Visualizações

30 de mar de 2012

Be Yourself- Chapter 10

Chapter 10- A new beginning...



Demi on:
Depois de falar com Ashley, fiquei um pouco mais segura de que ela não contaria nada a ninguém. Talvez eu estivesse enganada em relação a ela... talvez não. Voltei para a sala e me sentei em meu afastado lugar.
-Ta tudo bem?- Joe perguntou se aproximando.
-Você soube o que aconteceu?- perguntei receosa.
-Mais ou menos- respondeu se sentando.
-Eu não estou bem- suspirei.
-Demi, o que aqueles idiotas te falaram?- perguntou um pouco irritado.
-Você viu eles falando comigo?
-Não, o David me contou algumas coisas- sussurrou.
-Ah claro, eu já até imagino o que seja- suspirei- Eles estão todos certos, Joe. Eu não passo de uma enroladora, mentirosa.
-Era verdade?
Eu apenas concordei com a cabeça.
-Mas...Como?- me encarou surpreso.
-Você jura que não tinha nem pensado nessa possibilidade?
-Sei lá, Demi... você tinha uma baita fama entre os meninos dessa escola- disse.
-Sim... era só fama mesmo- dei de ombros.
-Porque você mentiu tanto, Demi? Enganou todo mundo- comentou.
-Por favor, não toca nesse assunto agora- pedi.
-Tudo bem...O que você acha de ir lá em casa depois da aula?- perguntou.
-É uma boa ideia- concordei sorrindo.
-Você pode me contar o que quiser, eu vou te ajudar- afirmou com convicção.
-Não precisa fazer isso, Joe- disse com um meio sorriso no rosto.
-Eu vou fazer porque quero- respondeu e eu sorri agradecida.
O restante da aula foi chato, algumas palhaçadas, fofocas, mas nada de mais. Podia perceber que algumas vezes Ashley me observava, conversando com uma outra popular amiga dela, preferi ignorar.
Sai da sala, caminhando até a saída.
-Demi- Joe chamou vindo até mim- Vamos? Você pode almoçar lá em casa- ofereceu.
-Ah não Joe... eu não quero atrapalhar- disse.
-Não vai- afirmou me puxando pela mão até o carro.


(...)


Joe on:
Fomos até minha casa, nos divertindo muito. Devo confessar que nunca ri tanto como hoje. Demi conseguia ser encantadora em todos os sentidos, sempre me fazendo sorrir, uma amiga maravilhosa. Eu só não conseguia entender o porque de tantas mentiras.
Estávamos almoçando, sozinhos em minha casa.
-Parece pensativa...- comentei.
-Eu to pensando em tanta coisa, Joe...- disse rindo sem humor.
-E eu posso saber o que perturba essa cabecinha?- perguntei me aproximando.
-Pode- respirou fundo, afastando o prato de comida que já estava vazio.
-Vem- segurei sua mão e a levei até o sofá.
-Eu nem sei por onde começar- abaixou a cabeça.
-Porque você mentiu?- perguntei.
-Essa é fácil... popularidade, amigos, fama... amor- confessou.
-Você podia ter tudo isso sem precisar inventar essa história toda- afirmei.
-Jura, Joe?- me encarou ironicamente- Você lembra de quando eu entrei na escola?
-Claro- disse.
-E você, sabendo como eu era, algum dia ficaria com uma garota como 'aquela'?
-Não...- sussurrei.
-Exatamente- disse- É por isso que eu sempre fingi. Eu queria ter uma vida diferente daquela triste que eu levava antes de vir pra cá...
-E você mentiu sobre quem era achando que seria mais fácil?- quase afirmou.
-É... mas perece que não foi bem como eu esperava. Eu nunca achei que um dia seria pior...
-Você nunca pensou nas consequências, Demi- disse- Eu sei bem como é isso.
-Eu deixei tudo de lado... as únicas amigas verdadeiras que eu tinha.
-Selena e Miley.
-Você sabe bastante da minha vida...
-Não o suficiente.
-Sim, eram elas. As duas que, mesmo amigas de populares, nunca me deixaram na mão, nunca ligaram pro que achavam de mim, pras piadas e comentários que os meninos faziam...
-Demi... você se envolveu em uma mentira muito grande, mesmo depois de ter tudo que queria.
-Eu nunca me sentia bem, eu era usada, me sentia como um brinquedinho na mão dos garotos... Sempre achava que se seguisse em frente, seria realmente amada.
-E você conseguiu isso?- perguntei.
-De uma certa forma... sim- confessou me olhando nos olhos.
-Então...Você não encontrou o que queria?
-Por um lado sim... mas eu não sei se é amor por quem eu sou de verdade...
-E como pretendia descobrir?
-Eu estou descobrindo- disse sorrindo.
-Desculpa ter te 'usado' durante esse tempo todo... eu não achei que ligasse ou ficasse incomodada.
-Jura que não?
-Você nunca mostrou tristeza, infelicidade. É difícil saber como se sente se não falar. Pra mim você gostava, Demi.
-As vezes valia a pena- disse ainda olhando dento de meus olhos- O que eu mais queria era amor... deixei pra lá a esperança de um dia alguém me amar pelo que eu sou, as vezes eu acho que isso nunca acontecerá.
-Está errada- afirmei.
-Eu não estou. Os garotos ficam comigo porque me acham bonita, atraente, gostosa... mas nunca enxergam o que tem por dentro.
-Porque você nunca mostrou- disse.
-Quando eu vim na sua casa aquele dia- abaixou a cabeça- Eu sabia que era errado, algo dentro de mim dizia que eu não devia ir... Principalmente porque eu podia perceber que você sempre ia mais além do que eu podia- sussurrou.
-Mas você veio...
-É... eu me arrependi completamente por isso. Depois que você entra na mentira não tem como sair...
-O maior problema foi você nunca ter confiado em mim- disse- Pensa bem... você nunca me contaria a verdade se algo como aquela noite não tivesse acontecido.
-Com toda certeza eu nunca contaria- garantiu.
-E agora você confia em mim, é minha amiga e está aqui, me contando tudo...
-Sim...- concordou um pouco confusa.
-Sendo apenas você mesma- afirmei calmamente.
-É...- suspirou com um sorriso no rosto.
-Demi, hoje lá na escola, você concordou com o que aqueles meninos te falaram... você me disse que era tudo... verdade- disse.
-Sim- disse com um sussurro.
-Você também mentiu quando eu te perguntei se ainda era virgem?- perguntei.
- Sim, eu menti- sussurrou de cabeça baixa- Mas eu juro que não foi por mal- disse um pouco angustiada.
-Eu entendo que não podia dizer a verdade.
-Ta vendo onde eu me meti?- me encarou com uma expressão triste.
-Calma- pedi me aproximando, acariciando seu rosto- Você ta fazendo a coisa certa agora.
-Já é tarde, Joe...
-Nunca é tarde para tentar, Demi. Você só não pode desistir- garanti.
-Parece tão difícil acreditar que ainda tenha um jeito de concertar tudo...
-Pode parecer sim, mas não é impossível. Você vai conseguir, sendo apenas você mesma- sorri.
-Obrigada- retribuiu -Porque não está me chamando de mentirosa como os outros? Eu não consigo entender...- perguntou.
-Porque eu te entendo, eu sei pelo que está passando- garanti.
-Você parecia ser uma pessoa tão  diferente, Joe...- disse.
-Você também- ri sem humor.
-Tudo bem, eu sei- riu concordando- Mas... quando eu te conheci, achei que era um completo idiota, que só ligava pra si mesmo, só se aproveitava de todas as garotas.
-Você não estava muito errada- sussurrei.
-Mas eu sei que não é assim- afirmou- Joe, você é uma pessoa incrível, só eu não conseguia enxergar isso... 
-As pessoas mudam... Na verdade eu não mudei... apenas fui eu mesmo.
-Você conseguiu fazer o que eu venho tentando a minha vida toda...
-Escuta, é complicado, difícil e pode parecer impossível... mas cabe a você tornar fácil. Lembre-se de que não está sozinha- sorri- Só pelo fato de estar encarando tudo isso já mostra como é forte. Você podia continuar assim, podia acabar de uma vez com a sua vida, cometer imensos erros e não encarar as consequências, mas está tentando concertar e eu posso afirmar que conseguirá.
-Eu tenho medo de me entregar novamente as mentiras quando tudo parecer mais difícil...
-Você não pode querer ser perfeita, isso é uma coisa que conquista aos poucos. Tentar concertar tudo não te impede de errar novamente. 
-É que tudo parece tão ruim... eu me sinto vulnerável a qualquer coisa, tudo está tão difícil agora... eu já queria desistir mesmo antes de tentar... imagina quando as coisas ficarem piores? 
-Sim, momentos ruins virão, mas lembre de tudo que já conquistou até agora. Vale a pena desistir?
-Nunca- sorriu de lado- Mas e se eu errar e não conseguir voltar a trás? Eu não posso perder a cabeça... não conseguiria retomar tudo isso...
-Não pensa assim- pedi acariciando seu cabelo- Você vai conseguindo aos poucos, logo tudo vai parecer mais claro e fácil, ter pensamentos desse tipo só vão te dar mais motivos para desistir.
-Você está certo- me deu um abraço, se encolhendo em meu colo- Tudo parece tão simples quando você fala...
-Deve confiar em você mesma, ter consciência de que é capaz disso e muito mais.
-Eu não sei se consigo- disse cabisbaixa.
-Pois eu confio em você e sei que vai conseguir.
-Acharia loucura se dissesse que é meu melhor amigo?- perguntou.
-Acharia loucura se eu dissesse o mesmo?- sorri.
-Claro que sim- pareceu assustada- Porque?
-Eu não sei, Demi... É estranho pra mim, você se tornou tão importante...
-Eu tenho motivos para dizer isso, quer dizer, você foi o único a me ajudar, eu não te fiz nada. Ao contrário, só enganei.
-Você me fez enxergar a realidade, acreditar em coisas que eu achava não serem verdadeiras. Você trouxe de volta quem eu realmente sou.
-É o que você está fazendo comigo... por sua causa eu me iludi muito, Joe... e passei a acreditar em coisas impossíveis também- confessou.
-Quando eu te vi daquele jeito naquela noite eu senti como se toda a culpa por tudo que eu vinha fazendo estivesse caindo sobre mim...Eu me senti a pior pessoa do mundo.
-Eu não quero que me ajude ou seja meu amigo por culpa, Joe- disse triste.
-É isso que você acha? Está errada. 
-Olha como nós nos aproximamos- riu sem humor, lembrando- Eu achei que nunca mais olharia na sua cara e olha só, aqui estamos.
-Verdade- concordei- Eu fico pensando... essa noite marcou muito, foi como um final iniciando uma nova história.
-O final de tudo que aconteceu entre nós- sussurrou- O começo do que está por vir- sorriu.
-Eu não estava preparado para colocar um fim em tudo- confessei.
-Como assim?
-Eu não achei que seria a última vez, não queria que fosse- disse.
-Muita coisa ainda está por vir, Joe... Quem vive no passado é museu- brincou tirando o clima incomodo que se formava. Ri junto com ela.
Era um novo começo da mesma história,  que não teve necessariamente um fim.


Continua...
Hey!! Bom, eu estou tentando fazer o meu melhor e escrever capítulos bem grandes :P Espero que gostem! :) Chegou o momento que tanto queriam... desculpa se eu decepcionei vocês... acho que muitos esperavam uma outra coisa.. mas enfim, comentem muito, viu? :) Muito obrigada a todas, babys <3 Eu juro que nesse fi de semana ou até hoje arranjo um tempinho pra repassar tudo, divulgar, responder... ;) Amo vocês! 


Beijemis, Bruna *-*

26 de mar de 2012

Be Yourself- Chapter 9

Chapter 9- I wanna do the right thing now...



Demi on:
Deixei Joe sozinho no carro e caminhei apressadamente pelos corredores da escola, querendo chegar o mais rápido em minha sala. Estava com medo de que alguém me perguntasse alguma coisa sobre Joe, já que toda a escola sabia do que supostamente havia acontecido. Eu não saberia como responder... Não conseguiria encarar as pessoas e mentir mais uma vez. Muitas coisas aconteceram nesses últimos dias e eu descobri que encarar a realidade era necessário.
-Demi- alguém chamou. Me virei e vi Ashley correndo em minha direção.
-Nossa, calma Ash- falei rindo um pouco de seu estado.
-Calma? Menina, eu to correndo atrás de você desde que chegou.... a propósito... você veio com o Joe, né?- me encarou com um sorrisinho.
-Sim- disse normalmente, mas bem nervosa por dentro.
-Sim? É só isso que tem a dizer? - me encarou.
-Ér... Sim?- disse ironicamente.
-Você não vai falar nada mesmo da noite?- perguntou.
-Ué, não seria nenhuma novidade pra você, Ash!- disse- Já está cansada de saber em detalhes...
-Tudo bem, não quer falar não precisa!- fez biquinho- Mas é que eu fiquei curiosa... Você não veio ontem a aula, o Joe ficou te procurando o dia todo.
-Ah ficou?- perguntei. Disso eu não sabia.
-Sim...Mas e aí? Me fala, Dems!!!- implorou.
-Depois a gente conversa Ash- forcei um sorriso e continuei andando até a sala.
Ela tentou protestar mas fingi não ouvir. Continuei meu caminho. Entrei na sala e percebi claramente os olhares sobre mim. Pude ouvir alguns cochichando, outros apenas me encarando. Me sentei em uma cadeira mais afastada, em um canto da sala.
-Fugindo do mundo?- Joe perguntou se aproximando.
-Eu não sei...- disse suspirando.
-Não precisa fazer isso- sentou na minha frente.
-Ah Joe... eu sinceramente nunca me senti tão vulnerável em toda minha vida- bufei- Ta vendo, eu to até desabafando com você- murmurei.
-Qual o problema nisso?- perguntou- Eu posso te garantir que é melhor do que guardar pra você mesma. 
-Eu sei- confessei.
-Não confia em mim?- perguntou me encarando.
-Confio- forcei um sorriso.
-Então porque não me conta o que ta acontecendo? Porque saiu daquele jeito do carro?- questionou calmamente.
-Aqui não é um bom lugar- disse.
-Você não precisa me contar se não quiser, eu só quero tentar ajudar- afirmou.
-Eu sei disso- forçou um sorriso- E eu realmente preciso desabafar com um amigo.
-Tudo bem- sorriu- Quando quiser é só chamar- piscou rindo e se virou para frente quando a professora entrou na sala.


(...)


-Demi- ouvi alguém chamar.
-Oi, professora- despertei.
-Menina, estou te chamando a horas- ela riu.
-Ela estava pensando no Joe- algum engraçadinho disse e todos riram.
-E você devia fechar a sua boquinha em vez de falar asneiras- Joe disse cinicamente ao dono do comentário.
Sorri involuntariamente e todos ficaram quietos, mas ainda sussurrando coisas. Alguns riram da resposta de Joe, inclusive a professora.
-Desculpa, professora- pedi ignorando os alunos.
Prestei o máximo de atenção que eu conseguira. Sim, eu estava pensando em Joe, indiretamente mas estava. Eu não suportava ouvir comentários, perguntas, deboches sobre aquela noite e não poder fazer nada, não poder falar nada. Eu não queria mais mentir, queria ser quem eu realmente sou. Mas isso era quase impossível quando se tratava de um assunto como esse e uma mentira de tanto tempo.
O sinal finalmente tocou e eu me levantei, indo até o refeitório. Uns cinco meninos vieram até mim, sempre me fazendo convites ousados, propostas que eu preferia não comentar. Como eu sempre 'escapei' de todas as tentativas dos meninos abusados dessa escola, agora que supostamente 'dormira' com Joe não havia mais como fugir. Depois dessa fofoca toda, os meninos não largavam do meu pé, sempre na esperança de ter a mesma 'sorte' que Joe teve. Mas eu nunca aceitaria nada do tipo. Eles ficavam inconformados, queriam uma explicação de porque eu dormira com Joe e não com eles, uma explicação que eu não podia dar. 
Respirei fundo algumas vezes para me recompor. 
-Demi recusando convites de garotos?- Ashley se aproximou se sentando ao meu lado- Ta todo mundo comentando.
-Deixa eles pra lá- resmunguei.
-O que está acontecendo com você, Demi?- perguntou assustada.
-Nada de mais, eu apenas cansei.
-Cansou dos garotos?- arregalou os olhos.
-Não, Ash... Cansei dessa vida- confessei.
-Uau- disse surpresa- Por essa eu não esperava.
-É.. nem eu pensei que fosse conseguir.
-O que o Joe fez com você, garota?- perguntou rindo.
-Ele me fez ver a realidade.
-Que ... estranho... - fez careta.
Realmente.. era estranha essa vida que eu levava, as decisões que tomava ou tentava tomar, nem eu mesma conseguia entender. Mas uma coisa eu tinha posto em minha cabeça, não importa como, eu trarei minha vida de volta, eu serei a verdadeira Demi.
-E ae Lovato- um grupo de meninos parou rindo em minha frente- O Joe não deu conta do recado, né? Se quiser eu te mostro como se faz- disse descaradamente.
-O que?- perguntei confusa.
-Ué, você não ta topando ficar com ninguém... O que ta acontecendo? Ficou traumatizada?- debochou, rindo.
-Não mete o Joe no meio dessa história. Ele não tem nada a ver com isso- disse um pouco mais exaltada.
-Uiii, calma- se afastou um pouco, levantando as mão, ainda debochado.
-Eu não admito que fale mal dele. Essa é a minha vida e o problema é meu. Se eu não to ficando mais com nenhum desses idiotas, é uma escolha minha.
-Calma gata- se afastou rindo.
(...)
-Calma, Demi. O que ta acontecendo com você?- Ashley perguntou assustada.
-Eu.. não sei- suspirei.
-Ta todo mundo chocado, você nunca foi disso!- ela disse.
Muitos outros garotos apareceram, alguns deles querendo saber o motivo de nunca terem ido para cama comigo, o motivo de eu sempre ter tentado fugir. Então, infelizmente Ashley descobriu que eu não havia dormido com nenhum deles, já que para ela e o restante do colégio, era o contrário.
-Você pode me falar o que ta acontecendo?- Ashley pediu me puxando para um canto mais afastado de todos
-Não ta acontecendo nada, eu já disse!- me sentei em um canto qualquer, colocando a cabeça entre as mãos.
-Desde que você e o Joe dormiram juntos você ta assim, estranha.
-Eu não to estranha, só desisto de tentar ser assim- sussurrei.
-Eu não to te entendendo, Demi! O que aqueles meninos queriam dizer? Eu achei que já tivesse dormido com todos.
-Achou errado- murmurei.
-Você mentiu? Porque fez isso? Não consigo entender!
-EU NÃO DORMI COM O JOE, TA LEGAL? É ISSO QUE VOCÊ QUER SABER?- disse um pouco exaltada.
Aquilo já estava me tirando do sério, eu não poderia mais esconder por tanto tempo. Seria impossível guardar esse segredo com essa pressão absurda sobre mim. Todos os garotos me chamando de mentirosa, enroladora... Eu precisava colocar esse sentimento para fora, precisava falar para alguém, só não sabia se devia ser para Ashley, justo ela.
-O QUE?- me encarou incrédula.
Eu realmente não entendia porque havia confessado isso a ela, eu estava me sentindo completamente vulnerável agora, minha cabeça queria explodir.
-É isso mesmo, Ashley. Foi tudo mentira, não aconteceu nada- sussurrei com a cabeça entre as mãos.
-Mas... como assim, Demi? Porque?- perguntou um pouco assustada.
-Porque eu não quis- disse um pouco mais exaltada- Eu não consigo mais, eu não posso- murmurei nervosa.
-Do que você ta falando? 
-Eu não sou quem você pensa, nunca dormi com nenhum garoto, não sou oferecida, uma metida patricinha irritante. Eu não consegui dormir com o Joe.
-Mas... então você mentiu durante todo esse tempo?- me encarou.
-Sim- abaixei a cabeça.
-E porque ainda está mentindo para todo mundo? O negócio do Joe?
-O que você acha que pensariam? Que falariam?- perguntei cinicamente.
-Mas o Joe disse que a noite tinha sido incrível...
-Ele mentiu, por minha causa.
-Eu não acredito nisso... Durante todos esses anos eu achei que tinha uma amiga e acabo de descobrir que tudo era uma grande farsa.
-Me desculpa, Ash- implorei- Você nunca vai entender como isso foi horrível para mim...
-Ér... ta bem...- disse um pouco receosa.
-Por favor, se não for pedir muito, não conta isso pra ninguém... Por favor- pedi.
Sim, eu havia acabado de confiar um segredo meu a Ashley, logo ela. Outra besteira, outro erro.
-Claro, eu não contarei- forçou um sorriso- Está entre nós- me deu um abraço.
-Obrigada- sussurrei.


(...)


Joe on:
-Joe- David chamou- O que aconteceu com a Lovato?- perguntou curioso.
-Como assim?
-Ah, tava rolando uma confusãozinha no pátio- deu de ombros.
-Confusão com a Demi? Porque?
-Sei lá, uns garotos tavam chamando ela de enroladora, mentirosa...- disse.
-O que ela fez?- questionei preocupado.
-Parece que ela nunca tinha dormido com nenhum deles, como pensávamos. Era tudo ... mentira- fez careta.
-Mas... como isso é possível?
-Isso eu não sei- disse rindo sem humor- Parece que foi o primeiro, meu amigo.
-Como ela ta?
-Joe preocupado com a Lovato?- perguntou surpreso.
-Me diz como ela ta- insisti.
-Eu não sei, só ouvi alguns comentários e vi a Ashley com ela lá no jardim.
-Ah saco- resmunguei.
-Pera pera- disse- O que ta acontecendo aqui? O que aconteceu nessa noite? Vocês dois estão tão... mudados- comentou.
-Ta bem... a verdade é que não rolou nada entre eu e ela- confessei sussurrando.
-O que?- perguntou gritando.
-Cala a boca retardado- murmurei- Eu não dormi com a Demi- repeti.
-Mas... Porque? Como?- me encarou incrédulo.
-Ela não quis- disse- Eu não vou entrar em detalhes aqui, depois eu te conto direito.
-Você chegou aqui e tudo aquilo que falou era mentira? Você me falou tanto da noite- disse.
-Eu menti por ela- expliquei- A Demi tava péssima, David. Você nem imagina.
-Uau- disse surpreso- Então vocês agora são amigos?
-Sim- afirmei.
-Nossa, quem diria... Logo a Demi se recusou a dormir com você?!- disse debochado.
-É sério, não vai com gracinha pra cima dela- pedi.
-Tudo bem.. mas eu estou um pouco confuso- passou a mão na cabeça.
-Escuta- pedi rindo de sua expressão- Você não pode contar isso a ninguém, ouviu? Por favor.
-Claro, ninguém nunca saberá. Minha boca é um túmulo.
-Eu sei que é...- disse irônico, rindo.
-Mas será que é verdade ela nunca ter dormido com ninguém?- perguntou.
-Olha, pelo jeito que ela agiu comigo eu podia afirmar que é verdade... mas é difícil acreditar nisso levando em conta a fama que ela tem.
-Se ela já tivesse ido pra cama com todos esses garotos como pensávamos, não teria se recusado a dormir com você- disse.
-É... pode ser- disse confuso.
-Eu só não entendo como isso é possível... ela mentiu muito- comentou.
-Eu também queria entender- confessei.
-Eu também ouvi a Demi te defendendo- deu de ombros.
-Como assim?
-Ah, uns garotos começaram a falar de você e tal.. ela ficou irritada e discutiu com eles.
-Uau- disse surpreso.
-E ai, o que vai acontecer a partir de agora? 
-Ela não quer mais nada comigo, isso já era fato- fiz careta.
-Nossa, realmente deve ter sido séria essa noite de vocês em.
-Você nem imagina, David. Eu nunca vi a Demi daquele jeito...
-Como ficam vocês dois? Já que tudo acabou?
-Na amizade...- disse- Eu espero que de certo- sussurrei.
O sinal logo bateu e eu não tive a oportunidade de falar com Demi. Voltei para a sala e lá estava ela, no mesmo lugar, excluída de todos. Não parecia triste.. apenas um pouco nervosa.


Continua...
Sorry... :s Gostaram? Obrigada pelos comentários *o* Fiz bem grandinho :P Eu sei que muitos querem saber quando a Demi vai falar a 'verdade'... no próximo capítulo, eu já estou escrevendo :) Continuem comentando muito, em :D Awwwwn *-* Novas leitoras, sejam bem-vindas! ^-^ Não me levem a mal por não estar respondendo aos comentários, é que é complicado :/ Mas eu leio TODOS e AMO vocês, muito! Cada palavrinha que escrevem está bem aqui no meu <3 E eu vou lembrar, sempre! =) Então, em resposta a todos os comentários em geral 'EU AMO VOCÊS' :3 E a divulgação... :s Eu NÃO esqueci, me perdoe! Eu ainda vou divulgar, JURO! :D Ta bem aqui na minha cabeça, ainda tenho as tags... :) Comentem! <3


Beijemis, Bruna <3



22 de mar de 2012

Be Yourself- Chapter 8

Chapter 8- It isn't too late to try... to make it right...

Demi on:
Acordei com muito sono, não tinha dormido nada aquela noite. Tomei um banho e me olhei no espelho, meus olhos inchados, o cabelo desarrumado e a marca da tristeza em meus olhos. Coloquei uma roupa qualquer e não me dei ao trabalho de tentar concertar aquelas pequenas imperfeições. Desci pegando minha mochila e tomei café.


Joe on:
As coisas que Selena havia me dito martelavam em minha cabeça. Porque teria sido tão importante para Demi se tivéssemos realmente dormido juntos? Afinal, ela já dormira com metade da escola e não seria diferente comigo. Porque ela ficaria magoada se soubesse que eu me arrependi? Muitas perguntas se passavam em meus pensamentos, porém eu não obtinha respostas. Tomei um banho relaxante, desci, peguei uma maçã e saí de casa.
Tirei o carro da garagem e vi Demi saindo, estava com uma expressão não muito boa. Esperei que se aproximasse e abri  janela.
-Carona, Lovato?- perguntei rindo.
-Eu aceito, Jonas- ela respondeu abrindo um sorriso e me acompanhando com sua contagiante risada.
-Entra ai- sorri.
-Bom dia- ela disse sorridente
-Bom dia- sorri- Ta tudo bem? Você ta com uma cara péssima- comentei- Não tenta disfarçar com o sorriso.
-É...Não dormi muito bem...
-Por um acaso foi por causa da Selena?
-Como... como sabe?- perguntou me encarando.
- Ela me disse que vocês conversaram ontem- comentei.
-Ah é... Na verdade ela me ligou, mas foi só para acabar com a nossa amizade- sussurrou- Eu só queria a minha amiga de volta- choramingou.
-É só questão de tempo, Demi. Daqui a pouco vocês estão bem de novo- disse.
-Eu queria pensar assim- confessou- Só que não posso me iludir... mais. Eu sei que o que fiz com a Sel não é atitude de uma amiga de verdade. Ela está me tratando bem comparado a como eu a tratei.
-Não fica assim- pedi- Vocês eram tão amigas... Não vai acabar desse jeito. 
-É como se nada nunca tivesse acontecido... da mesma forma que ela disse que deveria ser.
-Mas... porque ela fez isso, Demi?
-Ela achou que havia mesmo acontecido alguma coisa entre nós- sussurrou- E que eu queria a amizade dela de novo só porque não sabia encarar meus próprios atos... Ela nem quis me ouvir. Partiu logo pra ignorância e disse que eu teria que encarar as consequências ...A Sel ta confundindo muito as coisas... 
-Mas também...Não é pra menos. 
-Eu não devia ter feito nada disso- colocou a cabeça entre as mãos.
-Não fica assim- pedi levando uma de minhas mãos até seu rosto. Ela me encarou- Olha só, o que aconteceu entre você e a Sel é passageiro- garanti.
-Não é, ela nunca mais vai querer olhar na minha cara.
-Não fala isso- acariciei seu rosto- Demi, eu sei como vocês eram amigas e unidas. A Sel é minha melhor amiga e eu posso te garantir que daqui a pouco ela vai se arrepender do que fez.
-Sim, é o que eu mais quero. Mas eu espero que ela não desista de mim... Eu me arrependi muto tarde, eu tentei me desculpar mas não era possível.
-Escuta o que eu vou te falar- pedi- Se a amizade era verdadeira, não importa o que aconteceu, ela irá superar.
Ela sorriu, me encarando.
-Tudo bem, eu vou me esforçar para que a Sel me de uma outra chance- disse.
-Só não fica assim, triste- acariciei seu braço- Eu quero ver aquele sorriso lindo que só você consegue dar.
E então, sorriu novamente, envergonhada.
-Joe, me tira uma dúvida?- perguntou depois de um tempinho.
-O que você quiser- respondi.
-A Selena tentou me avisar e eu não ouvi, mas ela te disse que era errado fazer aquilo?
-Não... na verdade, ontem eu perguntei isso e ela me disse que não tinha nada haver com a minha vida e por isso deixou que 'dormisse' com você- fiz careta.
-Er.. ela achou que eu queria contar como foi ... a noite- sussurrou.
-Foi exatamente o que ela me disse- ri sem humor.
-Eu não sei o que fazer...Eu queria ter contado tudo a ela.. Mas não sabia nem como. Realmente, eu fui muito infantil em não ouvir a Sel... Se eu tivesse dado ouvidos a ela, nada disso teria acontecido.
-Se ela tivesse me avisado eu acho que também não ouviria... E...Ela quis saber se eu me arrependi- confessei.
-O que ...você disse?- perguntou me encarando.
-A verdade, que tinha me arrependido sim. Mas ela não sabe o porque disso. Me pediu que não te magoasse... Eu só me arrependi de ter te levado lá aquela noite. A Selena acha que eu me arrependi de outra coisa- disse.
-Pode ter certeza de que não é o único a se arrepender aqui- fez careta.
-A Selena disse que não queria que você sofresse mais... O que ela quis dizer com isso, Demi?
-Digamos que eu fiz da minha vida um inferno- bufou.
-Ah, nem ta tão ruim assim- sorri.
-É... tava bem pior- riu sem humor.
-Demi... Posso te fazer uma pergunta? Vai ser sincera?- perguntei receoso.
-Ér...- pareceu pensativa- Pode.
-Se tivesse mesmo acontecido algo mais sério aquela noite, significaria alguma coisa pra você?- perguntei.
-Mas... é claro que sim, Joe- me encarou com expressão obvia.
-Tudo bem, pra mim também, obvio. Mas eu to dizendo... Significaria algo mais sério? Vamos dizer que eu tivesse me arrependido depois, você ficaria muito magoada?
-Porque ta me perguntando isso?- questionou quase que com um sussurro.
-É que... A Sel me disse algumas coisas que ficaram perturbando a minha cabeça.
-Coisas do tipo....?
-Ah, que você ficaria magoada, porque com certeza pra você teria significado muito.
-Pra você não passaria de uma noite, certo?
-É claro que teria algum valor, mas nada muito importante- confessei.
-Tudo bem...- disse.
-Mas você não me respondeu- insisti.
-Sim, significaria muito, Joe- respondeu com um meio sorriso.
Preferi não perguntar mais, deixaria para depois.
-Chegamos- disse estacionando o carro.
Ela abaixou a cabeça, respirando fundo.
-Você parece nervosa... Ta tudo bem?- perguntei preocupado.
-Eu só não sei como olhar para a cara de ninguém aqui- suspirou.
-Ué.. como você sempre olhou. Nada mudou, Demi.
-É ai que você se engana... Depois de tudo que aconteceu eu não posso mais aguentar isso... Muita coisa mudou- confessou saindo do carro, me deixando intrigado.


Continua...
Gente, como eu tinha dito, mais um hoje para recompensar pelo capítulo anterior :D Esse teve mais Jemi, certo? haha <3 Com o desenrolar da história, vocês vão perceber que vai ficar mais fofo e 'ousado' :3 Bom, vou esclarecer uma dúvida da fofa Caroline :) Olha, a Selena soube da noite deles porque toda a escola soube do que aconteceria, e como o Joe mentiu por causa da Demi, dizendo que realmente tinha dormido com ela, a Selena acha, assim como todo o restante, que isso realmente aconteceu! Ta assim no cap. anterior "  Todos comentaram ontem, era o assunto mais falado no colégio. O Joe fez questão de dizer o quanto foi boa a noite dele  " E isso a Selena que fala ;) Bom, espero que tenha ajudado, qualquer coisa, é só perguntar! <3 Comentem MUITO! Por favor! :D Em relação aos comentários, eu li e sei que tenho coisas a responder e divulgações a fazer! Só avisando que eu não esqueci ou ignorei! :) Obrigada por tudo, vocês são lindas :3

Beijemis, Bruna

Be Yourself- Chapter 7

Chapter 7- I need you...

Demi on:
Passei o restante da tarde assistindo um filme sozinha. Pensei em chamar Joe mas além de ainda estar um pouco incomodada com a situação, não queria que ele me achasse oferecida, apesar de já achar. Mas tinha medo de que ele confundisse as coisas, achando que eu ainda queria algo com ele. A verdade era que eu queria, mas agora, queria uma coisa séria, que eu pudesse chamar de 'namoro'. A atitude de Joe só me deixou mais encantada e apaixonada por ele, mas devia tirar isso da minha cabeça. Eu achava que podia mandar em meu coração.
(...)
Estava deitada no sofá, sozinha em casa esperando por meus pais quando o telefone começa a tocar.


-Alô?- atendi.

-Demi, como você pode?- era Selena, ela falava um pouco exaltada.
-O que eu fiz?- perguntei assustada.
-Eu nunca achei que fosse capaz disso, você não podia- disse.
-Selena, para- pedi- O que aconteceu?
- Não se faça de tonta, Demi. Eu não posso acreditar que você realmente dormiu com o Joe!- disse inconformada.
-Mas eu...
-Você me decepcionou muito- me interrompeu- Parabéns, você conseguiu o que queria.
-Como assim?- perguntei confusa.
-Você tem popularidade, meninos aos seus pés, amigos falsos e agora sua mais nova conquista, a fama por ter dormido com o menino mais desejado do colégio- disse ironicamente.
-Sel, não é isso- protestei.
-Não me chama de Sel- disse um tanto quanto irritada- Se algum resquício da nossa amizade ainda existia, agora tudo entre nós acabou.
-Por favor, não é o que você ta pensando.
-Você tem outras amigas, não precisa mais de mim, uma chata que só sabe tentar bancar a mamãe- disse- Esquece a nossa amizade, Demi.
-Não, não faz isso. Eu preciso de você- implorei.
-Você sabe que não. Eu achei que você não conseguiria me decepcionar mais...
-Sel, não é o que você ta pensando- disse- Eu e o Joe ontem...
-Eu não quero saber, não precisa me contar os detalhes. Eu já sei demais.
-Como assim? O que você sabe?
-Todos comentaram ontem, era o assunto mais falado no colégio. O Joe fez questão de dizer o quanto foi boa a noite dele- resmungou.
-Mas...
-Olha Demi... Só esquece tudo, ta legal? Finge que nós nunca fomos amigas- pediu- Vai ser melhor.
-Não será para mim- disse- Selena, por favor.
-Para de fingir que se importa, para de ser falsa- gritou.
-Eu não estou sendo- disse angustiada- Me desculpa por tudo- pedi.
-Você não quis acreditar em mim, achou que sabia como cuidar da sua própria vida, agora siga em frente, você já cometeu tantos erros, não faz mais diferença.
-Eu sei que errei muito, eu fui uma completa idiota em não acreditar em você! Mas eu assumo que estava errada, por tudo, eu nunca devia ter feito nada disso...
-O que foi, Demi? Se arrependeu da burrada que fez? Desculpa, mas eu tentei te avisar, agora já é tarde para tentar voltar atrás. Eu não posso mudar o que você escolheu para a sua vida.
-Você ta entendendo tudo errado, Sel... Me ajuda, eu preciso de você.
-Encontra outra pessoa para te dar cobertura pelas besteiras que faz, talvez o Joe possa te ajudar- sugeriu cinicamente- Aprende com ele a como viver a vida.
-Sel...- tentei chamar mas não deu ouvidos.
-Escuta, eu não tenho nada a ver com a sua vida, nem com a do Joe. Mas eu só queria dizer que ontem você cometeu o seu maior erro e agora, não adianta me pedir ajuda, acreditar em mim, porque você não tem como voltar atrás.
-Eu só queria uma segunda chance- pedi quase que com um sussurro.
-Eu já te dei muitas, mas você conseguiu me decepcionar como nunca. Eu tenho vergonha de um dia ter sido sua amiga, Demi.
-Não fala isso, Sel- pedi já com os olhos marejados- Me deixa te explicar o que aconteceu- implorei.
-Eu já disse que não quero saber- disse seca- Vai correr atrás do seu namoradinho ou sei lá o que você e o Joe são.
-Eu não quero te perder- disse com a voz falha.
-Você já tinha me perdido a muito tempo. A única coisa que mudou é que agora eu estou colocando um basta nisso tudo. Eu não aguento mais ser a única a sofrer.
-Mas você não é- afirmei.
-Pensasse nisso antes de agir dessa maneira- avisou- Tchau, Demi.
-Sel...- chamei mas ela já havia desligado.



Algumas silenciosas lágrimas escorreram pelo meu rosto, mas logo tratei de sumir com elas. Eu sabia que mais cedo ou mais tarde teria de ser forte. Toda a minha vida me levou a um sofrimento oculto, onde éramos apenas eu e a dor. Eu não tinha ninguém ao meu lado.
Se Selena estava errada por me tratar assim? Não. E Eu sabia que seria tarde buscar a ajuda dela, mesmo depois de sermos tão próximas. Eu consegui cometer um erro do tamanho do mundo deixando uma amiga como ela de lado. Ela achava que havia realmente acontecido algo mais sério entre eu e Joe, todos deviam pensar assim. Eu até contaria para Selena, mas achava que ele já tivesse feito isso. Parece que Joe estava realmente levando a sério a promessa de não contar a ninguém e eu agradecia por isso. Mesmo que eu tentasse, era tarde para voltar atrás e Selena nunca me ouviria, nem perdoaria.
Fui até meu quarto e me joguei na cama, abraçada a um bichinho de pelúcia que ela me dera. Esse fora o presente mais valioso que eu já recebera, e me trazia memórias impossíveis de serem esquecidas.
As horas foram passando, meus pensamentos ainda estavam longe e as lágrimas teimavam em cair novamente a cada lembrança, cada medo ou arrependimento que consumiam minha cabeça. Eu não pudia evitar nem tentar ignorar tudo agora.


Joe on:
Estava em casa, jogando video game com meu irmão quando o meu celular vibra bem ao meu lado.
-Só um minuto, Frankie- pedi saindo da sala e indo até a varanda.

-Alô?- disse.
-Oi, Joe- era Selena.
-Ah, oi Sel. O que quer?- perguntei me sentando em um banco que tinha ali perto, no jardim.
-Desculpa te ligar, mas será que tem um minutinho para mim?- perguntou receosa.
-Claro que sim- afirmei- Aconteceu alguma coisa?
-É que eu falei com a Demi...- ela sussurrou.
-E o que houve?-perguntei curioso.
-Na verdade eu nem sei porque estou te ligando...-resmungou.
-Como assim, Sel?- perguntei rindo.
-Ah Joe... A Demi é uma idiota - disse um pouco mais exaltada.
-Calma- pedi- Porque está assim?
-Ah Joe... É que eu falei pra ela que era errado e mesmo assim ela continuou. Ai ela começou a falar da noite de vocês e eu não aguentei mais ouvir.
-Da nossa noite?- questionei assustado- O que ela te disse?
-Nada além do que eu já sabia. Agora ela quer voltar a ser minha amiga-murmurou irritada.
-Porque você ligou? Pra dar uma bela bronca nela?- ri sem humor.
-É... mas eu não vou voltar arás, eu acabei com a nossa amizade-deu de ombros- Na verdade eu nem deixei ela termina de falar...
-Mas porque você não terminou de ouvir? Como pode acabar assim?
-Por favor né, Joe?! Eu não sirvo pra ficar cuidando de patricinha e ficar por ai concertando besteiras que vocês fazem! Você armou aquilo e agora vá você ficar com ela ou sei lá o que ela quer- disse em tom autoritário.
-Ta Sel... Eu vou falar com ela. Mas me diz uma coisa, se sabia que era tão 'errado', porque me deixou fazer aquilo?
-Você faz o que quiser da sua vida, Joe. E ainda por cima, a culpa nem foi sua, a Demi não quis me ouvir e acabou fazendo besteira- disse.
-Ah... Porque eu aceitei essa ideia ridícula- resmunguei comigo mesmo.
-Joe... Você ...está arrependido?
-Sim...- sussurrei. Eu estava arrependido por ter 'obrigado' Demi de uma certa forma a tudo aquilo.
-Eu sabia- disse firmemente.
Selena estava pensando que havia rolado alguma coisa entre nós, mas eu iria deixar por isso mesmo.
-Olha Sel.. eu vou falar com a Demi. 
-Tudo bem... Mas Joe- chamou.
-Diga.
-Apesar de tudo... Eu não posso esquecer tão rápido de tudo que aconteceu então... por favor, eu sei que você não é disso, mas não magoa ela.
-Porque ta me dizendo isso?- perguntei.
-Só não quero que ela saia mais machucada dessa história...Mesmo estando arrependido, pra ela isso deve ter significado muito- explicou
-Pode deixar-garanti- Até mais, Sel- desliguei o telefone e voltei para dentro de casa.
(...)

Continua...
Tudo bem, esse sim ficou ruim :s Eu sei que não teve nadinha de Jemi, mas os próximos terão! Por isso, eu vou tentar ao máximo postar mais um, talvez hoje, talvez amanhã, para recompensar vocês! :) Desculpem :/ Vocês vão ouvir muito isso da minha boca, porque eu já disse que está bem complicado! :( Bem, obrigada a todas vocês, lindas <3 Esses comentários são perfeitos :3 Amo vocês, muito <3 Comentem bastante e pra quem ainda não votou, se você lê a fic, marca ali do ladinho na enquete ;) ---> 

Beijemis, Bruna =)

18 de mar de 2012

Be Yourself- Chapter 6

Chapter 6- I'm feeling better now...


Como já havia constatado antes, não consegui dormir. Passei praticamente toda a noite em claro, pensando o que faria da minha vida agora. Eu não estava tão abalda quanto achava que ficaria... Mas acho que a dúvida sobre o que fazer, a indecisão, o medo, me fizeram 'esquecer' do que havia acontecido com Joe. Ele havia sido muito compreensivo comigo, o que eu não esperava. Nunca imaginei que Joe seria tão legal e doce, mas bastaria ele chegar no colégio para começarem as fofocas sobre mim, ele não perderia tempo para me humilhar e contar a todos o que havia realmente acontecido. No momento eu só queria sair da cidade, mudar de escola e começar uma nova vida, dessa vez sem mentiras, farças... Apenas sendo eu mesma. Descobri que essa idiotice não me levaria a nada além de sofrimento, vestir essa 'máscara' não valia a pena, não valia a dor. Se um dia eu menti, fingi, foi por medo de encarar a realidade. Pensei que seria mais fácil, e no começo realmente foi. Mas depois... O feitiço apenas virou contra o feiticeiro. Agora, eu tinha medo de sair de casa para encarar essa nova realidade, encarar as consequências que me esperavam.
Veio a minha cabeça como seria encarar Joe novamente, falar com ele não poderia ser evitado. Eu ainda estava em pânico por causa de ontem, mas muitas coisas ocupavam minha cabeça e não me deixavam lembrar das terríveis cenas. Eu continuava constrangida, envergonhada pelo que tinha acontecido e também por ter mentido para Joe. Minha vida viraria de cabeça para baixo a partir de hoje. 
Eram 7 da manhã, minha mãe havia me acordado mas eu não fui a escola, inventei uma coisa e ela deixou que eu faltasse. Passei a manhã deitada na cama, com o rosto enterrado no travesseiro, sem saber o que pensar. A essa hora, provavelmente Joe já havia contado tudo aos amigos e colegas...Eu viraria o assunto mais comentado da escola.
Eu estava sozinha em casa, meus pais estavam trabalhando e voltariam a noite. Minha mãe tentou me 'forçar' a dizer porque cheguei ontem daquele jeito, mas consegui escapar...Por enquanto. Eu torcia para que ela deixasse isso para lá.

Joe on:
Acordei mais cedo do que deveria, por incrível que pareça estava preocupado com Demi... ela não estava nada bem quando saiu daqui ontem. Tomei um banho e me vesti para a escola. Tentei avistar Demi pelo caminho, mas talvez ela já tivesse saído de casa.
Chegando lá, procurei Demi por todos os cantos, mas não a encontrei. Estava ficando mais preocupado ainda e não entendia o porque de tanta preocupação.
-Está procurando a Lovato?- David perguntou se aproximando com um sorrisinho safado no rosto.
-Sim- disse com o pescoço esticado, ainda a procurando.
-Bom, eu não a vi hoje- comentou- Mas me fala, como foi ontem? Tentei te ligar mas você não atendeu... Deve ter sido boa a coisa em- riu.
-Você ainda precisa perguntar? Ainda tem dúvidas?- menti dando um sorriso malicioso.
-Aeeee mas me fala, os detalhes...- ele pediu.
-Depois a gente conversa, David. O sinal vai bater e eu quero ver se acho a Demi por aí- sai correndo em direção a minha sala, seria melhor evitar perguntas antes de falar com ela.
Tivemos algumas horas de aula e realmente Demi não havia aparecido por lá. Não falei com meus amigos, pois com certeza perguntariam sobre a noite de ontem. Quase toda escola queria saber mas eu sempre inventava uma resposta, nada muito grande, apenas para tentar disfarçar. Resolvi ir embora no intervalo, já que não teria cabeça mesmo para continuar ali. Eu precisava vê-la, saber como estava e porque havia faltado hoje a aula. De uma certa forma, eu me sentia culpado pelo que fizera... Algo dentro de mim dizia que eu estava sendo idiota em me preocupar, mas eu não deixaria esse lado falar mais alto. 
Fui caminhando pensativo até a casa de Demi, era bom eu estar sem carro hoje, assim  tinha mais tempo para colocar as ideias no lugar. Eu não sabia exatamente o que falaria ou faria, sabia muito menos o que fazia lá, parado em frente a porta de sua casa. Mas eu já a conhecia a muito tempo e mesmo que nossa situação não fosse muito amigável, isso nos tornava um tanto quanto próximos. Eu sabia muita coisa sobre ela, coisas que a própria já tinha me contado. Não era nada de mais, ela não parecia confiar em mim... Afinal, eu acho que nunca demonstrei muita confiança... Ela também nunca mereceu. 
Ver a Demi naquele estado ontem foi um enorme choque para mim, eu nunca imaginara que ela seria capaz daquilo, que ficaria daquele jeito. Confesso que foi uma grande surpresa e agora sentia que havia muitas coisas das quais eu precisava saber.
Sem pensar mais, bati na porta e logo a mulher que trabalhava na casa atendeu. Eu já a conhecia, por algumas visitas que fizera a Demi, mas ela provavelmente não lembraria de mim.
-Bom dia- ela disse. Ainda era cedo, umas 10h da manhã.
-Bom dia- sorri- Será que eu podia falar com a Demi? Sou um amigo dela- disse.
-Não falei com ela hoje... Mas sua mãe disse que ela estava no quarto e não saia por nada, nem quis ir a escola. Mesmo assim, se é um amigo, não vejo problema. Acho que ela está até precisando.
-Obrigada- agradeci e ela me deu espaço para que entrasse.
-Ela está no quarto, sabe onde fica?- perguntou.
-Sei sim- sorri e subi a escada, indo até seu quarto.
-Entra- ela disse com a voz falha quando eu bati na porta.
-Oi- entrei no quarto lentamente, fechando a porta. 
Ela estava 'jogada' na cama, com o rosto escondido em um monte de travesseiros. Quando ouviu minha voz levantou em um pulo. Estava com os olhos um pouco inchados, mas não chorava. Me encarou surpresa, com os olhos arregalados.
- O que faz aqui?- perguntou arrumando o cabelo e a roupa.
-Eu queria saber como você ta- disse me aproximando.
-Bem- respondeu.
-Você ta triste comigo por causa de ontem?- perguntei receoso, me sentando na beirada da cama. Ela se encolheu um pouco.
-Se importa?- perguntou.
-Se não me importasse não estaria aqui, Demi.
-Não estou triste com você- resmungou.
-Então porque ta me tratando assim?
-Porque se preocupa comigo, Joe?- me encarou confusa.
-Porque sim, Demi. Você tem uma noção de como estava ontem quando saiu de lá de casa? 
-Sim- sussurrou abaixando a cabeça.
-Imagina como eu me senti sabendo que tudo aquilo aconteceu por minha causa? 
-Eu já disse que você não teve culpa.
-Demi, em todos esses anos você nem chegou perto de como tava ontem.
-Você nunca foi próximo de mim nesses anos.
-Ah Demi, eu e você sabemos que eu era- afirmei- Tudo bem que a nossa relação nunca foi de muita amizade, mas a gente se conhece a muito tempo.
-Se você fosse meu amigo eu acho que seria tudo mais fácil- murmurou.
-Desculpa, Demi. Mas eu não sou porque você não quer. Eu já te deixei na mão alguma vez?- perguntei a encarando.
-Pelo incrível que pareça não.
-Exatamente. Eu fiquei preocupado porque nunca imaginei que algo do tipo aconteceria, eu nunca te vi assim.
-Eu nunca estive assim, porque nunca nada parecido havia acontecido- disse- Não precisa ficar me lembrando do mico que eu paguei, ta legal?
-Mico?- repeti rindo, sarcástico- Demi, fala sério- a encarei- Você não fez nada de mais. 
-Mais é óbvio que eu fiz- disse um pouco mais exaltada, se levantando da cama- Eu comecei a chorar que nem uma desesperada, eu nem sei o que estava pensando. A minha cabeça parecia explodir, eu não devia ter ido na sua casa...- ela falava tudo muito rápido, andando de um lado para o outro.
-Demi, para- pedi segurando seus braços, ela se acalmou um pouco- Respira e senta aqui- a levei novamente para a cama.
-Você deve me achar maluca- colocou a cabeça entre as mãos.
-Olha só, você só fez isso porque estava nervosa, preocupada. Qual o problema nisso? Eu entendo como estava se sentindo, não precisa ficar achando que pagou um mico enorme por causa disso- garanti.
Ela respirou fundo, forçando um sorriso meigo- Tudo bem... Você ta certo. 
Retribui o sorriso - Porque você não foi a escola hoje?
-Eu não estava me sentindo bem, por isso não fui- sussurrou.
-Não estava se sentindo bem ou não queria olhar na minha cara?
Ela abaixou a cabeça.
- O que queria que eu fizesse? Queria que eu aparecesse como se nada tivesse acontecido?
-Era uma boa ideia- sugeri- Você não precisava fingir, mas era só agir normalmente.
-Desculpa, mas eu não consigo. Você não tem uma ideia de como ta sendo pra mim falar com você agora. Vergonha é pouco pro que eu to sentindo- confessou.
-Mas não precisa. Demi, você acha mesmo que eu ficaria te lembrando do que aconteceu? Jogando isso na sua cara?- a encarei.
-Talvez... eu tava muito confusa, aquilo foi horrível... Eu sei que não devia ter agido daquele jeito.
-Eu sinceramente não entendo porque, Demi. Eu já disse que isso não faz sentido.
-Como não? Aquele escândalo que eu dei ontem foi simplesmente horroroso! 
-De novo com isso? -perguntei a encarando -Eu não tinha a intenção, Demi. Não queria que ficasse daquele jeito. E eu não quero que se sinta assim. 
-Você não fez nada, Joe. 
-Sim, eu fiz. Mas...Porque não me disse... antes?- perguntei
-Eu tentei dizer... mas a sensação me dava medo. Eu sabia o que ia acontecer mas não conseguia impedir.
-Podia ter me dito.
- O que você pensaria?- me encarou obviamente.
-A mesma coisa que eu to pensando agora, que eu não to entendendo nada- ela soltou uma risada e eu a acompanhei- Eu não sei o que pensaria, mas tenha certeza de que não te forçaria a nada.
-Eu não conseguiria falar isso na frente de tanta gente- sussurrou.
-Podia ter dito quando eles foram embora. 
-Eu devia ter falado.... Mas não saberia como te falar.
-Não precisava ter vergonha de me dizer isso.
-Eu nunca pensei que fosse entender.
- O que acha que eu sou? - perguntei assustado- Um monstro?- fiz careta e ela riu novamente.
-Não! - negou rapidamente, rindo- É que eu não sabia que era tão.. compreensivo. Eu imaginei que ficaria com raiva, não sei. 
-Eu sei que posso não parecer a melhor pessoa do mundo, mas depois que me conhece as coisas mudam- sorri.
-Eu to vendo- sorriu também- Mesmo assim....
-Olha, eu entendo que não foi nada legal o que aconteceu ontem, mas não precisa ficar me evitando- continuei.
-É que... Nunca vai voltar a ser como... antes, se você me entende.
-Quer dizer que tudo que tínhamos acabou?- perguntei.
-Olha Joe, não me leve a mal- pediu- Eu gosto muito de você mas não da, eu não conseguiria...
-Eu entendo, não tem problema- sorri.
-Você é mesmo o Joe que eu conheci?- fez careta.
-Sim- ri- Mas você só faltou a aula porque não queria falar comigo ou tinha mais alguma coisa?
-Eu não fui por causa de você e também porque não queria ouvir piadinhas sobre mim ou comentários sem graça sobre o que aconteceu ontem.
-Ãh?- a encarei confuso- Você acha que eu contei ou contaria a alguém?
-Estou errada?
-Claro que sim!- afirmei- Demi, ninguém nunca vai saber o que aconteceu ontem, isso é entre eu e você. O resto não tem nada a ver com o que acontece ou deixa de acontecer entre a gente.
-Desculpa, eu achei que você contaria.
-Eu não contei, Demi. Sabia que você não ia se sentir bem com isso.
- Obrigada, Joe- agradeceu sorrindo.
-Que tal esquecer isso tudo? Faz o seguinte, quando você me ver, não vai pensar no que houve ontem e quando eu te ver, juro não te agarrar- ela soltou uma risada- E também não vou lembrar do que aconteceu. Tudo bem?
-Tudo ótimo- concordou, ainda rindo.
-Se é assim, amigos?- perguntei abrindo os braços, pedindo um abraço.
-Com toda certeza- ela se jogou em meus braços, rindo.
-Bom, eu vou indo- levantei.
-Espera- chamou- Ér... obrigada, Joe. Por tudo mesmo- sorriu.
-Não tem que me agradecer, eu não fiz nada de mais- afirmei.
-Você sabe que fez- me encarou- Pode ter certeza de que se não tivesse vindo aqui, eu nunca mais sairia de casa- eu arregalei os olhos.
-Não precisava disso, né Demi?- soltei uma risada e ela me acompanhou- Que bom que eu ajudei, não foi nada- sorri.
-Tudo bem...
-Se faltar  a escola amanhã, eu venho aqui  te arrasto até lá- sorri cinicamente.
-Ta bem- ela riu- Até mais.
-Tchau Demi- sorri e caminhei até a porta- Ah, e fica tranquila- pedi me virando antes de sair- Ninguém saberá de nada, eu prometo. 
-Obrigada- respondeu novamente envergonhada, sorrindo.
Saí da casa de Demi aliviado por tudo estar bem. Na verdade, as coisas estavam até melhores agora, nos tornamos amigos e tudo entre nós estava resolvido. É claro que agora eu não teria mais seus beijos, sorrisos.. e sentiria falta disso. Já imaginava que seria assim, obviamente ela não iria querer mais nada comigo depois de ontem, mas eu havia ganho uma amiga incrível e estava feliz por não ter a perdido. Eu poderia sobreviver só com a amizade... eu esperava que sim.


Continua...
Olha, MIL desculpas! Mesmo! É que está realmente difícil :s Eu ia reescrever esse capítulo, mas para não deixar vocês esperando mais, só dei um jeitinho e postei logo! Eu estou tentando fazer de tudo para conseguir escrever e postar mais rapidamente! :) God! *

♥* Muito obrigada pelos comentários, gente! Vocês são incríveis! Amo muito meus bbs <3 Acho que foi a quantidade máxima de comentários que eu já recebi! :O Isso é maravilhoso =) Eu fico tão feliz, vocês nem imaginam! Obrigada por tudo e eu prometo que darei meu máximo para conseguir postar! Amanhã não tem chances, mas terça eu vou ver o que posso fazer! :D 

Obs: Não me lembro direito em que capítulo foi, que a Thalia comentou que essa fic estava mais 'ousada'. Realmente, ela está! Mas isso vai mudar muito .... Então, era só para avisar! :P
Eu estou morrendo de saudades da Laura e da Cami! Onde vocês estão ?? :( 

Beijemis, Bruna *-*

16 de mar de 2012

Be Yourself- Chapter 5

Chapter 5- Why me?


-Ué, você escolheu desafio- Liam lembrou.
-Eu sei mas....- não encontrava as palavras certas... Na verdade não haviam palavras a serem ditas.
-Algum problema?- Joe perguntou.
-Claro que ...não.- disse. Eu não podia falar a verdade agora, teria que encarar todas as consequências pela idiotice que vinha fazendo em minha vida.
-Se é assim, nós vamos embora- David disse e todos se levantaram- Aproveitem a noite- deu um sorriso malandro e foi embora acompanhado do restante das pessoas.
Eu respirava fundo, tentando conter o nervosismo.
-Joe, eu...- por um segundo tentei explicar a ele... mas não sabia o que pensar, muito menos o que dizer. Não tinha explicação para a minha vida, minha mentira.
-Agora você não pode mais fugir de mim- Joe disse se aproximando, me levou até a parede e começou a beijar meu pescoço. 
Eu estava paralisada, meu coração batia rapidamente e minha respiração estava claramente alterada. Joe tinha um grande poder sobre mim, ele me fazia sentir completa, mas o nervosismo era muito maior do que a vontade de 'aproveitar' o momento. Eu não podia aproveitar.
Ele me pegou no colo, automaticamente minhas pernas se prenderam em sua cintura e  subiu os degraus da escada, indo até seu quarto. Ele me beijava intensamente e passava a mão por todo meu corpo. Eu estava em estado de choque, sem saber o que fazer. Por um segundo, correspondi aos beijos, mas não poderia ficar na ilusão de que seriam apenas beijos. 
-Você é muito gostosa- ele sussurrou em meu ouvido.
Todo meu corpo tremia, eu sabia que era por medo, insegurança. Mas também tinha uma ponta do 'poder' de Joe que me fazia sentir desse jeito. Por alguns momentos eu esqueci de tudo, esqueci de quem era, o que iria acontecer e comecei a aproveitar o momento.
Joe me levou até a cama, ficando por cima de mim. Começou com alguns beijos no pescoço e foi descendo... O desespero só aumentava dentro de mim, mas ele voltou seus lábios para junto dos meus, me beijando ferozmente. Um grande alívio.... Por enquanto.
Eu já devia ter saído dali, mas não sabia como. Se eu dissesse a verdade a Joe, todos na escola me chamariam de mentirosa e descobririam que sou completamente diferente do que eles vêem. Sem contar com as piadinhas que os meninos fariam, as coisas que falariam... Mas eu não podia continuar, eu não podia deixar isso acontecer.
Joe passou uma das mãos por dentro de meu vestido e eu me curvei um pouco, ainda sem coragem para fazer nada. Ele pressionou mais seu corpo contra o meu eu estava incomodada com a situação, mas ainda correspondia aos seus beijos. 
Eu havia caído em uma armadilha... Uma armadilha causada por minhas próprias mentiras. 
Mesmo com muito medo, eu sentia.. 'amor' e seus beijos. Eram intensos mas ao mesmo tempo ... 'apaixonados', viciantes.
Ele tirou a camisa e eu ficava cada vez mais tensa. Quando puxou meu vestido para cima, percebi que não podia continuar, isso acabaria indo longe de mais, assim como minha mentira.  Se eu não concertasse tudo isso agora, daqui pra frente as coisas só piorariam... Eu não queria dizer a verdade, apesar de saber que era preciso. Eu tinha medo do que aconteceria se eu não o parasse... Mas o medo de perder a popularidade, a fama, amizades, também era grande.
Me soltei rapidamente de seus braços, com a respiração ofegante e o peso das lágrimas em meus olhos. Saí da cama, me levantando e indo até a varanda dele.
-Ah Demi, para de palhaçada- ele resmungou- Vai se fazer de difícil agora?- perguntou se aproximando.
-Para- eu pedi com a voz falha.
-Qual o problema agora? Que desculpa vai inventar?- debochou me puxando levemente.
-Não faz isso, por favor- pedi. As lágrimas começaram a sair e eu comecei a chorar desesperadamente- Não faz...- sussurrei.
-Ei, Demi... O que houve?- ele perguntou assustado. 
-Eu não posso fazer isso, eu não posso- eu estava com a cabeça baixa, as lágrimas saiam descontroladamente.
-Demi, o que aconteceu?- ele se aproximou mais, levantando meu rosto.
-Me solta- disse um pouco exaltada, me afastando.
Me sentei em um canto do quarto, eu abraçava as pernas e tinha minha cabeça entre elas.
-Por favor, não chora... Porque ta assim? Me diz o que aconteceu.
-Para, para... eu não consigo- implorei. O choro só aumentava.
-Calma- ele pediu, se aproximando, ajoelhando ao meu lado.
-Fica longe de mim- pedi, me encolhendo mais contra a parede.
-Demi, não fica assim- ele pediu- O que houve? O que eu fiz?
-Eu faço o que você quiser, juro... Mas eu imploro, não me força a...- interrompi a frase, o choro aumentava junto com meus pensamentos.
-Eu não vou fazer nada, Demi. Nunca te forçaria a nada- ele garantiu- Não precisa ficar assim, fica tranquila.
Enquanto eu chorava cada vez mais desesperadamente, ele levou uma de suas mãos até meu braço, calmamente e acariciou de leve. Me esquivei um pouco de seu toque.
-Hey, não precisa ter medo de mim, eu juro que não vou encostar em você- se afastou um pouco.
-De-desculpa- pedi sussurrando, em meio aos incessantes soluços.
-Fica calma, não precisa chorar- ele disse- Por favor- pediu calmamente.
O encarei, seus olhos se fixaram nos meus, uma corrente elétrica pareceu percorrer todo meu corpo. Eu me sentia insegura, fraca... desprotegida, desamparada. Me dei conta do que havia feito, só se passava pela minha cabeça o que Joe estaria pensando sobre tudo isso. Nesse momento eu só queria sair dali o mais rápido possível, cavar um buraco no chão e me jogar dentro. O pior de tudo, era que eu não poderia fugir, mesmo se saísse dali agora, logo eu deveria encarar novamente os fatos. Porque isso tinha que acontecer? Logo com Joe, quem eu conhecia a anos, tinha um 'rolo' e nem conversava direito? Logo com quem eu não me sentia a vontade... Com quem eu amava.
-Eu... vou embora- me levantei rapidamente correndo em direção a porta.
-Não- ele foi até mim, segurando levemente meu braço, mas logo eu parei e ele soltou- Vem cá- me levou até a cama, se sentando ao meu lado.
-Joe...Me deixa sair daqui- implorei, ainda chorando- Eu não sei o que eu fiz, eu não sei o que fazer!
-Fica tranquila-pediu- Eu vou buscar um copo de água pra você, me espera aqui- disse vestindo a camisa- Já volto.
Ele saiu apressadamente do quarto e logo voltou com o copo nas mãos. 
-Aqui- me entregou- Se acalma- pediu secando algumas lágrimas- Não vou fazer nada- garantiu novamente.
-Eu não devia ter feito isso, mas eu não posso, eu não consigo- o choro voltou novamente.
-Demi, para com isso, por favor! Me diz o que aconteceu! O que eu fiz?- perguntou angustiado.
-Eu sou uma completa idiota, imatura, burra- resmunguei.
-Ei, para- levantou minha cabeça- Me desculpa, por favor?- ele pediu.
-Você não fez nada, Joe- disse sem olhar nos olhos dele. Eu estava muito constrangida com a situação.
-Se eu não fiz nada, por que está assim?- perguntou- Sério, foi uma idiotice da minha parte, me desculpa, mesmo. Eu nunca devia ter feito isso.
-Ta tudo bem- forcei um sorriso ainda sem olhar em seus olhos- Mas se você fez alguma coisa, foi por minha culpa... Eu sou uma idiota- abaixei a cabeça.
-Escuta Demi- ele pediu, levantando minha cabeça novamente- Eu sinceramente ainda não entendi  o que aconteceu, mas você não é uma idiota. Se alguém deve pedir desculpas aqui, esse alguém sou eu.
-Você não ia entender, eu passaria a noite toda aqui, falando...- eu disse.
-Eu não me importaria- garantiu- Mas sei que não se sente a vontade comigo, certo?
-Certo- sussurrei- Não é nada pessoal...
-Não precisa me explicar- garantiu- Só se acalma e para de chorar, por favor- pediu colocando uma mexa do meu cabelo, que caía sobre meu rosto, para trás da orelha- Quero que entenda que não precisa ficar nervosa nem preocupada, se acalma.
Não falei nada, apenas sorri... mas ainda incomodada.
-Vem, eu vou te levar pra casa- segurou minha mão, me ajudando a levantar da cama.
-Não Joe, eu vou sozinha- disse.
-Eu te levo, Demi- preferi não discutir. Era até bom, eu não estava bem para andar sozinha a essa hora.
-Ta- concordei brevemente e saímos do quarto, em silêncio.
Desciamos a escada e Joe tinha sua mão levemente depositada em minhas costas, dando certo apoio. Eu estava com a cabeça baixa, ainda sem o encarar.
-Joe, quem é ela?- Um menino pequeno e muito bonitinho perguntou. Ele devia ser o tal irmão caçula de Joe, estava no sofá vendo televisão. Levantei a cabeça levemente para encará-lo mas logo abaixei-a novamente.
-É uma amiga, Frankie- Joe respondeu.
-Ela ta bem? Ouvi um barulho de choro- comentou.
-O que mais você ouviu?- Joe perguntou, um pouco nervoso.
-Nada, só isso- respondeu inocentemente.
-Ela está bem sim, só precisa descançar. Vai lá pro seu quarto que eu já volto- Joe pediu, forçando um sorriso.
Frankie o obedeceu na hora.
-Melhoras moça- ele disse passando por mim.
Ele era uma gracinha, não pude evitar em sorrir.
-Desculpa, ele é meio curioso- Joe disse.
-Imagina, ele é um amor- disse quase com um sussurro.
-Vamos- segurou minha mão e me levou até o carro, abrindo a porta para mim.
Fomos em completo silêncio até a minha casa, o caminho era curto mas pereceu uma eternidade. A situação me incomodava, muito. 
Eu tinha minha cabeça apoiada na janela, as lágrimas escorriam silenciosamente pelo meu rosto, meu corpo estava fraco e tremia. 
-Está entregue- ele disse parando em frente a minha casa.
Não disse nada, apenas abri a porta do carro, querendo sair dali o mais rápido possível.
-Espera- ele segurou meu braço cuidadosamente e eu me virei para encará-lo.
Em um inesperado ato, ele me puxou levemente, me envolvendo com seus braços, dando um abraço caloroso e aconchegante. Demorei um pouco para assimilar as coisas na minha cabeça, mas depois de um momento, apenas correspondi ao abraço, enterrando minha cabeça em seu peito. Por incrível que pareça, eu me sentia protegida, não me sentia mais tão... vulnerável.
-Fica bem- sussurrou em meu ouvido- Boa noite- se afastou e eu saí do carro rapidamente, correndo para dentro de casa. Precisava de uma boa noite de sono, mas não sabia se conseguiria dormir.


Continua...
Gostaram? Gente, eu avisei que não aconteceria o que vocês estavam pensando! :s Mas eu me diverti muito com os comentários haha :) Eu amei esse, achei fofo *-* Amo momentos fofos :3 Comentem muito, viu? Obrigada a toooodos, mesmo! Amo vocês <333 Não garanto que vou postar amanhã, porque realmente eu to cheia de coisas pra fazer :/ Mas vou tentar ao máximo! :)


Beijemis, Bruna =)