Visualizações

7 de fev de 2012

Do You Remember? - Chapter 29

Chapter 29


Acordei com Joe me dando beijos por todo rosto, eu o tinha de novo e dessa vez seria realmente para sempre.
-Eu nem to acreditando... Que você ta aqui comigo, de novo- eu disse, sorrindo.
-Esse tempo loge de você me fez te amar ainda mais- nos beijamos, calmamente.
-Parece um sonho- disse enquanto ele acariciava meu rosto.
-Então eu não quero acordar nunca- Joe me puxou para seu colo e ficamos assim por um bom tempo.
-Eu te amo tanto, Joe. Você não tem ideia- eu disse, me encolhendo mais em seu colo, ele me abraçava de lado.
-Não importa, eu amo mais- mostrou a língua rindo e me dando um beijo- Você ainda usa o anel... E o colar- comentou.
-É claro que sim, eu nunca tirei. Era uma forma de sentir você ao meu redor mesmo quando não estava presente.
-Você não tem que se preocupar mais com isso. Eu sempre estarei ao seu lado, independente de qualquer coisa- nos beijamos de novo.
Eu não podia negar, eu estava radiante. Nada podia tirar o sorriso que tinha em meu rosto, assim como nada pode tirar o amor que sinto por Joe.


(...)


Joe on:
Agora tudo estava mais que perfeito entre eu e Demi. Descemos, tomamos café e fomos até um clube que tinha aqui perto.
-Como eu te amo, Demi- disse a abraçando por trás.
-Eu nem sei como sobrevivi esse tempo sem poder te beijar, sem poder dizer o quanto eu te amo- ela me beijou, estávamos no meio da estrada de terra, dentro do clube. Era um lugar bonito, com muitos animais e bem tranquilo. Lembrava uma fazenda, a grama bem verde, refletindo o brilho do sol, crianças brincando, pessoas conversando e árvores bem grandes e bonitas. Mas agora só  que importava 'nós'.
-É a mamãe- eu disse, me afastando e pegando o celular. Nossos pais entavam em NY- Eles não vão conseguir voltar essa semana- eu disse depois de desligar o telefone- Parece que ta nevando muito e os aeroportos estão fechados.
-Nossa, mas aqui o tempo ta tão lindo- Demi comentou.
-É.. Mas lá a coisa ta feia- fiz uma careta.
-Joeeeeee vamos andar de cavalo? -ela amava cavalgar.
-Vamos sim- eu ri e fomos em direção à Hélio, um senhor que era muito amigo nosso e cuidava dos animais.
-E ai, Hélio! Como vai o senhor?- perguntei o cumprimentando.
-Ótimo, Joe! Essa é a Demi? Nossa! Como você mudou!- ele disse.
-É um prazer vê-lo de novo. Faz muito tempo que eu não venho aqui- ela sorriu.
-Bom, Luccas vai ajudar vocês. Ele está terminando de arrumar os cavalos- ele saiu e fomos até Luccas.


(...)


-Não é melhor terminar de pentear ele antes de por a Demi ai em cima?- questionei enquando Demi montava.
-Não, não tem problema- Luccas garantiu.
-Se você diz...
-Joeee- era Marina, uma menininha muito fofa que vivia por ali, era vizinha de Kevin. Ela tinha 6 anos e sempre brincava comigo quando estava por aqui.
-Mari- peguei-a no colo- Como você ta, minha linda?
-Bem...- ela me deu um abraço apertado- Joe, me ajuda?
-Claro, o que foi?- perguntei.
-É que... Eu não sei onde minha mãe ta, eu já procurei por todos os cantos- ela já tinha lágrimas nos olhos.
-Calma, Mari. Não chora- eu limpei suas lágrimas- Vamos achar sua mãe, ta?- ela concordou -Demi, eu já volto- sai a procura da mãe de Marina. 


(...)


Quando voltei, Demi estava deitada no chão, chorando muito e Luccas estava do seu lado. Eu corri até eles.
-O que houve?- perguntei.
-Ela caiu- ele respondeu preocupado.
-Aii, meu braço- ela disse, chorando muito e reclamando de dor.
-Calma, eu vou te levar ao hospital- peguei-a no colo com cuidado e fui até o carro. Logo estávamos na emergência. 
O médico chegou e a levou para dentro, eu fiquei na recepção esperando por notícias.


(...)


Eles estavam a algumas horas lá dentro e eu só ficava mais preocupado.
-Responsável pela paciente Demetria Jonas Lovato- o médico chamou.
-Eu- respondi caminhando até ele.
-Por um acaso você é Joe?
-Sim, eu mesmo.
-Ela está desesperada chamando seu nome, tentei dar um calmante mais não adiantou muito, talvez consiga acalmá-la- ele disse.
-Claro, onde ela está?
-Quarto 345, logo a direita.
-Obrigada- eu disse saindo apessado em direção ao quarto.
Entrei e encontrei Demi de cabeça baixa e o braço enfaixado.
-Meu amor, como você ta?- perguntei me aproximando. Ela levantou a cabeça na hora e abriu um grande sorriso.
-Joe!- lhe dei um abraço apertado. Ela chorava um pouco.
-Não chora, minha linda- me sentei na beirada da cama.
-Você ta aqui- ela disse, ainda me abraçando.
-É claro que estou, Demi. Agora se acalma, você precisa descançar- eu disse.
-Fica aqui comigo?- ela perguntou, segurando firme minha camisa.
-Fico- peguei sua mão e entelacei nossos dedos.
Ela dormiu rapidamente. O médico lhe deu alta e disse que poderiamos sair quando Demi acordasse.


(...)


-Bom, eu vou te deixar tocar de roupa, qualquer coisa me chama- ela estava com aquelas roupas de hospital porque tinha feito muitos exames. 
-Espera, Joe!- ela chamou enquanto eu saia do quarto.
-Oi- respondi, virando para olhá-la.
-É que... Será que pode me ajudar? Eu não consigo mexer o braço- ela fez uma careta.
-Ah, claro- sorri. Fui até Demi e tirei aquela roupa estranha, ela estava com a cabeça baixa. Era impressionante como mesmo depois de tudo ela ainda tinha vergonha de mim. 
Peguei sua blusa em um canto e coloquei cuidadosamente, para não machucar o braço. Coloquei a calça e quando fui fechar ela segurou minha mão.
-Ér...Pode deixar que eu fecho- deu um sorriso envergonhado.
-Jura?- apontei para seu braço machucado.
-Eu consigo- ela disse.
-Tudo bem- cruzei os braços e fiquei parado  na sua frente, rindo discretamente enquanto ela tentava fechar. 
-Ah, que droga!- resmungou.
-Deixa eu ajudar, Demi- disse rindo.
-Não precisa.
-Assim a gente vai sai daqui amanhã a noite. Deixa de ser boba- caminhei até ela e fechei a calça rapidamente- Pronto. Simples- sorri vitorioso. Ela revirou os olhos.
-Tudo bem, você venceu- ela riu- Obrigada.
-De nada. Vamos - sorri a abraçando de lado. Chegamos rapidamente e casa de Kevin.
-Ai, ta doendo. Que bom que foi só uma torção- comentou.
-Owwn, tadinha da minha Demi- a abracei- Descança, meu amor. Qualquer coisa me chama- dei um beijo em sua teste e ela subiu a escada, em direção ao quarto.


Continua...


Desculpem a demora! :O Posso pedir uma coisinha? Mesmo que não tenham uma conta no blogger, coloquem seus nomes nos comentários anônimos! :')  E outra coisa, eu sei que tem gente que comenta várias vezes em anônimo e eu amo isso, porque sei que está realmente gostando e quer mais :P Mas só um aviso, eu não deixo de postar quando tenho poucos comentários ;) Sóóó que... Quanto mais melhor e eu peço que comentem! Por favor! :) Obrigada <3 Querem mais hoje?? Hummm... Eu posso postar! Se você realmente quer mais, comente! ;) Respostinha rápida à @Lovelovato_demi, amor, quando eu postar outra fic, vai ser aqui mesmo! Eu termino essa e já começo a outra. É só entrar aqui mesmo e ler! ;^)  Amo vocês <333 


Beijemis, Bruna :)

13 comentários:

Vamos comentar?!?!..... SIM! :3