aquilo_ Se você não quiser, nós podemos ficar por aqui mesmo... vendo um filme, ou qualquer coisa. Se quiser ficar sozinha também..._ deu de ombros.
-Não, quero que fique comigo_ ela garantiu com aquele sorriso sincero_ É que eu achei que não fôssemos mais... achei que tivesse deixado pra lá.
-Eu não esqueci...._ disse_ Desculpa, tá?_ fez uma careta, sentando-se no sofá e levando a menina até seu colo_ Eu não queria ter te deixado aqui_ admitiu_ Você deve ter pensado... muita coisa_ riu sem humor_ Mas nada é verdade, ok? Eu te amo, muito. E não, não fiquei chateado nem nada, isso é ridículo, eu não tenho esse direito. Tenho o direito de me preocupar e foi o que aconteceu, eu só queria um tempo_ explicou.
-Ta tudo bem, de verdade_ sorriu_ Eu fiquei... com medo de você ficar magoado comigo. No fundo eu sabia que não tinha motivos e que você não estava, mas foi complicado... entender.
-Como você está?_ colocou uma mecha do cabelo da menina para trás da orelha.
-Bem, muito melhor agora_ sussurrou_ Eu só precisava de um abraço seu_ se encolheu em seus braços enquanto ele a abraçava.
-Ficaria assim para sempre, mas vamos perder a sessão_ ele riu_ Sei que demora para se arrumar...
-Opsss, eu já volto_ deu um beijinho estalado na bochecha de Joe.

***

Joe aguentou quanto tempo conseguiu. E não foi tanto tempo assim. Depois de quase vinte minutos ele subiu a escada. Não ouvira sequer um barulho desde que Demi subira e já fazia algum tempo. Se ela não estivesse pronta, provavelmente estaria nos últimos detalhes. O menino queria vê-la se arrumar.
Entrou silenciosamente no quarto. Observou atentamente à menina. Seus olhos foram direto para ela. Para sua surpresa, Demi não estava pronta. Longe disso.
Em frente ao espelho, apenas de lingerie_ novamente_ ela se olhava de todos os ângulos possíveis, tentando encontrar algum defeito naquele corpo emoldurado, perfeito. Joe via isso. Via também que a expressão em seu rosto era de desgosto. Ele não demorou muito para se aproximar delicadamente e abraçá-la por trás.

"You made me insecure
Told me I wasn't good enough
But who are you to judge
When you're a diamond in the rough
I'm sure you got some things
You'd like to change about yourself"

Demi não sabia que ele estava ali, mas não teve muita reação ao sentí-lo perto. Ela abaixou levemente a cabeça, envergonhada. Pelo que estava fazendo, principalmente. Mas Joe apenas sorriu e encarou aquele reflexo no grande espelho.

-Ta vendo essa menina ali?_ perguntou, depositando a cabeça entre o pescoço e o ombro de Demi. Apontou para sua imagem, fazendo-a olhar. A menina apenas assentiu_ É a menina mais linda que eu já vi_ garantiu_ em toda a minha vida.

Acariciou a barriga destampada da menina e beijou delicadamente seu ombro. Demi se encolheu um pouco com o toque, mas a sensação era incrível; uma leveza, algo confortável.

-Você não vai acreditar nisso, eu sei_ ele deu de ombros_ Mas deveria, porque eu não minto para você. Demi, você é perfeita.

-Ninguém é perfeito, muito menos eu. Às vezes eu tenho certeza de que você é, mas não eu_ bufou.

"Who says you're not perfect?
Who says you're not worth it?
Who says you're the only one that's hurting?
Trust me
That's the price of beauty
Who says you're not pretty?
Who says you're not beautiful?
Who says?"

-Quem disse que você não é perfeita? Sim, você é_ reafirmou_ Com todas as suas imperfeições. Elas te fazem perfeita. Mas sendo sincero, eu não vejo imperfeição nenhuma aqui. Você é linda, gostosa, você é tudo que uma menina quer ser_ riu junto com ela_ E tudo que um menino quer_ sussurrou de forma mais sensual em seu ouvido_ Mas não é por isso que eu estou com você_ piscou. Ela gargalhou.

Ela gostava da forma como ele mudava repentinamente o clima, deixando tudo sempre mais agradável.

-Você consegue colocar a auto-estima de qualquer um lá em cima_ ela disse, se encolhendo mais naqueles braços.
-Você é linda, Demi. E eu só quero que você enxergue isso_ pediu_ As suas qualidades são inúmeras, nem que eu ficasse a vida toda aqui falando seria suficiente. O seu jeito, o seu sorriso, o seu corpo_ deu ênfase_ Tudo é incrivelmente tentador_ riram_ A sua beleza é exterior e interior, a gente não encontra isso todo dia, meu amor.

"It's such a funny thing
How nothing's funny when it's you
You tell 'em what you mean
But they keep whiting out the truth"

-A gente também não encontra alguém como você todos os dias_ sussurrou_ Sinceramente? A única coisa da qual eu tenho certeza é que eu sou a pessoa mais sortuda do mundo por ter você comigo.
-Eu te amo muito_ beijou-lhe no pescoço_ Tem uma única razão pela qual eu te amo tanto, eu posso resumir tudo dizendo que você é uma garota incrível, maravilhosa, fantástica. E eu quero conseguir fazer com que você se sinta bem, porque não existem motivos para você se... castigar tanto.
-Obrigada_ ela sussurrou, virando-se para abraçá-lo, escondendo seu rosto em seu peito.

"It's like a work of art
That never gets to see the light
Keep you beneath the stars
Won't let you touch the sky"

-A melhor coisa que eu fiz na minha vida foi conhecer você_ ele disse_E eu vou fazer isso valer a pena. Sempre.

Joe segurou a cintura da menina, deixando seus dedos deslizarem pela pele dela. Queria sentí-la, admirá-la, beijá-la. Seus lábios se juntaram intensamente, sem mais delongas. Sorriam entre o beijo, um sorriso apaixonado de ambas as partes. Joe e Demi não conseguiam esconder o que sentiam um pelo outro, mas também não precisavam.
Quando deu conta de si, a menina já tinha seu corpo contra a parede gelada, pressionado por Joe. Aos poucos, ela percebia como as coisas entre eles estavam mais íntimas, como o desejo crescia a cada momento, como era diferente de quando o que tinham era apenas aquela amizade. Era como de manhã, na cozinha de Joe; só que dessa vez ela não estava completamente vestida, o que causava certo receio de sua parte, já que sentia o toque de Joe por todo seu corpo, em contato com sua pele.
O menino deslizava sua mão pela lateral do corpo de Demi enquanto beijava calmamente o pescoço dela. Sua vontade era tirar de uma vez aquilo que ela vestia, ele não podia negar, mas devia se controlar, apesar da ideia ser bem tentadora.
Tudo acontecia muito calmamente, suas línguas brincavam juntas até ele decidir segurá-la e levantá-la. Dessa forma, suas pernas ficaram presas na cintura do menino, enquanto suas mãos continuavam depositadas nas coxas dela.
Demi podia até sentir seu estômago revirando de ansiedade, sua respiração completamente descontrolada. Aquilo era novo para ela, nenhum relacionamento havia chegado nem perto disso que vinha acontecendo entre eles. Mas o que ela podia fazer? Mentir pra que? Ela amava a sensação.
Joe também estava ansioso, por tudo que poderia acontecer. Ele já havia ficado com muitas, isso era certo, também havia feito coisas que iam muito além de alguns beijos, mas agora era completamente diferente. Demi não era uma daquelas ficantes para jogar fora depois, e nem uma namorada qualquer; era sua princesa, sua melhor amiga, sua Demi; o que definitivamente tornava tudo mais... interessante.
Beijos a parte, o carinho que ela fazia era reconfortante. Aos poucos, ela ia se acostumando como ele, deixando que suas mãos percorressem o cabelo de Joe, seu rosto, sua nuca. Deixando-se levar. Isso era bom.
Ela juntou seus lábios com entusiasmo, apertando levemente o braço do menino, que, por sua parte, correspondia juntando mais seus corpos. Direcionou calmamente seu rosto para o pescoço dela, dando algumas mordidas ali.

-Assim nós vamos mesmo perder a sessão_ ela riu, sussurrando em seu ouvido.
-A sessão é o que menos me importa agora_ disse da mesma forma_ Podemos fazer outras coisas...
-Puxa vida, que pena!_ ela disse cínica_ Eu estou super animada para ver o filme!_ se afastou com tranquilidade, indo até o closet. Simplesmente como se nada tivesse acontecido.
-Ah, você nem sabe qual é o filme!_ disse derrotado, virando-se para ela.
-Isso é o de menos_ deu de ombros.
-Você é muito boba, sério_ riram juntos, enquanto a menina recebia um último beijo no pescoço_ Se arruma, então_ sorriu.
***

Continua...
Muahahahaha enganei vocês? Acharam que seria hot?! hehehe opssss :P Awwwwn 13 comment's! Gente, eu fiquei tão feliz *-* Muito obrigada, de verdade! Eu vi que teve uma pessoinha que disse que achou o blog pela indicação do blog da Sammy! So... thanks, Sammy! Você é incrível, meu amor! Obrigada a todos que já indicaram o blog também, amo vocês, muito obrigada mesmo! \O Continuem comentando, tá? Eu estou ainda com algumas dificuldades pra escrever :/ but eu vou fazer o meu melhor! ;)

Mil beijos,
Amo vocês!
Bruna <3



15 de nov de 2012

Chapter 11

Stay Strong


                                                               "I don't know what to do"


-Demi_ ele chamou, entrando no quarto da menina, preocupado. Ela não havia dado satisfações ao sair de sua casa, nem havia atendido o celular.
Tudo parecia vazio, em um silêncio incomum, se não fosse aquele som vindo do interior do quarto. Ou melhor, do banheiro.
O choro era abafado, porém intenso. Ele não pensou duas vezes antes de entrar ali sem ao menos avisar.
-Demi!_ gritou assustado, ao vê-la no chão, debruçada sobre o vaso sanitário. Ele sabia muito bem o que ela havia feito, mesmo que agora a menina só estivesse aos prantos, com a cabeça entre as mãos. Ela o encarou rapidamente, seus olhos arregalados. Se não fosse o nervosismo e a angústia, ele teria percebido que ela estava só de lingerie. A menina abriu a boca para falar alguma coisa, mas nada saiu. Ela também parecia não saber o que falar. Joe aproximou-se, rapidamente, ajoelhando-se ao lado dela_Demi..._ ele estava atordoado com aquilo.
-Me desculpa_ foi o que saiu, com muito esforço, entre as lágrimas que desciam.
Seus braços foram logo parar em volta do pescoço de Joe, que abraçou a menina do melhor jeito que podia. Sustentou-a em seus braços, apertando com força. Tinha a terrível sensação de que se soltasse, ela desmoronaria.
-Eu achei que você.... tivesse parado_ ele sussurrou. Sabia que não deveria falar nada por enquanto, mas não podia controlar o que sentia.
-Eu parei, juro_ garantiu_ Eu te juro, eu parei, eu parei_ o choro só aumentava enquanto ela repetia aquilo. Precisava que ele acreditasse.
-Eu acredito em você, calma_ pediu_Já passou, ta tudo bem_ acariciou o cabelo dela, beijando sua testa.

Então a menina desabou em seus braços, sem mais forças para continuar se sustentando. Joe não conseguia pensar em nada direito, muita coisa vinha em sua cabeça. Desde a primeira vez em que soube que ela havia feito isso até agora. Ele achava que as coisas tinham mudado. Não pensou que fosse algo que aconteceria de novo, não depois de tantas conversas com a menina, e agora sabia que precisaria fazer alguma coisa, só não sabia ao certo o que.
Demi tremia em seus braços e o choro parecia nunca cessar. Suas mãos estavam presas na camisa de Joe, como garras e sua cabeça enterrada em seu peito. Ela não conseguia encará-lo nos olhos, estava assustada, com medo, se perguntando o que havia feito. Mas não seria agora que ela voltaria atrás. Não tinha esse poder.
Ele acariciava as costas da menina, segurando-a e sentindo aquela dor dentro de seu coração. Ouví-la chorar acabava com ele e ainda mais por um motivo desses, onde ele, pela primeira vez, tinha medo de falar alguma coisa. Porém não poderia ficar abraçado a ela para sempre, sem ao menos abrir a boca.

-Calma, meu amor_ ele pediu com um sussurro. Agora não era como quando ela chorava por causa de uma briga dos pais ou por uma decepção, era algo mais sério, e Joe podia jurar nunca ter visto Demi daquela forma. Enquanto sentia a pele da menina em contato com a sua, ele percebia que estava fraca, pálida. Sem forças nem mais para se segurar nele.
-Me perdoa, Joe_ ela sussurrou, quase que ele não entendeu suas palavras_ Eu não queria, se eu pudesse....
-Você não pode, Demi. Não da pra voltar atrás depois que se arrependeu. Fica calma, tá?_ o menino sentiu um pouco de grosseria em sua voz por um momento, mas era apenas a verdade, já era tarde. Ele não a culpava por isso.
-Por favor, eu sei que não devia...
-Você não tem que se desculpar comigo, nem me dizer que não queria_ Joe sussurrou suavemente_ Você precisa se acalmar agora, só isso.
Com delicadeza, ele ergueu seu corpo, levando Demi junto. Todo o corpo da menina tremia e ela mal conseguia se sustentar; a fraqueza era mais forte do que ela. Joe segurou a menina com força, enquanto sentia as mãos da menina presas em seus braços. Deitou-a na cama, mas Demi não conseguia_ nem queria_ soltar-se dele.
-Não me deixa aqui, eu..._ ela desabou novamente e a cada segundo era mais difícil entender o que ela falava, assim como era doloroso para ela falar. Não tinha ideia do que fazer, além de pedir as mesmas "desculpas" a Joe, como se o perdão dele fosse o que ela precisava para se perdoar também.
-Estou aqui_ ele forçou um sorriso_ Não chora, já passou_ Joe segurou firmemente a mão dela, enquanto terminava de deitá-la ali.

Sentado na beira da cama, ele deixava que seus dedos acariciassem a mão dela, carinhosamente. Demi estava mais calma, aparentemente, se controlava ao máximo. Ela sentia-se culpada, mas não completamente por ter feito aquilo, e sim porque havia prometido a Joe que nunca mais chegaria a esse ponto. Demi já havia passado por muita coisa ao lado do menino, coisa suficiente para ele saber que estava se tronando algo sério. Mas da última vez_ que ele imaginava que seria a última_ Joe acreditou que aquilo não se repetiria. Ela chorava desesperadamente por conta do medo que invadia seu corpo ao imaginar o que Joe estava pensando e o que ele faria. Estava decepcionada consigo mesma por ter o decepcionado. Era isso que a preocupava no momento, e não o erro que havia sido cometido. Para ela, isso não mudava muita coisa.

-Está mais calma?_ ele levou a outra mão até o rosto dela.
-Estou_ afirmou, desviando o olhar. A verdade era que ela não sabia como começar uma conversa com ele.
-Eu vou buscar um copo de água pra você, tá?_ se levantou, soltando calmamente a mão de Demi_ Eu já volto_ beijou o topo de sua cabeça carinhosamente.

Ele precisava pensar, esfriar a cabeça e tudo aquilo que estava sentindo. Seu coração batia forte enquanto ele se debruçava na bancada, com um copo de água na mão, bebendo-a. Joe realmente havia acreditado que ela havia parado; e não acreditava que Demi tinha motivos para isso agora. Não iria pressioná-la nem culpá-la; e por mais que estivesse decepcionado, preocupação era a palavra certa. Joe não estava chateado com ela e sim muito confuso sobre o que fazer.

-Eu sei que... decepcionei você_ ela disse respirando fundo, quando ele entrou no quarto. Demi já havia vestido uma roupa leve e estava de pé, com os braços cruzados e a cabeça baixa. Estava envergonhada pelo que fizera.
-Demi...
-Escuta_ ela pediu_ E eu me decepcionei também. Sei que te prometi que nunca mais faria isso e... eu jurei uma coisa que eu sabia que iria cumprir. Mas... fugiu do meu controle, Joe_ ela virou-se para ele, os olhos vermelhos e o rosto pálido_ Eu juro que não queria, mas foi a primeira coisa que veio na minha cabeça, foi inevitável. Quando eu vi, já..._ a menina apertou os olhos, colocando uma boa quantidade de ar para dentro.
-Eu estou preocupado com você, Demi_ ele se aproximou, sério_ Não estou chateado porque você me "decepcionou" ou porque tinha me prometido uma coisa que não cumpriu_ afirmou_ Eu te pedi que nunca mais fizesse isso para o seu bem, porque eu quero o seu bem. Não me importa se você não cumpriu a promessa, me importa que você fez isso.
-Eu não consegui, não consegui pensar direito_ ela sentou-se com calma na cama_ Me perdoa_ a menina segurou a cabeça com as mãos, escondendo o rosto.
-Bebe isso_ ele pediu suavemente, sentando-se perto a ela. Não disse mais nada a menina, enquanto ela tomava o líquido. Sua expressão era calma, mas também o clima era péssimo entre os dois.

Demi permaneceu calada por um tempo, sem entender muito bem o que acontecia. Ela brincava com o copo em suas mãos, um pouco chateada sim pelo comportamento de Joe. Ele não estava sendo grosso ou frio com ela, pelo contrário, era sempre doce, carinhoso e suave com suas palavras. Mas mesmo assim alguma coisa estava estranha, ela sabia que ele estava decepcionado. Demi preparou-se para levantar, mas o menino depositou uma de suas mãos sobre seu braço.

-Vem cá, vem_ chamou lentamente, envolvendo-a em um abraço reconfortante. Logo os dois estavam deitados na cama, Joe mexia no cabelo dela, brincando com suas mãos.
O carinho era reconfortante, ela se sentia protegida e não tão culpada. Todo aquele sentimento de medo e desespero desaparecia aos poucos, conforme ela sentia o toque do menino em sua pele.
-Gostoso aqui, né?_ ele perguntou, sorrindo enquanto usava sua mão para encostar a cabeça da menina em seu ombro. Demi estava encolhida, com a mão sobre o peito de Joe e se limitava a falar alguma coisa.
-É tudo que eu preciso_ ela sussurrou. Demi apenas se sentia bem com ele.
Beijando o topo de sua cabeça, ele se afastou um pouco, olhando-a nos olhos.
-Eu vou indo_ disse, acariciando aquele rosto que agora demonstrava claramente tristeza_ Daqui a pouco a gente se fala_ segurou a mão dela. Demi apenas assentiu com a cabeça. Na verdade aquilo era a última coisa que ela queria agora_ Ta tudo bem, Dems?_ perguntou carinhoso, preocupado.
-Sim.
-Eu só preciso fazer algumas coisas pra minha mãe_ disse_ Me parte o coração te deixar aqui_ sussurrou sincero_ Mas eu acho que você precisa de um tempo sozinha.
-Talvez você esteja certo_ murmurou.
-Você sabe como eu me preocupo com você_ suspirou_ E eu sinceramente não sei o que fazer, Dems_ confessou.
-Você não pode esquecer isso?_ fez uma careta.
-E tem como?_ questionou_ Eu esqueceria, se não fosse algo sério_ afirmou_ Por favor, descansa. Pensa um pouco_ pediu.
-O que você vai fazer, Joe?_ a possibilidade de seus pais saberem disso a assustava.
-Nada, eu juro_ forçou um sorriso_ Só fica bem, tá? Por favor.
-Tudo bem_ suspirou, deitando a cabeça no ombro do amigo novamente, antes dele se levantar.
-Não... faz nada, ta, Demi?_ pediu, receoso_ Você é incrível, eu te amo muito_ aproximou seus rostos_ Eu sei que... não é fácil. Mas é pro seu bem_ garantiu, abraçando-a. Logo se distanciou da menina, que continuava parada, sem uma resposta para dar.
- Joe_ chamou.
Ele se virou, encarando-a nos olhos. Demi havia permanecido onde estava, só que agora se encontrava de pé.
-Pode falar_ ele voltou um pouco, se aproximando.
-Eu juro que eu não vou fazer nada_ sussurrou_Eu prometo_ abaixou a cabeça. Ele voltou-se para a menina e beijou novamente o topo de sua cabeça, mas nada respondeu. Seu olhar não podia ser mais claro_ Não acredita em mim, não é?_ ela perguntou.
-Eu te amo_ foi tudo o que saiu de sua boca, antes de Joe deixar o quarto.

***

Continua...
Como puderam ver, esse capítulo não teve música... mas enfim, algumas pessoas já desconfiavam que a Demi faria isso, não é?! :/ Calma, gente. Posso pedir uma coisa? Comentem! Me perdoem pela demora, mais uma vez, mas por favor, comentem! Nem a 10 comentários está chegando, poxa! :( Obrigada, amo vocês!

Mil beijos,
Bruna <3