Visualizações

30 de jul de 2012

Be Yourself- Chapters 66 & 67


Chapter 66- Defending...

Quando me virei para encará-lo, ele estava mais próximo do que eu esperava. Tentei me afastar, chegando para trás, mas esbarrei no bebedouro. 
-Sabe porque não? Porque eu já sei o que vai fazer, vai me pedir desculpas- expliquei- Por coisas que não são da minha conta. Eu não quero isso, não quero que se sinta obrigado a nada por causa de mim, isso é ridículo- disse nervosa, enquanto me inclinava mais para cima do bebedouro, ele estava bem perto.
-Não me sinto obrigado a nada...- respondeu, com o tom de voz calmo- Só...
-Demi, já está tudo pronto- ouvi Sr. Fields se aproximando.
-Da licença- pedi a Joe, ele se afastou- Como já disse, não posso agora.
-Você vai ficar?- perguntou.
-Sim, tenho coisas a resolver...
-Demi, nós... Ah, olá, Joe!- sorriu ao vê-lo, dando-lhe um aperto de mão- Estava estranhando que não viesse hoje, Demi disse que tinha um compromisso.
-Ér... eu consegui um tempinho- Joe sorriu.
-Bom, Demi, já podemos ir- avisou-  Joe, você nos acompanha? Não sei se a Demi já te disse, mas hoje ela fará as provas das roupas que usará no concurso... era para ser uma "surpresa", mas como é namorado dela... acho que posso abrir essa exceção- sorriu.
-Eu...- percebi que Joe não sabia muito bem o que responder.
-Bom, vou deixá-los em paz por mais alguns segundos..- riu, se afastando- 1 minuto, Demi- gritou, já de longe.
-Você... vem?- perguntei, sem olhá-lo, sem mostrar nenhuma reação.
-Se importa se eu for?- perguntou, receoso.
-Você que sabe, Joe... Foi o Sr. Fields quem te convidou, não eu. Não tem que me pedir permissão- dei de ombros, cruzando os braços.
-Me responde, eu não vou se não quiser. Posso inventar uma desculpa sem nenhum problema- afirmou- Seja sincera- pediu.
-Você pode ir, sério- forcei um sorriso- Só... vem antes que ele me carregue pelos cabelos- ele riu.
-Tudo bem- sorriu, apoiando sua mão em minhas costas, em um ato de carinho. Senti uma corrente elétrica passando por todo meu corpo, porém não podia mentir, dizendo que não foi confortante.
Fomos andando tranquilamente até a sala, que estava transformada em um completo camarim. Haviam muitas roupas e algumas mulheres, já velhas, e com muitas plásticas nos rostos. Uma delas veio até mim...

-Olá, você deve ser Demi- apertou minha mão- É um prazer.
-O prazer é meu- sorri- Esse é o Joe- apresentei, ela fez o mesmo aperto de mão com ele, sorrindo.
-Bom, eu sou Marta- disse- Vamos ao trabalho?- perguntou animada.
-Claro, quando quiser- sorri forçadamente.
A princípio ela pareceu simpática. Quando fomos ver as roupas, acertar os detalhes e tentar bater um papo, ela se mostrou muito impaciente, metida, irritante, mandona...

-Vamos, Demi- ordenou- Tire logo essa roupa e experimente os colãs. Não tenho a vida toda!- resmungou.
-Tudo bem- concordei um pouco incomodada.
Joe estava sentado em um sofá bem ao nosso lado. Ele prestava atenção atentamente a cada detalhe e estava com uma expressão de que não estava gostando nem um pouco daquilo, assim como eu. Quando ela mandou que eu tirasse a roupa, dei uma olhada rápida por todos os lados. A sala estava trancada, havíamos nós, Joe e algumas outras mulheres que faziam diversas outras atividades. Deduzi através de seu olhar que deveria experimentar ali mesmo. Respirei fundo, conformada e olhei rapidamente para Joe enquanto tirava o casaco. Ele pareceu entender e se levantou, com uma carinha fofa.

-Vou tomar um copo d'água- avisou, sorrindo.
Ele saiu e eu senti certo alívio. Mas não posso negar que estava mais incomodada com a presença de todos ali do que com a de Joe. Vesti o colã e ela veio até mim com uma saia e uma espécie de corpete. No conjunto era praticamente um tutu. Era vermelho e brilhante, muito chamativo e definitivamente maravilhoso. Só achava que não caberia em mim.
Joe entrou silenciosamente. Eu estava só com o colã, mas não liguei para isso na hora, já que a mulher ficava falando no meu ouvido a cada dois segundos. Ele me encarou e pareceu pedir permissão para ficar ali. Assenti discretamente, forçando um leve sorriso. Ele correspondeu e se sentou onde estava antes.

-Eu acho que isso não vai caber em mim...- comentei enquanto vestia a roupa.
-Tem que caber- disse- Viu, já entrou! Você que é muito dramática, garota- revirou os olhos.
Eu tinha vestido o corpete. Não fecharia, eu tinha certeza. Ela me virou sem nenhuma delicadeza e apertou o máximo que conseguiu. Eu não estava nem conseguindo respirar direito e ela não se conformava.

-Meu Deus, como isso é possível?- falou consigo mesma.
-Eu disse que não caberia...- avisei.
-Você terá que emagrecer mais, Demi! Não pode ficar comendo demais e esquecer de todo o resto!- disse autoritária.
-Como?- perguntei confusa.
-É o que ouviu! Você engordou muito, tem que aprender a se controlar!
-Mas eu não engordei!- protestei- Vocês não tiraram minhas medidas!
-Não importa, eu fiz essas roupas nas medidas que uma bailaria deve ter! Se não está satisfeita, faça uma dieta!- ordenou.
-Desculpa, mas você está MESMO chamando ela de gorda?- Joe se meteu na conversa, levantando e vindo até nós, com uma expressão impaciente.
-Só disse que ela precisa emagrecer- resmungou.
-ELA é a bailarina, VOCÊ faz as roupas. ELA é a principal, faça o seu trabalho direito. Se não se deu nem ao trabalho de tirar as medidas, trate de fazer de novo- disse em tom óbvio.
-Se ela fosse uma bailarina de verdade, não teríamos esse problema- deu de ombros.
-Se você fosse uma estilista de verdade, faria seu trabalho da forma como deve ser feito. Você está recebendo por isso, certo? Acho que, no mínimo, deveria ter respeito pelos outros- ele disse.
-Eu também sou bailarina e me esforcei para isso- retrucou- Ela precisa ter o corpo adequado.
-Você quer que ela seja uma vareta? Pelo amor de Deus, isso sim é uma mulher de verdade, não essas dançarinas que ficam dias sem comer para emagrecer- resmungou- Aliás, o que você tem haver com isso? Seu trabalho é fazer as roupas e não discutir se ela esta ou não "na forma adequada"- disse de forma debochada- Para dançar.
-Eu já passei por isso, tenho mais experiência!
-Aé? Você disse que é uma bailarina?- perguntou.
-Sim, sou- afirmou.
-Então você poderia participar de um concurso como esse?
-Poderia!
-Então tá. Vista essa roupa- sorriu cinicamente- Já que é "da medida que uma verdadeira bailarina deve ter"- fez aspas com as mãos.
Joe e a mulher ficaram se encarando por um tempo. Ela era um pouco gordinha, sem postura alguma e não tinha um corpo de bailarina.

-Arranjem uma roupa maior para ela- a mulher gritou, saindo de perto de nós. Joe riu.
Eu estava apenas observando tudo, ao lado de Joe. Não sabia o que falar, como agradecer ou se deveria me meter na conversa. Como Joe estava indo muito bem, decidi ficar na minha. Abri um grande sorriso quando ela se virou.

-Aqui- outra moça veio trazer a roupa.
-Vire-se- a mulher segurou meu braço com força e me virou bruscamente, fazendo com que eu quase caísse.
-Ai- reclamei, me apoiando involuntariamente em Joe para não cair.
-Deixa que eu resolvo isso- Joe me puxou para perto e tirou a roupa das mãos da mulher.
­-Mas...- ela pareceu confusa.
-Você não parece mesmo querer fazer o seu trabalho- Joe disse- E se é pra tratá-la assim, deixa que eu faço, vai tomar uma água ou encher o saco de outro- resmungou.
Ela o encarou sem acreditar, mas logo depois empinou o nariz e virou o rosto, com aquela expressão metida e arrogante. Saiu andando dali sem falar mais nada.

-Eu mereço...- Joe murmurou consigo, respirando fundo e balançando a cabeça em reprovação.
Segurou em minha cintura com delicadeza, me virando de frente para o espelho. Ele estava atrás de mim, e eu conseguia ver perfeitamente nossa imagem no espelho, aquilo me hipnotizava. Ele forçou um lindo e pequeno sorriso, fazendo com que eu automaticamente tivesse vontade de chorar por estar ali, tão perto. Ao invés disso, abri o maior sorriso que consegui, controlando minha respiração.
Segurou o corpete com uma das mãos e passou a outra pela frente do meu corpo, me envolvendo com a roupa brilhante. Calmamente ele ia fechando a parte de trás, sem pressa alguma. 

-Como você sabe colocar isso?- perguntei, tentando parecer natural.
-Eu não sou burro, Demi...- respondeu rindo.
-Ah, tudo bem...- ri.
Enquanto ele fechava, eu segurava a parte da frente. Era bem complicado de fechar e, apesar de ele não ser "burro", eu não sabia como ele fazia aquilo. Porém deveria ser fechado na frente e atrás. Após terminar, ele foi para a minha frente, continuando com delicadeza. Era muito apertado, mas propositalmente. Esse pelo menos cabia. Não pude evitar a sensibilidade em meu corpo, quando sentia ele não próximo de mim. Não sentia sua pele contra a minha, mas o contato já era alucinante.

-Prontinho- sorriu, enquanto terminava de fechar, agora a saia- Ficou linda- sorriu.
-Obrigada- sorri, o encarando.
Me virei para o espelho. Eu estava realmente satisfeita com aquilo, era lindo.

-Será que eu já posso tirar?- perguntei depois de um longo tempo me observando.
-Está tudo certo?
-Sim...
-Então tira- disse- Não vai esperar ordens daquela mulher, né?- riu.
-De jeito nenhum- concordei.
Ele me ajudou a tirar tudo aquilo e eu me senti muito aliviada. Não sabia como dançaria com aquilo, mas daria um jeitinho. Tirei o colã ali mesmo, enquanto ele arrumava o tutu. Eu não me importava tanto com a presença dele, ou pelo menos tentava mostrar isso. 

_____________________________________________________________________________

Chapter 67- I don't know...

-Ei, você- Joe chamou uma das moças que pareciam super atarefadas, elas ajudavam a mulher arrogante- Já que a sua chefe não voltou, fica com isso e avisa que está tudo certo- pediu- Nós vamos indo...
-Tudo bem- a moça concordou apressadamente, pegando a roupa e saindo correndo.
-As pessoas aqui parecem robôs...- Joe comentou, com uma careta- É estranho...
-São escravos, isso sim...
Peguei minha bolsa, coloquei o casaco e saímos da sala.
-Você precisa fazer mais alguma coisa?- perguntou.
-Sim... tenho ensaio agora- murmurei- Ah, eu estou tão cansada...- me sentei em um banco, respirando fundo.
-Só cansada?- se sentou ao meu lado.
-Porque?
-Quando eu sai para... "beber água"- riu e eu acompanhei- Encontrei com o seu professor. Ele disse que você não estava muito bem, me perguntou se tinha acontecido alguma coisa...- deu de ombros- Aconteceu?- perguntou.
-Estaria mentindo se dissesse que não- ri sem humor. Virei minha cabeça para encará-lo. Ele tinha uma expressão estranha, parecia que queria falar alguma coisa mas não conseguia. Talvez fosse melhor mesmo, essa conversa era o que eu menos precisava- Mas eu... só não estou com disposição para dançar.. eu não consigo me concentrar, tem muita coisa na minha cabeça.
-Talvez fosse melhor pedir para ele um tempo... Você não pode ensaiar depois das férias?
-É que... na verdade esse seria o último ensaio em que eu poderia.. errar- fiz careta- Depois das férias eu vou ensaiar com tudo durante as 2 semanas antes do concurso...
-Não adianta dançar se não vai conseguir se concentrar...- disse.
-Eu sei, eu sei- concordei, respirando fundo- Eu to muito tensa pra fazer qualquer coisa...
-E se você tentar relaxar?- sugeriu calmo, sorrindo.
Ele me virou delicadamente, fazendo com que ficasse de costas para ele. Levou suas mãos até meus ombros, fazendo uma massagem confortante. O problema era que ELE ali me deixava mais tensa ainda.

-Parece que quanto mais tento te fazer relaxar, mais tensa você fica- comentou.
-Para com isso, Joe- pedi, me afastando- Eu não suporto mais isso, você não pode brincar comigo desse jeito- disse.
-É só uma massagem inocente- se defendeu, confuso.
-Não- neguei- É uma forma de se aproveitar- disse.
-Demi, eu...
-Vou para o meu ensaio, depois a gente se fala- o interrompi, correndo para a sala.
Não ouvi o que ele tinha para me dizer. Fechei a porta atrás de mim, caindo no choro. Eu me achava ridícula por não conseguir segurar sempre, mas meu coração não sabia lidar com o que quer que fosse que Joe fazia. Ele não podia ficar tentando se aproximar dessa forma, eu não aguentava.

-Sr. Fields, será que eu podia ir para cara hoje?- perguntei, receosa, secando as lágrimas- Não estou me sentindo muito bem...
-Claro, Demi- concordou preocupado- Aconteceu alguma coisa?
-Não, eu...- forcei um sorriso, secando mais uma vez as lágrimas- Só não estou disposta.
-Tudo bem, vá para casa e descanse, será bom para você- sorriu.
-Obrigada.
Decidi sair pela porta dos fundos para não correr o risco de encontrar com Joe. Fui o caminho todo andando rapidamente, bem atenta, me certificando sempre de que Joe não me seguia. Eu só precisava de um banho e algumas horas de sono, foi exatamente o que fiz.
------------------------------------------------
Quando acordei já era final de tarde. A primeira e única coisa que consegui fazer foi encarar o teto branco bem acima de minha cabeça. Era complicado ter que pensar tanto e tomar essa decisão, mas eu falaria com Joe. Pensei melhor sobre uma curta conversa que tivemos, quando ele me disse que eu o conhecia bem. Era verdade e, por mais que eu soubesse que estava tentando mudar tudo, Joe só queria manter o que ainda podia ter restado de nós. Por um lado eu agradecia, mas por outro, não sabia como lidar com isso. Mas depois de tudo que ele havia feito, não poderia ficar sem ao menos agradecer.


Olhei no relógio e ainda eram seis e meia da tarde. Já estava escuro, mas ainda era cedo. Me esforcei para desviar os olhos da parede branca, espantando automaticamente meus pensamentos e dúvidas. No final, eu sabia que se pensasse muito, iria acabar desistindo. Também sabia que se desistisse, me arrependeria. Vesti um casaco e desci a escada lentamente, tentando ao menos pensar no que dizer a ele. Eu sabia que, na hora, somente coisas não planejadas sairiam da minha boca. Por isso evitei imaginar muito. Além disso, não sabia como ele reagiria.


Não havíamos nos falado desde que eu saí descontroladamente da academia. Obviamente ele já estava em casa, mas eu me perguntava como ele havia reagido ao saber que eu tinha saído, me perguntava se tinha feito certo ao fazer aquilo, daquela forma, se estava certa em relação ao que tinha dito. Queria saber se ele ia me ouvir.


Atravessei o jardim escuro, enrolada ao casaco, sob o leve brilho da lua que começava a aparecer. Toquei a campainha e esperei até que alguém abrisse. Só aí percebi que poderia ter o chamado pela varanda do quarto, mas agora era tarde.
Joe abriu a porta, destraídamente, gritando alguma coisa para alguém que provavelmente estava longe. Só depois ele se virou para me encarar.

-Demi?!- me encarou surpreso- Oi- sorriu de lado, ainda confuso.
-Oi- sorri- Será que a gente pode conversar?- perguntei receosa.
-Só se deixar o clima estranho de lado- disse percebendo que eu estava meio tímida- Entra- sorrimos juntos e ele deu espaço para que eu entrasse.
Passei por ele e fui andando tranquilamente até o sofá. Ele segurou minha mão repentinamente, e eu me virei para encará-lo. Primeiro meu olhar se direcionou até nossas mãos, e depois, encontrou seus olhos.

-É melhor subirmos- sussurrou, um pouco próximo demais do meu ouvido- Tem... parentes em casa- fez careta, se afastando e sorrindo. Ele soltou minha mão e subimos até seu quarto.
---------------------------------------------------------------------------------
-Não liga para a bagunça...- pediu- Tenho uma prima de 6 anos. Ela está aqui hoje e me ama. Acho que já sabe o resto- eu ri.
-Sem problemas- dei de ombros- E eu sei que você ama crianças...- comentei, brincando com ele.
-Tá, é verdade. Mas as vezes eu só quero ficar sozinho...- disse- Ela não veio num bom dia.
-Eu gostaria de conhecê-la- disse mudando de assunto.
-Ela também adoraria te conhecer- garantiu.
Ele caminhou até a cama, se sentando e fazendo sinal para que eu me sentasse.
-Pode trancar a porta?- perguntou, enquanto eu ainda estava ao lado da porta- É muito risco deixá-la aberta com crianças em casa- fez careta.
-O que elas podem fazer?- perguntei, rindo nervosamente, indo fechar a porta.
-Acredite, teremos mais privacidade para conversar assim- afirmou, sorrindo de lado.
Me sentei a sua frente, com um leve sorriso e a respiração tentando se manter desacelerada. 
-Eu...- comecei- vim aqui para te agradecer- respirei fundo, sorrindo e levando meus olhos até os dele- Obrigada pelo que fez hoje- disse agradecida, um pouco envergonhada.
-Eu acho que a única coisa que eu fiz foi atrapalhar tudo, não é?- fez careta, e em seus olhos, eu via arrependimento e decepção- Olha, Demi...
-Não, Joe...- tentei negar antes que ele começasse e a conversa tomasse outro rumo, mas ele me interrompeu e eu percebi que, de qualquer forma, não conseguiria fugir assim.
-Deixa eu falar, por favor- pediu calmo- Pode parecer realmente o que você disse, eu sei. Mas não era a minha intenção parecer abusado. Eu não estava brincando com você de forma alguma.
-Eu sei disso... eu fiquei nervosa na hora e ... pensei errado. É que... tudo que você faz, tudo que fala... me lembra que poderia ser diferente e eu fico confusa com o que está acontecendo. Mesmo sabendo que não foi proposital, eu não consigo, Joe.
-Como não consegue?
-Eu simplesmente... acho que não estou aguentando tudo isso. É demais para suportar...- disse angustiada.
-Se você quer saber, e, ao contrário do que pensa, não está nada fácil para mim também- disse- Mas se eu simplesmente desistir? Você vai tentar manter alguma coisa entre nós?
-Não existe mais "entre nós", Joe...- murmurei, tristemente.
-Não mesmo? Você não quer que exista nada?- ele perguntou e eu apenas abaixei a cabeça- Só estou tentando não perder tudo... não é o que eu quero que aconteça!
-Também não é o que eu quero- afirmei- Mas ao mesmo tempo eu não estou suportando.
-Toda vez que eu estou perto de você o clima é estranho. A gente não se entende e nada funciona. Por que isso, Demi?
-Eu não sei- respirei fundo.

Continua...
Oiiiii!! Que saudade! :o gente, o que eu mais queria era postar pra vocês durante a viagem! Mas eu achei que teria internet, mas não tinha! :s E pelo mobile era impossível postar! :/ Bom, me desculpem! E em relação a demora_ aqueles que "reclamaram"_ eu avisei que estaria fora durante esse tempo... enfim, eu juro que tentei, mas não deu :/ Já que isso aconteceu, aí estão dois capítulos para compensar! Estão bem grandinhos e talvez amanhã eu poste outro! :) Desculpem mesmo e comentem bastante! Espero que gostem! ;) Obrigada a todos, por esperarem e comentarem! *-* Eu não vou respondê-los agora, porque tempo me falta :/ Mas eu amo vocês, tá? <333

23 de jul de 2012

Be Yourself- Chapter 65


Chapter 65- You'll never listen...

Demi on:
Me encarei no espelho, tentando, pela milionésima vez, me entender. Eu não conseguia ficar longe de Joe, mas ao mesmo tempo, era como uma facada em meu coração ficar tão próxima e tão... distante dele. Joe estava tentando melhorar ao máximo as coisas, mas ele não sabia que, ao fazer isso, apenas me machucava mais. Também não sabia que seria mais complicado do que pensava.
Saí dali, espantando os pensamentos e segui a procura de Joe. Não o encontrei onde marcamos, o que era estranho porque geralmente ele sempre me esperava. Bufei e caminhei pela praça de alimentação, à procura dele. Joe não poderia ter ido muito longe, então depois de dar uma olhada geral pelo lugar, decidi esperar ali, talvez ele aparecesse. Fiquei alguns minutos, quando decidi procurá-lo. Andei quase o shopping todo, tentando fazer da situação a melhor possível. Observei algumas vitrines e até comprei um sorvete. O encontrei em um canto mais afastado do shopping, se agarrando com uma menina. Não era longe de onde estávamos, pelo contrário, se eu tivesse seguido pela direção oposta, teria o encontrado com facilidade. Mas a volta foi boa para que eu relaxasse minha mente e poupasse um pouco meu coração, o que me ajudou a não cair no choro ao vê-lo com ela. Era impressionante como ele conseguia acabar comigo em segundos, mesmo que não quisesse. 
Não sei por quanto tempo fiquei ali, mas não foi muito. Não o suficiente para que ele me visse. Joguei o sorteve no lixo e corri para a saída mais próxima, atravessei a rua e entrei na academia de dança. Entrei no vestiário para trocar de roupa, já estava na hora da aula. Lavei o rosto, respirando fundo e fazendo o maior esforço para me concentrar ali e esquecer Joe. Mas eu não conseguia. O professor já havia começado a aula quando saí de lá, todos ensaiavam quando abri a porta da grande sala.
-Desculpe o atraso, Sr. Fields- sussurrei, correndo para ainda pegar um pouco do alongamento.
-Tudo bem, Demi- afirmou, simpático- Algum problema? Parece nervosa...- comentou.
-Não, está tudo bem- forcei um sorriso.
-E aquele seu amigo, ou melhor, namorado que vinha com você?- perguntou- Ele era engraçado...- comentou rindo.
-É, ele é muito legal- sussurrei comigo mesma, porém alto o suficiente para que ele ouvisse- Ele não pode vir, teve um compromisso.
-Ah sim...- deu de ombros- Bom, hoje eu queria que ficasse um pouco mais além do horário- avisou- Vamos ensaiar para o concurso e a estilista trará as roupas para a prova.
-Tudo bem, sem problemas- sorri, um pouco incomodada. O que eu mais queria era ir para casa.
-Você irá concorrer com muitas pessoas, Demi. Pessoas boas, muito boas- se aproximou, para que a conversa fosse mais particular.
-Eu sei disso, estou muito nervosa- confessei, com uma careta.
-Não é necessária a preocupação- garantiu- Você é ótima e se dedica. Na verdade estou querendo te tranquilizar, você tem chances grandes- sorriu.
-Obrigada- agradeci.
-Seu parceiro ainda não pode vir- fez careta- Ele...
-Terei um parceiro?- perguntei confusa, interrompendo-o.
-Bom, foi decidido de última hora. Aliás, era uma das coisas que gostaria de falar com você- disse- Você dançará um solo, mas muitas vezes, os jurados gostam de mais. Não é para julgar, não vale nada, mas geralmente os representantes da academia dançam juntos- explicou- Como um... agradecimento ao concurso e uma divulgação da academia. Você só dança se quiser, ainda veremos isso. Você escolhe.
-Eu.. vou pensar- sorri. No momento, me veio a cabeça pedir a opinião de Joe sobre o assunto.
-Não tenha pressa- avisou.
A aula continuou, calma e relaxante. Muitas vezes eu achava que dançar era um alívio, a música me acalmava e os passos leves e precisos me ajudavam a manter a cabeça no que eu fazia, esquecer os problemas e liberar tudo o que queria do meu corpo. Mas hoje, não estava sendo como um tranquilizante para mim.

-Demi... você precisa se concentrar mais- Sr. Fields avisou, interrompendo meus pensamentos.
-Me desculpa, eu...- não consegui encontrar uma resposta. Acabei desequilibrando e só não caí porque consegui me segurar na barra.
-Descanse um pouco- disse- A aula já está quase acabando e você vai ficar até mais tarde mesmo...
-Não...
-Vai, é melhor- forçou um sorriso.
-Tudo bem- respirei fundo- Obrigada.
Fui até um canto da sala e tirei minhas sapatilhas, deixando-as bem ali- já que as usaria depois- e abaixei a cabeça, abraçando minhas pernas e fechando os olhos com força. O que estava acontecendo comigo?
Joe não saia da minha cabeça, tudo que eu fazia me lembrava dele. Mesmo que tentasse pensar em algo para de distrair, ele dava um jeito de invadir meus pensamentos. Era surreal. A aula acabou e só fui me dar conta quando uma das minhas "colegas" veio me chamar a atenção. Praticamente todos já haviam saído da sala, enquanto algumas pessoas entravam com muitos cabides de roupas penduradas. Provavelmente seriam as roupas que eu e outros bailarinos usariam.

-Vão demorar um pouco para arrumar tudo- uma moça avisou- Você pode tomar um ar, uma água, acho que fará bem- forçou um sorriso, sugerindo. Eu estava tão mal assim? A ponto de alguém que eu nunca vi na vida perceber?
Achei que era melhor mesmo fazer o que ela disse. Seria bom. Levantei, passando a mão no cabelo, tentando arrumá-lo e soltei o ar pesadamente algumas vezes.

-Demi, meu Deus, me desculpa- Joe apareceu assim que eu passei pela porta, ele parecia muito preocupado.
-Eu não posso falar com você agora, Joe- respondi seca, mostrando indiferença e passando por ele sem encará-lo, seguindo até o bebedouro.
-Eu te procurei que nem um maluco pelo shopping todo- me segurou delicadamente pelo braço, fazendo com que eu olhasse para ele- Você também estava demorando a sair dali de dentro- apontou para a sala- Não fui lá porque não queria atrapalhar a sua aula.
-Eu também te procurei, Joe...
-Desculpa, eu perdi a hora, eu...
-E eu te achei- sorri de lado, sem nenhuma vontade- Sabe o que é mais engraçado? Você ainda se dá ao trabalho de mentir...
-Você... me achou?- ele estava surpreso, nervoso- Me desculpa, Demi!- pediu, decepcionado.
-Eu não preciso que me transporte de um lugar para o outro. Você me levou para almoçar, eu agradeço- disse- Mas não tem problema, eu consigo vir sozinha. Se é por isso que você está se desculpando.
-É por tudo...
-Você não precisa se desculpar pelo que eu vi- forcei um sorriso- Eu não tenho nada haver com a sua vida...
-É claro que tem- afirmou- Se não preciso me desculpar porque não me chamou?
-Eu não queria atrapalhar- sorri tristemente.
-Eu não tinha a obrigação de te... "transportar"- fez aspas com as mãos- Mas você foi comigo e eu não devia ter te largado lá, sério, me perdoa.
-Eu já disse que não tenho tempo agora...- me virei e fui beber água.
-Você nunca vai ter tempo para me ouvir- disse atrás de mim.

Continua...
Heeeeeeey! VOCÊS VIRAM A DEMI ONTEM? *O* omg, sem comentários! :333 Bom, vou explicar! Devem ter percebido que eu venho postando mais durante esses últimos dias, certo? Pois bem, vou viajar amanhã de manhã e só volto domingo! :/ Não sei se vou conseguir postar de lá, por isso postei. Mas vou tentar ao máximo! :) Me desculpem se eu não conseguir, mas tenham certeza de que eu vou tentar! :D Obigadaaaaa pelos comentários, tanto do capítulo anterior como do último <333 Enfiiiim, amo muito vocês <3

Anônimo--- Awn obrigada!!! :DDD Bom, primeiro, eu não acho o Ian bonito! Hahahahaha mas enfim.... não, não acertou :/ hehehe Calma, já já terá um "gato" hahaha obrigada, beijos <3
Sahmara--- Hehe ta estranho, sem sentido? :/ Bom, obrigada, linda *-* Também queria Jemi no TCA, nossa, to triste até agora porque não teve nem 1 foto :( Mas.... :(  Beijocaaas <3
Anônimo--- Obrigadaaa! *-* Não, não.. postei hoje hehehe lol
Stephanie--- Hahaha relaxa... o gato ta a caminho... :)
Gabs--- LINDAAAA <33 Primeiro, posta logo a tua fic! U-U hahahaha to morrendo, pois é! *O* DEMI PERFEITA NO TCA! Deus do céu! OMG Hahahahaha beijocas, amor! <3

Hey, gente, a Lara foi hackeada no outro blog, então começou uma nova fic aqui >>Jemi- Never end. Entreeeem lá, porque vale a pena! ;) E a Gabs tem uma fic também, aqui >>http://www.icanseeghosts-allthetime.blogspot.com.br/ ela nem me pediu para divulgar não, mas cara, vocês precisam entrar! Sem brincadeira, to viciada! hehehe entrem nesses dois blogs, são lindos! *o*




Beijemis, Bruna :)

22 de jul de 2012

Be Yourself- Chapter 64


Chapter 64- Who are you?

Joe on:
-Ei, espera, Demi- chamei enquanto corria atrás dela, na rua, bem na saída da escola. Ela parou, esperou um momento e logo se virou, com uma expressão triste, eu já podia prever.
-Oi, Joe...- sussurrou sem olhar diretamente em meus olhos, desanimada.
-Eu queria saber se você vai a aula hoje... de ballet...- disse meio receoso, me aproximando.
-Sim, vou- respondeu- É a última aula antes das férias...-segurou mais firmemente na alça da mochila que estava em seu ombro, parecendo incomodada com alguma coisa. Ou melhor, alguém. Eu.
-Posso te levar?- perguntei, já esperando um 'não' como resposta, mas já sabendo que não aceitaria.
-Não é só porque você sempre me levou que eu não possa me virar sozinha- disse grossa. Mas conhecendo-a bem, sabia que ela estava se esforçando ao máximo para isso e que não era bem o que queria.
-Eu sei- concordei, calmo- Só estou oferecendo. Eu não tenho nada para fazer hoje e...
-Procura a Ashley que esse seu tédio se resolve rapidinho- sorriu cinicamente.
-E eu achei que pudesse te dar uma carona- continuei, ignorando-a.
-Não quero sua carona, obrigada.
-Estou de carro, sabe disso- falei- Te levo lá em segundos.
-Minha aula não é agora, você sabe- avisou.
-A gente pode almoçar em algum restaurante... comer alguma coisa na rua- sugeri- O que acha?
-Eu não.. não quero que me leve- sussurrou, um pouco insegura.
-Demi, por favor- pedi, sincero.
-Porque você está fazendo isso?- perguntou confusa- Na verdade, o que está tentando fazer?
-Eu só quero que venha comigo- respondi, tranquilamente.
-Isso não vai adiantar, eu não consigo!- disse um pouco angustiada.
-Só estou tentando tornar tudo mais fácil- expliquei, diminuindo o meu tom de voz e me aproximando- Me ajuda, Demi. Sozinho não tem como.
-Você acha que é assim?- perguntou com um sussurro, me encarando com uma expressão confusa.
-Você quer ter essa conversa? Outra vez?- perguntei, calmo.
-Não- respirou fundo.
-Você tem o direito de não querer olhar na minha cara- admiti- Mas eu estou aqui, implorando pra que venha comigo. É só o que eu peço, por favor.
-Eu sinceramente não sei porque eu estou entrando nisso- comentou.
-Entrando...? No que, Demi?- eu não entendia o que ela dizia.
-Nesse seu joguinho, Joe- respondeu grossa. Ela definitivamente não dava uma trégua.
-Mas que jogo?...
-Se você está tentando se reaproximar de mim porque está arrependido ou quer alguma coisa, desista. EU não aguento isso, Joe. Não está sendo tão fácil para mim quanto parece estar para você- explicou nervosa.
-Eu só estou tentando recuperar o pouco que ainda resta- disse- Você decide. Vem comigo ou não?
-Vou- falou simplesmente- Vou fazer papel de idiota, mas vou- resmungou consigo mesma, balançando a cabeça em reprovação.
-Para com isso- pedi.
-Não estou falando com você- U.u
-Está sim- afirmei, em tom óbvio.
Ela bufou e apenas me seguiu até o carro. Eu estava feliz por ela ter ido comigo, só não sabia o que exatamente ia fazer, como agiria com ela, já que nada estava fácil. Abri a porta do carro para que ela entrasse e ela virou a cabeça por cima dos ombros para me encarar, forçando um leve sorriso de lado quando segurei sua mochila para jogá-la no banco de trás, junto a minha.

-Onde vamos?- perguntou, assim que entrei no carro.
-Não vou te sequestrar- pisquei para ela, rindo. Ela sorriu- Sei lá, tem um shopping perto da academia, podemos comer por lá- dei de ombros.
-Tudo bem- concordou- E aí, como foi o seu dia?
-Péssimo- respondi fazendo uma careta e rindo sem humor, um pouco surpreso pela pergunta.
-Imagina o meu...-sussurrou para si mesma, porém eu ouvi- Eu vi no intervalo como foi péssimo o seu dia- disse ironicamente.
-Você vai ficar me mandando essas indiretas?- perguntei impaciente- Não podemos manter uma conversa tranquila?
-Eu não esperava que fosse responder...- fez uma cara estranha- Eu só sinceramente não entendo...
-Não entende o que?
-Quem você é- virou a cabeça, me encarando.
-Você simplesmente tirou as conclusões que quis- disse.
-Você concordou comigo.
-Concordar era mais fácil, pouparia a mim e a você...
-O que isso quer dizer, Joe?- perguntou nervosa- Não falo isso só por causa do que você falou, falo isso pelo que eu estou vendo...
-E o que você está vendo?- perguntei cinicamente, mesmo já sabendo a resposta.
-Não é o Joe que eu conheço. Na verdade, eu só quero que seja verdadeiro comigo. Porque continuar me enganando só vai ser pior. Porque não é comigo quem você é de verdade?
-Está querendo dizer que quer que eu te agarre aqui?- perguntei, segurando o riso com um sorriso travesso, tentando amenizar o clima ruim.
-Eu...- nossos olhares de encontraram e ela ficou paralisada. Sua boca se abriu, mas nada saiu.
-Você...?- pressionei-a.
-É claro que não, Joe- sacudiu a cabeça.
Não consegui me controlar e ri, fazendo com que ela sacudisse a cabeça em reprovação e a abaixasse. Eu sabia que ela estava vermelha, mas tentava esconder isso de mim.

-Ta, olha...- comecei, agora sério- Eu não quero falar disso- pedi- Olha pra mim...
Ela me encarou, desviando o olhar sempre que podia.
-Mas... você me conhece e sabe quem eu realmente sou.
-O que isso quer dizer? O que significa?- questionou confusa.
- Que eu não preciso falar mais nada, você pode pensar o que quiser- dei de ombros.
-Virou jogo de adivinhação agora? É o que, magia?- perguntou fazendo com que eu risse.
-Só estou dizendo que se respondesse de um jeito digno, você provavelmente não acreditaria e ficaríamos aqui, discutindo até amanhã. Se eu deixar por sua conta, será mais fácil. E eu sei que me conhece o suficiente para responder por mim- sorri.
-Tudo bem...- concordou.
-Então o assunto acaba aqui?- perguntei, me certificando.
-Sim, acaba aqui- garantiu, forçando um sorriso.
-------------------------------------------------------------------
Andamos pelo shopping tentando manter uma conversa agradável, apesar de quase nada sair de nossas bocas. Nos sentamos em uma mesa, um de frente para o outro e pedimos alguma coisa. Comemos em silêncio, depois conseguimos conversar por algum tempo.
-Eu vou lá pagar- avisei, me levantando- Já volto.
-Tudo bem- concordou- Enquanto isso eu vou ao banheiro, nos encontramos no restaurante mesmo- forçou um sorriso.
Concordei e caminhei lentamente até o lugar para pagar. O banheiro ficava bem ao lado de onde eu estava, vi Demi passando por mim.
--------------------------------------------------

Continua...
Oooi :) Bom, vai começar o TCA, então não posso ficar muito aqui \o/ hahahaha amo vocês, MUITO obrigada! <333 Volto amanhã, tá? ;) Vamos comentar! Estou MUITO feliz pelos comentários, vocês não tem ideia! <3333


PARABÉNS PARA A NOSSA Mamacita!!! *O*


Beijemis, Bruna *-*

20 de jul de 2012

Be Yourself- Chapter 63


Chapter 63- Without him...

---------------------------------
-Burro, idiota- resmunguei, socando a parede.
-Calma, Joe- Nick entrou no quarto, assustado- Vai quebrar a casa assim.
-Não enche Nick. Você já atrapalhou demais a minha vida- murmurei.
-Eu...?- me encarou confuso.
-A Demi terminou comigo e eu disse coisas horríveis para ela. Culpa sua que decidiu falar o que não devia.
-Ah, isso- fez careta- A Selena me contou. Joe, eu... sério, desculpa por ter feito tudo aquilo, foi idiotice, eu vacilei feio com você.
-Agora já passou...- suspirei- A viagem está de pé?- mudei de assunto, forçando um sorriso travesso.
-É assim que se fala- me deu um leve tapa nas costas, sorrindo.
------------------------------------
Passei o dia vendo um filme. Era final de tarde e eu estava deitado na cama, comendo algumas besteiras. Não sei muito bem porque, mas quando me dei conta, meus olhos estavam presos a foto de Demi que eu tinha no porta retratos. Uma coisa me veio na cabeça. Eu não sabia se deveria ligar, porque tudo que eu falei realmente foi horrível, nem eu mesmo me reconhecia por aquilo. Mas precisava saber se ela iria na viagem. Peguei o celular, mas já sabia que ela não me atenderia. Então resolvi esperar essa semana passar, afinal, ainda tínhamos tempo e quem, sabe, alguma coisa não mudava durante essa semana? Eu só não sabia como.
______________________________________________________________________
O fim de semana foi melhor do que eu esperava. Hoje era segunda feira e eu estava deitado na cama, já arrumado, mas com preguiça de levantar, pensando nas noites que tive com Ashley. Eu era um idiota por causa disso? Podia até ser, mas voltar a minha vida antiga era mais fácil, era melhor e menos doloroso. Eu não conseguiria esquecer, mas pelo menos me divertiria e conseguiria disfarçar o que realmente sentia. Eu faria como da última vez, levaria uma vida onde sair machucado nunca era uma das opções. Sendo assim, passei todo o fim de semana com Ashley, curtindo.


Não havia nem mesmo visto Demi, e para ser sincero, não era bem o que eu queria. Tudo estava confuso para mim, por isso tentava evitar pensar muito sobre o que estava acontecendo. Mas tinha uma vontade louca de vê-la, sorrindo, de beijá-la, ouvir o que ela tinha para me dizer... eu queria um simples "eu te amo"... vindo dela. Eu não esperava que nem um simples "oi" fosse trocado entre nós, mas não podia evitar as saudades. De qualquer forma, minha "vida" havia voltado.
Eu não ignoraria Demi, pelo contrário, tentaria ser educado, ou simplesmente fingir que nada nunca aconteceu entre nós. Trataria ela como uma simples "conhecida", se eu conseguisse, claro. Não queria perder a amiga, mas entendia que depois das minhas palavras ela não falaria comigo. E se eu fosse atrás da amizade, não me contentaria só com aquilo, e a partir daí, o plano de não sair mais machucado iria por água abaixo.


Não sei porque, mas se passou na minha cabeça que talvez eu pudesse estar atrasado. Olhei no relógio e já estava em cima da hora, só conseguiria entrar no próximo tempo. Corri para o andar de baixo, pegando minha mochila e a chave do carro. Quando abri a porta vi Demi também nessa posição, porém falando com alguém dentro de casa, obviamente ela não me viu. Tirei o carro da garagem e quando cheguei a rua, ela saía, bem próxima de onde eu estava. Olhou de lado rapidamente, eu percebi, e seguiu andando.

-Bom dia, Demi- disse sorrindo, enquanto colocava a mochila no carro.
-Ér... bom dia- sussurrou me encarando, com uma expressão confusa.
-Você quer carona?- perguntei educadamente.
-Não- forçou um sorriso- Mesmo assim, obrigada- virou-se para continuar seu caminho.
-Você vai chegar muito atrasada, sabe disso- alertei, rindo levemente.
-É...- fez careta- Ta bem- concordou entrando no carro.
Ela entrou e seguimos em silêncio. Não chegava a ser incomodo, mas realmente não parecia que éramos... aquilo que éramos. O clima era bem estranho e ela nem sequer olhava para mim, como se eu fosse uma pessoa desconhecida ou que ela não tinha a mínima intimidade.

-Eu.. perdi a hora hoje- comentei, tentando deixá-la mais à vontade- Parece que não fui o único...
-É, definitivamente não...- riu sem humor- Não tenho dormido bem esses dias...- deu de ombros.
Preferi não comentar nem tentar dar a ela uma resposta. Eu sabia muito bem, pelo jeito como ela agia e por causa da leve vermelhidão em seus olhos, porquê ela não tinha dormido bem.
O assunto morreu ali. Chegamos na escola, ela soltou um simples "obrigada" acompanhado de um leve sorriso e abriu a porta. Caminhamos "juntos" até a portaria do colégio, em direção a algumas mesas onde deveriam ficar aqueles que chegassem atrasados. Mantivemos certa distância e nem sequer nos olhamos.
Ela colocou sua mochila em um dos bancos, fiz o mesmo com a minha. Tinham muitos alunos ali, então fui na direção de alguns, afim de conversar com eles, me distrair enquanto não era liberada a entrada. Deixei Demi sozinha e fui bater um papo.

Demi on:
Observei Joe se afastando, tentando entender alguma coisa. Ele estava tentando fingir que nada havia mesmo acontecido entre nós, mas eu não conseguiria ajudar. Era impossível ficar perto dele sem que as lágrimas tentassem sair, sem que as memórias viessem à tona. Eu nem sabia porque estava sendo tão... idiota. Ele havia me decepcionado, me traído com a Ashley e sei lá mais quantas e agora... tentaria ser meu amigo? Eu ainda teria que pensar para decidir o que doeria menos.


Fiquei sozinha no banco enquanto ele conversava com algumas pessoas. Depois de um tempo, foram se aproximando e "me colocando" na conversa. Obviamente não participei, mas era impressionante como Joe conseguia ser surpreendente.
Eu não sabia se acreditaria no menino que conheci melhor durante nosso tempo juntos ou teria que colocar na minha cabeça que ele realmente nunca havia mudado. Eu tinha sido muito tola, mas pareceu tão real...
Bateu o sinal, finalmente, eu não estava mais aguentando ficar ali. Minha vontade era voltar correndo para casa, mas sabia que não poderia e afinal, não resultaria em nada. Já havia chorado o fim de semana todo, sabendo o que Joe fazia com Ashley dentro daquele quarto. Talvez ele tivesse esquecido que meu quarto ficava praticamente grudado no seu. Doía saber que ele tinha mudado tão facilmente, que tinha me esquecido e o pior, queria esquecer. Eu não sabia por quanto tempo ele continuaria com esse joguinho de "amigos" mas sabia que eu não conseguiria.


Caminhei até a sala, Joe estava um pouco mais atrás de mim. Não me dei ao trabalho de encará-lo, apenas me sentei em minha cadeira- dessa vez ele havia se sentado do outro lado da sala- e me concentrei para disfarçar estar prestando atenção na aula.
No intervalo foi a mesma coisa. Eu, sozinha, sentada em um canto sem a mínima fome e perseguida pela vontade incessante de chorar, enquanto Joe estava com uma menina qualquer, na mesa dos populares, rindo e se divertindo. Esquecendo mais a cada momento. 


Ele não percebia que isso doía em mim? Eu ainda não acreditava que era de propósito, mas do jeito que ele estava agindo, essa era a minha única opção, era o que eu lutava para não acreditar, mas deveria encarar a verdade. Pensando bem, o que eu queria? Ele, me abraçando, seus beijos, carinhos, sorrisos... palavras. Mas eu não poderia fingir que nada aconteceu e implorar que ele voltasse comigo. Ele também não faria isso. No fundo... talvez eu só quisesse que ele não tivesse mudado, ou mentido para mim durante tanto tempo. Agora eu percebia que o que havíamos vivido não tinha sido real, foi uma imensa mentira.


Eu queria ouvir ele dizer que ficaria tudo bem. Poder acordar com ele ao meu lado e pensar "foi só um pesadelo". Queria que ele me dissesse que ficaria sempre ao meu lado, como a promessa que havia feito, desde sempre. Eu me lembrava claramente de quando ele disse que mesmo que nos separássemos, ele não queria me perder e eu seria sempre a coisa mais importante na vida dele. Eu queria pensar nisso, ouvindo claramente sua voz em minha cabeça e poder acreditar, olhar para trás e ver que não foi apenas uma ilusão. Queria ouvir ele me falando tudo isso de novo, queria que ele fizesse o que falou. Não importava se ele estava tentando se "aproximar" um pouco de mim, porque eu estava sendo idiota ao deixar que ele tentasse. Suas palavras ainda ecoavam em minha cabeça: "Então eu fui só mais uma para você?" "Sim". Não era muito difícil perceber que nada entre nós ficaria bem, eu só não podia acreditar na volta que tudo dera. 


Agora eu estava completamente perdida, sem saber o que pensar ou para onde ir, sensível e vulnerável...
A verdade era que eu não sabia como tratar ele. Quando se aproximava, eu não conseguia evitar um leve sorriso, ou que meu coração batesse mais forte. Mas aí eu lembrava de tudo que aconteceu de tudo que ele me falou. Eu não podia ignorá-lo e tratá-lo mal, porque, independente de tudo, o tempo que passei com ele foi o melhor da minha vida.
-------------------------------------------


Continua...
Postei mais um hojeeeee \o/ Cara, o desespero da Thalia me fez fazer isso! Maaas, enfim... hahahaha gostaram? Gente, CALMA! Mesmo com eles separados, muitas coisas acontecerão...é o máximo que eu posso dizer para tranquilizar vocês ;) 


COMENTEM MUITO! POR FAVOR! Eu postei DOIS hoje, então, vamos comentar! :D


Anônimo--- Awwwn valeu sim, amore! Eu amo, de verdade, ver o carinho de vocês! <333 Hahaha muito ainda vai acontecer... estou providenciando esse "gato" ;) hehe beijocas e obrigada!! *-*


Gabs---- Hahahaha sei que não da para evitar... hahaha Obrigadaaaa <3 Beijocas, espero que goste! *O*


Jemi- This is me _Thalia_ ---- My baby, que medo O.o Hahahahaha postei, senhorita desespero/ terrorista! LOL Mesmo que eu enrole, ainda tem coisas para acontecer... :P Beijocas *-* 


Obrigadaaaaaa :) Beijemis, Bruna *-*

Be Yourself- Chapter 62


Chapter 62- Nothing At All...

Demi on:
Último dia de aula, dessa semana. Definitivamente nossas férias de verão começariam na próxima semana, sexta feira. Ontem não tivemos aula, então passei o dia todo em casa. Joe não havia nem mesmo olhado na minha cara quando saí de casa para pegar o jornal no jardim e ele lavava o carro. Claro que o fato de ele estar sem camisa acabou comigo, mas quando me olhou de lado e nem se deu ao trabalho de me dar um simples "oi" ou acenar com a mão, foi o suficiente para que eu saísse dali e desistisse de uma vez. Enfim, ontem eu só tinha chorado, só. Ele não foi me procurar e claro, eu não procuraria ele. Passei boa parte da tarde debruçada na sacada, fitando a casa de Joe, bem na minha frente. Não pareciam ter muitos movimentos, e percebi que ele parou de lavar o carro um pouco depois que eu saí de lá. 


Lutei contra toda a minha vontade de continuar ali e levantei da cama. Eu não poderia faltar a escola em um dos últimos dias de aula, mas motivos para não ir invadiam meus pensamentos. Eu não queria ver Joe, não queria ouví-lo falando sobre mim ou a noite com Ashley. Não queria ouvir o que tinham a dizer sobre mim.
Lavei meu rosto e sequei-o, jogando fora todas aquelas lágrimas que caíram enquanto eu pensava nele. Coloquei a roupa e desci, pegando uma maçã para sair de casa. 


Eu não esperava mesmo que ele fosse me oferecer uma carona, mas também não achava que sairia assim, na minha cara, sem ao menos me cumprimentar, novamente. Abaixei a cabeça e segui meu caminho, sempre levando as mãos ao rosto e respirando fundo, para conter as lágrimas.


Cheguei no colégio e foram necessários segundos para que as conversas paralelas começassem. Eu sabia que seria assim. Inclusive Joe e seus amigos conversavam, rindo e me encarando algumas vezes. Segui em frente, tentando ignorar. Me sentei na última cadeira da sala e esperei que a aula começasse.
Era estranho porque.. durante a espera pela professora, eu olhava Joe e o via como o de antigamente, não mais como o menino doce e carinhoso com quem eu estava até 2 dias atrás. Não conseguia ao menos me imaginar ao falar com ele.


Joe caminhou na minha direção, passando por cima das outras cadeiras e ao mesmo tempo conversando e rindo, com alguém que estava do outro lado da sala. Foi aí que eu percebi que ele estava sentado bem ao meu lado, sua mochila estava ali. Revirei os olhos por tanta burrice e abri meu caderno fingindo estar concentrada em alguma coisa.
Senti que ele estava agora se sentando em sua mesa e não consegui desviar o olhar. Ele pareceu perceber.

-Oi- disse amigavelmente, forçando um sorriso e se ajeitando na cadeira.
-Oi- sussurrei, não conseguindo sorrir de forma alguma. Ele logo desviou o olhar e começou a prestar atenção na professora. O que facilitou muito tudo para mim.
Foi a única coisa que conseguimos falar até a hora do intervalo. Ele não me olhava, eu tentava ignorá-lo. Era bem assim que estávamos.


Joe on:
Eu havia evitado Demi ao máximo, até não conseguir mais. A vi ontem e simplesmente não consegui falar nada, eu não quis mesmo. Precisava pensar sobre como conversar com ela, já que com certeza, sabia da minha noite com Ashley. Apenas trocamos um "oi" na sala e eu percebi que ela mal conseguia olhar diretamente em meus olhos. Nada mais foi dito.


Sentei com meus amigos na hora do intervalo, tentando me distrair e esquecer tudo aquilo, mas era simplesmente impossível. Eu não podia evitar de vê-la sentada em um canto, sozinha, comendo distraidamente um biscoito. Sempre de cabeça baixa e eu não conseguia identificar se ela chorava ou não. Chamá-la para se juntar a nós seria perda e tempo e, além de ela não aceitar, eu não sabia ao certo se queria encará-la de tão perto.


Durante todo aquele tempo, ignorei tudo e fiquei algumas vezes com Ashley. Era doloroso em mim também, porém era inevitável querer agora, mais do que nunca, voltar no tempo e fazer, não o que eu queria, mas o que minha mente mandava.  Não me preocupei com Demi, mas no final, quando já voltava para a sala de aula, pude perceber que ela não estava mais ali, como antes.


Ela entrou no meio da aula, falou alguma coisa que eu não consegui identificar com a professora e veio andando em direção a sua mesa, pegando seu material e arrumando-o rapidamente. Obviamente eu havia ficado curioso, e mais ainda por perceber que ela não estava nem um pouco bem- talvez fosse por esse motivo que ela iria embora mais cedo. Eu ainda ficava pior ao saber que era culpa minha. Não foi muito fácil, mas consegui ver seus olhos um pouco vermelhos e percebia que ela respirava fundo, se controlando. 


Ninguém prestava atenção nela, apenas eu. Meu coração se partiu ao vê-la assim, eu não poderia ser tão cruel. 
Depois de algum tempo- bem pouco- ela saiu, muito rapidamente. Esperei um tempo e inventei uma desculpa esfarrapada, conseguindo ir embora logo depois dela. Eu estava de carro e ela a pé, o que me ajudaria muito.


Corri o máximo que pude e avistei ela andando lentamente, com a cabeça baixa, encolhida com os braços cruzados e a mochila pendurada em um dos ombros. Ela estava na calçada e ainda estávamos um pouco distantes de casa. Me aproximei, parando o carro lentamente ao seu lado, andando de acordo com sua velocidade.
Ela não demostrou nada, nenhuma reação. Continuou na mesma posição, andando na mesma velocidade. Provavelmente sabia que era eu.

-Demi...- chamei calmo, abrindo a janela, bem ao seu lado e me inclinando para mais perto.
Ela não me encarou. Parou por um segundo, mas logo continuou a andar, aumentando a velocidade dos passos.
-Por favor, entra aqui- pedi, acompanhando-a.
-Vai embora, Joe- sussurrou, percebi que ela chorava.
-Eu quero conversar com você- disse- Vai, entra!
-Não tenho nada para falar com você- avisou- Não vou entrar.
-Deixa disso, Demi- me estiquei mais um pouco e abri a porta- Vem, só quero conversar. A gente tem muito o que falar.
Ela parou e pareceu assentir. Esperei pacientemente enquanto ela decidia se vinha ou não. Pelo menos não havia saído andando. Depois de algum tempo tentando normalizar a respiração e controlar o choro, ela levantou a cabeça, secando algumas lágrimas. 
Me encarou rapidamente e eu forcei um sorriso amigável, a incentivando a entrar por um gesto com a cabeça. Ela segurou a porta e se sentou ao meu lado, fechando-a.

-Pra onde quer ir?- perguntei educadamente.
-Não importa- respondeu simplesmente.
Respirei fundo e dirigi mais um pouco, estacionando o carro em uma rua sem saída, vazia. Ali teríamos mais privacidade pra conversar.

-Você preparou um discurso?- perguntou cínica.
-Não, Demi...- neguei, um tanto desapontado pela conversa ter começado assim- Eu... queria te pedir desculpas.
-Me trouxe até aqui para isso?- ergueu a sobrancelha- Acho que posso ir então...- colocou a mão na maçaneta.
-Não se faz de difícil- segurei seu braço, fazendo com que ela me encarasse.
-Então você só quer me pedir desculpas?- perguntou- Pelo que?- percebi o duplo sentido em sua pergunta. Ela se referia a tudo... o beijo, Nick, Selena... Ashley.
-Primeiro pelo lance do Nick... e da Selena- disse- Não queria que terminasse daquele jeito, eu queria ter te contado. Só escondi aquilo para o seu bem, Demi. Pensando em você...
-Eu sei disso- afirmou, séria.
-Então?...- ela me encarou, como se me perguntasse "está falando sério?". Eu esperava que tudo voltasse ao normal, que ela me perdoasse. Como eu era idiota- Você me perdoa?
-Sim, por isso eu te perdôo. Eu já tinha tomado essa decisão ontem- murmurou, seca.
-E... em relação a Ashley... eu nem sei o que te falar- comecei receoso- Eu não sabia que iria.
-Ah, então quer dizer que faria pelas minhas costas?- perguntou irônica.
-Demi, eu... você não me deu certeza de nada quando saí da sua casa- a lembrei, nervoso- Eu não tinha certeza de nada...
-Por isso achou que podia transar com a primeira que aparecesse na sua frente?- questionou irritada.
-Claro que não!- neguei rapidamente- Eu só queria... esquecer tudo.
-Me esquecer?- completou, com certa dúvida.
-Quase isso- confessei.
-Eu já devia imaginar...- sussurrou.
-Queria esquecer como tudo tinha acontecido, o rumo que aquilo levava!- continuei, na defensiva- Eu não sabia o que fazer, Demi.
-Não justifica, Joe! Você me desapontou muito- afirmou, secando uma lágrima.
-Eu estava bêbado, Demi! Tomei mais de 10 copos, não estava mais pensando em nada direito!- me defendi, um pouco nervoso.
-Ninguém te obrigou a beber. Você sabe o que faz. Também não foi para a cama com a Ashley à força- gritou.
-Demi, para de gritar!- pedi, um pouco alterado- Eu quero conversar!
-Mas eu não!
-Você não pode fugir, uma hora nós vamos precisar ter essa conversa- garanti.
-Não se tudo acabar aqui- sussurrou- Sabe, eu tinha pensado, nem muito, e decidi ir a festa, para me desculpar com você. Mas depois que eu te vi com ela... você não tem noção de como eu me senti...
-Não foi de propósito, eu não tinha consciência do que fazia!- gritei também.
-Não vem tentar me convencer com desculpas, não vai funcionar- afirmou, nervosa.
-Demi, o que você quer que eu faça?- perguntei, angustiado.
-NADA, Joe- seus olhos se encheram de lágrimas- Esquece que um dia tudo isso aconteceu entre nós.
-Isso não pode ser verdade, você não está falando sério...
-Esperava que eu voltasse com você? Aliás, você QUERIA isso? Depois da sua noite com a Ashley? Depois de ter ficado com ela o intervalo TODO, na MINHA CARA?- perguntou.
-Você já parou para pensar em como EU me senti?
-Eu também estava mal e não foi por isso que eu dormi com qualquer um- respirou fundo- Você me traiu, Joe. Cometeu o mesmo erro que disse estar arrependido. Como pode cometer o mesmo erro duas vezes?
-Eu não te traí!- gritei.
-Então você vai me dizer que não dormiu com a Ashley?- perguntou irônica.
-Sim, eu dormi, você sabe disso- respondi impaciente- Quer saber? Nós não tínhamos nada!- gritei- Você terminou comigo, não terminou? Eu não estava e não estou mais preso a você. A vida é minha e eu posso fazer o que eu quiser.
-Nós não tínhamos terminado, você me mandou pensar!
-Ah, fala sério- revirei os olhos- A gente não tem mais nada, Demi.
-SIM, nós temos! Você me trai e não quer assumir o erro?- provocou.
-NÓS NUNCA TIVEMOS NADA!- dessa vez ela se surpreendeu, eu estava realmente nervoso- Nós nem namorávamos- dei de ombros- Eu era sim fiel a você, mas não estava preso como eu me sentia.
-Como... como assim?- perguntou confusa, mais calma.
-Exatamente o que você me ouviu- afirmei, respirando fundo.
-Então eu fui só mais uma... para você?
-Sim, foi- concordei, fechando os olhos, levando as mãos ao cabelo e fazendo com que meu corpo "escorregasse" um pouco no banco.
-Então porque você ia me pedir desculpas em relação a Ashley?- perguntou, deixando que as lágrimas rolassem.
-Poque eu sou um idiota. Porque eu ainda me preocupo com você e sinceramente achei que teria algum jeito...
-Você me traiu!
-VOCÊ TERMINOU COMIGO!- a encarei, desapontado.
-Você não precisava ter me trago aqui para isso. Podia ter se contentado quando eu disse que iria embora.
-Quer saber? Eu desisto. Foi a melhor coisa que eu poderia ter feito ontem. Transar com a Ashley me trouxe de volta a quem realmente eu era, era o que eu queria. Eu não me arrependo, será melhor assim- bufei.
-Você nunca mudou- me encarou incrédula- Eu fui muito burra ao acreditar em você, eu confiei em você. Não adianta, você sempre será esse mesmo idiota e cafajeste- sussurrou.
-Eu fui idiota ao mudar por você- disse.
-Porque mentir tanto? Porque me enganar?
-Foi a mesma coisa que você fez comigo, não?- sorri cinicamente.
-Eu espero realmente que você seja feliz- sussurrou e desabou no choro, abrindo a porta e correndo na direção oposta.
Bati com a cabeça no volante e soltei o ar pesadamente. Eu não podia acreditar que tinha feito isso, que aquelas palavras haviam realmente saído de minha boca. Dirigi com meus olhos marejados até minha casa e vi Demi entrando rapidamente, me encarando por um segundo com o rosto mais vermelho do que antes.


Continua...
Pois é, gente... triste mas necessário! :/ Ahhh não fiquem com raiva do Joe! Hahahaha :o Obrigada pelos 13 comentários, e mesmo sabendo que esses anônimos provavelmente foram a mesma pessoa, eu agradeço da mesma forma! Fiquei muito feliiiiz :DDD Amo vocês! *-* P.S. ta grandinho, né? hehehe :3


AnônimoS--- Hahaha omg não tenham um treco! haha já postei! *-* Obrigadaaaaa <333 
Lily------ Awwwwwn muito obrigada, linda! De verdade! *-* Ahhh eu vou ler o seu blog! <3333 Na verdade, já tinha ele na minha barrinha de favoritos, mas ainda não tinha lido! haha \o/ Enfim, obrigada, eu não sirvo pra esses negócios de concurso :/ mas valeu da mesma forma! :DD Beijos <3
Cami--- OH MEU DEUS! Você ta bem??? :O Não peça desculpas, amor, só quero que esteja bem! <333 Awwwn obrigada, linda!!! *o* CLARO QUE EU VI O SHOW! OMG quase morri haha <3 Beijos, fofa, te amo <3 Obs: Tem twitter? :o
Gabs---- Hahahaha #noproblem obrigada, amoreco! <3
Sahmara--- Que nada, AMO comentários grandes! hehehehe lol haha verdade, o show matou todas nós! *O* awwn muito obrigada, linda! Mesmo! <333333 Milhões de beijos!
Bruna----- Heeeeey :D hahaha OBRIGADAAAAAA LINDAAAA! <3333 Que fofa <33333 


Dia do amigo ♥

Bom, posso não conhecer todas vocês, mas tenho um carinho imenso, coisa que nunca pensei que sentiria por alguém desconhecido ou que está tão longe de mim. Eu podia escrever um texto enorme, mas acho que apenas um "Feliz dia do amigo" pode resumir. Eu amo muito vocês, e independente de qualquer coisa, eu estou aqui! Então, conhecendo ou não, todos aqui tem um espaço no meu coração <3 

FELIZ DIA DO AMIGO!  


Pelo que todos sabem, amizade vai muito além de um simples "amigo". O verdadeiro significado da amizade é alguém que, NUNCA, nunca mesmo te deixará. Aquele que sempre vai estar ao seu lado, nos momentos bons e ruins, dividirá as melhores lembranças, fará com que você derrame lágrimas e abra sorrisos, fará você se sentir amado, proporcionará a você poder sentir o que é realmente a amizade. Amigos nós temos muitos, mas aqueles que se sobressaem sempre terão, em especial, o poder de te fazer sentir segura, amada, confortável, protegida. Você pode achar que sim, mas nunca será capaz de sobreviver sem alguém ao seu lado, um amigo. Você nunca se sentirá só, porque ele sempre estará de braços abertos, esperando por você. As vezes brigamos, as vezes choramos, mas quando se é verdadeiro, nunca acaba.
Amigos não são apenas pessoas que andam com você, ou "conhecidos", são irmãos_ mesmo que não de sangue_ fazem parte da família sim e podem ser chamados de anjos. Então, para todos os meus anjos, EU AMO VOCÊS <3


É isso... não podia passar em branco ;) Beijocas, Bruna *-*

19 de jul de 2012

Be Yourself- Chapter 61


Chapter 61- Unbelievable...

-Você... não, Demi- pediu desesperado- Selena, deixa a gente conversar... a sós?- perguntou, olhando para ela.
-Claro... eu vou pegar um ar fresco- se levantou e virou em direção a porta- Pensa bem no que eu te disse, Demi. Pensa bem no que você vai fazer- avisou e logo saiu.
-Foi isso mesmo que você ouviu, Joe. Não tem o que conversar.
-Você não pode estar falando sério- se aproximou- Demi, isso... é maluquice! Não pode ser verdade... você não...
-Para, Joe- pedi, sem conseguir controlar o choro- Não torna tudo mais difícil...
-Se é difícil porque está fazendo isso? Você não pode tomar uma decisão no estado que está, isso é burrice, Demi!- alertou, mas eu me recusava a ouvir.
-Joe, meu coração não é um brinquedo que quebra e você pode levar para concertar quando quiser...- disse- Não dá mais. Você não sabe como eu estou me sentindo. Primeiro a Selena, mas... você também?
-Eu já te expliquei o que aconteceu, eu nunca quis te magoar!
-Não importa, já está feito- dei de ombros- Eu nunca vou esquecer o que nós passamos, Joe. Mas você não confia em mim, como eu posso confiar em você?
-Você não confia em mim?- perguntou rindo sem humor.
-Com a minha vida. Mas você me decepcionou. Eu não te escondi o que o Nick fez. Já você, nem tentou me contar sobre o beijo.
-Não queria te magoar, Demi...- disse nervoso.
-E a história do Nick, Joe? Você também sabia- eu já gritava- Além do mais, sabia também como eu estava me matando para descobrir o culpado. Você me fez de idiota, ficou assistindo eu passar por maluca quando sabia tudo. Mentiu para mim, você se fez de tonto!
-Eu não podia contar!- gritou- Eu prometi a Selena! Eu queria te contar, Demi!
-Então vai ficar com a Selena!- desabei no choro.
-Eu. não. tenho. nada. com. ela!- disse pausadamente, já irritado.
-Eu já tomei a minha decisão e não vou voltar atrás. É tarde demais, Joe. Acabou- sussurrei.
-Você jura mesmo que vai esquecer de tudo, deixar isso ir embora só por causa de um obstáculo?- perguntou, incrédulo.
-Eu já disse que não vou esquecer- garanti- Só não tem como continuar!
-Por causa disso? Não são motivos para terminar- retrucou.
-EU SIMPLESMENTE NÃO CONSIGO! ACEITA ISSO!- berrei, deixando que as lágrimas caíssem.
-Não é uma briga que tem volta? Depois que você se acalmar, não tem chances de conversarmos como pessoas civilizadas?- perguntou impaciente, um pouco irônico- É o que você realmente quer?
Ele me encarou diretamente nos olhos. Eu não acreditava que estava prestes a acabar com aquilo.
-Foi a melhor época da minha vida...- comecei- Você nunca vai....
-É o que você quer?- gritou, me interrompendo.
-Eu não sei, Joe!- revidei.
-Você nunca sabe!- murmurou- Eu vou embora, se é essa a sua escolha.
-Eu queria pensar melhor!- gritei, enquanto ele passava pela porta- Mas eu não consigo!
-Então quando você "conseguir", me procura- respondeu grosso e saiu, sem mais olhar para mim.
A única coisa que consegui fazer foi cair no chão, chorando como nunca havia feito antes. Não lembro quanto tempo passou, mas Selena não havia voltado. Provavelmente estava na boate com Joe agora. Subi até meu quarto e fui até o banheiro. Lavei o rosto e retoquei a maquiagem. Parei em frente ao espelho e vesti meu vestido. Penteei o cabelo e sequei as últimas lágrimas que tentavam sair. Eu ia a essa festa.

Não me entendi muito bem por ter terminado com Joe daquela forma, afinal, eu entendia que ele só queria me poupar de alguma coisa pior, mas havia ficado mal. Talvez porque não esperava saber que Selena foi a causadora daquela humilhação. Aquilo acabou definitivamente comigo e acabou influenciando em minha decisão em relação a Joe. Ele estava certo, eu precisava pensar. Mas nem tanto para saber que havia feito uma burrice. Peguei minha bolsa e desci os degraus da escada. Me deparei com o copo de vidro quebrado, mas não me dei ao trabalho de limpar. Minha mãe não passaria a noite em casa, então não saberia o que aconteceu ali, mesmo que eu limpasse depois. Peguei dois comprimidos de calmante e tomei, respirando fundo e me preparando para tudo que pudesse vir aquela noite. Conhecendo bem Joe, sabia que ele não perderia por nada aquela boate, mas depois de como ele saiu daqui, só deveria torcer para que ele estivesse realmente lá. Chamei um táxi e em 10 minutos estava saindo de casa, a caminho da boate.
--------------------------------------------------------------
A música alta me incomodava profundamente, minha cabeça latejava. Mas apenas ignorei isso e segui em frente, a procura de alguém conhecido. Pensei ter avistado Ashley, então segui por entre a multidão de pessoas naquela direção. Haviam muitas pessoas alí e a festa estava, definitivamente, bombando. Não sabia se Joe estava aqui, mas isso era um detalhe que logo descobriria. 


Foi a cena mais chocante que eu já vi na minha vida. Quando me aproximei da menina que supostamente seria Ashley, vi que realmente era ela, porém estava na companhia de Joe. Ele parecia muito feliz, sussurrando coisas no ouvido dela e beijando-a. Lágrimas tentaram descer pelos meus olhos, mas consegui evitar. Ela colava cada vez mais seu corpo no dele, que correspondia contente, de acordo com a batida da música. Ela também fazia uma dancinha sensual, passando suas mãos por seu peito e nuca, provocando-o. 


Alguns meninos e meninas estavam em volta deles, rindo e conversando. Pessoas que eu não conhecia. Joe tomou mais um gole da bebida que tinha nas mãos, da qual eu não sabia o nome. 
Forcei-me ao máximo para conseguir dar os 5 passos que faltavam para o encontro com Ashley e Joe. Quando já estava bem próxima, não foi preciso falar nada para que os dois me vissem. A primeira reação que vi, foi a de Joe. Eu só estava prestando atenção nele e percebi uma grande surpresa de sua parte. 

Claro, ele não podia imaginar que eu viria. Sua boca se abriu para falar algo, mas nada conseguiu. Eu também não conseguia e meus olhos entregavam o que eu sentia naquele momento. Já Ashley pareceu não perceber  clima estranho, ou pelo menos não ligou. Quando veio caminhando até mim, se desvencilhando de Joe, ela tinha um sorriso no rosto, mas foi só o que percebi. Meus olhos não paravam de fitar Joe, algo que eu não podia evitar e aparentemente ele também não. Depois de algum tempo, vi que ele sacudiu a cabeça e se virou para o bar, desviando o olhar e pedindo mais uma dose da bebida que estava segurando.

-Demi, que bom que veio!- ela me deu um beijo e um carinhoso abraço- Joe disse que você não viria...- comentou.
-É... resolvi de última hora- dei de ombros. Será que ela não havia percebido que algo havia acontecido entre nós? Ela sabia que estávamos juntos, mas ao mesmo tempo estava se esfregando em Joe. Como isso era possível?
-Mesmo assim, fico feliz que tenha vindo. Divirta-se!- sorriu- Quer se juntar a nós?- apontou na direção de Joe.
-Não, não- neguei educadamente- Eu vou procurar a Miley, quero falar uma coisa com ela- menti.
-Ah, se é assim, tudo bem- disse- Mas se quiser, posso te apresentar uns gatinhos...- piscou. Então ela sabia que havíamos terminado?
-Eu... não estou muito em clima hoje- forcei um sorriso- De qualquer forma, valeu a intenção- rimos.
Ela se afastou, indo novamente até Joe. Ele parecia cada vez mais animado e feliz. Aquilo partia meu coração, enchia meus olhos de lágrimas. 
Fui realmente a procura de Miley. Não demorou para achá-la, já que estava em uma mesa onde tinha completa visão de Joe e Ashley. Me juntei a ela e o grupinho.

-Demi!- gritou assim que me viu, vindo até mim e me abraçando com força.
-Oi, amiga- sussurrei, deixando transparecer minhas tristeza.
-Demi, o que aconteceu? -perguntou assustada- O Joe e a...
-Eu sei- suspirei- Não quero falar disso agora, por favor- pedi, fechando os olhos com força.
-Senta aqui- ofereceu, me levando até o sofá que ficava ao redor da mesa- Porque veio até aqui? Para ver isso?
-Não, eu... não sabia- segurei o choro que teimava em vir- Achei que ainda tinha como concertar tudo.
-Vocês não podem deixar isso acontecer!- disse decidida- Eu vou chamar o Joseph!- resmungou com raiva.
-Eu terminei- sussurrei.
-Meu Deus!- me abraçou novamente- Calma, Dems, tudo vai ficar bem- garantiu.
----------------------------------------
Durante um tempo eu consegui me distrair. Mikey e Liam foram responsáveis pelas piadas e o rumo tão bom que a conversa levava. Miley tentava me acalmar, fazer com que eu ficasse bem. Mas era inevitável, sempre que eu olhava na direção que mais temia, via os dois, juntos, praticamente se comendo num canto da boate. 

Fui até o banheiro, eu precisava de um pouco de tranquilidade, silêncio. Tive que passar por eles, o que definitivamente tirou todas as forças que eu tinha para continuar me controlando. Joe me encarou por um segundo, coisa muito rápida e depois voltou ao que fazia antes, concentrado e alegre. Toda vez que eu os via, ele estava com um novo copo na mão.

Me encarei no espelho novamente e vi quantas lágrimas já desciam. Fiz o que pude e consegui sair dali depois de 20 minutos, com o rosto lavado, as lágrimas e sofrimento contidos e o constante ar de tristeza que me perseguia. A dor de cabeça diminuiu consideravelmente, não latejando mais. Assim que cheguei na porta do banheiro, olhei para um dos lados e não encontrei quem queria e ao mesmo tempo desprezava. Virei minha cabeça discretamente na direção oposta e vi o que menos esperava. Joe podia ter ficado com Ashley, mas eu nunca pensava que poderiam fazer algo a mais. Ele não seria capaz, seria? Os dois iam juntos, se beijando, em direção aos "quartos" isolados na parte de cima da boate. Enquanto subiam as escadas- completamente escondidas- Ashley envolvia a cintura de Joe com as pernas, e ele beijava seu pescoço com prazer e vontade. Só eu poderia ver, aliás, qualquer um que estivesse no mesmo lugar que eu veria. Só desse ponto de vista.

Era a hora de ir embora. Antes de desabar de vez, me despedi de Miley e dos outros, sem nem me preocupar em falar com Ashley. Peguei um táxi que estava na porta do lugar e segui para casa. Não conseguiria mais ficar ali. Não desse jeito.

Me joguei na cama, respirando o mais fundo que consegui. Tampei meu rosto com minhas mãos e apenas chorei, por muito, muito tempo. Eu não sabia mais como fazer aquilo dar certo, não conseguia mais pensar em como concertar tudo. Não depois de tudo que eu vi. Já nem mais sabia se queria mudar algo. Ele foi capaz de me esquecer em menos de 1 hora. Eu também seria. Era justo ele dormir com ela assim, na maior cara de pau? Sendo que nós nem tínhamos, de fato, terminado. De uma certa forma, ele havia sim me traído. Traído a minha confiança, lealdade.


Tomei o banho mais demorado que consegui e vesti um leve pijama. Desci para comer alguma coisa e aproveitei para limpar os cacos no chão da cozinha. Preparei um chocolate quente e me joguei no sofá. Eram quase 1 da manhã e só passavam filmes de terror na televisão. Eu havia achado um de romance, mas não vinha ao caso.


Fiquei sozinha, com meus medos e gritos por causa do filme. Eu nunca conseguia parar de pensar que se Joe estivesse alí, me abraçando, tudo ficaria bem. Eu não conseguia mais conter minhas lágrimas, elas caíam sem a minha permissão e eu desisti de impedí-las. 


Joe on:
Saí da casa de Demi e fui direto para a boate. Eu não conseguia mais pensar em nada, apenas nela, em tudo que havíamos passado e como tudo tinha ido por água abaixo. Não era justo. A primeira coisa que fiz foi pedir uma bebida. Depois do meu 5 copo, eu já estava bem animado e Ashley decidiu aproveitar. Ficamos durante boa parte da festa, era um jeito bom de esquecer Demi, mas não era necessariamente o que eu precisava ou queria. Nos beijávamos, como nos velhos tempos, e eu me lembrava de como era bom antigamente, como eu tinha liberdade e não corria o risco de sofrer por coisas idiotas.


A maior surpresa foi quando vi Demi lá, no meio daquele monte de gente, nos encarando com uma expressão completamente dolorosa, triste, magoada. Nos encaramos durante um tempo, eu não conseguia desvencilhar meus olhos dos dela. Era algo impressionante, como imãs que se atraíam. Sacudi a cabeça para espantar os pensamentos e desviei o olhar, me virando para pegar minha 7 bebida, ou coisa parecida. 


Eu não sabia como ainda estava conseguindo raciocinar com tanto álcool em meu sangue, mas me pareceu necessário naquela hora. Não demorou muito para que fôssemos parar na cama do quarto da boate. Foi uma noite prezeirosa, como outras milhões. Mas nunca como era com Demi. Descobri que ela havia ido embora um pouco depois que subimos para o andar de cima do lugar.


Agora eram 3 da manhã e eu estava saindo da maldita boate. Minha cabeça latejava e a culpa subia pelo meu coração. Eu não devia ter feito aquilo, traído ela daquela forma. Ainda mais na maior cara de pau. Cheguei em casa tomei um banho, logo depois deixei que meu corpo caísse na cama, sem nenhuma piedade. Antes que pudesse ficar pensando em Demi- como já estava- tentei ao máximo dormir. Não consegui. Algumas horas se passaram e eu continuava ali, intacto, esperando que tudo aquilo não passasse de um pesadelo real, mas um pesadelo.


Não havia sido desse jeito, eu não tinha planejado assim. O destino deveria ter reservado para nós algo como o planejado, um amor sem fim, uma história sem fim.


Continua...
Eu fiquei triste, MUITO triste de verdade! QUATRO comentários? :( Obrigada a quem comentou, de verdade! Mas poxa vida... :/ Ta vendo? É por isso que eu digo que vocês não estão mais gostando como antes! :( Enfim... de qualquer forma, obrigada e eu amo vocês, muito! <3 E aí? Nick com a Demi cantando 'catch me e don't forget' ! Quem quase morreu? \o/ Cara, sem palavras para o que eu senti! Ainda continuo sem acreditar! *o* Haha :)


Bia--- Minha linda! Que saudade! MAS É CLARO que eu te desculpo, fofa! awnnn *-* Precisa perguntar? haha owwwwnt que linda *o* Obrigada!!! Nossa, que fofa! Te amo, ta? <333 Bom... é triste sim :( Eu também fiquei meio mal escrevendo esses capítulos... mas... vamos ver o que acontece, né? :) Beijocas leitora fofa linda maravilhosa! <3


Carol- MEU AMOR! Ainda estou tentando me recuperar do seu excesso de fofura! *O* Awwwwn muito obrigada, meu amor! Confesso que também fiquei triste, só por ter que escrever isso :( Bom, no final tudo da certo! Ahh eu queria poder te falar o que vai acontecer! :/ Mas boa parte ainda está na minha cabeça.. e também perde a graça, né? :P Hehe de nada, linda! Eu fico muito feliz em ajudar a divulgar a fic! Já entrei lá, confesso que nunca li uma fic interativa, porque não é o tipo que eu sou "Fã"... mas de qualquer forma, eu li e gostei muuuuito! De verdade! *o* Hehe e a senhorita, pense bem em escrever a fic, tá? Eu sei que vai ficar maravilhinda, já te disse isso! Hahaha <3 Te amo, tá? 


Sahmara--- Pois é... haha... triste :( Maaaas a vida não é só feita de coisas boas, né?! :/ Beijocas, baby! <3


Bruna--- hahahaha omj! É... devia ter contado... mas... tem que ter uma briguinha, né?! hahaha Espero que tenha gostado! hehe obrigada! <333 E o show? NICK E DEMI! OMG! Hahahaha sei como você surtou! *O* *O* Ainda estou me recuperando.... OMG! Inacreditável! <333 Beijocas :3


COMENTEM! :)


Beijemis, Bruna *-*

16 de jul de 2012

Be Yourself- Chapter 60


Chapter 60- Break Up...

-Demi, eu... queria te falar uma coisa- começou, vindo atrás de mim e se sentando em um dos bancos na bancada da cozinha.
-Pode falar- disse, ainda mais curiosa por saber que ela me contaria algo agora, algo que dividia com Joe.
-Eu... antes de tudo, quero te pedir desculpas- me virei para ela, com a garrafa de água e um copo nas mãos- Eu sinceramente não sei se você vai me perdoar dessa vez. Você... levou tudo numa boa quando eu fiz aquilo tudo e eu ainda acho que merecia algo pior. Só que... dessa vez... bom...
-Sel... fala logo- pedi, já meio angustiada.
-Eu...- ela soltou um grande suspiro e fechou os olhos com força- Contei ao Nick tudo que ele precisava saber sobre você- abriu os olhos lentamente, me encarando, com um olhar de medo e culpa.
-Você... oque?- perguntei confusa.
-Isso mesmo...- sussurrou.
-Eu....- fiquei completamente sem reação. Durante os últimos dias eu tinha colocado em minha cabeça que descobriria o culpado por tudo aquilo, já que sabia que Nick não havia sido o principal responsável, e agora... logo a minha melhor amiga?- Não é possível...- sussurrei, tremendo. Acabei deixando o copo que estava em minhas mãos cair no chão.
-Meu Deus, Demi... calma- ela se levantou rápido, ameaçando vir em minha direção.
-Fica aí- pedi, me distanciando dos cacos de vidro no chão- Como... como você pode?
-Eu estava magoada com você... e...- ela parecia procurar as palavras certas.
-E isso era motivo para me humilhar na frente da escola toda?- aumentei meu tom de voz.
-Não, eu sei que não- negou nervosa- Mas não.... ah, me desculpa, Demi... na hora eu não pensei em nada!
-Mas é claro que não- respondi irônica, rindo descaradamente- Não era com você, certo?- eu estava incrédula.
-Se acalma, por favor- pediu aparentemente preocupada- Eu nunca teria feito isso se não estivesse... sei lá... doida como estava!
-Como você descobriu? Eu não te disse nada!- exclamei indignada.
-Eu... vi você saindo da casa do Joe naquela noite... depois eu fui falar com a Ashley para tentar arrancar alguma coisa dela...
-Como você teve coragem, Selena? Logo comigo? E ainda por cima não disse nada?
-Aquela não era eu, Demi!- disse nervosa- Eu não devia... não disse porque.. não sei... eu estava com medo que a nossa amizade acabasse de novo! Tava tudo tão bom...
-Pretendia nunca me contar? Foi isso mesmo que pensou?
-Não... eu ia te falar... mas ... me perdoa, por favor- implorou- EU não sabia qual seria a hora certa.
-O certo seria não ter feito aquilo!- gritei, com lágrimas nos olhos- Você se passou por minha melhor amiga, mesmo escondendo essas coisas de mim!- disse- Porque, Selena? Isso é muito baixo, eu nunca pensei que você faria algo do tipo- as lágrimas caíram sobre meu rosto, demonstrando puro desespero, mas muita raiva, mesmo.
-Para, por favor! Bebe um copo d'água, a gente precisa conversar de uma maneira civilizada- afirmou.
-COMO? COMO SELENA?- berrei em sua direção- Você quer que eu te perdoe?- perguntei, sussurrando- Eu não sabia que você era capaz disso!
-Eu estou te contando agora!- revidou- Porque eu me arrependi profundamente do que eu fiz, Demi! EU pensei muito nos últimos dias e descobri que não valeu a pena! Eu fiz a minha melhor amiga sofrer, escondi tudo dela, eu sei, horrível. Mas eu não posso viver sem o seu perdão, Demi!
-Saí daqui AGORA!- gritei, apontando para a porta- Vai embora e some da minha vida!
-Senta aqui, eu vou pegar uma água pra você- disse indo até a pia e pegando um copo. Ela tremia, assim como eu. Tinha também lágrimas nos olhos e estava muito nervosa.
-Eu não quero água!- disse, séria. Eu estava bem descontrolada.
-Eu vou ligar para o Joe, você não está bem- disse apavorada, correndo para pegar o telefone.
-O Joe sabia disso, Selena?- eu já sabia a resposta, mas não conseguia acreditar.
-Ele não teve culpa em nada, Demi! Eu o fiz prometer que...
-ELE SABIA?- repeti a pergunta.
-Sim, Demi. Sabia- respirou fundo- Mas eu o proibi de contar! Ele não queria esconder isso de você, mas eu implorei! Ele fez isso por mim...
-E OLHA O QUE ELE FEZ POR MIM!- gritei chorando.
-Demi, foi para o seu bem! Ele não queria que as coisas ficassem piores entre nós!- garantiu.
-Porque então contou a ele?
-Porque eu não aguentava mais!- gritou também, de forma nervosa.
-Então esse era o segredinho de vocês?- perguntei cínica- Do qual estavam sussurrando hoje aqui em casa, na maior cara de pau? Aquele dia no shopping, no banheiro, com o MEU celular?
-Você ouviu?- perguntou assustada.
-Sim, Selena. E aí, era sobre isso? Ou tem mais algum segredo entre vocês.
Obviamente ela percebeu a ironia em minha voz e, sabendo que eu havia ouvido a conversa, provavelmente supôs que eu já saberia que existia outro segredo.
-Não... eu...- ela levou as mãos para a cabeça e se sentou no banco novamente- Eu me juntei ao Nick porque sempre gostei do Joe. O plano era eu ficar com ele e o Nick com você. Tentamos separar vocês para que isso acontecesse.
-TEM MAIS ISSO?- gritei- O Joe também sabia disso?
-Sim... e também sabia muito bem que naquela festa da piscina do Nick eu o beijei e implorei pra que ficasse comigo. Foi aí que eu contei tudo que havia feito a ele- sussurrou, deixando escapar tudo de vez.
-Vocês... se beijaram? E ninguém me contou?
-Era para não te magoar! Demi, eu já desisti dele! Esquece isso, por favor! Não leva em conta isso, o Joe não tem culpa!
-Então é assim?- perguntei rindo sem humor- Vocês escondem as coisas de mim e ainda protegem um ao outro?- perguntei indignada e agora definitivamente triste.
-Não, Demi! A gente sempre pensou no seu bem! Não queria que a minha amizade com você piorasse! Muito menos que o seu namoro acabasse!
-Ah, e foi por isso que beijou meu namorado pelas minhas costas?
-Eu já te expliquei! Eu estava louca, não conseguia pensar direito!- respondeu angustiada.
-Vai embora!- exigi.
-Por favor, olha o que você vai fazer! Pensa bem antes de tomar qualquer decisão, Demi! Principalmente com o Joe.... ele não....
-CHEGA! Eu me entendo com o Joe depois, mas vai embora!- gritei.
-Você não vai a festa?
-O que você acha?- sorri com falsidade.
-Me deixa esperar aqui até o Joe chegar, pelo menos! Demi me perdoa! Eu te contei tudo e cometi milhões de erros! Estou disposta a pagar por isso e enfrentar as consequências. Mas me da outra chance!
-Eu estou cansada de dar chances a quem só me decepciona cada vez mais!- murmurei.
-Pensa na nossa amizade! Em todos esses anos... tudo que aconteceu! Demi, por favor, eu preciso que aceite minhas desculpas! Eu juro que...
-Não faça promessas que você não possa cumprir!- esbravejei.
-Escuta, senta aqui- caminhou até mim e segurou meu braço. Mesmo lutando contra ela, finalmente me sentei e aceitei seu copo d'água- Toma esses calmantes... sei lá... tem algum remédio que você costume usar quando está nervosa?
-Me da qualquer coisa, eu quero morrer mesmo- dei de ombros, fitando o copo.
-Não fala besteira, Demi! Pelo amor de Deus!- sacudiu a cabeça, tentando espantar pensamentos. Pegou um dos comprimidos e me deu. Coloquei rapidamente para dentro, mesmo sabendo que apenas 1, agora, não ajudaria em nada.
-Eu vou para o meu quarto- bufei me levantando.
-Não, não vai- me segurou, dizendo com firmeza- Não vou deixar que saia daqui até se acalmar e ter consciência do que esta fazendo.
-Eu não posso nem mais lavar meu rosto?- perguntei grossa- O que acha que eu sou? Maluca?
-Lava o rosto nesse banheiro aqui embaixo- sussurrou, se dando por vencida.
Concordei e caminhei até o banheiro. Entrei rapidamente e fechei a porta atrás de mim. Por alguns minutos tentei evitar de me olhar no espelho, mas logo cedi a essa vontade louca dentro de mim. Minha maquiagem estava completamente arruinada e meu cabelo acabado. Meus olhos nunca estiveram tão inchados e vermelhos como agora e o choro não parava de jeito nenhum. Me escorei na pia e abaixei a cabeça. Deixei que as lágrimas rolassem sem nenhuma preocupação e joguei a maior quantidade de água que consegui no rosto. Peguei uma toalha e grudei meu rosto a ela, desabando em lágrimas novamente. Já havia conseguido arrancar a maquiagem borrada mas o choro não cessava.


Eu não conseguia entender como Selena podia ter feito isso comigo, e mesmo sem tentar muito, parecia impossível. Joe? Ele simplesmente havia mentido para mim durante esse meu tempo de buscas atrás do culpado. Ele havia omitido todas as informações que tinha de mim, e também havia escondido sobre o beijo. Não, não era justo.

-Demi...- ouvi um sussurrou atrás da porta- Posso entrar?- obviamente era Joe, eu reconheceria a voz de longe. Suas palavras soavam tranquilas e cuidadosas, porém eu percebia o quão nervoso ele estava.
Não respondi, apenas tirei a toalha do rosto, jogando mais uma mão cheia  de água e esperei que ele entrasse por conta própria. A porta se abriu com delicadeza e calma, enquanto eu via seu reflexo pelo espelho. Levantei meus olhos para que pudesse enxergá-lo melhor, ainda assim, com a cabeça relativamente baixa.

-Será que... a gente pode conversar?- perguntou calmo, ainda parado na porta, me encarando pelo espelho, assim como eu fazia com ele.
-O que você quer aqui?- perguntei, com a voz falha.
-Conversar com você...
-Porque está aqui? Você não deveria chegar só daqui a 1h?- perguntei cínica.
-A Selena me ligou desesperada. Eu nem conversei com ela ainda, não sei direito o que aconteceu. Eu quero que aceite conversar comigo- pediu, dando mais um passo em minha direção.
-Então está perdendo seu tempo- sussurrei- Eu não quero conversar com você- respondi seca, me virando para ele.
-Porque, Dems? O que houve?- perguntou inocente. Talvez ele realmente não soubesse.
-Pergunta pra Selena- respondi grossa, desviando o olhar e cruzando os braços.
Respirei fundo algumas vezes e resolvi sair dali. Já estava me sufocando. Tentei passar por ele, que segurou firmemente meu braço.
-Me conta, você- sugeriu- Acho que é mais fácil.
-Me solta- puxei com toda força meu braço.
-Conversa comigo, Demi. Me conta o que ta acontecendo- pediu, um pouco assustado pelo jeito como eu agia.
-Vocês acham que eu sou idiota, não é?- perguntei, rindo sem nenhum humor, ele soltou meu braço- Eu não sou uma palhaça, meu coração não é um brinquedinho de vocês.
Passei por ele, sem ser impedida. Selena estava sentada no mesmo banco, tomando um copo d'água e prestando atenção no que acontecia. Ela estava nervosa, tremendo e também chorava.
-Do que ela esta falando, Selena? O que aconteceu?- Joe veio atrás de mim, angustiado.
-Eu contei tudo a ela- respondeu, fitando o nada.
-Tudo?- perguntou nervoso.
-Ela sabe do beijo- respirou fundo.
-O QUE?- agora sim o comportamento dele havia mudado- Você contou a ela?- se aproximou de Selena.
-Sim, ela me contou, Joe- respondi- Coisa que você não fez.
-Demi! Eu só queria te poupar! Não queria que soubesse para evitar tudo isso, eu não queria que isso estragasse tudo o que nós tínhamos.
-Não teria estragado se você tivesse me contado, Joe- sussurrei.
-Eu tive medo, não sabia como ia reagir- disse nervoso.
-Eu quero terminar- sussurrei, enxugando uma lágrima que caía pelo meu rosto. Ele me encarou com uma expressão vazia, algo que eu não sabia muito bem como identificar.

Continua...
Curiosos? Angustiados? É... eu disse no twitter que vocês ficariam assim... :/ Bom gente... vocês saberão o que vai acontecer nos próximos capítulos! Por isso, quero todos comentando MUITO mesmo, tá legal? E outra coisa, lembrem que não pode sempre ser um conto de fadas. A vida tem seus lados bons e ruins. Mas no final tudo se resolve, tá? Hehe <3  Obrigada, não vou respondê-los hoje, porque estou com soninho e preciso dormir :/ haha mas agradeço muito! s2 Amo vocês, meus *jemibabies*

SUPER ULTRA MEGA POWER IMPORTANTE ESPECIAL DIVULGAÇÃO!!!
Bom, pelo que eu entendi, a amiga da Carol ~~ Fic Your Biggest Fan ~~vai começar uma fic interativa -com os Jonas- nesse blog aqui *entrem* U.u e eu quero pedir a vocês que entrem, tá? Sei que ela ainda não começou, mas acredito mesmo que será incrível! Então vale a pena conferir! :D 


Beijemis, Bruna *o*