Visualizações

11 de set de 2012

Obrigada :)


Genteeee quase que eu escrevo "continua", sério! haha eu não acreditoooo que acabou, sério :((( Poxa... eu vou sentir tanta falta quanto vocês, juro mesmo. Escrever essa fic foi uma das melhores coisas que eu já fiz :((( Enfim, eu não vou escrever um texto imenso que nem no final de "do you remember" mas eu só quero pedir que acreditem em Jemi :3 Bem, por favor, comentem! Se você nunca comentou antes, por preguiça ou sei lá, eu peço que comente agora, por favor. Me diga o que achou da fic, num geral e desse final. E quis fazer uma coisa que emocionasse e eu, pelo menos, me emocionei bastante. Juntou o final, com 'when you look me in the eyes", com todo o resto... meu <3 não aguenta :0 Eu queria agradecer por tudo, porque vocês continuaram comigo independente de qualquer coisa, eu fiz grandes "amizades" por aqui, coisas que eu vou levar para o resto da minha vida e eu só tenho a agradecer mesmo. Vocês são incríveis, eu AMO MUITO TODOS VOCÊS! <3 E por favor, NÃO ME ABANDONEEEEM! Tá? Eu já sei qual será a próxima fic, já estou escrevendo e vou tentar postar o mais rápido possível! Não vou ficar muito tempo fora, tá? Eu venho aqui todo dia para ver se vocês falaram comigo hahahaha podem me procurar no twitter também... "@withJemiJonato" ;) Bem, as partes em negrito do epílogo e do último capítulo são as mais "marcantes", por causa do nome da fic e o nome do blog "don't leave me alone" haha :) Depois eu venho e falo mais detalhes sobre a próxima fic! Muito obrigadaaaaaaaaaaaa *-* 

EU ESPERO QUE TENHAM GOSTADO DESSA FIC!



Mil beijos, Bruna *-* See you soon ;)

Epílogo



 Be Yourself

-Joe, você é o próximo- a professora disse, fazendo um gesto com as mãos para que ele fosse à frente da turma, falar sobre a pessoa que havia tirado.

Era o dia do tal trabalho da escola_aquele que ambos haviam começado a fazer a muito tempo_ e Joe seria o próximo a ir lá na frente e falar sobre sua "parceira". O objetivo do trabalho era fazer com que eles se aproximassem, se conhecessem melhor, porém ao longo do tempo os dois simplesmente se esqueceram daquilo tudo e mantiveram suas atenções em outras coisas. 

O que eu quero dizer é que toda a turma tinha um papel na mão, onde estavam escritas algumas curiosidades, qualidades e defeitos, características, enfim, coisas que levassem ao descobrimento por parte da turma. Mas não Joe e Demi. Os dois não haviam se preocupado com isso e além disso, haviam também esquecido, porém isso não os preocupava, eles pareciam saber exatamente o que falar, mesmo sem terem planejado nada.

Joe se levantou com um meio sorriso e entregou o papel com o nome de Demi. Todos na escola sabiam que os dois namoravam, inclusive os professores, e todos presenciavam os momentos felizes e o amor que eles deixavam transparecer. Sabiam, também, que hoje era o aniversário de um mês de namoro oficial do casal mais querido da escola.
Ela sorriu ao receber o papel e lançou um olhar discreto para ele, que apenas riu. Sem precisar pensar muito, ele começou seu discurso.

-Bom, minha parceira- fez uma careta por achar esse nome estranho, e todos riram- É uma pessoa um pouco diferente. Eu acho que nenhum de vocês imagina quem seja, mas assim que eu começar a falar todos vão perceber de cara- deu de ombros- Ela é diferente porque mudou a minha vida. Eu já a conhecia antes desse trabalho, ou pelo menos achava que conhecia bem. A verdade é que nós ficamo mais próximos, mais do que já éramos, porém era como se eu estivesse conhecendo outra pessoa. Eu descobri realmente quem ela era. Bom, eu gostei disso- afirmou e todos riram, ele tinha um jeito engraçado- Não acho que esse trabalho tenha ajudado em nada, pelo contrário, nós esquecemos dele. Mas nos conhecemos sim, o suficiente para que ela se tornasse minha melhor amiga. Eu já conheci muita gente nessa vida- riu- mas dessa vez foi diferente. Eu me apaixonei por uma pessoa, achando que era outra- fez uma careta confusa- Eu sei que parece estranho, mas eu me apaixonei por quem eu achava que ela era e por quem ela era também.
-É a Demi!- alguém gritou no meio da sala e todos olharam para Demi. A professora sorriu docemente e Joe confirmou com a cabeça. A menina tinha um sorriso tímido e estava um pouco envergonhada por causa dos olhares sobre ela.
-Sim, é a Demi- afirmou- Mas espera, eu ainda não acabei- disse, e toda a atenção se voltou para ele- A Demi entrou na minha vida quando eu não pensava em nada, não queria nada da vida. Pelo menos eu achava que não. Ela despertou em mim um lado que eu mesmo não conhecia, e me mostrou quem eu realmente era. Quando eu descobri que seria com ela que eu passaria um tempo maior por causa desse trabalho, eu meio que me aproveitei disso. Mas depois... isso não influenciou em nada. Nós nos aproximamos por outro motivo e tudo entre nós deu uma volta gigantesca. Eu descobri que podia sim me apaixonar por uma pessoa, de verdade, e descobri que já era apaixonado por ela a muito tempo. Eu acho que todo mundo aqui me conhece e sabe da fama que eu tinha, mas também percebe como eu mudei. A minha vida mudou e eu devo tudo isso a ela. Eu achei uma garota incrível que toda a escola desejaria ter. Uma pessoa que me conhece e que eu amo. 
-Continue, Joe- a professora disse, passando os dedos por baixo dos olhos- Eu sei que tem mais a falar e isso está me emocionando.
Depois de uma breve risada de todos da turma, ele respirou fundo e continuou, prendendo seu olhar em Demi, que também tinha os olhos marejados, assim como Dona Pâmela.
-Tudo bem- o menino riu- Eu acho que... além de um "obrigado", e te devo desculpas. Eu já disse isso várias vezes mas não dá para esquecer do que aconteceu entre nós no começo. Eu te usei de uma forma nada legal, e mesmo achando que você não ligava para isso, eu te magoei. Brinquei com os seus sentimentos e também caí nas mentiras- a menina riu- Mas o que me surpreendeu foi como você fez tanta coisa por causa de mim. Você estragou e desperdiçou boa parte da sua vida, fez coisas erradas e mesmo sabendo das consequências você continuou. Tudo por mim. E eu ainda acho que não te mereço. Depois você tomou coragem para assumir os seus erros e eu achei isso a maior prova de que você tinha caráter. Você não se apaixonou por mim porque eu era o mais popular, ou, sei lá...
-O mais bonito, sedutor e pegador da escola- a professora complementou. Todos gargalharam.
-Também- ele piscou para ela- Você realmente me amava e e me fez descobrir o meu amor por você. Eu admiro a sua coragem por isso e muito mais. Então... só posso dizer que te amo mais do que tudo, Demi, e que você sabe que eu nunca te deixarei. Você é a minha princesa, só minha e será para sempre. Minha melhor amiga e a única pessoa com quem eu posso ter certeza que serei feliz. Eu acho que... o que eu sinto por você é algo muito maior do que um simples "amor de colegial" e eu vou ser zoado pelo resto da vida por isso- fez careta, arrancando novamente risos- Mas eu não me importo, porque eu vou rir junto, me lembrando de como o meu amor por você só aumentou. Eu nunca falaria nada parecido com isso na frente de tanta gente, mas você merece. Eu não preciso provar para ninguém o quão grande é o meu amor por você, acho que já basta você saber. Então não se esqueça, eu te amo- sorriu e recebeu palmas de todos, palmas que duraram minutos. Ele se voltou ao seu lugar, passando por Demi e lhe dando um beijo na testa.

Ela sorriu em meio as lágrimas e passou os dedos freneticamente nos olhos, tentando conter as lágrimas de felicidade que caíam de seus olhos quando a professora mandou que ela fosse em seguida. Seu coração palpitava forte dentro do peito, ainda sob influencia daquelas palavras que ouvira ainda pouco. Era demais para ela.

-Bem- ela começou, ainda sem conseguir conter o sorriso e o choro- Eu preciso me recompor- todos riram.
-Minha querida, depois dessa, até eu tenho que me recompor- a professora disse, enxugando as lágrimas.
-Meu parceiro- começou, contendo as emoções- É incrivelmente surpreendente. Eu acho que... nunca, na verdade tenho certeza, nunca encontrei ninguém como ele. Sabe... uma pessoa que entra na sua vida, te faz sofrer, mesmo sem querer, mas que te muda completamente?  Sim, é o Joe- sorriu- E a nossa história é sim meio confusa. Eu fingi uma pessoa que não era por ele, mas descobri quem eu era por causa dele também. Assim como ele disse, eu me apaixonei por um Joe que eu achava que conhecia e depois por quem ele era mesmo. Eu acho que... o Joe era bem conhecido por todos e aqueles que viviam ao redor dele sabiam que o único "defeito", que na verdade nem um defeito era, era ser "galinha"- riram todos- mas eu não achava isso. Eu me apaixonei mesmo achando que ele era insensível, arrogante e depois descobri que nunca encontrei alguém tão compreensível. Ele... me ajudou em tudo que eu tive que passar e nunca acreditei mesmo que ele ligaria para mim. Eu cometi muitos erros, mas por ele, eu faria tudo de novo. Porque por mais que eu tenha sofrido, não saberia como viver sem o Joe.  Eu descobri que... ele era o que eu precisava para me encontrar, encontrar quem eu era e o que eu queria. A sensação de acordar, ter um dia ruim, mas saber que eu teria alguém ao meu lado, tornando-o melhor era impagável. Ele conseguiu despertar em mim coisas que eu nem sabiam que existiam...
-Awn, o primeiro amor- Dona Pâmela tinha os olhos brilhantes, interrompendo a menina, pensativa.
-Sim, o primeiro e único- garantiu, voltando seu olhar para Joe- O que eu queria dizer é que eu nunca pensei que conseguiria chegar aqui hoje, sabendo o que eu quero e quem eu sou se não fosse ele. Eu nunca senti isso por ninguém e a minha paixão pelo Joe é uma coisa de muito tempo. Eu mudei por ele e ele mudou por mim. Parece injusto porque... ele diz não me merecer mas quem aguenta tudo, minhas besteiras, meus momentos ruins e idiotices, inseguranças e medos é ele. A única coisa que eu quero é poder fazer, um dia, tudo que você fez por mim. Porque todas as palavras, tudo mesmo, nunca serão recompensadas por mim, você sempre se supera- soltou uma risada- Não me deve desculpas nem agradecimentos, só basta dizer "eu te amo". Já é suficiente para mim. Porque enquanto eu tiver você ao meu lado, eu não vou precisar mais de nada. Enquanto eu puder TE dizer "eu te amo", você será meu e existirá nós. Isso significa para sempre, porque eu SEMPRE irei dizer "eu te amo". E eu concordo, esse papo de "namoros do colegial nunca vão para frente" não é verdade. E sim uma desculpa para aqueles que não amavam de verdade. Você já me provou de todas as formas que pode e que não pode também que me amava e faria tudo por mim. O meu amor é sim verdadeiro e eu sei que você não teria feito tudo isso apenas por uma "diversão". O que existe entre nós vai além disso. Mas não importa, porque cada diz ao seu lado é bem melhor do que pensar no futuro. Eu sei que o destino reserva algo perfeito para nós, assim como o presente está fazendo. Você me proporcionou tudo o que uma menina da minha idade desejaria. Um amor verdadeiro, sorrisos, paixão. Me deu a chance de viver sendo quem eu realmente sou e ao lado de quem eu amo. Obrigada, Joe, você me ensinou a ser eu mesma, me ensinou o que é amor.
-Conte-nos como se conheceram- ela pediu, interessada no assunto.
-Bem- ela soltou uma risada abafada e percebeu que Joe fez o mesmo- Conheço o Joe a uns dois anos- disse pensativa- Nós não éramos amigos nem nada, mas eu sempre gostei dele, muito. Eu às vezes achava que era uma paixão sem sentido, porque ele nunca nem perceberia que eu existia. Daí eu resolvi correr atrás e deixar de ser a menina certinha e quieta, só na escola. Eu ainda não entendi como eu consegui fazer tudo isso, porque você pode até perguntar ao Joe, eu sou completamente o oposto do que fingia ser. Depois de algumas coisas... nós acabamos virando amigos e eu descobri a pessoa maravilhosa que ele era. Demorou para que eu desse uma "chance" a ele porque achava que me arrependeria. Só que... ele me provou que era diferente do que eu via e imaginava e eu percebi que o amava mais do que tudo. Depois eu acabei descobrindo que ele tinha uma coisa especial por mim- riu.
-Joe, qual foi sua primeira impressão ao ver a Demi?- perguntou.
-Acho que a mesma de todo mundo- deu de ombros- Eu achava que ela era do tipo oferecida e... enfim, achava que ela não queria nada sério com ninguém. Na verdade, ela não passou despercebida no primeiro dia de aula e eu me lembro de como ela era na dela. Foi uma mudança repentina e estranha, mas eu tenho que confessar que sempre prestei muita atenção nela- riu.
-E você, Demi, pensou em desistir dele?
-Eu acho que você gostou da nossa história, professora- Joe disse um pouco duvidoso, sorrindo alegremente.
-Eu me lembro de quando eu era jovem....
-Bem, eu pensei sim em desistir- Demi a interrompeu, já prevendo que o pensamento da professora renderia uma boa história, porém ninguém queria ouví-la. Todos riram quando a menina começou a falar repentinamente, porém logo voltaram a seriedade- Só que eu não pude. Porque... o Joe acabou sendo o único a saber sobre todas as mentiras e fingimentos e ele era a única pessoa que eu tinha no momento. Então ele me ajudou, ficou ao meu lado- explicou.
-A história de vocês me emociona tanto- disse enquanto as lágrimas escorriam.
-Sabe, professora, é uma história muito bonita mesmo- Joe disse, sorrindo, de forma engraçada- Daria um bom livro- deu de ombros, arrancando risadas.
-Eu acho que esse trabalho ajudou vocês...- ela disse, certa.
-Talvez tenha sido um empurrãozinho- Demi concordou- Mas eu acho que... eu aprendi a viver sendo apenas eu mesma e isso ajudou.
-Professora, já que nós estamos em um momento... "Jemi"- fez aspas com as mãos, todos riram novamente- Posso fazer uma coisa?
-Jemi? Amei isso! Que menino criativo!- sorriu, animada com a ideia- Claro, já estou preparada para chorar... mais- assentiu dona Pâmela.
-Bem, eu fiz isso e é um dos meus presentes, pra comemorar o dia de hoje- ele sorriu, indo até um canto escondido da sala_enquanto todos olhavam para ele, curiosos_ tirando de lá seu violão.
-Você compõe também?- ela perguntou, surpresa com as habilidades do menino.
-Sim, professora- assentiu, rindo- Eu espero que goste, Dems- disse, sorrindo em direção a ela.
Joe se sentou na mesa na professora e colocou o instrumento no colo, pronto para começar. 


If the heart is always searching
Can you ever find a home?
I've been looking for that someone
I'll never make it on my own

Dreams can't take the place of loving you
There's gotta be a million reasons why it's true

When you look me in the eyes
And tell me that you love me
Everything's alright
When you're right here by my side

When you look me in the eyes
I catch a glimpse of heaven
I find my paradise
When you look me in the eyes

Ele a encarou por um segundo e percebeu, através do olhar da menina, o quão surpresa ela estava. Ninguém nunca havia escrito uma música para ela, além de Joe, naquela outra vez. Mas agora era diferente. A música revelava que o amor só havia crescido de uns tempos para cá e ela não sabia o que pensar ou dizer.


How long will I be waiting
To be with you again
I'm gonna tell you that I love you
In the best way that I can

Seus olhos se enchiam de lágrimas enquanto ela prestava atenção atentamente a cada letrinha, cada palavra. Ela não conseguia desviar o olhar dele e de seu violão, a forma como ele tocava com tranquilidade, com paixão e calma.

I can't take a day without you here
You're the light that makes my darkness disappear

Joe lançou um olhar diferente para ela, com um sorriso no rosto, como se reforçasse o que acabara de cantar. Ele fazia isso a todo momento, querendo que ela prestasse realmente atenção no significado daquilo.

When you look me in the eyes
And tell me that you love me
Everything's alright
When you're right here by my side

When you look me in the eyes
I catch a glimpse of heaven
I find my paradise
When you look me in the eyes

Moving on, I start to realize
I can reach my tomorrow
I can hold my head up high
And it's all because you're by my side

When you look me in the eyes
And tell me that you love me
Everything's alright
When you're right here by my side

When I hold you in my arms
I know that is forever
I just got let you know
I never wanna let you go

E novamente aquele olhar revelador, sorriso que encantava e a fazia derramar mais lágrimas. "I never wanna let you go" pensava ela. As palavras simplesmente martelavam em sua cabeça e ela tentava processar o que acontecia. Todos os versos apenas a lembravam-na de todas as palavras que Joe já havia dito para ela. 

'Cause when you look me in the eyes
And tell me that you love me
Everything's alright 
When you're right here by my side 

When you look me in the eyes
I catch a glimpse of heaven
I find my paradise
When you look me in the eyes

...


Ele então cantou a última palavra, tocando o último acorde no violão. Ela estava mergulhada em lágrimas e não conseguia mais se conter_ ao menos tentava. Ele sorria feliz, feliz por vê-la daquela forma, por ela pertencer a ele. Por poder olhar nos seus olhos a todo instante que desejasse. E por sentir tudo aquilo ao encará-la.


Demi continuava parada, analisando em sua cabeça a letra da música novamente. Lembrou-se de como se sentiu na primeira vez em que Joe escreveu uma música a ela. Naquela época, claro, o amor já era imenso. Porém quem disse que não poderia crescer mais? E agora, parece suficiente, parece bom o bastante? Mas ainda não é. Naquele "trecho" de antes, os versos revelavam uma paixão descoberta, algo incrível e novo, talvez até inacreditável. Agora, o que ela havia ouvido demonstrava uma dependência entre os dois. Entre o amor que um sentia pelo outro. Assim como ele não conseguia viver sem ela, ela deixava tudo que a assombrava de lado quando estava ao lado dele.
O amor entre os dois só seria capaz de crescer mais e mais, a cada segundo. Bastava que se olhassem nos olhos para perceber que tudo ao redor desaparecia, tudo fazia sentido e aquilo que guardavam dentro deles nunca ficaria grande o suficiente, sempre caberia mais ali e enquanto os dois existissem, isso só se provaria.

Joe deixou o violão sobre a mesa e andou até a menina_ que chorava bastante_ e pela primeira vez não se sentiu mal ao vê-la dessa forma. Ele a abraçou apertado, como se a protegesse de alguma coisa, como se segurasse seu maior tesouro, a coisa mais valiosa que possuía. Beijou o topo de sua cabeça e os dois sorriram em meio àquilo tudo, sem ao menos ligar para as lágrimas que caíam do rosto dela_ e da professora. Joe sussurrou algumas coisas em seu ouvido, tentando fazê-la se acalmar de alguma forma.
Os dois riram sem muito humor e ainda abraçada a ele, Demi enxugou algumas lágrimas.

-Eu acho que você gostou...- ela riu enquanto ele sussurrava, se afastando para encará-la.
Ele segurou o rosto de Demi entre as mãos, sorrindo largamente.
-Gostar? Nem amar... eu acho que... nem tem palavras pro que eu to sentindo, Joe- sussurrou, se recuperando- Você é perfeito.
-Eu não sou perfeito- negou- Você é. E essa música é mérito seu, porque sem você na minha cabeça 24 horas por dia, eu não escreveria isso.
-Awwn eu te amo tanto- o abraçou de novo, se acolhendo em seus braços.
-Eu também te amo, Dems, muito- mexeu em seu cabelo, acariciando suas costas.
-Eu não posso acreditar no que eu estou vendo. Eu juro que até agora não acreditava nesse negócio de "amor verdadeiro" ou "casal perfeito" - disse, com a voz falha. Talvez ela tivesse sofrido alguma decepção amorosa quando mais nova- VOCÊS DOIS, BEIJEM-SE AGORA!- exigiu a professora, sentada na cadeira, aos prantos. É, Dona Pâmela era sentimental.

Joe sorriu de orelha a orelha e se afastou de Demi. Seus olhos se fixaram e ela se lembrou da música novamente, porém dessa vez não foi a única. Joe, ao olhar para seus olhos, sentia exatamente o que havia cantado e escrito, era incrível. Segurou em sua cintura e selou seus lábios, sorrindo enquanto a menina ainda tinha os olhos marejados, com seus braços enroscados no pescoço do menino por quem ela sempre seria apaixonada. Em meio a palmas e mais palmas, gritos e coisas que a turma dizia, eles riram e afastaram um pouco os lábios.

-Eu nunca...
-Vou te deixar- sussurramos em meio ao beijo, completando a frase um do outro.
-Feliz aniversário de um mês de namoro- ela desejou.
-É apenas o começo- ele garantiu- O começo do nosso "para sempre".


 The End


Mil beijemis, Bruna :)

9 de set de 2012

Be Yourself- Chapter 90 (Último capítulo)- HOT-


Chapter 90- Shut up and kiss me...(último)

Já era final de tarde quando fui até a casa de Demi. Contando com o tempo que ficamos por lá, já deviam ser umas sete e meia, mais ou menos. Eu queria levá-la para minha casa o mais rápido possível, já que estava realmente ansioso e feliz, mas sabia que a noite o clima seria melhor, por isso enrolei um pouco. 

-Posso te perguntar de novo porque estamos na sua casa?- ela fez uma careta, enquanto eu abria a porta. Não precisei dizer nada, apenas a abracei por trás, empurrando-a para que entrasse. Eu olhava atentamente para ela enquanto seus olhos fitavam tudo. Acho que ela não fazia questão de uma resposta agora.
-Está com fome?- sussurrei, sorrindo ao vê-la radiante.
-Você... você fez tudo isso?- perguntou.
-Não tudo- ri- Mas o que vale é a intenção, certo? Eu fiz a maior parte, juro- ela gargalhou.
-Você não existe, Joe...- sussurrou- Isso parece coisa de filme...
-Acho que aprendi com os que você me obrigou a ver- brinquei e ela virou a cabeça por cima do ombro, me encarando com um sorriso e me dando um selinho-Vem, meu amor- segurei sua mão e a levei até a mesa.
-O que te deu hoje, hein?- riu, se sentando à mesa, enquanto eu afastava a cadeira para ela.
-Assim você até me ofende- ela riu- Eu só... queria fazer alguma coisa pra... comemorar. Acho que já era a hora- dei de ombros, sorrindo.
Fui até a cozinha e peguei a comida. Selena havia deixado preparada para mim e eu agradecia por isso. Coloquei sobre a mesa enquanto ela olhava ao seu redor, ainda surpresa. Me sentei junto a ela e a servi.
-Sabia que... é a primeira vez que você me chama de "meu amor"?- comentou, pensativa- Depois que... a gente voltou.
-Meu amor, meu amor, meu amor, meu amor, meu amor- me debrucei sobre a mesa até encontrar seus lábios com os meus.
Ela sorriu e nós conversamos rindo durante o jantar. Foi um momento bom tanto para mim quanto para ela e eu percebia que as coisas entre nós haviam voltado ao normal. Nos divertimos e eu via em seu rosto o quão feliz ela estava. O sorriso não saía dali.
-Eu quero que venha comigo...- abaixei ao seu lado, lhe dando um beijo calmo e intenso.
Segurei sua mão e a abracei por trás, assim fomos juntos até o meu quarto.
-Eu não...- ela parou assim que eu abri a porta- Isso... você... Joe- ela me encarou, sorridente, seus olhos marejados- Eu não posso acreditar- sussurrou, nada muito concreto saía de sua boca.
-Demi, eu...- a puxei para dentro do quarto, ficando de frente para ela- Eu estou para fazer isso a muito tempo e... eu sei que eu demorei e você pode ter ficado magoada comigo, mas... eu sempre te amei muito e nunca achei que precisasse fazer isso para te provar e eu descobri que era verdade- disse- Você.... apareceu na minha vida de um jeito diferente e eu nunca senti nada parecido. Eu sei que tenho muito mais para te falar, mas eu vou pular essa parte, depois eu falo isso tudo- ri sem humor e ela fez o mesmo- O fato é que... eu comprei isso para você e pretendia te dar na viagem. Eu pretendia fazer isso na viagem, mas infelizmente não saiu como eu tinha planejado. Mas não importa... o meu amor por você não vai mudar por causa de...- suspirei, puxando a pequena caixinha do bolço- Por causa de um anel.
-Você...- ela me encarou surpresa. Seus olhos brilhavam por causa das lágrimas que se formavam. Seu olhar estava fixo na caixa que eu acabara de abrir.
-Eu estou te pedindo em namoro- completei, sorrindo e acariciando seu rosto- Eu... te amo, Demi, mais do que tudo. Eu NUNCA vou te perder de novo, eu nunca vou te deixar. Eu demorei para isso e no começo eu achava que você não ligava muito para essa coisa, mas depois de tudo eu quero dizer "ela é minha namorada" da forma correta. Quero que você seja minha, você aceita namorar comigo?- perguntei.
-É claro que eu aceito, Joe- ela jogou os braços ao redor do meu pescoço, me dando um abraço apertado. Nos separamos e eu ajoelhei a sua frente, colocando o anel em seu dedo.
-Eu quero que você olhe para esse anel e lembre de tudo que já aconteceu entre a gente, para nunca esquecer- pedi, dando um beijo em seu dedo, por cima do anel.
-É... lindo- ela sussurrou, encantada- Obrigada, eu... nunca vou esquecer de nada, Joe. Nunca vou esquecer de você- garantiu. Me levantei e fiquei de frente para ela.
-Eu nunca pedi nenhuma garota em namoro com um anel em toda a minha vida- disse- Sinta-se especial- ela sorriu- Porque você é a melhor- sussurrei.
-Eu te amo muito- sorriu e selou nossos lábios.
-E eu acho que deveria me declarar pra você agora- fiz uma careta e ela gargalhou- É sério, eu... estou falando na brincadeira mas tem muita coisa que eu queria te dizer- afirmei sério- A maior parte disso você deve saber, mas eu ainda não consigo entender o que eu sinto. Você é a pessoa mais importante na minha vida, Demi, e sempre vai ser. Eu nunca pensei que sentiria isso e até hoje, quando eu te olho, quando eu te beijo- aproximei meu rosto do dela- Eu sinto coisas que eu nem sabia que existiam. Você é minha namorada, minha Demi, só minha. Eu sempre vou estar aqui, ao seu lado, te ajudando em qualquer coisa. Vou fazer de tudo, o que eu posso e o que eu não posso também, para ver um sorriso no seu rosto, tirar toda a sua dor e passar para mim, porque eu te amo mais do que a mim mesmo. Tudo que eu já fiz, por mais que não parecesse, foi para o seu melhor. E não importa o que aconteça, eu nunca mais vou cometer o erro de te deixar ir embora. E enquanto você tiver esse anel no seu dedo, eu estarei junto a você- garanti, sorrindo- Nem que eu tenha que colá-lo aí- ela soltou uma gargalhada em meio as lágrimas.
-Eu não aguento um único dia sem você e não seria capaz de viver porque você é o que me mantém aqui- sussurrou- Joe... você sabe que sem você eu não seria nada, não seria capaz de continuar. Você não só me impede de desistir como também me da forças para seguir em frente e está ao meu lado. Eu nunca encontrei ninguém tão...perfeito- ela riu sem humor- Como você. E é sério. Porque não importa se você comete um erro, todos tem defeitos. Mas você não. Você me ajuda, está comigo não importa o que aconteça e os melhores momentos da minha vida aconteceram com você, os meus sonhos, os mais imprevisíveis e impossíveis se realizaram, tudo porque você fez isso. O que aconteceu entre nós vai me deixar marcas pelo resto da vida, porque você vai estar ao meu lado, para sempre.
-Quero que você... esqueça tudo, pare um pouco de pensar- pedi- Quero que viva o agora- ela sorriu e eu fiz o mesmo- Eu te amo, Demi. Eu te amo por quem você é, pelo que faz, pela coragem que tem. Eu te amo por ser...
-Você mesma.
-Você mesmo- falamos juntos, com um sorriso.

Demi on:
Eu já estava chorando a muito tempo. Quando ele abriu a porta do quarto e eu vi as velas, todas aquelas pétalas de rosas no chão, tudo, só me provou que eu estava certa, eu parecia estar em um filme e ele era o princípe encantado. 
Seus lábios tocaram os meus, calmamente. Ele colocou suas mãos em minha nuca e me deitou lentamente na cama completamente vermelha. Eu podia sentir as pétalas ao meu redor, o perfume de Joe em mim e suas mãos acariciando minha bochecha. 

À luz de velas, ele começou a beijar meu pescoço enquanto minha cabeça caía razoavelmente para trás, sentindo-o. Sua respiração pesada e quente mantinha contato com minha pele, me arrepiando a cada movimento. Não tínhamos a mínima pressa, pelo contrário, naquela noite, queríamos apenas sentir um ao outro como nunca fizemos antes. Íamos com calma, muito amor e paixão e eu sentia coisas como nunca antes. A nova sensação era incrível.
Suas mãos levantaram minha blusa com calma e ele voltou seus olhos para os meus. Seu sorriso brilhava conforme o fogo nas velas o iluminava. Eu não podia conter minha felicidade e não existia mais nada nesse mundo que eu desejasse tanto, porque eu sabia que quando acordasse, ele estaria ali, sempre me fazendo sorrir e chorar ao mesmo tempo_ como agora_ mas também seria o único capaz de me fazer derramar lágrimas de pura felicidade. Ele seria o único a me fazer feliz e eu não tinha mais dúvidas ou preocupações em relação ao que aconteceria depois. Seríamos para sempre eu e ele. Para sempre e sempre "nós".

Joe pegou um morango que estava em algum canto_ que eu não tinha percebido_ e colocou em minha boca, sorrindo enquanto eu mordia a fruta. Fechei meus olhos, aproveitando aquele doce gosto na minha boca.

Ele sussurrou "minha linda" em meu ouvido e logo depois tirou minha blusa, jogando-a em um canto. Os beijos se tornaram mais intensos e logo depois eu fiz o mesmo. Eu podia sentir seus olhos sobre mim, mesmo com a pouca luz, mas pela primeira vez não me sentia incomodada. Na verdade, ele nunca fez nada que me incomodasse, mas hoje eu me sentia bem, confiante, dentro de mim a melhor sensação palpitava: a sensação de pertencer a ele. Eu queria que ele me olhasse, pois sentia segurança, amor, todos os possíveis sentimentos que me faziam bem em seus olhos. Sentia que ele me amava, como eu nunca senti antes.

Eu estava apenas de lingerie em seus braços, e ele me beijava cada vez com mais paixão e carinho. Suas mãos me acariciavam, enquanto eu me arrepiava a cada toque macio, cada gesto. Com ele, eu me sentia uma princesa, um tesouro, ou algo de muita importância. Ele fazia com que eu me sentisse bem comigo mesma, com que eu me sentisse eu mesma. 

-Eu te amo- sussurrou com a voz rouca, mordiscando meu lábio inferior.
-Eu te amo mais- sorri e juntei nossos lábios, jogando meus braços para trás de seu pescoço e levando meu corpo junto, fazendo com que ele caísse deitado para trás, quanto eu estava por cima dele.
Ele deu alguns chupões em meu pescoço, mas eu não me importava se ficaria marcado ou não. Eu não estava nem aí para nada essa noite, só queria... viver o agora, como ele havia pedido, queria me jogar em seus braços e deixar que ele fizesse tudo o que queria comigo, porque eu sabia que seria perfeito.

-O que deu em você, hein? Está muito animada...- ele disse rindo, enquanto mordiscava minha orelha.
-Eu acho que deu alguma coisa em nós hoje, tanto em mim quanto em você- pisquei rindo- Agora cala a boca e me beija- U.u ele soltou uma gargalhada alta e eu o acompanhei.

Ele então decidiu me torturar. Começou por alguns beijos no pescoço e depois foi descendo. O jeito sexy e seduzente dele me deixavam maluca e era quase impossível sentir seus lábios quentes na minha pele sem sentir a necessidade imensa de beijá-lo. Ele beijou calmamente meus seios enquanto tirava o sutiã e segurou minha mão, acariciando-a. Me deitou e ficou por cima de mim, colocando o peso de seu corpo em seus braços apoiados na cama mas mesmo assim colando nossos corpos. Beijou a borda da minha calcinha_ o que me fez soltar um longo suspiro_ e depois foi subindo pela barriga, enquanto uma de suas mãos fazia o trabalho de brincar com a borda da calcinha, tirando-a. 

Automaticamente prendi minhas pernas em sua cintura e ele voltou a me beijar_ dessa vez nos lábios_ de forma mais intensa. Suas mãos vagavam pelas minhas costas e pela lateral do meu corpo, sem nenhuma restrição. Foi pouco tempo até que eu tirasse sua box também e nós nos selássemos aquele compromisso da melhor forma possível. Provando que éramos um só e que eu definitivamente pertencia a ele.
     *******

-Como você consegue ser tão linda?- perguntou, me encarando, debruçado na cama em minha direção.
-Para com isso garoto- ri, lhe dando um tapa e escondendo minha cabeça em seu peito descoberto- Me responde como você consegue ser tão perfeito que eu respondo a sua pergunta- sorri.
-É segredo de família- piscou- Agora me fala.
-Idiota- gargalhei, enquanto ele ria- Joe, seus pais estão em casa?- perguntei curiosa.
-Hummm... porque, hein? Medo que ontem eles...
-NÃO!- O.o ri, interrompendo-o corada, ele riu de mim e me deu um beijo na testa, tirando minhas mãos da frente do meu rosto- É que, tipo, você nem arrumou aquilo la em baixo...
-O Nick resolve pra mim- disse- Mas esquece isso, tá? Se os meus pais virem aquilo lá, o máximo que eles vão pensar é que eu preparei uma noite super romântica para nós- deu de ombros- Meus pais te amam.
-Quer dizer que o Nick tem um dedo nisso, né?
-Ele e a Selena- ri- Era isso que eu estava fazendo com ela, aquela hora que você ligou. Eu queria te fazer uma surpresa.
-E você fez, foi incrível, obrigada por tudo- sorri de orelha a orelha- Eu te amo muitooooo- distribuí beijos por seu rosto.
-Eu sei disso- U-u- sorriu convencido, me abraçando e puxando meu corpo para mais perto do seu- Mas, eu te amo mais.
-Ha! Duvido- ri- Vamos começar nossa briguinha idiota de novo.
-Não é idiota, é o meu amor por você- me deu um selinho.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Joe on:
-Acho que já estamos a umas duas horas aqui- comentou, brincando com meus dedos.
-Você quer levantar?- perguntei.
-É óbvio que não- rimos- Por mim eu ficava assim para sempre. Sério, o seu abraço é muito bom- se aconchegou.
-Só o meu abraço?- sorriu sapeca.
-Claro que não, bobo- ri- Mas eu estou com fome...- fiz careta.
-Não tem problema, podemos ficar o dia todo assim, juntos- garanti- E eu amo ficar assim com você. É uma sensação boa te ter nos meus braços- ri.
Depois de muitas risadas decidimos que era melhor levantar, afinal, estávamos os dois famintos. Ela já estava de lingerie e eu com uma calça qualquer, e quando ela levantou não consegui tirar meus olhos de seu corpo. 

-Para de me olhar assim- pediu envergonhada, cruzando os braços na tentativa de esconder alguma coisa.
-Desculpa- coloquei as mãos para cima- Não ta mais aqui quem olhou- ela gargalhou, e deu a volta na cama, parando ao meu lado e se sentando na beirada.
-Não é justo eu levantar e você ficar com esses olhos enormes em cima de mim- ela fez uma carinha estranha e eu ri- Eu sei que você deve estar pensando: "Ah que garota fresca"- sussurrou séria.
-Que isso, imagina- disse irônico, ela riu sem humor e levantou a cabeça para me encarar.
-Eu não me importo, Joe. Não mesmo, porque é você- disse tímida- É só que... eu...
-Não se sente bem?- perguntou, tirando uma mecha do meu rosto.
-Eu me sinto sim- afirmou e eu sorri- Só não consigo evitar, é uma coisa minha, não sei.
Ela deitou a cabeça em meu ombro e abraçou as pernas. Coloquei uma de minhas mãos apoiada em sua coxa e ela levantou a cabeça para me olhar, com um sorriso tímido no canto dos lábios. Sorri e lhe dei um beijo calmo, me virando e colocando uma das minhas pernas no colchão, ao seu lado. A peguei no colo e ela riu surpresa, com seus lábios colados nos meus.
A coloquei no chão e a empurrei contra a parede, com cuidado, colando mais nossos corpos. O clima era descontraído e nós riamos em meio ao beijo.

-Você...- segurei sua mão e sua nuca, a encarando profundamente- Topa tomar um banho comigo?- perguntei. Ela abriu a boca, pronta para falar alguma coisa, mas nada saiu. Sua expressão era confusa e assustada, eu não queria que ela ficasse tão tensa assim- Hey, relaxa- sorri- Foi só uma pergunta inocente- fiz uma careta engraçada e ela riu por um segundo- Sou só eu, meu amor- disse docemente- Seu... namorado- fiz outra careta e ela riu, ainda nervosa- Não precisa ficar assim- tentei acalmá-la.
-Eu não esperava pela pergunta- disse, rindo sem humor, tentando demonstrar tranquilidade.
-Já aconteceu tanta coisa entre a gente, Dems- eu disse- E você ainda tem tanta vergonha de mim. Mas porque comigo tudo isso, mesmo depois de tanto tempo?- perguntei calmamente, amigavelmente.
-Você está falando isso por causa do...Lucas?- perguntou insegura.
-Eu pensei sim nisso- confessei- Mas não importa, eu não estou chateado-garanti, sorrindo- Tudo bem, deixa pra lá, esquece isso- sorri me afastando um pouco.
-Eu topo- ela sussurrou, apertando mais firmemente minha mão. Ela tinha um sorriso no rosto e ainda estava um pouco nervosa, mas já estava relaxando.
Nos beijamos por mais algum tempo e depois eu fui carregando-a_ em meio aos beijos_ para o banheiro que ficava ao lado da parede onde estávamos antes. Liguei o chuveiro enquanto ainda a beijava.
-É só sentir a água caindo e esquecer de tudo- sussurrei em seu ouvido- É fácil- ela riu- Fica calma, tá? Tudo tem uma primeira vez- pisquei e ela riu, corada.
                                                                        
                                                                         *******

-Eu quero que isso dure para sempre- pediu, deitada em meu colo, observando atentamente ao por do sol.
-Eu prometo que vai durar- disse- Eu juro, vou cumprir minha promessa.
Nos beijamos sob a pouca luz que vinha do sol, aproveitando apenas um ao outro. Agora seria para sempre, sim, e mesmo que alguma coisa tentasse nos impedir, o destino estaria a nosso favor. Afinal, sempre existe um final feliz.

Continua...
É o último :(( Já... eu me lembro de quando eu comecei a escrever, como passou rápido :/ Eu vou sentir falta disso... mas enfim, não se esqueçam que AINDA TEM O EPÍLOGO, o que significa que NÃO ACABOU AINDA. hahaha bem, eu espero mesmo que tenham gostado, porque eu tentei fazer desses últimos dois capítulos uns dos mais marcantes, e eu espero que marque para vocês também. Ah, eu decidi fazer um pouquinho HOT também, só pra fechar com chave de ouro ;) hahaha não ficou como os outros, mas acho que dá pro gasto! :P Muito obrigada e COMENTEM, por favor! :) Eu amo muito vocês, de verdade! 


Beijemis, Bruna *-*

7 de set de 2012

Be Yourself- Chapter 89


Chapter 89- Plans...

Já era quarta feira e a semana havia passado voando. Tudo estava melhor do que nunca, e nós tivemos tempo para aproveitar a companhia um do outro. Não era nada planejado, mas eu estava indo com calma com ela, depois de uma conversa que nós tivemos e ela me contou como tudo tinha acontecido entre ela e Lucas. Eu não me importei com os detalhes, até porque eu sabia como ela havia se arrependido e não fora fácil fazê-la me contar. Eu só queria saber porque percebia que mesmo depois de estarmos muito bem, ela estava estranha. Estava sensível e eu tentava tratá-la com o maior carinho e cuidado que conseguia, mas ver um sorriso em seu rosto era suficiente para mim.
Geralmente ela ia lá para casa, nós assistíamos a um filme e ficávamos horas juntos, conversando, rindo ou sem falar nada mesmo. Os beijos eram calmos e não muito exagerados, mas aquele amor de antes ainda existia entre nós e, acima de tudo, éramos melhores amigos de novo e ela podia me contar o que quisesse. E por incrível que pareça, eu não estava me importando com o fato de não termos dormido juntos até agora. Ela sempre passava o dia comigo mas a noite preferia ir para casa. Eu respeitava isso e não queria uma explicação, eu sabia que estava tudo bem.

-Oi- ela se aproximou, sorrindo- Posso falar com você?
-Claro- segurei sua mão e saímos da sala, caminhando até o jardim enorme da escola- Aconteceu alguma coisa?- perguntei, me sentando em um banco.
-Não- deitou a cabeça em meu ombro- Só queria ficar com você.
-Então está me fazendo faltar aula para ficar com você?- sorri e coloquei meu braço ao redor de seu pescoço- Ótima ideia. Ta ficando rebelde, é, Demi?
-Óbvio que não- riu- Tava com saudades de você- sussurrou.
-Estávamos juntos ontem...- ri sem humor, a encarando.
-Mas eu não ganhei nem um beijinho de bom dia- fez biquinho.
-Ah, então o problema é esse... - a virei para mime segurei sua nuca- Vou te dar seu devido bom dia.
Selei nossos lábios e mais uma vez era como se tudo dentro de mim pegasse fogo. Fomos com calma, afinal, para que pressa? E eu acariciei sua bochecha enquanto lhe dava alguns selinhos.
-Você está incomodada porque eu estou indo devagar?- perguntei- Estou fazendo isso por você, Demi...
-Não devia ter te contado tanto do Lucas...- bufou- Foi besteira minha, é que eu fiquei meio sensível com isso tudo, com o que aconteceu. Não me senti bem e eu acabei exagerando quando falei com você... parece até que ele era um maníaco.
-Eu percebi que você estava diferente, Dems- afirmei- Não acho que ele seja um maníaco, só um canalha mesmo- dei de ombros, enquanto ela ria.
-Só que... eu estou com você- sorriu- E isso muda tudo. Não tem como nem comparar, você se preocupa comigo acima de tudo e eu só fico mais certa disso a cada dia.
-É óbvio que eu me preocupo com você, Demi- coloquei uma mecha de seu cabelo para trás- Você é tudo pra mim.
Nos abraçamos e lhe dei um beijo no topo da cabeça.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~Depois da aula chata....

-Joe, eu queria dar uma volta no parque... você pode ir comigo?- ela perguntou, se aproximando.
-Desculpa, Demi... eu tenho umas coisas para resolver- fiz careta e percebi o rostinho desapontado dela.
-Tudo bem...- forçou um sorriso, mas não conseguiu me enganar.
-Eu juro que a gente se encontra mais tarde- forcei um sorriso, segurando em sua cintura- Prometo, tá?- ela assentiu e lhe dei um beijo calmo e rápido.
-Então eu vou indo... a gente se fala- disse.
-Quer que eu te leve em algum lugar?- perguntei, enquanto ela se afastava.
-Não precisa, obrigada- sussurrou e se afastou.
Eu sabia que ela havia ficado chateada, mas agradecia por não ter perguntado o que eu iria fazer. Sabia que logo logo ela ficaria feliz e valeria a pena por um sorriso dela.
---------------------------------------------------------------------------------
-Hey, Sel, vai me ajudar?- perguntei chegando próximo dela.
-Claro que sim- sorriu- Nick já tirou o Frankie de casa e inventou um programa de "pais e filho"- riu.
-Tudo bem, então vamos porque não posso perder tempo- segurei sua mão e corremos para o carro.
-Já sabe o que vai fazer?
-Claro, aquilo que eu te disse ontem- sorri.
-Hum... a noite vai ser boa, hein?!- riu maliciosamente.
-Selena, o que vai acontecer depois eu não sei- ri- Meus planos não estão focados nisso.
-Ah, eu queria poder estar lá...- disse pensativa- Já falou com a Miley?
-Sim, mas eu acho que não vou precisar que ela faça isso... a Demi já ficou meio chateada porque eu não fui ao parque com ela...
-Relaxa, essa coisa vai passar rápido- rimos.
           
Demi on:
***
-Alô?
-Oi, Sel- disse- É a Demi.
-Ah, oi...
_Sel, me ajuda aqui_ - ouvi uma voz de fundo, reconheceria em qualquer lugar.
-Demi! Tudo bem?- ela continuou parecendo tentar disfarçar.
-Você está com o Joe?- não pude evitar em perguntar.
-Ér...- disse- Olha, eu preciso desligar, a gente se fala depois, beijos- ela foi tão rápida que eu nem tive tempo de pensar em falar alguma coisa.
***
O melhor que eu podia fazer agora era dormir. Joguei meu celular longe e me proibi mentalmente de pensar em alguma besteira. Eu tinha que deixar de ser tão irritante assim e me lembrar que confiava em Joe mais do que em mim mesma. Fiquei um pouco receosa porque me peguei pensando em como ele estava indo com calma e cuidadoso comigo durante esse tempo. Eu achava isso fofo e ele era incrível, eu sabia, afinal a única coisa que eu fiz foi me abrir com ele em relação a Lucas e Joe não demostrou ciúmes ou irritação, ele apenas me respeitava e havia decidido que cuidaria de mim, até eu deixar essa sensibilidade e vulnerabilidade de lado. Mas eu estava achando chato exigir até isso dele.

Deitei na cama e esperei as horas passarem e para me livrar daquilo tudo, lembrei dos últimos dias que passamos juntos. Meu coração agora estava leve, batendo forte novamente quando ele estava por perto ou quando eu apenas pensava nele, o sorriso em meu rosto era constante e eu sabia que agora nada mais tiraria isso de mim.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

-Joe! Socorro, que susto!- coloquei a mão sobre o peito, ainda abalada pelo susto. Apenas abri os olhos e me deparei com Joe na minha frente, agachado e mexendo em meu cabelo, com um sorriso bobo.
-Oi dorminhoca- acariciou meu braço com delicadeza.
-A quanto tempo está aqui?- perguntei esfregando os olhos.
-Uns 10 minutos...- deu de ombros- Desculpa, eu não queria te acordar, mas estava dormindo demais- U.u
-Eu não tinha o que fazer- revirei os olhos- Vem cá, onde fica a privacidade, hein? Como entrou aqui?
-Sua mãe me recebeu de portas abertas- sorriu orgulhoso- Achei que não se importasse...
-Não, não me importo- disse sorridente, rapidamente- Meu Deus, eu devo estar horrível- arregalei os olhos e me levantei com um pulo da cama, indo até o banheiro.
-Não, você está linda- sorri e segurei sua mão, puxando-a para perto- E eu já disse que amo quando usa essas... roupas para dormir?- beijei seu pescoço, fazendo-a rir.
-Eu tinha esquecido como você é safado- nós rimos- E de como eu senti falta disso- sussurrou, brincando comigo.

Sorri e beijei o canto de sua boca, logo depois selando com mais amor e paixão nossos lábios. Segurei em sua cintura e em um rápido movimento colei seu corpo ao meu. Ela riu surpresa em meio ao beijo e levou uma de suas mãos ao meu cabelo. Deslizei minhas mãos pela lateral de seu corpo e subi um pouco sua blusa, apenas o suficiente para que conseguisse tocar sua pele. Fomos caminhando juntos e depois de alguns passos caímos na cama, desajeitados, gargalhando.

-Não tenho tempo para prolongar os amassos- ela riu, me encarando um pouco confusa- Quero que vá lá pra casa comigo- tirei uma mecha de cabelo do seu rosto, de frente para ela.
-Porque?- perguntou.
-Ué, não posso querer ficar com você lá em casa?- O.o
-Pode, mas....
-Anda, coloca uma roupa e vem comigo- pedi interrompendo-a.
-Ta bem, eu hein- riu se entender muito bem, mas foi até o closet pegar uma roupa- Então... -voltou com algumas coisas na mão- O que fez no seu dia?
-Nada de muito interessante- dei de ombros. Mas eu tinha certeza que ela perguntara porque sabia que eu estava com Selena mais cedo- E você?
-Posso te perguntar uma coisa?- fez careta, sem responder a minha pergunta.
-Diga- incentivei, já sabendo do que se tratava.
-O que você estava fazendo com a Selena?- questionou, hesitante.
-Nada do que está pensando- ri sem humor, calmamente. Chamei-a com um gesto e ela veio se sentar no meu colo.
-Mas eu não pensei em nada- disse inocente- Eu só queria saber...
-Tudo bem, você tem o direito de saber o que eu faço- sorri- Mas posso te contar daqui a pouquinho?- fiz careta.
-Não importa- sorriu e passou os braços ao redor do meu pescoço, me abraçando.
-Quer que eu saia? Pra você se arrumar?- perguntei- Pode ir assim se quiser, eu não me importo- dei de ombros, rindo.
-Se eu não tivesse que sair na rua para chegar à sua casa, iria assim- afirmou- Pode ficar- me deu língua, me empurrando e fazendo com que eu deitasse na cama.
-Você tem algum plano para hoje a noite?- perguntei distraído, mexendo no ursinho que eu dera para ela.
-Meu plano era ficar com você...- respondeu enquanto se trocava- Você disse "mais tarde a gente se encontra"- imitou minha voz.
-Eu não falo assim- murmurei rindo.
-Tanto faz- deu de ombros- Porque a pergunta?
-Tenho planos para nós- me sentei novamente na cama, sorrindo em sua direção. Ela estava sem blusa, usando apenas o sutiã.
-A noite toda?- O.o me encarou.
-Se você quiser...- dei de ombros, sorrindo maliciosamente, divertido.
-SE, meu querido, SE eu quiser- ela repetiu, balançando a cabeça em reprovação e com um leve sorriso no rosto.
-Ah, Demi- ri- Não estraga, poxa- resmunguei decepcionado e ela riu, colocando a blusa.
-Estragar o que? Quem mandou ficar fazendo planos?- nós rimos e eu fui até ela.
-Está ponta?- perguntei, segurando sua mão.
-É, eu acho que da pro gasto- fez uma careta engraçada.
-Linda- sussurrei e lhe dei um beijo no pescoço.
----------------------------------------------------------

Continua...
MIL desculpas. É que assim, eu ia postar ontem, mas só daria à noite e com esse negócio do VMA não deu mesmo :/ Mas eu espero que tenham gostado e se eu conseguir terminar de escrever o próximo, eu posto hoje, tá? ;) Esse é o penúltimo, hein, gente!?! :/ E O TWEET DO JOE PARA A DEMI? *O* _soltando fireworks aqui_ <333 Awwwwn gente! #Jemi :3 Bom... obrigada a todos, eu amo vocês <33


4 de set de 2012

Be Yourself- Chapter 88


Chapter 88- Feels like a dream...

-Deveria estar feliz- levantei minha cabeça, olhando para trás, sem poder acreditar que era realmente essa voz.
Ele se sentou ao meu lado, tinha um leve sorriso no rosto e permaneceu quieto, encarando a rua enquanto eu procurava alguma palavra que saísse da minha boca.
-Eu... estou, não tem como não estar- forcei um sorriso.
-Você foi incrível, parabéns- me encarou- Eu sabia que conseguiria e que seria a vencedora.
-Eu... queria te agradecer de novo- sussurrei, tímida- Pelo que disse e muito mais por ter ido. Você não sabe o quanto significou para mim, Joe.
-Já disse que não perderia por nada- sorriu- Não precisa agradecer, eu prometi que estaria ao seu lado- sorri quando ele disse isso- Mas... então... o que faz aqui?
-Estou pensando na vida- dei de ombros.
-Porque não está comemorando? Com os seus pais, seus amigos...?- perguntou curioso- Foi uma apresentação linda, é motivo para comemorar.
-Não estou com vontade de ficar com ninguém- sussurrei, mexendo distraidamente em uma pedrinha que estava no chão.
-Tudo bem, já vou saindo- levantou as mãos, pronto para se levantar.
-Você entendeu- ri e ele fez o mesmo, se voltando para mim- Não estou para comemorações.
-Pretendia passar a noite aqui? Com os vira-latas, insetos...?- soltei uma gargalhada.
-Só queria um tempo pra não pensar em nada.
-Estou achando que estou atrapalhando- fez careta- Estou te fazendo pensar?
Gargalhei novamente e ele riu junto comigo. Eu senti falta das brincadeiras e do jeito palhaço, as risadas que ele me fazia dar.
-Como me achou aqui?- perguntei interessada.
-Bom... o Lucas estava te procurando quando fui ao camarim para falar com você... Selena e Miley me disseram que não sabiam onde estava e que não tinha ido com seus pais... eu vim andar, te procurar- deu de ombros.
-E como sabia que eu estaria aqui?- franzi o cenho.
-Te conheço- respondeu simplesmente. Sim, ele me conhecia melhor do que qualquer um.
-Lucas estava me procurando?- perguntei um pouco insegura, mas estava curiosa. Além disso, haviam coisas que eu gostaria de falar com Joe. Precisava falar com ele.
-Sim, eu não sei o que ele queria... só parecia um pouco irritado- fez careta- Saiu sem falar com o namorado?- senti algo estranho em sua pergunta, mas era a oportunidade perfeita.
-Não estamos namorando...
-Tudo bem, ficante- concertou.
-Não, eu... falei que não queria mais nada com ele- suspirei- Sabe, Joe... eu estraguei a minha vida, de novo. Eu cometi os mesmos erros e dessa vez... foram até piores- hesitei em falar e mesmo que ele tenha entendido, manteve a atenção no que eu falava-  Não sei como eu fiz isso, mas eu só sei que o Lucas me fez muito mal.
-Porque ta me falando isso?- perguntou receoso, educadamente.
-Porque eu precisava falar com alguém- sussurrei- Precisava que você soubesse disso.
-Eu...- percebi que ele procurava as palavras a serem ditas, com muito cuidado e ainda estava confuso.
-Por favor, só escuta- pedi, respirando fundo e me virando para ele- Eu não ia dançar porque você não estava lá, era o único motivo. Eu achei que nunca mais fosse ouvir a sua voz ou ver o seu sorriso. E eu precisava disso. Só de você ir até lá, toda coragem voltou o o medo sumiu, por causa de você. Aquilo que me disse, o modo como falou comigo... o fato de estar aqui agora.
-Demi, eu... pedi que não se prendesse a mim- disse- Além disso você seguiu a sua vida, com o tempo isso ia passar.
-Então porque você veio?- perguntei, já sabendo o que ele responderia- Porque se importa. Joe... o que eu deixei que acontecesse entre eu e o Lucas foi maluquice, eu me odeio por isso. Foi a pior coisa que eu já fiz na vida.
-Você fez a mesma coisa comigo antes, a história se repetiu- ele afirmou.
-Mas eu te amava- corrigi- Eu te amo- sussurrei, abaixando a cabeça.
-Isso não...
-Me desculpa- o interrompi- Me desculpa por ter sido idiota e por te fazer de idiota também. Não sei se alguma coisa mudou entre a gente só porque você fez aquilo lá dentro, ou porque está aqui, mas eu quero que mude. Joe... me perdoa, por favor. Eu não te enrolei porque queria ou porque deixei de te amar, pelo contrário, eu tinha medo de dar outra chance e te perder para sempre. E eu acabei perdendo.
-Eu te desculpo, Demi- sussurrou enxugando uma lágrima teimosa que caíra. Desviei o olhar, sem acreditar naquilo, ele forçou um sorriso- É sério.
-Eu demorei um tempo, mas foi só porque eu não queria aceitar a realidade. Eu queria provar a mim mesma que estava tudo bem sem você, que seria suficiente só com a amizade, mas eu sabia que não conseguiria, e você desistiu antes de mim. Só que... eu confio em você e eu sei que não me decepcionaria. Eu não havia guardado rancor de você pelo que aconteceu com a Ashley, no começo sim, mas depois, eu só ficava repetindo para mim mesma que você tinha feito aquilo porque não me amava mais, numa tentativa de colocar isso na minha cabeça, de acreditar. Porque eu queria isso, achar que tinha uma desculpa. Mas não, Joe. Eu não consigo viver sem você, eu nunca consegui- suspirei, mantendo a calma.
-Tem certeza do que você está falando, Demi?- perguntou receoso, com a voz doce- Você não precisa se sentir pressionada só porque quer a minha amizade.
-Eu não vou fazer você ser meu amigo, sabendo que não quer- garanti- E eu não quero também- disse quando vi que ele falaria alguma coisa- Eu não sei se você vai acreditar em mim, mas eu nunca deixei de te amar, você sabe disso. Eu quero que me perdoe pelo que eu fiz, mas além disso, preciso que me de uma chance para te responder. Responder que eu não quero mais pensar, que eu desisto de lutar contra isso. Responder que eu quero você de novo, eu quero ser sua de novo- olhei dentro de seus olhos, com os meus já marejados e o medo estampado em meu rosto.

Ele abriu um leve sorriso e desviou o olhar, abaixando a cabeça e encarando o chão. Segurou uma de minhas mãos, entrelaçando nossos dedos e logo voltou seu olhar para o meu. Ele ainda sorria, aquele sorriso lindo, sincero, fofo, discreto. Se aproximou de mim, ficando literalmente cara a cara comigo. Não estávamos tão colados assim, mas bem mais próximos.

-Me desculpa- sussurrei novamente- Me da outra chance, por favor. É só o que eu peço, Joe... eu te amo, não é mentira, eu nunca estive tão certa de alguma coisa antes. Nunca quis te perder... eu preciso de você- minha voz era quase inaudível.
-Shiii- pediu e selou nossos lábios com um selinho calmo, doce e demorado. Seus lábios molhados em contato com os meus novamente era a melhor sensação- Você não precisa me pedir outra chance- sorriu- É só me responder que ME da outra chance- piscou.
Ri em meio a algumas lágrimas e me lembrei de todas as chances que ele havia me pedido, mas também de todas que havia me dado.
-Eu desperdicei muitas também- afirmei- Mas se isso basta, eu te dou outra chance- brinquei e ele sorriu.
-Me desculpa por tudo que eu te disse, tá?- pediu, claramente arrependido- Era mentira, eu juro- rimos e ele depois ficou sério- Eu só queria que achasse realmente que não tinha volta, achei que fosse aprender a conviver com isso.
-Você me convenceu... quando disse que queria que eu sumisse da sua vida- sussurrei, o encarando, com uma dor no coração por repetir aquilo.
Ele fez uma careta e me puxou para perto, encostando minha cabeça em seu peito e beijando o topo da minha cabeça.
-Eu nunca me arrependi tanto de ter falado alguma coisa na minha vida como naquele dia- sussurrou em meu ouvido.
-Ta tudo bem- garanti, o envolvendo com meus braços e apenas sentindo o carinho que ele fazia em meu cabelo- Você já provou de todas as maneiras que podia que me amava. Eu não percebi isso antes.
-Hum.... pensando bem, eu também te dou uma segunda chance- disse brincalhão, se afastando e rindo comigo.
-É sério mesmo isso?-perguntei depois de um tempo em seus braços, com um sorriso no rosto, sem poder acreditar.
-É claro que é- riu confuso- Porque a pergunta?
-Não sei, é que.... é meio inacreditável, parece sonho... eu tive tanto medo que não tivesse mais você... medo disso não acontecer mais- disse brincando com nossos dedos.
-Fica tranquila, eu não consigo conviver muito tempo sem você- sorri enquanto ele falava- Não precisa mais ter medo. Além do mais, da última vez que ficamos tanto tempo separados nos beijamos umas sete vezes, transamos e ainda nos beijamos de novo...- disse contando de forma engraçada. Enterrei minha cabeça em seu peito, gargalhando- Eu tenho certeza de que não conseguimos nos separar.
-Sabe de uma coisa?! Além de te pedir desculpas, eu devia agradecer de novo- saí de seu colo, me sentando bem na sua frente novamente, ele me encarou confuso- Mesmo depois de tudo, você sempre esteve lá para mim, como prometeu. E ainda depois de dizer tudo aquilo, você continuou aqui. Você não existe, Joe...
-Sabe de uma coisa?!- eu ri- Eu te amo muito, tá?- me abraçou por trás- E eu não vou te deixar sozinha, nunca- depositou um beijo no meu pescoço.
-Eu te amo também.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
-Já está tarde, você quer ir para casa? - ele perguntou- Eu te levo.
-Claro- forcei um sorriso.
Já havia se passado algum tempo, talvez uma hora ou duas desde que começamos a conversar. Eu ainda não acreditava no que estava acontecendo e me perguntava se amanhã, quando acordasse, tudo continuaria assim. Porém dessa vez, eu tinha essa certeza.
Eu tinha medo, no começo, mas depois de tudo aquilo sabia que as coisas seriam melhores. Nós não havíamos trocado quase nenhum beijo, apenas um ou dois selinhos. Permanecemos mais na conversa e eu achava isso... estranho. A nossa relação tinha se tornado estranha. Ele jurou ter me perdoado, tudo estava bem novamente, não?

Caminhamos juntos até o estacionamento do teatro. Nada de mãos dadas ou abraços, apenas jogando conversa fora. Mesmo assim, poucas palavras eram ditas. Eu não sabia o que se passava na cabeça dele, mas eu me sentia um pouco envergonhada, talvez por não conseguir colocar na minha cabeça que era apenas Joe ali, meu Joe. Isso tudo que aconteceu me deixou um pouco apreensiva sobre como seria.

-É impressão minha ou você está pensando no que exatamente está acontecendo entre nós?- assim que chegamos no carro ele perguntou. Eu estava encostada no veículo e ele colocou uma das mãos ao meu lado, se escorando e ficando na minha frente.
-Como assim?- hesitei tímida.
-Está confusa- ele acusou, com uma carinha fofa.
-Ta tão na cara assim?- perguntei, fazendo uma careta.
-Eu só adivinhei- riu sem humor, me encarando.
Com a outra mão_que não estava apoiada no carro_ ele segurou minha e me beijou profundamente, com muita calma e carinho. Cuidadosamente, sem pressa alguma, sua língua pediu passagem, brincando com a minha novamente. Eu havia sentido falta daquilo, mas acima disso, sentia falta do carinho, de como ele me fazia sentir. Do cuidado e respeito que tinha por mim.
Nos separamos com alguns selinhos e ele abriu a porta do carro para que eu entrasse, fazendo o mesmo logo em seguida. 
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
-Você precisa ir para casa?- perguntou se endireitando na cadeira, ficando de frente para mim assim que chegamos na casa dele__ao lado da minha.
-O que quer dizer com isso?- sorri divertida.
-Eu quero passar um tempo com você- disse calmo- E tirar esse clima estranho, você ta bem?- perguntou fazendo careta e eu soltei uma gargalhada.
-To sim- sorri- Quer saber? Eu não to nem aí pro que aconteceu, fingi que a gente nunca se separou- sugeri e lhe dei um beijo.
-É uma boa ideia- sorriu e segurou minha nuca, aprofundando o beijo.
-E eu não preciso ir para casa- afirmei, em meio ao beijo.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
-Vocês.... voltaram?- Selena e Nick perguntaram juntos, enquanto entrávamos na sala, de mãos dadas.
-Sim- sorri e lhe abracei, beijando sua bochecha- Voltamos.
-EU. NÃO. ACREDITO! COMO FOI ISSO?- ela levantou e veio até nós.
-AHA! Eu disse que não passava dessa noite!- Nick veio até nós.
-Ah....- Demi sorriu, pronta para começar a contar.
-Nós conversamos depois- pisquei e a puxei comigo, subindo os degraus enquanto Selena protestava.
--------------------------------------------------------------
Joe on:
-Você não sabe como eu senti a sua falta- sussurrei em seu ouvido, a abraçando por trás e entrando no quarto.
-E você não sabe como eu tive medo de que você não me perdoasse- ela disse.
A levei até a cama e me sentei, colocando-a em meu colo, ainda com meus braços ao seu redor.
-Eu te perdoei no primeiro pedido, Dems- sorri e ela fez o mesmo.
-Não só perdoasse... eu achava que você não me daria outra chance- sussurrou.
-Mas eu te dei outra chance no primeiro pedido- repeti, rindo.
-Como?- virou a cabeça para me encarar.
-Quando começou a se desculpar, eu já havia decidido. Era óbvio que eu queria você para mim de novo- ela abriu um sorriso enquanto eu falava.
-Mas então porque me deixou continuar a falar?- perguntou confusa.
-Queria ouvir o que tinha a me dizer- ri e ela me deu um tapa no braço.
-Engraçadinho... me deixou dizer aquilo tudo pra nada?
-Não foi pra nada, eu queria ter certeza de que sabia o que estava fazendo- beijei sua testa- Não vou te perder de novo.
--------------------------------------------------------------------------------

Continua...
Awwwwn gente! VOLTARAM!! \O/ Podem comemorar!! *O* *O* *O* hahaha parabéns a quem acertou... :DDDD hehe bom, eu espero que tenham gostado, mesmo! Eu, obviamente, amei, né?! Tava louca pra começar a escrever partes de Jemi de novo *-* Bem, comentem muito, tá? OBRIGADAAAAA a todos, mesmo! Esses elogios me deixam sem palavras! <33 Ah, uma coisinha, eu estou correndo MUITO pra conseguir postar todos os dias. Principalmente porque agora está resumido e os capítulos estão enormes! Então eu escrevo pra caramba e só faço um capítulo... :s mas eu estou falando isso porque não terminei o próximo... eu vou tentar terminar hoje, mas não garanto nada... vou fazer de tudo para postar amanhã, tá? =P Amo vocês! <33

Beijemis, Bruna! 

3 de set de 2012

Be Yourself- Chapter 87


Chapter 87- Joe...


Parei enfrente ao espelho, encarando meu reflexo. Fui tirando a roupa lentamente. Quando me encarei novamente, ali, apenas de lingerie... só desejei ter Joe ao meu lado novamente. Duas semanas haviam se passado e ele fez como o prometido. Não falou comigo nem ao menos me olhou. Eu ainda não havia conseguido concertar meu coração, tudo parecia desmoronar quando eu me deitava ou passava um tempo sozinha, pensando. As lágrima, o choro... tudo isso fazia parte de mim agora.
Eu precisava fingir um sorriso, felicidade, quando estava com Lucas e ele nem se importava. Porque eu não estava bem e qualquer um que olhasse em meus olhos e prestasse um pouco de atenção perceberia isso, mas não ele. Todos sabiam que eu fingia quando chegava com um sorriso mas eu só podia continuar a fazer isso.

Eu fingia ser quem não era, cometia os mesmo erros, piorava a cada dia, me deixava levar pelas mesmas mentiras. Meu coração estava quebrado como um espelho e eu tentava juntar os cacos, nada estava fácil.
Me olhei novamente e outra coisa veio em minha cabeça, algo que martelava aqui dentro a muito tempo. O modo como eu havia deixado acontecer entre eu e Lucas. Como fui capaz de deixá-lo me tocar, como me rendi a ele de forma que nunca fiz antes. O fato de tudo aquilo ter acontecido entre mim e Joe, não me impediu, em um momento de fragilidade, de me entregar. Eu não deveria ter feito isso, não mesmo. Mas com o passar do tempo, enrolar os garotos dessa forma foi ficando complicado e isso se tornou impossível com Lucas. Do mesmo jeito, Joe era o único que me respeitava e me tratava como algo valioso.


Amanhã seria sábado, dia da apresentação do ballet. Ensaiei duro nos últimos dias e tentei me concentrar ao máximo. Tentava usar isso como uma distração e por mais que fosse complicado, eu precisava de foco, apenas isso agora. Havia ensaiado muito e se aproximava a hora de fazer o esforço valer a pena. 
Sempre pensava no que aconteceria entre eu e Lucas, pois tinha o pressentimento de que estava por acabar, eu deveria tomar uma decisão e não erraria. Mas deixaria passar a apresentação, já que essa cumplicidade entre nós era necessária. Eu estava com medo, ansiosa e principalmente inconsolável. Eu não tinha um abraço, carinho, ou simples gestos que compensassem o que eu sentia, não tinha mais nada.
Tomei um banho e fui me deitar, pronta para o dia seguinte. Deixaria os problemas para amanhã, precisava descansar, não só meu corpo, mas também meu coração.
----------------------------------------------------------------------
-É hoje o grande dia- Miley me cutucou sorridente, enquanto preparávamos minha maquiagem.
-Eu estou tão nervosa...- confessei, minhas mãos tremiam e ainda faltava muito tempo.
-Calma, Demi... você vai se sair super bem! Vai ganhar aquela competição, eu tenho certeza!- Selena garantiu, se levantando da cama e vindo até mim- E ainda faltam 3 horas, gata.
-Exatamente. Eu acho que daqui a duas horas vou ter que retocar essa maquiagem, lá no teatro já...- Miley fez careta.
-Eu acho que quanto mais me mantenho entretida, mas o nervosismo diminui, eu meio que esqueço- dei de ombros.
-E o Lucas, hein?!
-Vou acabar com isso hoje... eu não sei mais o que estou fazendo da minha vida...- suspirei.
-Graças a Deus- Selena disse e nós rimos- Mesmo assim, Demi, você se entregou a ele como nunca fez com ninguém...
-Não importa o que eu fiz... nem sei o que eu tinha na cabeça... ele se aproveitou de como eu estava e eu não me dei conta de que deveria fazer alguma coisa.
-Mudando de assunto... você acha que o Joe vai?- Miley perguntou, tocando no assunto que eu mais evitava.
-Sendo sincera, eu não sei se consigo fazer isso se ele não for- fechei os olhos com força- Mas não espero que ele vá... na verdade eu tenho certeza de que ele não vai aparecer por lá.
-Também acho difícil, Demi- Selena disse- Mas... você é capaz disso e muito mais. Ele estará torcendo por você.
-Não, ele disse que queria que eu nunca tivesse entrado na vida dele... acha que se importa mesmo comigo?! Não...
-Sim, ele se importa. Porque se não, não teria feito metade do que fez.
-Eu prefiro não pensar nisso, vamos nos preocupar só na hora- forcei um sorriso.
------------------------------------------------------------------------------

Joe on:
Como era sábado, dormi até não conseguir mais. Quando finalmente levantei, já eram quase 4h da tarde. Eu não tinha nada para fazer, nem disposição, por isso preferi ficar dentro do quarto, com meus travesseiros e o edredom macio. Mas eu tinha que levantar, já era tarde e eu deveria espantar tudo o que me impedia para fazer o que deveria ser feito.
Tomei um banho demorado e me vesti, colocando uma roupa normal, sem muita produção. Esse não era o objetivo. Comi alguma coisa e passei o resto do tempo que tinha pensando na vida, como de costume.

Tentei não pensar em Demi e consegui, pela primeira vez. Eu estava ansioso para vê-la e minha cabeça não aguentava mais preocupações, talvez explodisse se eu me atrevesse a pensar na nossa briga, ou em como não havíamos trocado uma palavra durante essas duas semanas. Ah, a dor de cabeça constante também foi um dos motivos que me fizeram ficar na cama pro tanto tempo.
-Você vai?- Nick desceu a escada, perguntando.
-É minha obrigação- forcei um sorriso- Eu vou.
-----------------------------------------------------------------------------

Cheguei no teatro e me sentei propositalmente no fundo. Não precisava que ela me visse, mas sim vê-la. Havia chegado cedo e estava sozinho, mas o local já começava a encher. Provavelmente Miley e Selena estavam junto a ela, dentro do camarim. Eu sabia como ela estava se sentindo em relação ao espetáculo e não custava nada estar ali, apenas por um sorriso dela.
Eu ainda me arrependia profundamente do que havia feito, mas tentava não acreditar que fosse mesmo esse sentimento. Tinha certo receio de pensar assim, mas sabia que vê-la não ajudaria em nada e só tornaria tudo isso pior, pior para se suportar. Porém eu precisava fazer isso, não só por ela mas para mim mesmo. Eu não podia negar que me importava.

-Senhoras e senhores, vamos começar o espetáculo- disse uma senhora, sorridente, quando se apagaram as luzes.
Havia se passado uma hora desde que eu cheguei e estava ansioso para ver Demi naquele palco, dando o melhor de si. Eu sabia que ela seria a melhor e que ganharia aquilo, além de representar maravilhosamente a academia. Mas ela seria a última, como se "fechasse" o campeonato. 
Fui paciente durante todas as apresentações e devo admitir que estava incrível. Todas as bailarinas, tudo. Mas ela seria a melhor.

Quando a senhora voltou, eu sabia que havia chegado a hora. Atentei meus olhos para o palco, mas havia algo errado. Todos ao redor estavam tensos e correndo, tentando resolver algum problema. Nem mesmo a moça sabia o que nos dizer.

-Tivemos um pequeno problema com a participante que fechará o evento- ela disse apreensiva- Vamos dar um intervalo de vinte minutos, podem comer alguma coisa... voltamos logo- sorriu nervosamente.
A primeira coisa que me veio na cabeça foi ir a procura de Demi. Eu não sabia o que havia acontecido nem o que fazer, mas sentia que precisava falar com ela.
-------------------------------------------------------------------------

-Você ficou maluca, Demi?- assim que cheguei ao camarim ouvi Lucas gritar- O que deu em você?
-Lucas, SAI DAQUI!- Miley berrou, enquanto Selena falava com Demi, que chorava.
-Essa doida vai atrapalhar tudo! Eu sabia que ela não era boa o suficiente para isso- resmungou.
Miley o encarou furiosa e rapidamente o empurrou em minha direção, o colocando para fora do camarim. Até então elas não sabiam que eu estava ali. Ele saiu resmungando e Miley me encarou confusa, surpresa.

-Joe?- abriu um sorriso gigantesco e segurou minha mão, me puxando para dentro.
Automaticamente, Demi e Selena levantaram a cabeça e me encararam, muito surpresas. Eu já sabia que ninguém esperava que eu fosse.
-Graças a Deus, a salvação chegou- Selena sorriu, ainda ao lado de Demi, que apoiou os cotovelos na bancada a sua frente, virada para o espelho e levou seu rosto até as mãos.
Lancei um olhar para as duas, que entenderam o recado. Elas saíram e eu me aproximei, me agachando ao lado de Demi.
-Você tem uns...- olhei no relógio- 15 minutos- disse de forma engraçada, fazendo-a rir.
-Eu não sei pra que, era mais fácil terem acabado logo com isso- sussurrou, em meio ao choro. Eu não conseguia ver seu rosto.
-O que houve, Demi?- perguntei com a voz mais doce e tirando o tom de brincadeira.
-Eu não consigo- respondeu simplesmente.
-Olha pra mim- pedi, levantando com calma sua cabeça e tirando uma mecha de seu lado- Você sabe que consegue- afirmei.
-Não- negou rapidamente, balançando a cabeça em reprovação- Todos aqui sabem que eu não sou capaz.
-Diz isso por causa daquele seu parceiro idiota?- perguntei irritado com aquele imbecil- Demi, você é incrível e tudo que faz se torna incrível também. Por favor, pensa em tudo que eu já te disse...
-Porque está fazendo isso?- perguntou, confusa.
-Você não tem tempo pra isso- forcei um sorriso- Entre nesse palco e mostra do que você é capaz. Você nasceu para brilhar, Dems, acredita em mim. Eu não estou mentindo. Você é a melhor.
-Eu estou insegura... parece que todo o esforço não serviu de nada- disse angustiada.
-Demi- a parei, antes que ela falasse mais alguma coisa- Todos estão torcendo por você e vieram te ver. Você consegue, por favor, coloca um sorriso lindo nesse rosto e arrasa- pedi, ela forçou um sorriso.
-Eu consigo- sussurrou para si mesma, encarando o espelho.
Enxuguei suas lágrimas e ela sorriu, parecendo realmente mais segura.
-Escuta, você vai ganhar isso, eu sempre tive certeza- disse suavemente- Vai lá e mostra que você consegue. Passa por cima do medo e da o seu show. Não vai ser só mais um obstáculo que vai te parar- garanti.
-Obrigada- me encarou, realmente agradecida- Eu me sinto muito melhor agora- sussurrou.
-Não me agradeça, só ajeite a maquiagem em 5 minutos- disse e ela riu.
-Você... veio- suspirou depois de alguns segundos, sorrindo e com a cabeça baixa.
-Eu não podia deixar de vir- garanti- Eu tenho muito orgulho de você, sabe disso. Vou estar torcendo para a minha bailarina preferida- acariciei sua bochecha e lhe dei um beijo no topo da cabeça.
-Eu juro que já tinha desistido quando você chegou- confessou.
-Mas agora você vai entrar naquele palco e mostrar quem é Demetria Devonne Lovato. Prova para todos que você é muito melhor do que todas e joga na cara daquele Lucas que ele não presta- pisquei e ela gargalhou.
Lhe dei um rápido e carinhoso abraço e procurei Miley, que ficou por lá para retocar a maquiagem de Demi. Voltei para o meu lugar, com um grande sorriso no rosto, principalmente por tê-la feito sorrir. Esperei mais ansiosamente alguns poucos minutos e as luzes se apagaram, anunciando-a.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Seus movimentos eram leves, como sempre, e precisos. Ela dançava graciosamente e por mais que aquilo tivesse acontecido com Lucas, eles disfarçavam bem, ou já haviam se acertado. Eu estava feliz por ter conseguido fazê-la tomar coragem, colocar um sorriso no rosto e seguir. Não esperava que isso mudasse o que acontecia entre nós, mas tive que deixar de lado essa palhaçada por um tempo e falar com ela. E, mesmo achando que Demi não olharia na minha cara, percebi que ela queria que eu estivesse lá.
Seus olhos estavam atentos, mas ela não parecia se preocupar muito com nada, eu via que ela definitivamente só fazia o que amava e era por isso que, quando a senhora voltou para anunciar o vencedor, eu já sabia a resposta.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Demi on:
Eu definitivamente devia aquele prêmio à Joe. Sem ele ali, me dizendo tudo aquilo e me dando aquela força que eu precisava, não teria entrado naquele palco nunca. Na verdade, a única coisa que eu precisava era da presença dele ali e ele me surpreendeu ao ir falar comigo. Selena estava certa, ele sem importava.
Eu deveria estar feliz, claro, e estava. Mas em vez de comemorar, troquei minha roupa, tirando a maquiagem e colocando uma coisa leve. Agradeci àqueles que foram me parabenizar e depois de algum tempo disse a meus pais que iria embora mais tarde, que eles fossem na frente. Me despedi de todos e saí sozinha do teatro, só queria pensar.
Pensar em como tudo que ele me disse mudou minhas decisões, como o clima não ficou estranho e se aquilo seria motivo de esperanças. Eu só queria ele, só precisava dele. Eu não queria colocar em minha cabeça que a conversa apenas aconteceu e não mudaria nada. Não queria que aquilo que voltei a sentir por alguns minutos simplesmente desaparecesse.

Me sentei na calçada, no escuro, sozinha. A rua estava deserta e se fosse em um outro dia eu não me sentaria ali. Mas hoje eu nem tinha pensado duas vezes, não me preocupava com isso. De longe, eu via o restante das pessoas saindo do teatro, mas estava longe o suficiente para que não me vissem. Tentei não pensar em nada, e talvez tenha conseguido. Porque era tanta coisa na minha cabeça que eu não sabia no que pensar primeiro. Independente disso, eu tinha uma certeza: meus pensamentos sempre acabariam em Joe.

Continua...
Heeey! Bom, tudo melhorou, né? AAAAWN *-* Até eu estou feliz! hahahahaha enfim... estou atrasada para a aula de canto já, então só passei mesmo para postar esse! MUITO obrigada pelos comentários, vocês são maravilhosos e eu só quero agradecer a tanto carinho e a quantidade de visualizações! *O* MUITO OBRIGADAAAAA! <333 AMO vocês! E espero que tenham gostado, eu achei fofo *-* Ficaram mais felizes e calmos? :3  Comentem muito, tá? :^)

Beijemis, Bruna! <3

2 de set de 2012

Be Yourself- Chapter 86


Chapter 86- "Us"...

Joe on:
Me irritei com Nick e com os meninos, já que eles não paravam de me encher a paciência falando de Demi. Aproveitei o cansaço e a falta de vontade incomum de fazer qualquer coisa e fui para o meu quarto, peguei o violão e comecei a tocar algumas notas soltas... só para passar o tempo e me acalmar.

-Entra- resmunguei quando bateram na porta, pensando que seria algum dos meus maravilhosos amigos que importunavam a minha pessoa.
-Ér... oi- por um segundo achei que estivesse tendo alucinações. Eu estava tão louco assim, a ponto de ouví-la? Involuntariamente levantei minha cabeça e sim, ela estava na minha frente. Miragem?
-Você..porque...- nada que prestasse saía da minha boca- O que está fazendo aqui?- perguntei finalmente.
-Ué... você não queria conversar comigo?- perguntou confusa, rindo sem humor.
-Não, eu... de onde tirou isso?
-A Selena disse que queria falar comigo... você mandou ela me chamar lá em casa...- explicou.
-Não, eu....
-AGORA FIQUEM AÍ ATÉ SE RESOLVEREM- ouvimos Selena gritando e a porta foi trancada.
-O que?- gritei, caminhando na direção que Demi estava- Selena, abre isso!- exigi, sem sucesso.
-Ela já disse, vocês não saem daí se não se resolverem- Nick disse, calmamente- Boa sorteeeee- cantarolou.
-NÃO! Nick! Abre isso!- bati na porta, tentando abrí-la, sem sucesso.
-Ah, fala sério- Demi resmungou- Eu devia ter desconfiado.
-Eu mato esses dois quando sair daqui- afirmei.
-Puxa vida, então não vai ser tão cedo- deu de ombros, caminhando para longe de mim.
Ela se sentou dentro do closet, em um canto, sozinha. Tentei abrir a varanda, mas parecia que eles haviam planejado até os últimos detalhes. Me deitei na cama, frustrado, bufando impaciente e encarando o teto. Ótimo fim de tarde.

Não pronunciamos uma única palavra, eu já estava ficando agoniado. Não sabia como iniciar uma conversa nem ao menos o que falar. Esperava ter mais tempo para pensar antes de magoá-la.
Não era o que eu queria, meu coração dizia que era errado, mas depois de quase uma hora e meia, aquilo se tronava mais insuportável a cada segundo e deveríamos fazer alguma coisa se não quiséssemos mofar ali.

-Você... acordou agora?- perguntei, sem poder evitar de sorrir, escorado na porta do closet, a encarando.
-É...- fez uma careta, levantando a cabeça para me encarar- Selena me acordou e agora eu estou presa. Para sempre. Que legal.
-Eu... não sei o que te falar mas...- me aproximei, me sentando bem na sua frente- O que você queria me falar aquele dia? Na praia?- seria mais fácil começar por ela.
-Quer mesmo conversar comigo? Você pareceu tão...certo de que não queria mais olhar na minha cara...- deu de ombros, porém eu sentia tristeza em sua voz.
-Disse que conversaríamos quando chegássemos aqui- a lembrei.
-Faz quase uma semana já, Joe- ela avisou.
-Eu achei que você não quisesse mais ouvir nada... já que parecia super feliz com o seu... ficante ou namorado, parceiro de ballet... sei lá o que aquele cara é.
-Mas olha, pra sua surpresa eu quero sim uma explicação- ignorei o tom super irônico dela e respirei fundo.
-Uma explicação para o que? Me diz o que ia falar- pedi.
-Eu só queria saber porque não fala mais comigo, Joe- de repente sua voz se tornou doce, suave, triste, levando embora a frieza de antes- Porque me ignora.
-Porque.... Demi eu não quero mais. Só isso- disse, docemente.
-Não quer mais? Você mentiu quando disse que ainda me amava?- perguntou- Porque me deu aquele beijo?
-Eu não menti- afirmei- Mas eu apenas desisti. Te dei aquele beijo porque tinha certeza de que seria o último...
- Porque você queria que fosse o último-me interrompeu.
-Eu?- ri sem humor- Demi... escuta, eu não tenho outra forma de te dizer isso. Eu cansei de você, é verdade.
Ela abriu a boca para falar algo, mas nada saiu. Seus olhos ficaram marejados e eu me controlei para não abraçá-la e tirar o que tinha dito.
-Você tinha todo direito de terminar comigo quando eu fiquei com a Ashley, mas porque continuou dando uma "chance" a nós se sabia que não teria futuro?- continuei.
-Eu não sabia que não teria, Joe- sua voz falhava- Precisava pensar...
-Mais? Por favor, fale tudo, menos que precisava pensar. Eu te dei muito tempo e por mais que tenha te magoado daquela vez, eu provei que te amava. Provei que estava arrependido e tentei de tudo, de tudo mesmo para continuar com isso.
-Eu não sabia o que fazer...
-Isso me irrita, Demi. Essa sua insegurança- disse- Não da pra suportar mais isso! Você não foi a única que saiu machucada ou magoada, não. Já parou para pensar no que eu senti?
-Joe, você me beijou, fez tudo o que fez porque quis!
-Mas porque você deixou? Demi, o que eu quero que entenda é que por mim, nós já estávamos juntos a muito tempo, não tínhamos nem nos separado. Mas você complicou isso.
-Não fui eu que te traí.
-Isso de novo não- bufei impaciente, levando as mãos a cabeça- Você não tem o que me dizer, certo? Fica dando essas desculpas mas no fundo não sabe o que falar.
-Você disse que entendia...
-E eu entendo- sussurrei, calmo- Mas não queria que me enrolasse, Demi. Bastava chegar e falar "acabou, eu não quero mais".
-Eu falei isso quando terminamos- avisou.
-Mas não me parou nas outras vezes. E eu sei que errei com você, mas pelo que eu sei, você não guarda rancor.
-Eu fiquei magoada, Joe... e aquilo não passou até agora.
-Tudo bem, eu te "traí". Mas pelo que eu sei, você já arrumou outro. Eu fui o único a desistir? Eu corri atrás de você, Demi. De todas as formas que eu pude.
-E eu não fiz o mesmo- completou, abaixando a cabeça.
-Nem adianta. Enquanto você tiver essa dúvida cruel na sua cabeça, nada vai funcionar- garanti- Esquece. Além disso, a fila anda, siga em frente. Não foi o que você me disse?
-Eu fico pensando se tudo que aconteceu entre a gente valeu a pena- sussurrou.
-Me responda então, valeu?- ela não respondeu, apenas permaneceu calada- Eu não sei porque ainda tento. Durante esse tempo eu te dei espaço para pensar, te deixei em paz quando me pediu e ao mesmo tempo não me afastei. Mas porque continuar a te amar se não vai levar em nada?- disse exaltado- Olha, eu desisto. Não importa o que eu prometi, porque você também não cumpriu. Se você ficou esse tempo todo pensando no que fazer, e agora continua não tendo uma resposta, é porque realmente, pra você não valeu a pena.
-SIM, VALEU!- gritou, algumas lágrimas já caíam- Tanto valeu que eu continuo aqui, chorando por você, porque é a única coisa que eu posso fazer quando sinto essa dor.
-Chora porque quer! Já era pra eu ter acabado com isso a muito tempo, desde aquela conversa onde eu disse que nunca te deixaria. Mas sério, eu continuei ao seu lado, mesmo sabendo que não era certo. Eu continuei com você, enquanto dentro de mim tudo gritava, tudo estava confuso aqui- apontei para meu coração- também.
-Joe, eu... não é isso...- ela escolhia as palavras com cuidado.
-Como não? Eu vou seguir a minha vida, porque correr atrás de você é perda de tempo.
-Eu só pensei em como queria ter você de novo durante esse tempo...
-Caraca, para com isso, Demi. Já virou repetitivo- resmunguei irritado- Para de dizer o que você não sabe. Eu estou desistindo porque você não quer. Eu te dei todas as oportunidades para isso e você deixou passar- respirei fundo- Olha nos meus olhos e diz que não me ama- pedi a encarando como nunca fiz antes.

Seus olhos estavam marejados e eu não queria vê-la chorar mais. Não por mim, mais uma vez. Mas agora eu não tinha o que fazer, além de deixá-la. Porém eu queria uma resposta, queria saber se ela ainda me amava como dizia. Uma coisa eu não entenderia, não sabia porque ela dificultava tanto se sentia aquilo por mim.
Ela abaixou a cabeça, negando discretamente. Ela não conseguia.

-Era só o que eu queria saber- disse me levantando. Fiquei um tempo parado mais longe dela, mexendo com a mão freneticamente no cabelo- Eu te amo, Demi. Mas às vezes eu só queria que você sumisse da minha vida.

Bastou aquilo e ela saiu dali chorando mais do que eu já vira antes. Ela soluçava e as lágrimas desciam descontroladamente.
Eu estava extremamente arrasado por ter dito aquelas últimas palavras, mas no momento, era a mais pura verdade. 

-Você não pode dizer isso- sussurrou, sua voz quase não saía.
-Quando disse que precisava de coragem pra te falar isso era verdade- suspirei- Não quero ser mais seu amigo, não quero mais nada, Demi. Dessa vez eu não vou voltar atrás, esquece que eu existi, nunca mais me procura e com o tempo isso passa.

Ela me encarou incrédula, seus olhos vermelhos e a respiração completamente alterada. Não acreditava no que havia dito, nem ela. Era como se eu tivesse dito o maior absurdo e poderia mesmo ter sido isso. Seu choro doía em mim, seus soluços eram como cortes no meu coração. Eu precisava sair dali, mas ela foi mais rápida.

-SELENA! ABRE ESSA PORTA! ME TIRA DAQUI AGORA- gritou, tirando a voz não sei de onde. Suas palavras eram forçadas, por conta do choro e ela quase implorava- POR FAVOR! EU NÃO AGUENTO MAIS!

Selena abriu a porta mais rápido do que eu pensei e meus olhos estavam presos em Demi, eu só ouvia seu choro e aquilo me deixava completamente acabado. Selena estava confusa, mas assim que viu Demi a abraçou com força, levando-a para longe dali. Nick estava bem atrás, confuso, me encarando, como se perguntasse o que eu fiz.

-Obrigada, a ideia de vocês foi mesmo necessária- resmunguei, sem nem mesmo saber se era para ser irônico ou se seria verdade. Não era meu objetivo machucá-la dessa forma, porém eu sabia que faria isso e estava satisfeito por ter terminado. Agora era aprender a viver novamente.

Deitei em minha cama com as mãos tapando o rosto e os pensamentos confusos. Se ela havia realmente desistido não era mais da minha conta. Porque dessa vez era eu quem deixaria tudo para trás. O que eu queria que ela soubesse já tinha do dito várias vezes e ela sabia muito bem como eu me sentia, e tudo que foi dito agora só marcava o fim.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Demi on:
-Foi horrível, Selena...- reuni todas as minhas forças para conseguir sussurrar aquilo.
-Meu Deus, me desculpa, Demi.... olha... eu... quer água? Um calmante? Me desculpa, eu só queria que tudo desse certo, queria ajudar vocês, não imaginei que fosse acontecer... isso...- ela dizia rapidamente, preocupada.
-Pode me deixar sozinha? Por favor?- perguntei, limpando as lágrimas- Além disso já está tarde.
-Ah não, Demi... olha... você tem que se acalmar...
-Não vou fazer nada, juro- tentei forçar um sorriso- Obrigada.
-Fica bem tá? Por favor....- nos abraçamos por mais um longo tempo- Qualquer coisa me liga, não quer mesmo que eu fique aqui?
-Não precisa, sério mesmo- garanti.
Ela me encarou, ainda super preocupada e sem saber ao certo o que fazer. Por sorte minha mãe e meu pai ainda não estavam em casa e provavelmente não voltariam tão cedo. 
---------------------------------------------------------------
Chorando. Deitada na cama e abraçando os joelhos. Algo que se tornaria rotina, eu sabia. Eu não esperava que ele entendesse, mas também não me imaginava vivendo sem sua companhia, seus sorrisos e abraços. 
Percebi depois de um tempo que dormir era impossível. Só a sensação de fechar os olhos já me causava angustia e eu pensava que deveria me manter de olhos abertos. Não pensei em nada durante todo o tempo, mas mesmo assim sentia como se enchesse minha cabeça de besteiras e idiotices. 
A madrugada foi resumida em lágrimas e arrependimentos. Todos os meus sentimentos pareciam contra mim e nada que eu pensasse tirava essa agonia e dor que meu peito sentia. Pela primeira vez, desde que tudo "acabou" entre nós, senti que definitivamente era o fim. Não por causa do que ele havia dito_ aquelas palavras machucaram profundamente_ mas sim porque eu sabia que não existiria mais aquela cumplicidade entre nós, aquele sentimento que mesmo negado e evitado prevalecia. 

Eu sabia que não existia mais "nós".

Continua...
Triste esse, né? :( Bom, a única coisa que eu posso dizer é CALMA. Tudo se resolve! :) Muito obrigada e eu amo vocês <3 Comentem MUITOOOO! *-* Outra coisinha, a fic vai ter uns 90 capítulos _eu espero_ mais o epílogo! =P E eu espero que estejam gostando! :)

Beijemis, Bruna <3