Visualizações

15 de fev de 2012

Do You Remember? - Chapter 35

Chapter 35


Joe on:
Agora estávamos andando de barco, falando besteiras, declarações de amor em meio a beijos e carícias. Passeamos pelas ruas de Paris, rimos de coisas absurdas e nos divertimos muito. Essa estava sendo com certeza a melhor viagem de todas.
-Joe, eu vou ali comprar uma água-  ela disse enquando me deixava na fila para entrar em um dos lindos museus.
-Deixa que eu vou- disse- vou pegar a camera no hotel-sim, nós esquecemos a camera no hotel e eu teria que buscá-la.
-Tudo bem- sorriu e eu saí andando.
Comprei a água, mas quando ia pegar a camera no hotel, avistei uma loja que me interessou um pouco... Eu não pude resistir. Entrei e comprei um... presentinho para Demi, mas deixei o embrulho no hotel para que ela não visse. Voltei até onde ela estava e vi uma cena um tanto quando ... chocante.
Demi estava chorando, gritando com uma mulher... Mas não era qualquer mulher.. Era aquela que havia dado em cima de mim ontem. Fiquei paralisado por um instante, sem entender muito bem o que acontecia. Demi nunca discutira desse jeito com ninguém. Depois de um breve segundo corri em direção a elas. Algumas pessoas ao redor já olhavam.
-Epa, para com isso- puxei Demi por trás- O que ta acontecendo?´
-Parece que Demi não ficou muito feliz em me ver, não é mesmo?- a mulher falou.
-Ãh? Como assim? - eu não estava entendendo nada. Demi e aquela mulher oferecida se conheciam?
-Nada, Joe. Vamos embora- Demi resmungou enxugando as lágrimas.
-Não, pera ai, vocês se conhecem?- perguntei.
-Sim- a mulher respondeu, me olhando com um sorrisinho no rosto. Tive medo de que ela falasse algo sobre nosso encontro anterior.
-Vamos, Joe. Por favor- Demi ainda chorava.
-Ta... Vamos- saímos caminhando, eu a abraçava por trás e ela chorava silenciosamente.
Entramos no quarto e ela foi correndo até o banheiro, se trancando lá dentro sem nem me dar tempo para perguntar ou falar algo.
-Demi, abre essa porta- eu pedia, enquanto batia na porta ouvindo seu choro- Demi, por favor- ela não respondia- Eu quero conversar com você, me diz o que aconteceu- implorei.
-Joe, me deixa sozinha... Por favor- ela pediu.
-Tudo bem- suspirei- Mas sai dai, fica aqui no quarto... Eu te deixo sozinha- disse.
Alguns segundos depois a porta se abriu e Demi saiu com a cabeça baixa, indo em direção a cama. Eu ainda não entendia o que havia acontecido, de onde ela e aquela mulher se conheciam... Mas a deixaria pensar tranquilha. Dei uma breve olhada para Demi e caminhei até a porta, me preparando para sair.
-Não, Joe! Fica aqui... Eu preciso de você- ela sussurrou, me encarando. Fui até ela e a abracei. Mas não era qualquer abraço, foi o mais comfortante que já dera. Como se estivesse protegendo algo meu, querendo tirar todo aquele sofrimento de Demi e pegar para mim... Sofrer por ela... Era o que eu queria.
-Eu to aqui- sussurrei.
Ficamos assim por um tempo, as lágrimas agora já não desciam mais como antes, porém eu podia perceber uma ponta de nervosismo em seu olhar... O sofrimento em sua expressão. Isso estava me matando. Algumas vezes ela parecia mais calma, o choro cessava... Mas outras vezes era como se ela parace para pensar em algo e todas as lágrimas voltassem a cair descontroladamente. Eu queria saber o que estava acontecendo, queria poder ajuda-la. Seus braços se prendiam em mim, era como um imã. Eu acariciava suas costas enquanto Demi soluçava em meio a lágrimas. Eu sentia que ela queria me falar alguma coisa, talvez me dar uma explicação ou ao menos conversar, mas seria preciso se acalmar antes. Ela tentava parar o choro, mas nada saia de sua boca, era como se as palavras estivessem presas, querendo permissão para sair... Uma permissão não concedida.
-Demi, não se preocupa em me fala nada, tudo bem? Eu estou aqui, fica calma. Não precisa chorar, eu vou te ajudar- peguei uma de suas mãos, ainda a braçando e entrelacei nossos dedos, tentando mostrar segurança, proteção. 
Ela apertou sua mão contra a minha e se afastou um pouco, respirando fundo com os olhos fortemente fechados.


Demi on:
Eu não conseguia me controlar, queria conversar com Joe, contar tudo a ele. Eu precisava de sua ajuda e sabia que ele estaria ao meu lado. Mas as lágrimas saiam sem permissão, o choro apenas aumentava... Muitas coisas vinham em minha cabeça e eu não sabia direito o que fazer ou pensar. Todo o sofrimento acumulado durante anos agora pesava em meus olhos, meu coração sentia dor, uma dor de culpa, arrependimento. Joe me abraçava, passando segurança, e de uma certa forma... Força. Eu aguentei muita coisa durante a minha vida, e agora, era como se tudo aquilo tivesse vindo para me destruir.
Respirei fundo algumas vezes e fixei meus olhos nos dele. O choro havia parado.
-Eu preciso da sua ajuda, não sei se vou conseguir...- disse secando as lágrimas.
-Eu sempre vou estar do seu lado, Demi. Para te ajudar no que precisar- Joe disse, acariciando meu rosto- Não diga que não vai conseguir antes de tentar. 
-Eu não consigo mais aguentar esse sentimento dentro de mim, isso ta me matando- as lágrimas começaram a cair novamente.
-Ei, ei. Para, não chora- secou minhas insistentes lágrimas- Você que me contar o que ta acontecendo? Eu posso te ajudar, Demi. Sei que posso. Desabafar é sempre bom... E sabe que pode confiar em mim.
-Sempre- forcei um sorriso. Só ele tinha esse efeito sobre mim, conseguir arrancar um sorriso em meio a tantas lágrimas- Eu sei que vai me ajudar, você sempre consegue.
-Quero que conte comigo para tudo, Demi. Eu to aqui com você para momentos bons e ruins. Sempre ao seu lado- ele me deu um beijo no topo da cabeça.
-Eu... Quando eu era pequena, sempre ficava com meus pais, eu era muito grudada com eles. Minha mãe me tratava como uma princesa, eu sempre tive tudo o que quis. Meu pai fazia tudo para mim, tudo pensando em mim. Toda a família vivia em minha função. Eu era muito nova, e amava isso. Mas não tinha consciencia, não dava valor. Cada vez eu queria mais, exigia mais dos meus pais e quando eles não faziam eu simplesmente não aceitava. As coisas foram ficando mais sérias e meus pais não faziam mais tudo que eu 'mandava'. Mas já era tarde, eu já estava descontrolada. Na minha cabeça, eu tinha o controle, eu era o centro de tudo. Só que... eu sempre fui uma menina sorridente, meiga, simpática... Educada. Mas quando se tratava de ordens, eu queria ser a mandante. No dia do acidente...- dei uma pequena pausa, respirando fundo e tentando não voltar a chorar. Joe segurou minhas mãos- No dia em que tudo aconteceu... Eu estava no carro, com meus pais. Nós haviamos acabado de sair da casa de uns amigos meus... Ainda estavamos na esquina e enquanto meu pai dirigia, eu gritava com minha mãe, esperniava, mandava ela voltar e me deixar na casa de novo. Bom... Você não deve saber... Mas eu tenho uma irmã mais velha... Ela também estava no carro, mas eramos completamente diferentes. Em meio as discussões, eu não pensei duas vezes em abrir a porta do carro, com a intenção de pular dali e voltar para junto de meus amigos. Foi muito rápido.. Minha mãe gritava meu nome mas eu ignorava... Não andávamos muito rápido, foi fácil sair sem me machucar. Depois disso... eu não sei o que aconteceu.. Só lembro de ter ouvido gritos, muitas luzes e... muito sangue. Eu vi.. meus pais naquele carro todo amassado, em meio aos escombros, mortos. Na hora, eu não fiz nada, era muito pequena e não sabia bem das coisas... Logo depois tudo foi se juntando na minha cabeça... Todos choravam, amigos dos meus pais, algumas pessoas que estavam na casa vinham até mim.. Eu apenas desabei em lágrimas... querendo morrer no lugar deles- eu já chorava, Joe limpou algumas lágrimas- Dallas, minha irmã, estava no carro. Mas nada aconteceu com ela. Mais velha, já entendia o que havia acontecido, ela saiu do carro em estado de choque... eu me lembro da cena... Não sei muito bem o que aconteceu.. Mas depois do enterro, quando as coisas já estavam mais calmas, Dallas veio até mim, contando uma história... O que havia acontecido dentro do carro depois que saí. Ela dizia que eu era a culpada, que minha mãe queria voltar para me buscar mas meu pai não obedecia, estava disposto a me dar uma bela lição. Minha mãe sempre fora muito protetora, nunca deixaria sua filha no meio da rua, sozinha. Já meu pai parecia cansado da situação, queria impor regras e castigos. De acordo com minha irmã, eles começaram a discutir, minha mãe tomou o controlo do volante, eles gritavam um com o outro e ... Acabaram perdendo o controle e batendo em um poste... Eles não resistiram...- desabei em lágrimas, Joe me abraçou forte.
-O tratamento que eu recebia sempre invejou Dallas... Ela nunca tinha atenção, fazia de tudo, mas nunca conseguia. Eu estalava os dedos e tinha o que queria, já Dallas tinha um outro tipo de tratamento. Ela brigava comigo, colocava a culpa em mim, mas nossos pais sempre estavam ao meu lado. Depois do acidente, ela me importunava todos os dias, me fazia sentir culpa por todo o ocorrido. Como era a única testemunha de tudo que acontecerá, toda a família ficou contra mim. Eu era apenas uma criança de 3 anos, com sonhos e fantasias na cabeça.. Malcriada, mas com um amor indescritível por meus pais. Uma tia então resolveu me por no orfanato, Dallas foi junto. Eramos apenas nós, eu só tinha Dallas e ela não ligava para mim. Eu chorava todas as noites, passava semanas sem dormir, pensando em tudo, como teriam sido as coisas se eu tivesse agido de outra maneira. Meu porto seguro era ela, porém eu não tinha minha irmã ao meu lado. Foi assim que eu passei minha infância no orfanato, chorando, sozinha... Sempre me culpando por tudo. Quando completou 18 anos, Dallas decidiu deixar o orfanato e seguir sua vida, afinal, toda a herança havia ficado com ela. Mas em vez de pegar minha guarda e me levar junto, ela disse que eu mofaria naquele lugar... Disse que eu pagaria o preço pelo que fiz com meus pais. Ela sempre voltava lá, mas não para me visitar... Apenas queria se certificar de que eu ainda estava lá. Sempre me contando a mesma história, fazendo a culpa e sofrimento aumentarem. Até o dia em que sua mãe foi até lá... Aquele foi o dia mais feliz da minha vida, eu me senti amada apenas com a presença de Denise. E então ela me adotou e eu fui morar com vocês... Eu tinha uma família de novo... Você sempre esteve ao meu lado, mesmo não sendo muito próximo, eu sentia que tinha com quem contar. Eu estava muito feliz, por um momento consegui esquecer de tudo... Mas quando a noite chegava, eu ficava na escuridão e tudo voltava.... Passei muito tempo chorando as escondidas e fingindo que tudo estava bem.
-Nossa... eu não sabia, Demi- Joe me olhou um tanto quando.. chocado.
-Ninguém sabe... Alguns dias depois eu voltei ao orfanato para pegar o restante de coisas que faltavam e encontrei Dallas... Ela me disse coisas horríveis.. eu nem quero lembrar. Mas disse que nunca sairia da minha vida.. eu sempre a teria por perto, mesmo que não quisesse... Mas não era para apoiar e ajudar.. seria para atormentar. Depois que descobriu que eu estava com uma família rica, a inveja voltou. Ela tinham muito dinheiro, mas não se contentava. E então fui embora daquele lugar, ouvindo de sua boca que tudo que era meu, um dia seria dela. E o que um dia foi meu, agora pertencia a ela. Desde então eu venho tentado esquecer tudo isso, todo esse sofrimento. Com você ao meu lado sempre foi fácil, eu tenho uma família incrível agora... Com quem me sinto amada e feliz.. Tudo estava perfeito.. Até eu a encontrar agora pouco- abaixei a cabeça.
-O que? Aquele era Dallas? Sua irmã?- perguntou surpreso.
-Exatamente... E mais uma vez ela quer me encher de culpa e tirar o que é meu...- olhei para ele.
-Demi, ela nunca vai tomar seu lugar... Você é única- ele me garantiu.
-Eu sei mas... A verdade é que não sei o que aconteceu naquela tarde... Mas Dallas estava com meus pais, então eu me sinto cada vez mais culpada.
-E é isso que ela quer. Não sofra por ela, Demi. Dallas não merece uma lágrima sua. Você é forte o bastante para superar isso, não se culpe, você nunca quis que isso acontecesse.
-Mas aconteceu... E foi por minha causa... Se eu não tivesse...
-Para- ele me interrompeu- Se culpar não é o certo. Você não sabe o que aconteceu realmente, Demi. Não acredite em Dallas. Eu tenho certeza que seus pais tem muito orgulho de você, da pessoa que se tornou. Seja forte, eu estou aqui. Vamos superar isso juntos. Não coloque coisas na sua cabeça.
-Eu não consigo... As palavras de Dallas, as imagens na minha cabeça...
-Demi, me responde uma coisa, você confia na Dallas? Acredita nela? Ela já te deu motivos para isso?
-Não- neguei.
-Então porque acredita no que ela disse? Você se sente culpada porque colocou isso na sua cabeça. Deixou que Dallas tomasse conta de você. Não de atenção a ela. Dallas tem inveja de você, sempre quis ter sua vida e nunca conseguiu. Nunca recebeu o amor que você recebia... Ela quer que sofra como ela sofreu. Dallas não poe somente a culpa da morte de seus pais em você, mas também a culpa por seu sofrimento. Eu não vou deixar que sofra por causa dela, você não fará isso. É forte e vai seguir em frente, vou estar aqui, ao seu lado. Prove a ela que você pode lidar com isso, não mostre fraqueza. Apenas deixe ela ver que você é melhor. Que vai encarar tudo isso que uma outra maneira, diferente dela. 
-Obrigada, Joe. Eu te amo- me encoli em seus braços.
-Shi, fica tranquila. Eu vou te ajudar. Eu te amo- disse enquanto acariciava meu cabelo.
Eu me senti mais forte, eu sabia que superaria isso. Com Joe ao meu lado eu conseguiria me livrar daquela culpa e sofrimento que invadiam meu coração. Dallas não conseguiria mais me vencer, vencer meus sentimentos. Eu mandava em meu coração e sabia que não era a culpada. Apesar de ser difícil de acreditar.

Continua...

Bem grandinho, não? :) Não tenho muito o que dizer então... Espero que gostem! *o* Depois eu volto para repassar os selinhos ;')
MUITO obrigada, Laura e Giu <3 Todos vocês são incríveis! Comentem muito para o próximo! E lembreeeeem ---> a enquete :D 
Gente, pra deixar bem claro, eu AMO a Dallas, ta? Haha é que pra fazer sentido, teve que ser ela! :O 

Beijemis, Bruna :D

4 comentários:

  1. Muito lindooo =D

    Posta logooooo :)

    ResponderExcluir
  2. ta muitoo perfeitoo! to curiosa :) posta logo ! bjs!

    ResponderExcluir
  3. Selos diwa ~ :: http://needyounowjemi.blogspot.com/2012/02/selos.html Parabéns pois você merece com certeza *-*.

    ResponderExcluir

Vamos comentar?!?!..... SIM! :3