Visualizações

31 de ago de 2012

Super importante! Leiam!

Sobre a fic...

Oi! Bem... o que eu vim dizer é que eu vou dar um fim a fic, isso mesmo, ela vai acabar. Olha... as coisas "fugiram" do meu controle... eu reconheço que estou enrolando sim, mas não era o que eu queria... desconfiei disso e tudo que eu precisava para tomar essa decisão veio _um comentário confirmando isso. Eu agradeço, sério mesmo :) 
Agora eu vou explicar melhor isso... eu havia dito que tinha um aviso... alguns gostariam outros não... então é isso. Não sei se gostaram, talvez por acharem que eu estava enrolando, ou se ficaram meio chateados... mas eu vou fazer isso. É o seguinte... eu tinha uma coisa na minha cabeça enquanto escrevia os capítulos... tinha a história em mente. Mas quando eu escrevia, não tinha tempo para pensar direito e só escrevia, porque queria postar pra vocês o mais rápido possível, então, no fim, eu acabei enrolando, sim. Não sei quantos capítulos mais vão ter... são só alguns, não chega aos 90, se não me engano. Eu não vou terminar de uma hora para a outra, o que eu vou fazer é resumir ao máximo tudo que eu conseguir. É o que eu estou fazendo. Os capítulos que eu já tinha escrito, eu deixei beeeem grandes, mas os outros continuam grandes, porém sem muitos detalhes, mais resumidos mesmo... 
É basicamente isso... me desculpem aqueles que queriam que eu continuasse, mas estava complicado para escrever e organizar as ideias na minha cabeça...
Obrigada a todos e continuem aquiiiii, comigoooo não me abandonem :( Isso ta parecendo despedida O.o haha enfim... obrigada de qualquer forma e eu amo vocês <3 Amanhã tem mais, já que eu estou conseguindo escrever bem os capítulos e já tinha uns prontos. Pelo que podem perceber, sim, eu quero acabar logo com a fic, por isso postei logo dois grandes e vou tentar ir postando todos os dias, até acabar... isso foi muito além do que deveria. MAS tem outras fics, tá, gente? haha eu vou postar depois dessa e pretendo postar depois da outra, e da outra, e da outra.... assim por diante! ;) 


Beijemis, Bruna *-* 

Be Yourself- Chapter 84


Chapter 84- Bye...

Dentro do carro eu apenas olhava a paisagem passando rapidamente sob meu olhar, sem me impedir de pensar no que me importunava. As preocupações eram infinitas e eu não conseguia tirá-las dos meus pensamentos. Mas acima de tudo eu me sentia triste e desorientada.

Já estávamos próximos de L.A e, por mais que eu soubesse que só faltavam alguns minutos, sentia como se fosse uma eternidade. Eu nunca quis tanto chegar em casa. No começo achei que viajar no mesmo carro que Miley e Liam seria divertido e me ajudaria a esquecer um pouco sobre a vida, mas não era bem assim. Eles riam, conversavam e quando saímos de lá até tentavam fazer com que eu falasse algo, porém depois de um tempo, meus olhos não desgrudavam da estrada e eu não conseguia pensar em mais nada, não prestava atenção às coisas ao meu redor e eles acabaram desistindo. Eu estava concentrada nos prédios e carros que passavam ao meu lado e não ouvia uma palavra do que os dois falavam.
Joe havia pedido a Miley que eu fosse com eles e ela aceitou. Não sei se ele explicou a ela o que havia acontecido de forma que ela me perdoasse, podia também ser pena, mas eu estava me sentindo confortável e eles não me ignoravam mais. Era obvio que Joe não iria no mesmo carro que eu e por um momento foi o que eu mais desejei.

-Demi, você vai ficar em casa?- Miley perguntou- Sua mãe não estava viajando?
-Sim... a ideia era ficar na casa do Joe, mas... pode me deixar em um outro lugar? É um pouco mais distante do que a minha casa...
-Sem problemas, só me diz onde é- sorriu- Deixamos suas malas na sua casa depois, eu tenho a chave- sugeriu.
Concordei com um sorriso e seguimos viagem. Era uma boa ideia, à princípio.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
-Tem certeza que vai ficar bem?- perguntou Liam, preocupado- Quem mora aqui?
-Vou sim- forcei um sorriso, agradecida, saindo do carro- É um amigo meu, parceiro do ballet.
-Demi, você conhece esse cara a menos de um mês. Só se viram uma vez, eu acho- Miley supôs.
-Não tem problema, Miley, sério- garanti, tentando mater a firmeza- Eu liguei para ele antes de sairmos...
-Bom, você sabe o que faz- deu de ombros.
-O Joe não vai gostar de saber disso...- Liam cantarolou.
-Ele só saberá se alguém contar. Aliás, o Joe não tem mais nada haver com a minha vida. O que eu faço ou deixo de fazer é problema meu.
-Demi, você sabe muito bem que ele vai perguntar sobre você. Pode ter sido estranho esse último dia lá, e por mais que não tenham se falado, ele se importa.
-Deixa pra lá, Liam. Eles vão se resolver- Miley disse- Nós estamos indo, qualquer coisa é só ligar- sorriu.
-Obrigada.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Joe on:

-VOCÊ FEZ O QUE?
-Deixei ela na casa do parceiro lá do ballet, Joe- Liam disse com a maior tranquilidade possível.
-E você diz isso assim? Ta maluco?
-Eu hein, a menina que pediu!- tentou se defender.
-Ah, se ela pedir pra você se tacar debaixo de um trem você vai?- sorri cinicamente.
-Escuta, eu não tenho culpa- revirou os olhos- Vai você buscar ela- sugeriu.
-Não vou buscá-la- disse me jogando no sofá- Só espero que ele não seja um maníaco.
-Joe, a Demi já é bem grandinha, ela sabe se cuidar. Além disso, para de se preocupar. Eu sei que é complicado mas se você quer mostrar a ela que realmente acabou, é melhor deixá-la.
Ele estava certo. Quando mais eu me preocupasse pior seria e mais tempo ela demoraria para entender que acabou. Mais tempo também eu demoraria para me convencer de que seria assim.
-Ah, porque a vida é complicada?- suspirei, perguntando a mim mesmo, mas sem esperar que a resposta chegasse.
-Porque a Demi é complicada- Liam riu sem humor, se sentando ao meu lado- Escuta, porque nós não vamos a uma boate?
-Não to afim.
-Eu posso ligar para alguma amiga e vocês....
-Que espécie de pessoa você acha que eu sou?- ele riu com a minha cara- Acho que nunca mais vou a boates pra esquecer da vida.
-E que outro jeito você encontra para "esquecer da vida"?
-Eu não sei. Mas garotas e bebida não estão envolvidos. É muita burrice cometer o mesmo erro duas vezes- levei a mão ao cabelo.
-Agora você não está com a Demi, Joe. Não tem porque se preocupar- afirmou- E eu cuido de você, não te deixo beber muito.
-Cara, isso foi muito gay. Se a Miley sabe disso....
-Ingrato você- sorriu ironicamente.
-Só não quero fazer nada hoje. Acho que vou dormir, sei lá- dei de ombros.
-Não pretende falar com a Demi tão cedo, não é?
-Como tem tanta certeza?
-Eu sei que se você fizer isso vai ceder e tudo vai começar de novo- garantiu.
-Pelo menos eu não sou o único a pensar isso- ri sem humor- Mas uma hora a gente vai ter que conversar. Eu parei de falar com ela de uma hora para outra... Não sei como isso vai ficar.

----------------------------------------------------------------
-Obrigada por me deixar ficar aqui, Lucas- agradeci forçando um sorriso- Meus pais viajaram e eu...
-Não precisa explicar, Demi- disse docemente, se aproximando- Eu queria mesmo passar um tempo com você...
-Isso...é bom- tentei parecer confiante. Ótima hora para ele e suas "segundas intenções" ¬¬
Nos beijamos logo depois que ele me encarou com aquele sorriso malicioso. O que eu queria agora era um simples abraço, ou que me deixassem sozinha. Porém estava com a pessoa errada.
Ele não perdia tempo e foi preciso que fôssemos para a cama para que eu descobrisse esse detalhe. Seus beijos eram impiedosos e ele não queria saber de nada, além de arrancar a roupa_dele e minha_ e "se aproveitar", já que eu estava indefesa o suficiente para que ele percebesse.
---------------------------------------------------------------------

Joe on:
Resolvi colocar uma roupa adequada e dar uma corrida por aí. Precisava esfriar a cabeça e me desligar um pouco do mundo. Na volta para casa comprei um café no Starbucks e ao sair de lá vi Demi na porta da casa de alguém que eu não conhecia, mas ficava a alguns metros da minha casa, ela estava acompanhada de um menino. 

Demorei um pouco para me lembrar onde Liam havia me dito que deixara ela. Claro, como esquecer? Na casa do tal "parceiro de ballet". No começo eu estava apreensivo por não saber quem era ele direito. Ela mal o conhecia e isso me incomodava. Porém depois tive de que convencer de que era puro ciúmes, era inevitável. 

Já estava ficando tarde e a noite caía ao mesmo tempo que eu os encarava de longe. Aquele menino não me causava boas sensações, alguma coisa nele me incomodava,mas ignorar era o que eu devia fazer, era pura besteira do meu coração o que eu sentia quando o olhava. A proximidade entre os dois fazia com que meu sangue fervesse a cabeça e nunca pensei que sentiria algo assim. Parecia estranho, mas eu nunca havia sentido ciúmes de Demi, até porque sabia que ela me amava, era mais por pura confiança. Coisa que agora não existia mais. Eu não confiava em mim mesmo e nem em meus sentimentos, não confiava também naquele cara.

Estava prestes a sair dali quando vi os dois se beijando. Me incomodava de qualquer forma_independente de como fosse o beijo_ mas não foi um qualquer. Ele a puxava para perto e eu estava bem atento, admito. Observei enquanto ela correspondia com desejo, se deixando levar. Ótimo, ela já havia superado, agora mesmo que eu não tinha com o que me preocupar.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
-Ei, Frankie, quer jogar bola comigo?- perguntei assim que coloquei o pé dentro de casa. Quanto menos tempo desocupado, menos tempo para pensar.
-Essa fala não é minha?- ergueu a sobrancelha, surpreso. Não pude evitar de rir.
-Deu vontade de jogar- dei de ombros, mentindo, claro.
-Ta bem- sorriu sapeca e correu para pegar a bola. Pelo menos eu tinha quem me mantivesse ocupado.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

-Demiiiii- ouvi Frankie gritar enquanto soltava de repente a bola, deixando-a cair no chão e fitando-a atrás de mim. Ótimo.
Revirei os olhos, como eu tinha sorte. Tentei evitar de pensar nela e agora a própria estava ali, a centímetros de mim. Frankie correu até ela e lhe deu um abraço. O que eu podia fazer se ela encantava a todos?
-Oi, lindo- ela sorriu, mexendo no cabelo dele.
Peguei a bola e me virei enquanto brincava distraidamente com ela em minhas mãos.
-Oi, Joe- ela levantou os olhos, levando-os até os meus. Forçou um sorriso.
-Oi, Demi- correspondi, desviando o olhar.
-Então, quer dizer que seu irmão resolveu brincar com você hoje, hein?!- ela disse docemente para Frankie. Me conhecia o suficiente para saber que eu não estaria brincando com ele, não naquele momento.
-É, não sei o que deu nele- sorriu, dando de ombros-Joga com a gente, Demi?
-Claro, eu adoraria- sorriu.

Eu aposto que se estivéssemos juntos ela não jogaria. Mesmo que fôssemos amigos ela não aceitaria brincar conosco. Porque fazer isso agora? Revirei os olhos e ela pareceu perceber minha expressão frustrada, mas não ligou.

Durante toda a brincadeira ela manteve seu foco em Frankie. Conseguimos nos divertir sem problema algum, porém nós dois sabíamos que era tudo por ele. Quando saiu para beber água, nos deixando sozinhos, não consegui abrir minha boca para falar nada.

-Achei que Frankie estivesse na casa de algum amigo... ou parente...- comentou, quebrando o silêncio e me deixando surpreso. Ela havia começado bem a conversa.
-Ele estava. Chegou hoje- respondi educadamente- Acho que prefere à mim do que nossa avó- ri sem humor.
-Com certeza- assentiu, permanecendo calada depois.
-E sua mãe não voltou ainda, não é?- perguntei, depois de um tempo.
-É...- deu um longo suspiro- Mas pode contar a ela se quiser, que eu fiquei em casa sozinha... nos entendemos depois.
-Sabe que não vou contar- disse simplesmente- Mas achei que ficaria na casa do Lucas- disse distraidamente, tentando demostrar desinteresse.
-Eu...- ela pareceu surpresa, mas não por eu saber e sim por tocar no assunto. Procurava as palavras mas não saia nada de sua boca- Não, eu... vou dormir em casa mesmo- disse, parecendo nervosa de repente- Saudades de casa- sorriu para disfarçar.
-Acha mesmo que eu não te conheço, não é?- perguntei enquanto girava a bola em minhas mãos, revezando de uma para a outra, encarando-a.
-O que você....
-Voltei- Frankie a interrompeu, sorridente e saltitante. Aquele menino chegava nas horas certas às vezes.
-Só estava esperando que voltasse mesmo- Demi se curvou, ficando próxima e da altura dele- Preciso ir, meu amor- fez uma careta.
-Já? Mas porque não fica aqui com o Joe?- perguntou inocente. Ele também atrapalhava algumas vezes. Demi me encarou por alguns segundos, como se me pedisse ajuda, sem saber o que responder- Você sempre fica aqui...- ele continuou.
-A Demi tem que arrumar as malas, chegamos de viagem agora pouco- falei, forçando um sorriso.
-Já tem muito tempo... você já arrumou suas coisas, já passeou, já dormiu, já brincou comigo, já...
-Tudo bem, já entendi- ri, fazendo um gesto para que ele parasse- Ela teve que resolver algumas coisas e só está voltando para casa agora, Frankie- disse. Porque mesmo eu estava dando satisfações ao meu irmão menor?
-Isso mesmo- ela concordou, forçando um sorriso- Outro dia nós brincamos mais, tá?-ele assentiu.
-Bem, vamos entrando- apoiei minha mão no ombro de Frankie, tentando levá-lo para dentro. Ele deu um abraço e um beijo em Demi. Depois o encaminhei calmamente em direção à casa.
-Vocês não vão se despedir?- perguntou.
-Já nos despedimos- ela riu confusa.
-Mas foi só um "tchau"- fez aspas com as mãos- Geralmente vocês ficam horas se...
-Frankie, eu acho melhor você ir para casa- disse interrompendo-o, fazendo Demi rir.

Ele virou a cabeça para cima, para me ver melhor. Sua expressão era séria e eu sabia o que aquele olhar significava. Ele não sairia dali até que nos despedíssemos da maneira que ele desafiava. Mas nunca que eu faria isso, não para agradar meu irmão caçula.
Revirei os olhos e caminhei até Demi, lhe dando um rápido abraço. Forçamos um sorriso, mas logo desviamos os olhares e ambos ficamos um pouco desconfortáveis, claro. O que eu desejava era um beijo.

-Mas...
-Mas está na hora de nós irmos- completei, empurrando-o para casa.
-Tudo bem- bufou, se conformando- Tchau, Demi!- acenou sorridente, ela correspondeu.
Sussurrei um "tchau" e ela sorriu, se virando.

Continua...
Bom... deu a louca na escritora! hahaha é o que estão pensando? É quase isso... Na verdade deu a louca mesmo, mas existe um motivo... enfim, comentem muito, tá? Por favor... me digam o que estão achando... deem opiniões, tudo bem?Já já eu volto aqui para dar um aviso e eu peço que leiam. É coisa pequena e eu vou escrever agora mesmo, então por favor, entrem aqui para ler porque é algo que vocês precisam saber. Esses dois capítulos ficaram enormes e eu estou feliz por isso... hehe *-* Por isso eu não postei junto, para não ficar um post gigantesco...Obrigada por tudo e eu amo vocês <3

Beijemis, Bruna <3

Be Yourself- Chapter 83


Chapter 83- Later...

-Bom dia- sussurrei ao descer os degraus da escada. Fez-se um incomodo silêncio e eu respirei fundo para não começar a chorar ali mesmo. Eu havia me esquecido que ninguém ali falava comigo e agora nem mesmo Joe fazia isso.
-Demi, nós... resolvemos que é melhor ir embora amanhã. Eu conversei com o Joe e ele está certo... semana que vêm já começam as aulas então eu acho uma boa ideia- Nick explicou, com a voz firme- Tudo bem para você?
-Claro- afirmei, porém nem me dei ao trabalho de sorrir- Era o que eu queria mesmo- sussurrei, mas alto o suficiente para que ouvissem.

Eu sabia que Joe havia dado essa brilhante ideia por causa do que havia acontecido. Percebia isso quando o encarava e via através de seus olhos uma tristeza angustiante que me machucava. Mas eu que todos ali haviam concordado com essa decisão por conta de mim também. Eu estava sendo algo insuportável para eles e estragava a viagem cada dia mais, eu percebia isso e eles não tentavam esconder esse fato.
Não era difícil distinguir o que Joe sentia. Estava sentado_ um pouco afastado dos outros_ encarando a xícara com a cabeça baixa e girando-a distraidamente. Não havia me encarado uma vez sequer, mas mesmo assim eu rodeava seus olhos com os meus. 

-Eu... vou arrumar minhas malas- murmurei.
-Espera- a voz de Ashley quebrou o silêncio. Por um segundo agradeci mentalmente por isso, até pensar em qual seria a pergunta. Virei-me para encará-la e esperei que continuasse- Você não apareceu ontem na fogueira... Foi bem divertido.
-Aliás, nem o Joe apareceu- Miley concluiu, confusa, curiosa.
-É, eu... não estava muito afim de ir- fiz careta, disfarçando e implorando para que elas não persistissem no assunto.
-E você, Joe?- Ok, elas persistiram.
-Não fiz nada de muito interessante... aliás foi só uma grande perda de tempo- murmurou, ainda concentrado no leite-  Deveria ter ido à fogueira invés de correr atrás do que não vale a pena- subiu a cabeça e me encarou por um único segundo. Sua expressão era serena, porém percebi uma coisa cínica ali e nesse meio tempo seu olhar já me disse muito.
-Epa, epa... o que aconteceu?- Ashley se meteu- Pensando bem... vocês não estão se falando... desde ontem... à noite. O que rolou, hein?- sorriu maliciosamente.
-Obrigada, Joe. Era o que você queria?- perguntei sem conseguir me conter- Joga logo na cara, fala de uma vez pra todo mundo- minha voz já falhava e meus olhos estavam marejados.
-Iii caraca... o que houve com vocês?- foi o que quase todos perguntaram enquanto Joe levava a xícara para a pia.
-Vamos deixar eles conversarem, gente- acho que nunca havia ficado tão agradecida à Nick.
-Não precisam sair, eu vou subindo- Joe avisou, imparcial, se dirigindo até a escada- Não tenho o que conversar com ela. Acho que já disse tudo- concluiu, seguindo até seu quarto.
Ele subiu e eu apenas tentei manter o controle. Todos me encaravam como se eu fosse um bicho de sete cabeças no meio de uma sala. Eu não queria aqueles olhares aterrorizantes e curiosos sobre mim e naquele momento eu quase saí correndo.

-Meu Deus, o que houve?
-São bipolares, os dois- Liam respondeu Miley, brincando.
-Não brinca com isso, Liam- Nick alertou- Não leva a mal é que vocês estavam tão bem, Demi...
-Você sabe muito bem o que aconteceu, eu tenho certeza que o Joe te contou- murmurei de cara amarrada.
-Aí, Demi, mesmo que tenha acontecido alguma coisa entre vocês, isso não é culpa nossa, tá?!- Mikey disse cínico.
-Eu.. sei disso, Mikey- respondi confusa, um pouco incomodada.
-Então porque fica sendo grossa com a gente? Cara, assim você não vai perder só o Joe, Demi. E é tudo culpa sua. Porque vocês transaram e depois você simplesmente desperdiçou todas as chances que tinha!- disse um pouco irritado.
-O que?- o encarei surpresa, triste por ele ter dito aquilo, daquela forma- Como...?
-Como eu sei? Fácil- sorriu cinicamente- Você não tem ideia de como o Joe tá. Ele não dormiu a noite toda e as seis da manhã tava aqui, sozinho. Eu e o Nick descemos e ele nos contou o que aconteceu.
-Porque ta falando isso?
-Primeiro de tudo, o Joe não nos contou isso colocando a culpa em você, pelo contrário. Mas eu acho que ele é idiota demais em sempre te defender. Porque você não merece ele, Demi. O Joe já fez tanta coisa por você... e eu não preciso dizer porque você já sabe.
-Mikey, para- Nick pediu- Você ouviu o que o Joe...
-Eu não to nem aí pro que o Joe disse, Nick. A Demi já ultrapassou os limites. Isso ta ridículo. Na hora de brincar com ele, você ta aí. E depois?- continuou. Eu não tinha palavras para dizer e ao menos conseguia abrir a boca.
-E na hora de transar com ele você estava aqui- Miley completou.
-O que vocês...- Joe apareceu de repente na escada, descendo e vindo até nós.
-Não se mete, Joe- Mikey pediu.
-Mas é claro que eu me meto, o que ta acontecendo?- perguntou confuso. Eu estava completamente sem reação.
-O Mikey....- Nick ia falando quando eu tomei coragem para sair dali.
-Obrigada, Joe- disse cinicamente, abaixando a cabeça e saindo dali, descontroladamente.
-Mas...- foi tudo que eu ouvi ele dizer antes de me jogar na cama e começar a chorar.

(...)

Mas não permaneci assim por muito tempo. Ainda enxugando as lágrimas, peguei minhas malas em um canto do quarto e coloquei-a em cima da cama. Depois comecei a jogar de qualquer forma todas as minhas roupas lá. Guardei tudo que me deu vontade e depois de um demorado banho, peguei meu celular e segui até a varanda.
No caminho, percebi um barulho de pessoas conversando, vindo do quarto de Joe. Me aproximei, com cuidado e ouvi Joe, Nick, Liam e Mikey. Joe parecia irritado e discutia com Mikey.

-Mas porque fez isso? Eu te pedi que não falasse nada!- Joe gritou.
-E daí, Joe? Você mesmo quase abriu a boca no café.
-Mas você viu como ela ficou? Porque acha que eu fui embora?
-Foi ela que te contou? Veio aqui chorando e você abraçou ela? Esqueceu de tudo e bancou o burro de novo?
-Não, ela não veio aqui porque nós não estamos nos falando. Não percebe isso?
-O que eu percebo é um cara completamente idiota. Você não ve? Acha que deve ficar defendendo ela sempre?
-Você não precisava jogar na cara, Mikey! Eu disse que não queria que ninguém soubesse!
-Joe, estamos entre amigos, pelo menos seus amigos. E eles tem o direito de saber o que acontece.
-Sim, eu concordo. O problema é que eu não transei sozinho, né, Mikey? Isso é a minha vida e a dela! Se eu te contei, era porque acreditava que não falaria sobre o assunto! Você viu o que você fez?
-Ó, ela saiu chorando. Grande coisa. Ela faz isso quase toda hora- revirou os olhos.
-Escuta, sou eu e a Demi. É a nossa vida e você não tem nada haver com isso, pelo menos não se for pra ficar falando por aí. Além disso, mesmo que você se meta na minha vida, não tem o direito de fazer isso com ela.
-Porque você defende ela assim, Joe?
-Eu achei que você gostasse da Demi, Mikey. Porque falar aquilo para ela?
-Eu me irritei com isso, Joe. Com o fato de ela nunca se decidir. Você não me respondeu.
-Eu a defendo porque você está errado. Não é porque tudo isso aconteceu que eu vou tratá-la mal. Mikey, isso sim é idiotice.
-Quer que eu peça desculpas a ela? Ou vai consolá-la?
-Você pode parar com isso, por favor? Esse seu sarcasmo já perdeu a graça a muito tempo.
-Aí, gente- Nick se meteu- Parem com isso. O que aconteceu aconteceu e já passou. Agora é melhor deixar como ta porque depois tudo se resolve. Não vale a pena brigar por isso. Joe, o Mikey agiu de um modo horrível, mas queria te defender. E Mikey, você sabe que a Demi é importante para ele. Então por favor, PAREM- exigiu.
-Tudo bem, desculpa, cara- Mikey disse e eles fizeram um toque de mão- Eu me desculpo com ela e com você também. Eu vacilei, não vou me meter na vida de vocês!
-Relaxa, cara, ta beleza- Joe disse.

--------------------------------------------------
Minhas mãos estavam presas na maçaneta da porta enquanto eu criava coragem para sair daquele quarto e conversar com Joe. Ou nem precisava ser uma conversa, eu só queria saber porque ele não falava mais comigo e o que significou aquilo que ele havia dito mais cedo. Quando ele foi embora na noite passada_ madrugada_ eu havia entendido que as coisas ficariam complicadas entre nós, sabia que sofreria. Mas não tinha passado pela minha cabeça que Joe poderia estar tão mal como Mikey dissera e também a possibilidade de ele não falar mais comigo me apavorou.
Não sei o que estava pensando, mas com certeza não esperava que fôssemos pular de "amizade colorida" para inimigos. Porém também me achava uma idiota por pensar que daria para voltar para a amizade depois do que eu disse ontem a ele.

Respirei fundo pela última vez e saí a sua procura. 

(...)

-Alguém viu o Joe por ai?- perguntei um pouco receosa às meninas que estavam na sala conversando e assistindo tv. Eu queria estar ali com elas, mas sabia que se elas me respondessem já seria grande avanço.
-Ele foi dar uma volta na praia- Vanessa disse.
-Nesse frio?
-É... mas eu te garanto que o tempo não é o que preocupa ele.

Encerramos o assunto ali e eu sabia que se tratava de mim. Será que todos sabiam que ele estava assim tão mal e eu não? 

Fui cabisbaixa até a praia, procurando por ele atentamente. Por algum motivo, a conversa entre Joe e Mikey me veio a mente. Eu não me lembrava de cada detalhe mas quando Joe dissera que não estávamos nos falando percebi que algo estava acontecendo, algo errado que eu não sabia explicar. Eu não estava por dentro da situação.

Se Joe havia decidido não falar mais comigo, ele não deu a entender ontem. Claro, ele estava chateado quando subiu para seu quarto mas eu achei que seguiríamos em frente com o que vinha acontecendo antes. Iludida eu.
Ao pensar por outro lado, ele havia me defendido e eu havia achado fofo ele discutir daquela forma com Mikey por mim. Agora eu nem me importava mais com o que havia ouvido, mas sim com Joe. Queria saber o que aconteceu.
-Ér... Joe- chamei um pouco baixo demais e até achei estranho ele ter ouvido. Estava sentado na areia desenhando alguma coisa com a ponta dos dedos, distraidamente.
Ele não virou a cabeça para me encarar, mas parou o que fazia.
-Oi, Demi- disse um pouco impaciente, sério.
-Eu queria falar com você- juntei todas as minhas forças para que isso saísse da minha boca.
-Não temos nada para conversar- afirmou.
-Porque não quer falar comigo?- questionei magoada e preocupada.
-Na verdade eu quero- corrigiu- Quero te pedir desculpas pelo que o Mikey disse hoje mais cedo, ignora- disse.
-Eu... já esqueci, não tem importância mais- sussurrei- Mas não foi por isso que eu vim aqui.
-Demi, eu não quero falar com você sobre mais nada- disse sério- Não me leva a mal, mas eu acho que não tem mais o que ser dito, nada vai mudar. Além disso eu não acho que seja uma boa ideia.
-É isso então? Você não vai mais falar comigo?- perguntei angustiada- Quando foi que você resolveu que seria assim, Joe?
-A gente pode conversar quando voltarmos pra L.A? Eu acho que agora não vai levar em nada- deu de ombros.
-Qual a diferença? Nós voltamos amanhã!
-A diferença é que talvez amanhã eu tenha coragem de te falar coisas que hoje não sairiam da minha boca por medo de te machucar.
Fiquei calada por um tempo, tentando processar o que ouvira. Quando ele havia tomado essa decisão? E isso queria dizer que amanhã ele não teria mais medo de me machucar?
-O que quer dizer com isso?- perguntei com o tom de voz baixo, receosa, não sabendo ao certo se queria a resposta.
-Que ainda é cedo. Demi... EU desisti, tá? É simples. Se você quer conversar, espere até eu me convencer de que não há volta.
-Não há volta?- me aproximei um pouco.
-Era aí que eu queria chegar- sussurrou- Se você vier com essa de "seja meu amigo" "ainda pode ter volta" eu acho que vou acabar caindo. Mas amanhã eu já vou ter na minha cabeça que foi tudo perda de tempo.
-Tudo foi perda de tempo pra você?
-Foi pra você, Demi?- me encarou, franzindo o cenho.
-É claro que não- neguei.
-Porque não foi você quem foi enrolada.
-Eu não te enrolei, Joe. Só pedi um...
-Tempo para pensar?- completou, com um sorriso triste- Você poderia pensar durante os próximos cinquenta anos se deixasse. Você não consegue se decidir, Demi. E eu cansei disso.
-Mas e tudo? Tudo que aconteceu enquanto estávamos aqui?
-Se refere à....
-A amizade- conclui- Isso que nós tivemos.
-Conversamos depois- disse simplesmente, se levantando, tirando a areia das mãos e seguindo em frente.
 
Continua...


29 de ago de 2012

Divulgação! *-*

Hey galerinha, divulgação especial, tá? Entrem no blog da Sahmara >> Fast Life << ela começou agora mas eu aposto que vai ser incrííível a fic! Então, visitem lá, comentem, sigam... enfim... amem! hahahaha 

Beijos, Bruna <3

Be Yourself- Chapter 82


Chapter 82- I'll fight...

Demi on:

Acordei com a cabeça latejando e uma espécie de peso nela. Meu corpo estava leve e demorei algum tempo para sentir que o toque de Joe era real. Mas seria mesmo? As dúvidas continuavam e eu só pensava em como aquela noite, tudo aquilo que eu tanto esperei só havia piorado aquela confusão que existia dentro de mim. Respirei fundo algumas vezes, tentando me controlar, afim de aproveitar aqueles braços, aquele carinho ao meu redor. Eu havia desejado poder estar em seus braços, desejei poder sentí-lo. Mas não era isso que eu havia conseguido? Não era tão fácil. Quando eu pensava que não seria mais assim, tudo parecia desmoronar. 

Às vezes eu me achava chata e idiota por pensar nessas coisas, bem depois de uma noite como essas. Mas a questão era que eu não conseguiria acordar com seu corpo colado ao meu, dar-lhe um beijo, um sorriso e simplesmente soltar um "bom dia". Não tinha como agir dessa forma, não sem antes resolver o que eu realmente queria.

Me desvencilhei de seus braços, com cautela. A última coisa que eu queria agora era acordá-lo. O que eu pretendia fazer? Talvez só... passar o resto da madrugada na sala, dormindo sozinha, sem seu toque, sem seus braços. Mas eu deveria me acostumar a isso, já que tinha plena certeza de que não estava pronta para dar a ele uma segunda chance. Acho que o meu medo maior era saber que, se eu fizesse isso, seria realmente a última. E isso me consumia. Esse medo de ele "errar" novamente, querendo outra chance. Eu não seria capaz de uma terceira.

Levantei relutando contra minha vontade incontrolável de permanecer ali. Agarrada a ele. Vesti minha lingerie e coloquei uma blusa comprida_ que por sinal pertencia a Joe e eu levava comigo para todo canto. Encarei-o por um último segundo antes de enxugar uma lágrima teimosa e me dirigir para fora do quarto. Não levei comigo nem travesseiro nem lençol, pois agora sabia que não dormiria mais. 

Joe on:
Eu já temia que isso fosse acontecer. E meu maior medo no fundo era esse. Que acabasse depois dessa noite. Eu não sabia o que se passava na cabeça de Demi, mas quando a vi_discretamente_ se levantando para vestir a roupa, percebi que não adiantava conversar ou tentar mais alguma coisa que fosse mudar sua ideia. O que eu queria entender era porque ela sempre dificultava tudo. Eu errei? Sim. Mas fiz de tudo para provar a ela que a amava. Se ela sentia o mesmo, porque ficar se castigando e castigando a mim também?

Ela saiu do quarto, vestindo uma camisa que eu sabia que pertencia a mim. Ela dizia que se sentia protegida e bem com ela, quem seria eu para negar? Porém estava aí mais uma coisa que eu não entendia. Era extremamente complicado compreender o que ela pensava. Em algumas horas atrás estávamos juntos, aproveitando da melhor e mais apaixonante forma, demonstrando nosso amor. Agora ela simplesmente saía do nada, com uma expressão que revelava o quão rápido ela havia desistido. 
Pensei por um tempo se ia ou não atrás dela. Tempo suficiente para ela chegar onde quer que tivesse ido. Vesti uma roupa na esperança de que ela fosse voltar_como eu era idiota_ e depois de uns minutos, desci lentamente a escada. 

Percorri meus olhos pela sala escura até ser capaz de compreender sua sombra. Ela estava deitada no sofá, abraçando as penas e eu não conseguia ver mais muita coisa. Respirei fundo e fui me aproximando.

-O quarto era seu. Podia ter me acordado e mandado que eu saísse em vez de vir até a sala- murmurei.
-Joe?!- levantou surpresa, fixando seus olhos em minha direção.
Caminhei até a janela, tirando a cortina e deixando a luz que iluminava o jardim entrar. Agora, já podendo ver seu rosto, me aproximei, agachando bem na sua frente.

-Sinceramente?!- a encarei nos olhos- O que eu queria era ter continuado naquele quarto com você. Porque eu achei que você fosse pelo menos tentar deixar acontecer. Mas não, você nunca vai dar essa chance a nós, não é?- perguntei, decepcionado.
-Mas o que acabou de acontecer...
-Muda alguma coisa? Muda o fato de você estar aqui na sala, porque não quis ficar lá comigo? Olha, Demi... eu não consigo entender porque você faz isso.
-Não era o que eu queria, Joe... Eu não sabia como você ia reagir e não sabia nem como olhar pra você- sussurrou.
-Eu não imaginava que fosse acordar no meio da madrugada com você se vestindo pra vir dormir aqui. Você acha que é o que eu quero?
-Eu não queria que ficasse magoado comigo...
-Ah, queria o que?- a encarei, irônico- Demi, eu me sinto mal por isso. De verdade. Eu achei que estivesse tudo bem. Não sabia o que ia acontecer quando nós acordássemos, mas eu esperava descobrir isso com você.
-Me desculpa, eu estava confusa- disse.
-Eu entendo, Demi- coloquei uma mecha de cabelo para trás.
-Você pode até entender, mas ficará chateado comigo da mesma forma- murmurou cabisbaixa.
-Eu só queria que você relaxasse e não pensasse em nada. Demi... não entendeu que por uma noite eu queria tirar isso de mim? Por uma noite eu queria tirar isso de você- afirmei, com a voz doce- Porque complicar isso?
-Eu estava em dúvida sobre o que fazer, porque... a gente ia ter que conversar e- suspirou- eu não sei- concluiu.
-E não dava pra ter ignorado essa dúvida só por essa noite? Demi... eu não transei com você porque tive essa brilhante ideia- disse irônico- Foi porque eu te amo. Porque eu queria que você se lembrasse de tudo que já aconteceu entre a gente... eu queria esquecer como tudo mudou.
-Era isso que você ia me falar?- perguntou receosa.
-Talvez- respondi- Você estava com medo de conversar comigo, Demi?
-Eu sei que não vou conseguir te explicar e nem tente entender. Porque eu já pedi muito de você. Mas... não era medo... eu precisava pensar. Porque o que eu senti ontem... foi como se nada tivesse mudado entre nós. E quando eu acordei a primeira coisa que eu pensei foi como seria daqui pra frente. Ignorar o que eu sinto e ao mesmo tempo ignorar o que me impede... eu não consegui fazer isso.
-O que te impede?
-O medo de que mais uma vez aconteça alguma coisa entre nós e que não tenha volta. Eu tive muito medo de te perder mas você continuou ao meu lado. Então eu parei e pensei em como foi possível viver sem aquilo, parecia impossível e eu descobri que era. Mas eu sinto que se dessa vez não der certo, eu vou te perder para sempre. E as promessas não servem, Joe... não posso perder a sua amizade.
-Nem eu, Demi. Mas... o que aconteceu ontem só me fez perceber que não da pra ser só seu amigo... eu não consigo ficar tão próximo de você sem poder fazer nada.
-Me desculpa, mas... eu tenho que ser só sua amiga. Não é o que eu quero, mas é preciso.
-Você quer pensar mais, Demi?- perguntei, confuso.
-Quero colocar as coisas no lugar certo dentro da minha cabeça- sussurrou.
-Só porque a gente transou?
-Eu fiquei mais confusa. Ta difícil lutar contra o que eu to sentindo.

Me aproximei antes de perguntar qualquer coisa a ela. Sabia que quando ela respondesse, já seria tarde demais para isso. Então a beijei demoradamente, passando meus lábios sobre os dela e segurando sua nuca.
Depois de alguns minutos ainda nos beijávamos com paixão e intensidade e tive que me controlar para conseguir parar e olhar dentro de seus olhos. Mantendo nossos rostos próximos, me concentrei em seus lábios vermelhos e inchados e sua respiração alterada. 

-Você quer lutar contra isso?- perguntei com um sussurro. Era tudo que eu precisava saber.
-Sim- sua voz era quase que imperceptível e na mesma hora ela abaixou a cabeça. Senti uma lágrima caindo sobre minha mão que até o momento ainda estava em seu rosto, mas logo tirei-a dali.
Ela não havia olhado em meus olhos como eu queria, mas já era suficiente. Foi a forma que eu encontrei de descobrir se ela havia mesmo desistido e, para mim, foi a pergunta decisiva. Ela queria lutar contra o que sentia, então eu não atrapalharia.
Me virei e deslizando minha mão sobre algumas mechas de seu cabelo, saí de sua frente, me levantando. Tirei meus olhos dela e me limitei a olhar novamente. Eu não sabia mais o que seria de nós.

Demi on:
Não era o que meu coração queria dizer mas automaticamente saiu da minha boca, coisa vinda da minha mente. Eu senti um aperto no peito ao vê-lo indo, depois do beijo e daquela pergunta. 
Meus olhos se encheram de lágrimas e eu chorava principalmente por ódio de mim mesma. Por saber que se eu o perdesse, seria apenas minha culpa. 
Observei-o subindo lentamente os degraus sem nem me olhar novamente. Fechei meus olhos e evitei ao máximo encará-lo. Era doloroso demais. 


Continua...
Oi :) Bem, aí está! Sei que não ficaram muito felizes por causa de Jemi, mas espero que tenham gostado mesmo assim! :) Continuem comentando muito, tá? Amo vocês e obrigada <3

Anônimo--- A vez dela vai chegar sim! ;) 
Susan--- hahaha awn obrigada! E ah, acho que pode bater nela já... hahahahaha lol beijos <3
Anônimo-- KKKKKKKKKKKKKK que surto incrível! KKKKKK omg! Bom, muito obrigada, e você acertou... quando eu li o seu comentário, o capítulo já estava quase pronto e eu pensei, tipo: "Omg, ela acertou".. haha é... clima meio estranho... E sim, ela vai ter a vez dela e o Joe vai sentir na pele...mas enfim.. haha obrigada mais uma vez! Beijos :)
Bruna---- haha olha, eu ia até te falar que assim... eu não sei se você já leu algum hot alguma vez e eu concordo que uns assustam e traumatizam! hahahaha porque tem gente que pega pesado... :0 Mas se você quiser ler, eu só queria dizer que é fofo_ pelo menos eu acho e sempre tento fazer assim_ e não tem essas coisas extremamente hot's que algumas escrevem... haha mas relaxa, não precisa ler nada, óbvio, é uma escolha sua! Mas se quiser tentar... hahahaha enfim... haha beijocas <3
Gabs---- hahahaha Linda! Seus comentários não são inúteis! U.u te amooooo <3 Muito obrigada! <3
Sahmara-- AAAAAAAWN obrigadaaaaaaaa *O* Hahaha ele vai sentir como é, a Demi vai dar o troco ;) hehe awwwwn gente! Muito obrigada, que fofa! <333 E já respondendo, é CLARO que eu divulgo o seu blog!! Eu entrei lá e vi a sinopse, acho que vai ser perfeito *-* Me avisa quando postar, tá? haha Já vi o 1 capítulo lá e jájá leio! :D Beijinhos <333
Carol------- AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAa que fofa <3 Obrigada, meu amor, de verdade! Eu te amo <3
Thais--- haha obrigada! Beijemis <3
Lane--- Vai ter sim, já já o Lucas volta ;) hehe obrigada *-*
Bia---- LINDAAAAAAAAAA *o* Fiquei tão feliz em falar com você, tava morrendo de saudades! <33 Awwwwn muito obrigadaaaaaaaaaaaaa meu amooooooooooor <3333 Te amo, tá? Obrigada, obrigada, obrigada... é só o que eu tenho pra dizer! Sério, você é incrível! Beijocaaaas <333
Joyre---- É... e o Joe também acha isso... :/ Enfim, espero que tenha gostado! :)

COMENTEEEEEM! :D

Beijemis, Bruna <3


27 de ago de 2012

Be Yourself- Chapter 81_ HOT_


HOT_Chapter 81- In my arms...

Joe on:
-Eu não reclamei, não te parei, porque queria aquilo, Joe. Queria que me beijasse- confessou, abaixando a cabeça.
-Porque não deixa essa história de "melhor amigo" de lado? É tão difícil?- perguntei- Demi, já pensou em quanto tempo essa enrolação está durando? Se você diz que me ama e que queria, porque continua fazendo isso?
-Eu não posso, Joe! Sempre tem alguma coisa dentro de mim dizendo que não é certo. Você me beija e tudo fica bem. Mas e depois? Como acha que eu me senti durante esses dias?
-Da mesma forma que eu me senti quando você me chamava de "melhor amigo".
-Eu tentei ao máximo me aproximar de você!
-Assim? Desse jeito? Achou que daria certo?
-Eu não acho mais nada.

Segurei em sua nuca e a puxei mais para perto, colando nossos rostos. Eu não sabia se era uma boa ideia, mas não conseguia entendê-la nem ficar tão perto e não tomar uma atitude. Eu havia tentado durante todo esse tempo me aproximar, mesmo que fosse apenas como amigos. O fato era que minha amizade com ela estava se tornando uma coisa inexplicável e fora do comum nos últimos dias. Uma espécie de sentimento que eu nunca tive por uma amiga e nós também nunca tentamos realizar. Vê-la se aproximando daquela forma, tão repentina, tão boa, me fez perceber que ou eu a tinha em meus braços, ou seria mesmo melhor nos afastarmos. O problema era que a última opção estava fora de cogitação, não tinha como deixá-la ir e eu sentia que estávamos próximos disso agora.

-Porque você sempre torna tudo tão mais difícil, Joe?- sussurrou, fechando os olhos e sentindo claramente minha respiração em seu rosto.
-É você quem dificulta, Demi- minha voz saía quase que imperceptível.
-Eu não quero me arrepender.
-Você já se arrependeu de "nós" até agora?- perguntei, mantendo o máximo de controle que conseguia.
-Não- confessou com firmeza- ... eu... - respirou fundo- Só não sei se vou aguentar dessa vez.
-Não precisa... só... deixa rolar- sussurrei em seu ouvido, depositando beijos em sua nuca.
-Não faz isso, Joe...- pediu com a voz fraca.
-Demi, eu não estou fazendo nada- neguei calmamente- É só me pedir para parar se não quiser.

Rocei nossos lábios em uma tentativa de tirar aquele desejo de mim, o que parecia impossível. Tanto eu quanto ela sabíamos o que ia acontecer ali, ou o que podia acontecer. Dependia dela. Fui me inclinando mais para frente, levando seu corpo para trás. A luz já estava apagada, o que facilitou as coisas para nós. 

Deitei-a calmamente na cama e lhe dei um beijo intenso. Ela estava receosa mas não parecia querer parar. Eu sentia isso. E também não pararia, porque já não tinha mais aquele medo de magoá-la ou fazer algo contra sua vontade, eu nunca faria. Minha língua pedia passagem enquanto eu a sentia derretendo em meus braços, se deixando levar. Nosso beijo foi sendo aprofundado, aumentando na intensidade e desejo. Ela prendeu suas mãos em meu cabelo e me puxou mais para perto. 

Coloquei uma de minhas pernas ao lado de sua cintura enquanto acariciava a lateral de seu corpo. Minhas mãos percorriam seu corpo sem medo, era engraçado como eu conhecia bem cada parte dela, cada centímetro. O calor de nossos corpos ia se misturando, aumentando mais ainda minha vontade de tê-la completamente para mim. 
Por um momento percebi que sentia como se nada nunca tivesse mudado entre nós. Eu a beijava e ela correspondia com a mesma vontade que eu, aproveitando aquilo da mesma forma que eu fazia. Me lembrava claramente da nossa primeira noite e me vinha na cabeça como ela estava diferente. A ideia de que ela talvez tivesse... "praticado" me irritou, mas então, quando olhei dentro de seus olhos, me dei conta que era ela ali, a mesma Demi à quem eu havia dado todo meu amor, o melhor de mim. 
Eu não esperava ganhá-la com uma noite, nem era o que eu queria. Nada daquilo era novidade para nós, mas parecia relativamente novo. Mesmo querendo negar, muita coisa tinha mudado. Mas não o amor, que era recíproco. 
Eu apenas esperava poder aliviar um pouco aquilo que eu sentia quando pensava em não poder tocá-la e, mesmo sabendo que nada disso adiantaria, eu conseguiria tê-la só para mim, sentir tudo isso de novo. Nem que fosse só por uma noite.

Ainda beijando-a, senti suas mãos puxando calmamente minha blusa para cima. Talvez ela estivesse mais desesperada que eu. Porém não fiz nada. Sempre durante nosso namoro, ela ficava envergonhada em fazer certas coisas e eu me perguntava o que era tirar minha blusa comparado ao que vinha depois. Mas vai entender. Eu sempre a ajudava, mas dessa vez, queria que fosse uma coisa única e entre nós, onde os dois deixassem tudo aquilo preso durante muito tempo escapar. 

Me aproximei mais, colando nossos corpos e discretamente arrastei minha mão pela borda de seu short. Enquanto a acariciava ousadamente, ela finalmente tirou minha blusa e antes que eu pudesse encará-la, ela calou minhas expressões com um beijo quente, querendo "evitar" talvez meus pensamentos sobre o que ela havia feito. Eu achava isso fofo. 

Deslizei minhas mãos pela sua coxa, deixando que minha pele quente entrasse em contato com a sua. Assim fervíamos os dois juntos, completos pelo desejo e a vontade. Depositei alguns beijos em sua perna, lentamente, enquanto ouvia seus suspiros. Subi meus beijos e cheguei ao fecho de seu short. Senti que ela se encolheu um pouco com meu toque, então percebi que ela não estava muito à vontade ali. Eu entendia que era diferente das outras vezes e que ela não estava se sentindo bem em relação a certas coisas. 
Tirei meus lábios de sua pele e levei meus olhos aos seus, colando nossas testas. Esperei um pouco, dando a ela a chance de pensar e se acalmar. Surpreendentemente ela se afastou um pouco e lentamente foi tirando sua blusa. Ela me deixava mais surpreso a cada momento. Depois deixou-a de lado e abaixou a cabeça, se aproximando novamente, timidamente. Seus olhos estavam fechados e ela mordia o próprio lábio, com força.

Tirei uma mecha de seu rosto, com muita calma e delicadeza. Selei nossos lábios da forma mais calma que pude e, carinhosamente, acariciei seu rosto. Ela prendeu suas mãos em minha nuca e continuamos a nos beijar por um longo tempo. Nossos lábios se moviam com calma, sem pressa alguma. Eu via seu peito subindo e descendo descontroladamente, enquanto ela mantinha um ritmo acelerado na respiração. 
Ainda cuidadosamente, levei uma de minhas mãos até a alça de seu sutiã. Enquanto ela fechava fortemente os olhos, sentindo meu toque, pude observá-la por um momento. Meus olhos rodeavam seu corpo, e eu pensava em como ela era tão perfeita. Imaginava o que ela havia feito durante esses dias em que ficamos separados, me perguntava se ela pensava em mim assim como eu pensava nela, se aquela vontade absurda de me esquecer era apenas puro orgulho. Me perguntava se ela me amava assim como eu. Dentro de mim, aqueles sentimentos incontroláveis pulavam para fora do peito.

Abaixei as duas alças e ela mordia novamente o lábio inferior, suas mãos estavam juntas e ela mexia os dedos nervosamente. Passei meu polegar em seus lábios, carinhosamente, fazendo com que ela relaxasse aos poucos e voltasse a me encarar. Segurei uma de suas mãos, acariciando-a. Ela juntou nossos lábios e deslizou sua outra mão pelo meu peito, arranhando-o com as unhas. 
Arranquei seu short na primeira oportunidade que tive, vendo-a apenas de lingerie. Acariciei sua barriga e beijei seu pescoço, descendo por toda a extensão de seu corpo. Logo depois de tirar seu sutiã, ela tirou minha calça, com certa ajuda minha. Acariciei seus seios, massageando-os e puxando-a mais para perto de mim, até colarmos nossos corpos e eu poder sentir sua pele contra a minha. Beijei seu colo e seus seios, dando leves chupões_que foram se tornando mais intensos conforme ouvia seus gemidos em meu ouvido.
Mordi sua orelha e coloquei uma de minhas pernas entre as dela, puxando sua calcinha lentamente para baixo. Deslizei minha mão pelo cós da única peça que ainda cobria seu corpo e ela respirou pesadamente ao sentir meu toque e minha mão se movendo e acariciando-a.

Ela se inclinou um pouco mais para frente, pressionando seu corpo contra o meu e deslizando suas mãos pelas minhas costas.  Eu segurava um pouco abaixo da lateral de seus seios e ela mordiscava minha orelha, deixando ali beijos e mordidas. Suas mãos macias acariciavam minha nuca e não esperei mais para tirar sua calcinha. 
Ela fez de tudo para não me olhar nos olhos, me beijou profundamente e intensamente. A distancia entre nós era cada vez menor, o desejo só aumentava e os movimentos eram quase que desesperados. Segurei seu rosto com as duas mãos e a fiz me olhar. Ela corou por um segundo e eu tirei minha box, deitando-a novamente.

Era melhor ainda quando eu percebia que ela estava afim daquilo tanto quanto eu, que ao mesmo tempo, estava ansiosa e curiosa pelo que estava por vir. Eu não era o único a sentir aquele momento e aos poucos ela foi se sentindo mais segura para relaxar de vez e apenas aproveitar. Suas mãos no começo vagavam meu corpo com muitas restrições, como se ela tivesse medo e vergonha. Continuamos com os beijos até eu aprofundar ao máximo tudo e ela se sentir segura o suficiente para me explorar assim como eu a explorava. 
No fundo, eu queria que ela percebesse que era apenas eu ali. Desejava que ela se lembrasse de tudo que já havia acontecido entre nós e que ela não pensasse que alguma coisa tinha mudado. Agora, essa noite, eu apenas queria que fosse "nós", como se nunca tivesse deixado de ser.

Deitei-a novamente, ficando por cima dela. Só que... não era isso que eu queria. Virei-a rapidamente, deixando-a por cima. Ela me encarou confusa e com um olhar assustado_mesmo que disfarçando_, tímida e envergonhada. Lhe dei um beijo tranquilo e lento, acalmando-a e sentindo-a em meus braços. 

Ela arranhava minhas costas e eu ouvia seus gemidos em meu ouvido. Ela sussurrava meu nome e isso me deixava mais louco ainda. Grudei completamente nossos corpos, acabando com aquela distância que tanto me incomodara. Tudo que nos separava agora não existia mais e eu ficava me perguntando se isso continuaria assim. Depositei alguns beijos em seu pescoço enquanto suas mãos deslizavam desenfreadamente conforme eu aumentava a intensidade dos movimentos. 
Calei-a com um beijo, abafando todos os gemidos enquanto nos tornávamos um só. Era um beijo desesperado, implorando para que aquilo permanecesse. Queria que aquele fogo entre nós nunca apagasse, assim permaneceríamos como estávamos agora, em chamas.

Ela largou seu corpo na cama, ao meu lado, e nos beijamos novamente. Eu não queria parar de beijá-la, tinha medo que isso acabasse e não tivesse volta. Depositei um beijo em sua testa e ainda não queria me convencer de que era o último. Beijei mais algumas vezes seu rosto e ela sorriu. Sua respiração estava mais calma e normalizada e seu corpo mais tranquilo. Eu sentia isso quando colocava meus braços ao seu redor, abraçando-a. Para mim, era como se ela tivesse deixado todo peso que tinha dentro de si ali, despejando-o para fora e ficando mais leve.

Adormecemos em seguida, cansados. Com meus braços ao redor, eu a sentia ali, só para mim. Era uma sensação boa, como se eu estivesse protegendo-a, guardando-a para mim. Acariciava seu corpo com carinho e calma. 

Continua...
Bem, eu acho que gostaram. hehehehehe HOT, quem não gosta de um?! Talvez não gostem muito dos meus ( :s ) mas.... =P enfim.... comentem muito, tá? Obrigadaaaa a todos e eu amo vocês <3 Outra coisinha, sim, eles vão voltar a namorar, gente! haha mas já aviso que não é por agora :/ O que vai acontecer vocês vão descobrir.... :) Desculpem não responder os comentários, mas eu li todos *o*


Beijemis, Bruna *-*

26 de ago de 2012

Be Yourself- Chapter 80 (parte 2)


Chapter 80 _parte 2_ - "Because I love you...."


Joe on:
Depois "daquilo" que deu na Demi, nós apenas ficamos nos encarando, confusos e preocupados pelo que havia acontecido. Ninguém resolveu ir falar com ela e as coisas faladas pelas costas dela eram muitas. Já faziam quase três horas e inclusive os meninos, que não estavam conosco na hora do ocorrido deram suas opiniões, completamente irritados com aquilo. 
Eu não sabia o que tinha acontecido.
Era hora do lanche e resolvemos comer em casa mesmo. As meninas fizeram um bolo e nós_meninos_ limpamos toda a cozinha depois. Até que foi divertido. Quando nos sentamos a mesa, todos pareciam pensar o mesmo, como: "E Demi?" "Quem vai chamá-la?" mas sempre nos conformávamos de que era melhor deixar aquilo quieto. Foi quando ela resolveu dar o ar de sua graça.
Não falou com ninguém e estava séria, porém bem triste, eu percebia isso. Ela nem sequer falou comigo. Pegou algumas coisas na geladeira e subiu novamente, sem abrir a boca.

(...)

Demi on:
Mais tarde eu tentei me desculpar, conversar com Miley e Selena, mas sinceramente, eu tinha a consciência de que não conseguiria explicar. Porque nem ao menos eu sabia. Resultado: Passei o restante do dia sendo ignorada e recebendo olhares maldosos. Não troquei uma palavra com Joe, até voltar para o meu quarto e me trancar lá.

-Quem é?- perguntei ouvindo batidas na porta.
-Joe- sua voz calma e doce ecoou no quarto.
-Tem alguém com você?- perguntei, insegura.
-Não, eu estou sozinho- afirmou.
-Entra.
Ele abriu a porta com tranquilidade e fecho-a logo depois. Seu olhar me transmitia suavidade e também tristeza.

-Já está na hora da fogueira- disse se sentando na beirada da cama -Estamos te esperando...
-Não, não estão- neguei, certa- Ninguém lá quer a minha companhia.
-Para com isso, Demi... nós... só queríamos entender o que aconteceu- explicou.
-Não tem o que entender- suspirei.
Algum tempo de silêncio se passou e eu fitava o nada, perdida em pensamentos. Evitei ao máximo encarar Joe, porque ainda não havia me recuperado do que acontecera entre nós. Me levantei lentamente da cama e me escorei na porta da varanda.

-Demi...- senti ele se aproximando, sua voz era suave e calma- EU quero entender.
-A única coisa que eu quero é ir embora daqui-disse- Eu não devia ter vindo, seria mais fácil se eu tivesse continuado lá em Los Angeles.
-O que ta acontecendo com você?- segurou minha mão e fez com que ficássemos um de frente para o outro.
Não consegui responder. O que eu diria? "Ah, Joe, você é a causa disso"? Apenas me esquivei e ele me soltou. A partir daí as coisas ficaram mais sérias e ele entendeu que tinha algo errado também entre nós.

-A gente pode conversar?- perguntou, finalmente.
-Podemos- assenti.
-Você está assim por causa do que aconteceu entre a gente?
-Sim- confessei.
-E porque?
-Porque? Porque durante esses 6 dias em que nós ficamos aqui, Joe, nos beijamos pelo menos 5 vezes. Mas adivinha?! Somos "melhores amigos". Que espécie de amizade é essa?- eu disse tudo de uma vez, sentindo um peso ir embora de mim.
-Desculpa se eu não consigo evitar o que eu sinto por você- disse sério. Senti uma pontada em meu coração.
-Joe, você viu o que quase aconteceu hoje?- perguntei incrédula.
-Sim e eu quero que seja sincera comigo- pediu- Se as meninas não tivessem chegado, o que você faria? Me pararia?- perguntou me fitando.
-Não- respondi com um sussurro, depois de algum tempo calada.
-Então como quer que eu entenda uma coisa dessas? Você fica chateada porque eu te beijo, mas transaria comigo? É isso?
-Não é isso...
-O que é, então, Demi?- se sentou na minha frente.
-Nos dois primeiros beijos eu deixei passar porque não valia a pena perder aquilo que de algum jeito a gente conseguiu reconquistar. Eu levei o primeiro como um acidente e o segundo foi só por causa do urso, mas... eu sabia que não era isso.
-Você não reclamou uma vez sequer, sempre voltava como se nada tivesse acontecido. Eu sabia que não conseguiria ser só seu amigo, Demi.
-Então porque tentou?
-Porque eu te amo- disse- E eu achei que você também- sussurrou decepcionado.
Ele se levantou e caminhou rapidamente até a porta. 
-Você estava certo- não pude evitar em dizer.
Vê-lo saindo daquela forma, era como se eu estivesse pondo um fim, de uma vez por todas, naquilo.
-Qual o problema, então?- virou-se para me encarar.
-Vem cá- chamei-o.

Continua...
Hey! Eu sei, está muito pequeno, podem me matar. Maaaas foi porque eu dividi em duas partes... enfim... só 5 comentários? Poxa :( Bom, eu postei hoje como disse até porque esses capítulos ficaram minis. Mas gente, vamos comentar, tá? MUITO, por favor! Outra coisa... vocês acham que eu to enrolando muito? Porque tipo, não é a minha intenção, mas eu com certeza devo chegar ao capítulo 100 ou mais do que isso... talvez menos... não sei ao certo. É que pra mim, 80 e poucos capítulos é muito :/ Bem, deixem suas opiniões ;) Amo vocês, obrigada! E ah, o próximo é bem bom, hein?! haha comentem bastante e eu talvez seja caridosa e poste amanhã mesmo =P hehehehe

Beijemis, Bruna *-*


25 de ago de 2012

Be Yourself- Chapter 80 (parte 1)


Chapter 80_parte 1_ - Time machine...

Joe on: 
Era terça feira, nós iríamos embora no sábado e já não tínhamos mais o que fazer. Nos três dias anteriores, fez um sol escaldante e nós passamos praticamente o dia todo na praia. Mas hoje o tempo tinha mudado. Não estava chovendo e até fazia um sol fraco, mas parecia estar uns 5 graus, no máximo. 
-Esse filme de vocês já está acabando?- Demi perguntou, se aproximando.

-Não- ri com a expressão frustrada em seu rosto- Porque, linda?- a puxei para meu colo.
-Porque eu quero fazer alguma coisa- :/
-Você pode ir ao shopping com as meninas...- sugeri.
-Elas acabaram de sair...
-Então...?
-Joe, ela quer fazer alguma coisa com você- Nick resmungou- Ainda não entendeu isso? Meu Deus, vocês não podem ser normais- revirou os olhos.
-Fica aqui e vê o filme com a gente... já ta quase no final- avisei- Depois a gente pode fazer alguma coisa...
-Tudo bem- sorriu e se deitou ao meu lado.
-Olha, eu vou indo...- Nick se levantou.
-Porque? Vai perder o final?- perguntei curioso.
-Cara, não quero segurar vela. Ainda por cima com vocês dois deitados no sofá da sala, com tudo escuro e um frio desses. Na minha opinião e experiência isso não funciona. Muito menos quando se trata de Joe Jonas- explicou- Só não se esquece da fogueira hoje, quero a sua ajuda.
Não falei nada, apenas esperei que ele saísse.
-O que ele quis dizer com isso?- Demi perguntou, me abraçando.
-Você não entendeu?- não pude evitar de rir.
-Entendi, mas porque... "Muito menos quando se trata de Joe Jonas"?- O.o
-Ah...- ri sem humor- Deixa pra lá.
-Enfim... fogueira?
-É, não ta sabendo? A gente vai acender uma e comer uns marshmallows hoje a noite- dei de ombros.
-Hummmm delícia.
--------------------------------------------

Demi on: 
O filme já tinha acabado e nós estávamos rindo e conversando na sala. Joe fazia cócegas em mim e eu me contorcia no chão. Já não me aguentando mais de tanto rir, percebi que ele havia parado repentinamente e estava sério. Eu continuava jogada no chão e ele estava por cima de mim. Enquanto respirava com dificuldade, eu ia percebendo que ele me encarava. Minhas risadas foram diminuindo e minha respiração ficando ainda mais confusa quando nossos rostos começaram a se aproximar.

Só aí eu percebi o porque da parada repentina dele. Minha blusa_ que era bem solta_ havia saído completamente da posição correta, deixando metade do meu sutiã a mostra. Seus olhos estavam presos em meus seios e ele colou nossas testas calmamente.
Tentei colocar a blusa no lugar porém ele foi mais rápido e segurou minha mão, paralisando-a e ainda me fitando. Encarei seus olhos e foram cerca de segundos até um feroz e desesperado beijo acontecer entre nós. Novamente.

Nesses últimos dias, havíamos nos beijado 2 vezes. Mas como anteriormente, deixamos para lá depois que o momento acabou. E eu já estava ficando cansada disso, porque a cada beijo, mais sentimentos gritavam dentro de mim.
Porém parecia que as coisas não estavam complicadas somente para mim. Esse beijo havia sido o mais estranho que ele já me dera. Algo definitivamente desesperado, porém maravilhoso ao mesmo tempo.

Ele não esperou muito para levantar minha blusa e tirá-la de uma vez. Fiquei assustada no momento e por um segundo segurei suas mãos, tentando me esquivar. Mas além de meu corpo não corresponder, ele segurou mais firmemente minha nuca e aprofundou os beijos, de forma mais calma e doce. 
Colou mais seu corpo junto ao meu enquanto nos beijávamos. Um turbilhão de sensações invadiam meu corpo e eu só o queria. O desejava. 
Acariciou primeiramente minha cintura e foi subindo, passando por minhas costas até chegar em meus seios. 
Roçou seus dedos com leveza e calma, e mesmo que fosse por cima do sutiã, eu ainda sentia nossas peles se conectando.

-Ufa, finalmente em casa- ouvimos as meninas dizendo, vozes se aproximando. Consequentemente nos afastamos e Joe levantou rapidamente, frustrado, porém atento.

Como era uma "sala de cinema" ele foi rapidamente até a porta e a fechou, me dando espaço para colocar a blusa novamente. Não o encarei, mesmo sentindo seu olhar sobre mim. Eu estava cheia disso e ele teria que entender que não era fácil. Quando já estava pronta e "recuperada" ele saiu e, sem pronunciar uma única palavra, foi ao encontro das garotas. Ouvi ele conversando com elas, rindo e falando alguma coisa. Eu estava confusa demais para prestar atenção. Saí dali depois de respirar algumas vezes e fui ao seu encontro.

-Demi...- Miley disse sorrindo- O que vocês dois estavam fazendo lá dentro, hein?- perguntou brincalhona. Pena que eu não estava para brincadeiras.
-Ha-ha-ha- ri cinicamente- Não enche, Miley- resmunguei um pouco grossa demais.
-Que isso, Demi, ficou maluca?- riu sem humor, sem acreditar no que eu havia dito.
-Foi o Joe- Selena sussurrou, risonha.
-Calem a boca vocês- murmurei irritada- Eu não vou ficar aqui ouvindo seus maravilhosos comentários sobre a minha vida- disse séria e decidida.
Segui até a escada e pude ouvir um "Ta falando sério?" vindo de Selena. Ignorei e continuei a subir.
-O que ta acontecendo com ela?- Miley perguntou, provavelmente a Joe.
-Eu...
-O que foi? Vão falar de mim pelas costas também?- resmunguei, sem encará-los.
-Você não me deu a oportunidade de falar na sua cara- Miley disse, irritada também.
Fui até o quarto e simplesmente me tranquei ali. Eu não queria papo com ninguém agora, até porque nada tiraria isso de mim, nada poderia me entender_coisa que nem eu conseguia.
A única coisa que eu queria agora era poder voltar no tempo, não ter falado daquela forma com nenhuma delas e principalmente não ter feito nada daquilo com Joe. Mas ótimo, ainda não tinham inventado uma máquina do tempo.
(...)

Continua...
Oi, gente! ;) Bom, o capítulo está MINI, mas eu dividi de propósito. Não era essa a intenção, mas poxa, gente, 4 comentários? :(( Bom, comentem muito, por favor. Quem sabe eu não posto hoje mesmo ou amanhã... :) Por favor, tá? Muito obrigada, amo vocês <3

Beijemis, Bruna *-*

23 de ago de 2012

Be Yourself- Chapter 79


Chapter 79- They kissed!

-E aí, quer um sorteve?- Joe perguntou, depois de um tempo andando sem rumo.
-Claro- aceitei sorridente.
Ele segurou minha mão e me puxou. Resultado: saímos correndo como dois malucos pelo parque. Literalmente rindo e agindo como crianças. Crianças felizes, isso sim importava.

-PORQUE você fez isso?- ri ofegante, quando paramos em frente a barraca de sorvete.
-Estamos em um parque de diversões. Acho que devemos nos divertir- deu de ombros.
- Huuuuuuuum que delícia- apontei para um picolé definitivamente enorme. Devia ter uns 30 centímetros ali.
-Quer um desse tamanho?- perguntou assustado.
-Divide comigo?- fiz uma carinha pidona.
-Tudo bem- concordou rindo.
----------------------------------------------------- 
-Eu acho que isso é grande até pra nós dois- Joe comentou, depois de minutos sentados no banco chupando o picolé.
-Verdade- fiz careta- Eu não aguento mais!
-Aaaah, quis, agora vai comer!- rimos.
-Nós não fomos em nenhum brinquedo...- comentei, deitada em seu colo em pleno parque de diversões.
-Podemos ir depois que terminarmos esse picolé ou... acharmos um jeito de nos livrarmos disso.
-Onde você quer ir?- perguntei sapeca.
-Em qualquer coisa que não tenha os nomes "amor" ou "paixão". E nem uma placa- afirmou. Eu ri e lhe dei um tapa.
-Poxa, assim você me ofende- fiz uma carinha triste.
-Desculpa, não era o que eu queria dizer, saiu da boca pra fora- riu e me deu um beijo no canto da boca.
-Ei, casal "amizade colorida"- ouvimos Liam falar e todos riram- Se divertiram?
-Siiiim- sorri entusiasmada e mostrei meu urso, ainda deitada no colo de Joe.
-CADÊ o meu alien, Joe?- Nick perguntou bravo, recebendo um tapa de Selena.
-Escuta, ou você vai com a Selena e assume essa coisa de vocês ou arranja outro cara. Porque eu não vou dar uma de gay pra conseguir um alien, não mesmo!- Joe negou convicto e eu caí na gargalhada. Ninguém parecia entender.
-Como assim?- Miley riu sem humor, confusa.
-É o seguinte- comecei- Aquilo é uma barraca do amor. Depois que entra, você "sela" uma espécie de compromisso e depois de conseguir o bichinho, deve provar que é um casal- expliquei.
-Existe outra barraca?- Nick quis saber.
-Não- neguei- E depois de entrar não tem como desistir.
-O Joe conseguiu o urso para você?- Miley questionou, assenti- E foi naquela barraca?- ela parecia querer saber alguma coisa. Joe fez que sim com a cabeça.
-VOCÊS SE BEIJARAM?- todos perguntaram em coro, curiosos.
-Ela queria o urso a qualquer custo- Joe deu de ombros.
-Ele fez um grande esforço para conseguir- disse- Não era justo- afirmei brincando com os dedos de Joe, no meu colo.
-VOCÊS. SE. BEIJARAM?- todos novamente, perguntando de forma pausada.
-Ou vocês são burros ou tem problema de audição- Joe revirou os olhos.
-E agem assim, na maior cara de pau?- Liam questionou.
-Quer que eu faça o que?- eu disse irônica- Queria meu urso, ué!
-Ta vendo, Nick? Nada de aliens- Selena disse.
- Eu fui com você três vezes no carrossel!- disse indignado, todos nós rimos- Agora a senhorita vem comigo.
-Isso ae, aproveita a chance- Joe gritou quando eles já haviam se afastado.
-Ah, vocês querem um pouco de picolé? - perguntei inocente- É aquele grande... nós não aguentamos mais- fiz careta.
-Quem mandou comprar um grande?! -Miley revirou os olhos.
-Eca, eca, eca- Liam fez careta e todos o encaramos confusos- Vocês dois estão dividindo esse picolé?
-Sim- Joe concordou sem entender o fundamento da pergunta.
-Estão lambendo o mesmo picolé? MAS QUE COISA NOJENTA!- sua expressão era de nojo, muito engraçada. Joe e eu soltamos uma gargalhada e Miley só levou as mãos à testa.
-Meu querido, até parece que eles nunca fizeram coisa pior- balançou a cabeça em reprovação.
Eu e Joe só riamos. Afinal, não podíamos discordar de Miley.

-Mesmo assim, né?!...- continuou.
-Cara, Liam, você é muito idiota- Joe disse, rindo.
-Eu estava mesmo certo... isso é amizade colorida sim!- afirmou. Não podemos evitar de rir e além disso, não tínhamos o que falar.
---------------------------------------------------------------------------
-Vocês querem almoçar?- perguntei a todos, abraçada de lado à Joe. Ultimamente não desgrudávamos um do outro.
-To morrendo de fome- foi o que praticamente todos disseram.
-Eu não- Joe negou, o encarei.
-Também não...- fiz careta, Miley nos encarou incrédula.
-São realmente perfeitos um para o outro- rimos pelo jeito como ela dissera- Se bem que depois de um sorvete enorme daqueles nem eu, minha querida.
-Vocês podem almoçar... eu vou dar uma volta por aí- Joe avisou- Vem comigo?- sussurrou em meu ouvido. Virei meu rosto_ ficando bem próximo do dele_ e assenti, sorrindo.
-Tá, olha, eu desisto. PORQUE vocês dois não ficam juntos de uma vez?- Liam perguntou.
-Cara, eles já estão juntos!- Nick murmurou.
-Mas é claro que não!- todos entraram na discussão.
-Eles se beijaram hoje!
-E daí? Essa coisa melenta não é namoro!
-Eles estão tentando nos enganar!
-Estão enganando a eles mesmos- era tantas vozes que não conseguíamos mais distinguir quem falava.
Rimos juntos e saímos de fininho, deixando as falas e a briga para trás. Fomos abraçados até o "jardim" que tinha ali perto. Era como um "parque" dentro de outro.

-Eles são ridículos- comentei rindo.
-As coisas estão boas o suficiente para eu te perguntar- começou um pouco sério, se sentando debaixo de uma árvore. Ele me levou junto e eu o encarei, confusa.
-Me perguntar...?
-Se você acha que eles estão errados, Demi- disse em tom baixo.
-Em relação a...
-Nós- completou- Fala sério, isso é estranho... eles discutindo a nossa relação- deu de ombros, rindo sem humor.
-Joe... você quer dizer que...
-Que ta tudo bem entre a gente, assim como está. Você concorda? É isso que pensa?- perguntou. Senti uma coisa estranha no tom de sua voz, em sua expressão. Algo que eu não conseguia decifrar.
-Sim...- assenti meio insegura.
-Tudo bem- forçou um sorriso- Vem cá- me puxou para seu colo, mexendo em meu cabelo enquanto minha cabeça descansava em seu colo.
-Porque você me perguntou isso?- eu estava um pouco incomodada pelo jeito como ele perguntara- É porque... concorda com eles? Que isso entre nós é... melento demais?- rimos juntos.
-É claro que não- garantiu, forçando um sorriso para mim- Eu só...- fitou o chão pensativo, procurando as palavras certas- Deixa para lá- deu de ombros.
-Como assim? Não...- eu queria uma resposta, sem saber muito bem porquê, algo dentro de mim dizia que eu queria ouvir o que ele tinha a me dizer.
-Eeeei- aumentou um pouco o tom de voz, impedindo que a minha se sobressaísse- Eu aaaaamo ficar assim com você- acariciou meu rosto- Você sabe disso. Eu te pedi que as coisas continuassem assim entre nós e é o que eu quero- afirmou.
-Que bom, porque você não é o único- sorri de orelha a orelha e me aconcheguei em seu colo- Eu te amo- beijei sua bochecha.
-A gente pode ficar aqui conversando ou podemos ir em algum brinquedo...- comentou, sorrindo e brincando com meu cabelo.
-Temos tempo suficiente- pisquei- Como anda a sua vida?- perguntei sapeca, querendo puxar assunto.
-Minha vida?- ergueu a sobrancelha- Ótima, eu acho...- respondeu confuso- Porque?
-Queria puxar assunto...- fiz careta- O que andou fazendo desde que...- parei repentinamente- Nos últimos tempos?
-Acho que principalmente correndo atrás de você- rimos.
-Foi bom você ter feito isso, eu... não estaria aqui hoje se deixasse tudo como a idiota aqui queria.
-Você só precisava de um tempo, Dems... eu entendi o seu lado- suspirou- Mas... sabe o que é engraçado?- perguntou rindo sem humor.
-O que?
-Pensar que nem quando estávamos juntos era assim- seus olhos se prenderam aos meus.
-Era diferente exatamente porque... estávamos juntos- ri sem humor, dando de ombros.
-Não é o que eu quero dizer... é que... eu estou amando isso- sorriu- Mas a nossa situação é estranha, você tem que admitir.
-Eu admito, Joe... é que eu senti falta disso- apontou para ela e logo em seguida em minha direção- De nós. Não havia nada que eu pudesse fazer para tirar isso de mim... e eu finalmente consegui.
-Haviam outras maneiras, Dems- sussurrou, comentando.
-Eu entendo que esteja... confuso. Ta, eu vou ser sincera, eu nem sei como eu to te tratando assim... porque eu nunca fiz isso... nós- dei ênfase- nunca fizemos.
-Era exatamente o que eu queria que entendesse... é como se nós estivéssemos "fingindo"- fez careta- Eu não sei explicar.
-Eu posso te jurar que não é fingimento- abaixei a cabeça.
-Desculpa- levantou minha cabeça- É que foi muito de repente e a gente ta tendo uma amizade que na verdade não existia antes... você sabe como tudo aconteceu- deu de ombros.
-Só... por favor... não deixa isso acabar- pedi.
-Não vou deixar, princesa- beijou o topo da minha cabeça, forçando um sorriso.

Ficamos um tempo observando o céu azul, as crianças brincando e os casais dando uns "amassos" ao nosso redor. Joe estava apenas fitando o nada, eu não conseguia entender muito bem o que se passava pela cabeça dele naquele momento, seus olhos pareciam trancados a sete chaves e não me davam pistas sobre o que pensar. Já eu estava confusa e pensativa. Tudo o que ele dissera realmente fazia sentido e eu sabia que ele apenas queria "mais" do que aquilo. Porém eu não negaria que estava feliz e me sentia extremamente completa com "isso".

-Sabe... eu fui ao seu quarto ontem- comentou, virando a cabeça em minha direção.
-Você....- o encarei confusa, com um sorriso no rosto- Porque?
-Eu não sei... só deu vontade- riu sem humor.
-O senhor anda me vigiando enquanto durmo?- ri segurando sua mão, já que seu braço estava ao redor do meu pescoço.
-Talvez sim- deu de ombros.
-Privacidade não existe mais- ¬¬ ele riu.
-Você estava muuuuito linda e fofa dormindo- sorriu- Abraçando aquele travesseiro e ainda sorrindo. Só você mesmo- balançou a cabeça sorrindo.
-Sabe no que eu estava pensando?- mordi o lábio, perguntando.
-Não tenho nem ideia... mas parecia feliz...
-Em você, idiota- dei-lhe um tapa, rindo.
-Quer dizer que você teve sonhos maravilhosamente perfeitos?
-Ai, mas é muito convencido- balancei a cabeça em reprovação.
-Ta, mas e aí, agora você pensa em mim quando dorme?- O.o
-Sempre pensei- sussurrei perto demais dele, sorrindo de forma inocente.
 -----------------------------------------------------------------
-Humm... montanha russa? Gostei- comentou, quando nos aproximamos do brinquedo.
-Então vamos nos divertir- sorri sapeca e agarrei sua mão, o puxando com força e rindo.
Passamos umas 3 horas nos brinquedos, sem exagerar. Eu acho que nunca ri tanto na minha vida, foi sem dúvida um dos dias mais divertidos. Depois fomos direto para casa e lá encontramos com o pessoal, todos exaustos e sonolentos. Por mim, eu iria para outro passeio com Joe e ficaria lá por mais 3 horas, sem reclamar. O tempo com ele passava rápido e eu queria que durasse para sempre. Assim como cada momento que se passava entre nós.

Continua...
Hey! Consegui postar hoje! Haha :) Espero que tenham gostado! *-* Bom... não vou escrever muito aqui nem responder aos comentários porque eu mal consigo abrir o olho de tanto sono. Só postei mesmo porque não queria deixar vocês sem capítulo! E também porque eu estou feliiiiz *-* Muito obrigada pelos "feliz aniversário's" hehe que vocês me mandaram! Eu amo muito vocês e só quero agradecer, significa o mundo para mim! <333 Obrigada também aos comentários no capítulo anterior! haha continuem comentando, por favor! Amo vocês! :3

Beijemis, Bruna *o*

Happy Birthday to me!!! *.*

Heeey! Só pra dar parabéns para mim mesma.... hahahaha não. Bom, não fiz isso pra me darem parabéns não, ta, gente? É que eu só queria postar aqui :P hehehe bom... avisinho para vocês, talvez eu poste hoje... como é meu aniversário as coisas tão complicadas aqui hoje... mas eu não quero deixá-los sem capítulo, então eu prometo tentar! :D Boooom... é isso. Hoje o dia foi perfeito, maravilhoso e acho que nunca me senti tão bem e foi sem dúvida o melhor aniversário! \o/ Mas isso aqui não é diário nem nada :0 haha é que eu to tããão feliiiz que queria compartilhar com vocês hehehe enfim... aguardem o capítulo, porque se não for hoje eu dou um jeito de compensar vocês ;)



Beijinhos, Bruna *-*

21 de ago de 2012

Be Yourself- Chapter 78


Chapter 78- Tent of love...

Parque de diversões. E daí que já somos adolescentes? Todos gostam de se divertir. Chegamos um pouco depois da hora do almoço, lá pras 2 da tarde. Só havíamos feito um lanche porque comeríamos na rua depois. Todos nós estávamos lá, porém alguns sumiram no primeiro instante. 

-Quero um bichinho de pelúcia- Choraminguei, assim que entramos no parque.
-Eu vou conseguir um para você, princesa- Joe sorriu em minha direção e eu me agarrei em seu braço.
-Cara, o que quer que esteja acontecendo entre vocês, está meloso demais- Miley revirou os olhos e nós rimos.
-Deixe-nos em paz, Smile- U.u- Só estamos recuperando o tempo perdido- eu disse.
-Ahãm, podiam aproveitar de outra forma se não fossem tão teimosos- ela sussurrou, resmungando. Nós ouvimos, porém preferimos ignorar.
-Então- Joe disse- Eu vou lá naquela barraquinha e vou conseguir um ursinho para a minha ursinha- disse fofo.
-Olha, quer saber? Fiquem vocês dois aí sozinhos mesmo. É melhor para nós, que não precisamos ouvir essas coisas e melhor para vocês que aproveitam o tempo juntos, mais ainda- Selena riu- Nós vamos andar por aí.
Ela saiu levando Nick, assim como Miley fazia com Liam, deixando apenas eu e Joe ali, abraçados de lado, sorrindo.

-Ô Joe, pega um bichinho pra mim também?- Nick gritou. Selena começou a puxá-lo, revirando os olhos enquanto ríamos- Ei, espera- ele resmungou- Eu quero um alien- gritou.
-Vamos logo, Nicholas- Selena deu um puxão mais forte- Deixa de ser criança.
-Eta garota, me deixa ser feliz- disse- Ouviu né, Joe? Um A-L-I-E-N- disse pausadamente.
-Ta, Nick, ouvi- Joe gritou, percebendo que ele não desistiria tão fácil.
--------------------------------------------------------------------------------
-O Nick ta diferente...- comentei, enquanto andava com Joe em direção a barraca- Eu gosto dele assim- dei de ombros.
-É, ele me disse que agora está meio que tendo um rolo com a Selena, ou algo assim-  explicou.
-Ah, eu bem que percebi- afirmei- Mas achei que fosse coisa da minha cabeça, tipo um "desejo", sei lá- ri- Ele mudou.
-Ela também, Dems- garantiu- E ele já desistiu de você, assim como a Selena de mim. Pena que eles resolveram tomar essa decisão tarde de mais- riu sem humor.
-É... tarde demais-concordei, abaixando a cabeça, pensativa.
-Mas- ele sorriu e eu o encarei- Finalmente isso acabou. Já é um alívio- apenas concordei com um gesto de cabeça -Vem, vamos conseguir logo esse urso- segurou minha mão e corremos até a "cabana" um pouco mais a nossa frente.

Era como uma "tenda" de panos diferentes e coloridos, com estampas esquisitas porém bem interessantes e algumas latas dentro, ao fundo. Era bem fácil e como em qualquer outro jogo de um parque de diversões. Você deveria acertar as latas para levar um bichinho. A cabana era um pouco diferente de todas que eu já tinha visto, mas mesmo assim o jogo continuava o mesmo e a única coisa que chamava minha atenção eram as pelúcias.

-Porque ta me olhando assim?- perguntei depois de um tempo, quando vi ele me encarando com um meio sorriso, depois de eu parar de observar atentamente os bichos.
-Queria saber uma coisa- ele começou, o encarei curiosa- Porque essa obssessão por essas coisas?- apontou- Eu achei que já tivesse superado essa fase.
-Ei- dei-lhe um tapa no braço e ele se esquivou, rindo- É que eu sempre amei essas coisas fofas e lindas- *-*- e não, eu não superei ainda- rimos.
-Nunca vi nada desse tipo no seu quarto- comentou, confuso.
-Eu deixo escondido- confessei- É que eu não gosto que saibam desse meu "apego"- fiz aspas com as mãos- As pessoas me zoariam e não seria legal.
-Mesmo que não seja ridículo, afinal, você gosta do que quer- afirmou- Quem sabe disso? Só curiosidade...
-Além de você? - ergui a sobrancelha- Minha mãe. Porque ela sabe que eu nunca dei os bichos que tinha quando pequena e sempre no meu aniversário ela me da um- sorri.
-Sou o único? Tirando a sua família?- perguntou surpreso.
-Na verdade nem a minha família sabe- dei de ombros- Sim, é o único.
-Porque me contou isso? Se é uma coisa que guarda a sete chaves?
-Confio em você e sei que meu segredo estará seguro- confessei tímida- Além disso, eu não me senti mal em te falar isso, já que pensei que nunca contaria isso para ninguém. Eu sei que parece besteira, mas não seria bom se as pessoas soubessem. E você não me zoa por isso...
-Uau, nem sei se mereço tamanho privilégio- sorriu.
-Privilégio? Saber de um segredinho desse?- ri- Não acho que seja para tanto. Mas mesmo assim, merece.
-Obrigada, eu acho- riu e eu o acompanhei.
---------------------------------------------------------------------
-Vai, Joe! É a última lata, você consegue!- gritei em seu ouvido, confiante, quando ele mirava no alvo.
-Yeeeah, consegui!- comemorou, me dando um abraço e rindo.

O moço avisou que pegaria nosso urso_ meu, na verdade_ e enquanto isso ficamos ali parados, rindo e comemorando_ por uma coisa tão boba.

-Interessante... parece que todos os garotos decidiram ganhar ursinhos para as namoradas- comentei, enquanto Joe me abraçava por trás.
-Verdade...- concordou- Só tem casais nessa barraca... estranho-deu de ombros.
-Bom, não importa, você conseguiu meu ursinho e é o mais lindo daqui- sorri de orelha a orelha e ele beijou minha bochecha.
-Seu brinde, casal- o moço chegou, trazendo nas mãos o urso enorme.
-Não, nós...- previ que Joe fosse dizer que não éramos um casal, mas o senhor foi mais rápido.
-Basta provar que estão realmente juntos e são dignos do ursinho do amor- sorriu, inocente.
-Como?- perguntei, confusa.
-Ué, vocês não sabem?- negamos- Aqui é a barraca da paixão- disse- Quem joga as bolas nas latas é o menino e depois de conseguir o urso para a amada, eles devem provar que são mesmo um casal- explicou- Com um beijo, claro.
O encaramos confusos e surpresos. Como não tínhamos reparado no nome da barraca antes? 
-Existe outra barraca de ursos por aqui?- perguntei.
-Não- negou- Somos a única a essa hora. A outra é exclusiva para crianças- explicou- Mas olhe bem, depois que você passa pela placa- apontou ligeiramente- Não há como desistir. Chamamos de "contrato da eternidade" e é como se vocês estivessem selando um compromisso.
-Então... quer nos dizer que se quisermos o urso devemos nos beijar?- Joe perguntou calmamente, tentando capturar a informação.
-Exatamente- ele sorriu- Não vejo problemas, formam um casal tão lindo!- comentou.

Ta legal. Por essa eu nunca esperaria. Como não tínhamos visto a placa? Culpa do Joe que ficava me distraindo com aquele sorriso encantador e aquelas besteiras que ele falava. Bom, a pergunta agora era, como nos livraríamos disso?

-Eu quero meu ursinho, Joe- murmurei, triste, já que o moço não prestava muita atenção
-Com essa frase, você sabe que está dizendo que quer me beijar, não é!?- disse rindo.
-Quero meu urso- afirmei, mais uma vez- Você não teve esse trabalho todo à toa, não é justo.
-Ta bem- concordou, um pouco pensativo- Ei, moço, vem cá- ele chamou. O que esse menino ia fazer?
-Pois não, casal?!- respondeu alegre.
Joe, que antes me abraçava por trás, rapidamente me virou, ficando bem na minha frente. Suas mãos prendiam-me perto dele e estavam grudadas em minhas costas. O encarei confusa, apesar de já imaginar o que ele faria. Me encarou por uns poucos segundos, com um meigo sorriso, e seus olhos me passavam algum tipo de pergunta. Ele queria permissão para me beijar? Pois isso só tornava tudo mais difícil. Eu não sabia o que faria se pensasse muito, se tivesse tempo para isso. Envolvi seu pescoço com meus braços e ele pareceu ter entendido o recado. Eu não sabia muito bem o que estava fazendo, já que beijos assim só acabavam comigo, porém não podia evitar.

Seus lábios tocaram lentamente os meus, com um breve selinho. Quando já estava me preparando para partir o beijo, ele me puxou mais contra seu corpo e aprofundou o beijo. Quando sua língua pediu passagem, eu não sabia muito bem o que fazer, eu não sabia se deixava ou não. Quando uma de suas mãos tocou meu rosto, acariciando-o, cedi completamente e sua língua invadiu minha boca. 
Ele ia sempre com muita calma e carinho, mas isso não tirava do beijo a intensidade e desejo de sempre. Com seu polegar, ele acariciou o canto de minha boca, sorrindo entre o beijo. 
Como sempre, foi mágico, diferente e surreal. Como ele conseguia isso?

Tudo demorou cerca de alguns minutos. Ouvimos o senhor falar alguma coisa, mas logo desistiu, soltando um "ah, crianças" e imaginei que ele tivesse revirado os olhos. Joe foi parando o beijo com muita delicadeza, lutando contra sua vontade de continuar. Nos separamos e ele me deu mais um único selinho, demorado e inigualável. Seus olhos estavam vidrados nos meus, me encarando profundamente. Eu via o desejo através de seu olhar e me perguntava se ele conseguia fazer o mesmo comigo.  

Depois ele simplesmente foi se afastando, sem ter muito o que fazer ou falar. Talvez não soubesse se eu havia ficado incomodada ou chateada, porque eu percebia a preocupação nele. Abaixei a cabeça, desviando o olhar e senti que ele voltou a me abraçar por trás. Ergui a cabeça e sorri em sua direção, por cima do ombro, deixando nossos rostos próximos. Ele correspondeu, aliviado e surpreso, me dando um beijinho na testa.

-Nossa, vocês com certeza foram o melhor casal que eu já tive- o moço nos encarou, sorridente- Parabéns, o compromisso está selado e seu ursinho está bem aqui. Obrigada por participarem e voltem sempre!
 Joe agradeceu, pegou o urso e me entregou.
-Awwwn obrigadaaaa- pulei em seu colo, lhe dando um forte abraço.
-Não precisa agradecer. Se uma coisa tão pequena já te deixa assim, só quero te ver feliz- sussurrou em meu ouvido, acariciando minhas costas.
-Esse aqui vai para a minha cama- disse convicta, separando do abraço- E vou deixar lá para que todos vejam- sorri.
-Woow- disse surpreso- Porque isso?
-Porque você conseguiu para mim- sorrimos e eu lhe dei um beijo na bochecha.
-----------------------------------------------------------------------------




Continua...
Oie :) Ah gente... nem deu pra vir aqui ontem e fazer um post de "Happy Bday" pra Dedê :((( Poxaaaaaaa :/// Bom... eu tinha feito um texto pra ela a uns anos atrás, mais ou menos, acho que foi ano passado... talvez eu poste ele aqui mais tarde... ;) Bom... gostaram? Me desculpem, eu sei que disse que postaria ontem mas não deu :/// Ontem foi um dia muuuuito cheio! Maaas *AAAAAAAAAAAAAAAAAAA* ~~pequeno surto~~ VIRAM O LIVE CHAT DOS JONAS? OMG 3 anos esperando por isso. E VIRAM ELES DESEJANDO PARABÉNS PARA A DEMI? Cara.... VIRAM OS TWEETS DO JOE E DO NICK? OMG. Enfim, eu morri umas 8746856456789765434567 vezes :) hahahaha comentem muito, tá, meus amores? <3 Um beijinho nesse capítulo... ou melhor, outro beijo, não é? haha LOL aaah, só para vocês saberem... escrevi um capítulo legal ontem... acho que gostariam de ler... hahahaha bom... me digam o que acharam ;) Amo muito vocês, obrigada por tudo <3


Beijemis, Bruna *-*